Aposentadoria com FIIs

aposentadoriafiis

Interessante como o debate sobre “Aposentadoria através dos Fundos de Investimentos Imobiliários” foi intenso 🙂

A tabela acima ilustra o primeiro passo que devemos dar na direção da Independência Financeira com FIIs: saber qual é a nossa necessidade imediata de remuneração mensal para alcançar a sonhada IF!

Esqueçam por um momento os preciosismos, as atualizações monetárias ao longo dos anos de acumulação, vamos respirar o presente e sonhar um pouco com o futuro, ok?

Matemática simples, o retorno mensal é o resultado de uma Taxa de Remuneração do seu Capital Investido; este capital é a quantia desejada.

Quanto menor for a Taxa obtida, maior terá de ser o montante acumulado e claro, quanto maior a taxa… maior é o risco envolvido no investimento.

Acharam que eu ia mostrar só o lado bom? Talvez um pouco de realidade ajude mais você neste começo a estabelecer algumas premissas para que o sonho se torne realidade e não vire um pesadelo 🙂

Sonhar não custa nada, certo? Errado… sonhar também leva tempo e nos investimentos, tempo é dinheiro!

Mas quando o sonho vem junto com o planejamento, podemos potencializar o resultado evitando algumas armadilhas mentais, como a de perseguir as maiores taxas e acabar afetando o principal investido com prejuízos e rendas não recorrentes.

Continua logo abaixo…

40 comentários sobre “Aposentadoria com FIIs

  1. Tenho 34 anos, sou poupador desde os 13 anos mas comecei a ser investidor p/ valer no ano passado. Minha meta é conseguir meu primeiro milhão aos 40 anos, valor que para mim não garante a independência financeira. Penso que 2 milhões seria o valor ideal, porém quando chegar nessa sonhada IF não pretendo parar de trabalhar.

    A maior parte de minha carteira está em renda fixa, sendo minha galinha dos ovo de ouro os títulos ICPA+ com vcto em 2035 e 2050 com cupom. Como estou na fase de acumulação de patrimônio, meu objeto é 85% em renda fixa, 10% FIIs e 5% ações/opções.

    Quando for chegando mais próximo da IF, vou estudar aumentar a parcela em ativos geradores de renda.

    Curtido por 1 pessoa

    • Legal Linelson!
      Parabéns pela disciplina!
      Vou fazer um contraponto com o objetivo de nos colocar para raciocinar:
      – VC estando na fase de acumulação. Nao seria mais interessante investir na NTNB-principal (sem cupom)? Os juros compostos são bem mais poderosos nessa modalidade.
      – Qdo chegar mais próximo da IF, vc vai aumentar a parcela de ativos geradores de renda. Vc quer dizer FII’s? ou ações? Se for isso, eu penso justamente o contrário… Qdo eu for mais velho eu penso em diminuir a parcela em RV. Minha alocação de ativos tem uma parcela maior em RV agora e, com o avançar da minha idade, o apetite para o risco vai diminuindo. Estou na casa dos 30 também!
      Um grande abraço!

      Curtido por 1 pessoa

      • Ops, 26,5% da minha carteira está no TD 2035 e apenas 4,6% no 2050 com Cupom.

        Quando falo em geradores de renda são de todos os tipos, pode ser FIIs, títulos públicos ou até mesmo renda fixa / debêntures. Mas você está certo, alcançou a IF a minha tendência é diminuir o risco. Assim é provável da parcela da carteira que destinaria para a geração de renda ficaria uns 65% em Títulos Públicos e 35% em FIIs. Até lá tenho bastante tempo para meditar rsrs.

        Renda variável vou na boa, quando abre oportunidades dou uma arriscada. Já me testei no começo do ano com as minhas aplicações em renda variável e ver um preju de -10% não caiu bem. Foi só ficar no zero a zero que vendi a grande parte.

        Devagar e sempre, não vou ficar rico logo mas a minha aposentadoria deve ser tranquila. O negócio é aproveitar enquanto o Brasil ainda er a maior taxa de juros reais do mundo.

        Abs

        Curtir

  2. Segue o meu pensamento sobre origem de recursos de aposentadoria.

    Eu parto do princípio que a origem da renda da aposentadoria futura deverá vir de múltiplas fontes. Acabou aquela história de receber uma aposentadoria descente da previdência pública. E também aqueles que hoje ingressam no serviço público não terão polpudos (e injustos) proventos integrais. Então, o que fazer?

    – estude finanças e investimento como você estuda para evoluir na carreira profissional.
    – guarde dinheiro sempre, principalmente nas fases onde você terá remuneração maior e gastos menores.
    – aprenda a poupar recursos desde cedo. Assim o esforço será menor no futuro quando a ficha da aposentadoria cair.
    – não adianta poupar desde cedo e guardar dinheiro no lugar errado. Veja qual o melhor investimento para o momento da sua vida, dos produtos ofertados no mercado e das oportunidades que aparecem. Aqui são reunidos os três itens acima mencionados.
    – Não concentre. Saiba racionalizar os recursos. Há momentos em que um investimento vai melhor que o outro e a chance de perder tudo é reduzida.

    Senso assim sou da tese que o aposentado do futuro deverá ter rendas distintas, provenientes de fontes distintas. Parte viria da previdência pública e outra parte da previdência privada (principalmente se forem bons planos de empresas). Também os recursos poderão vir de FII e imóveis alugados, dividendos de ações e cupons do TD, juros de RF/fundos DI, aplicações no exterior, etc.

    Curtido por 6 pessoas

  3. Nossa… que benção ver estes gráficos. Que lindo!!! Diminui minha posição em fii mas preciso e irei retomar o projeto de me aposentar decentemente…. isso se conseguir me aposentar porque do jeito que está….enfim. Sou servidor público e está tudo muito complicado. Desculpem o pequeno desabafo. Tetzner, por gentileza, teria como postar o último gráfico com aporte de R$ 1k? Obrigado.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Telzner

    Impressionante a forma simples/direta e didatica que você abordou este tema, e como me ajudou a esclarecer inúmeras duvidas que tinha em minha mente, apenas pairou uma duvida sobre mim não seria coerente corrigir o montante desejado para se aposentar pela inflação, pois R$ 5.000,00 hoje não serão a mesma coisa daqui a 10 anos e também não eram a 10 anos atrás o poder de compra se deteriora com o passar do tempo.

    Desde já agradeço pela sua resposta

    Obrigado

    Curtido por 1 pessoa

    • Que bom que gostou Mauro 🙂

      Sim, o ideal é aplicar a correção, mas como usamos os FIIs e para simplificar a explicação mantive constante.

      Outro ponto, numa previdência privada comum eles corrigem o boleto anualmente, aqui você decide até se num mês tiver sobra e puder por mais ou se houve um imprevisto pontual e tiver de aplicar menos 😀

      O importante é Perseverar!

      Curtir

  5. Já sei então o quanto eu quero para viver tranquilo; seja para “aposentar as chuteiras” ou como disseram, apenas para ter mais liberdade e trabalhar com o que quiser, como quiser e desejar.

    Um fato interessante sobre a IF(Independência Financeira) é que você acaba fazendo mais coisas depois que atinge ela do que na fase de acumulação; inclusive estabelecer rotinas para que não acabe trocando o dia pela noite rs

    Anos, meses, semanas e dias tomam outra dimensão, você só tem uma vaga lembrança do quanto é ruim uma segunda-feira e do tanto que festeja a sexta-feira; todo dia é sábado 😀

    Curtido por 8 pessoas

    • Tetz,

      Sensacional esta duas pegadas…

      Um fato interessante sobre a IF(Independência Financeira) é que você acaba fazendo mais coisas depois que atinge ela do que na fase de acumulação; inclusive estabelecer rotinas para que não acabe trocando o dia pela noite rs

      Anos, meses, semanas e dias tomam outra dimensão, você só tem uma vaga lembrança do quanto é ruim uma segunda-feira e do tanto que festeja a sexta-feira; todo dia é sábado😀

      Como dizem por aqui volta e meia, vale “mil curtidas” ! 😀

      Curtido por 5 pessoas

    • O papel dos Fundos Imobiliários é desempenhado em 3 frentes:

      – Na Taxa de Remuneração
      – No Acúmulo de Capital
      – Sob Efeito dos Juros Compostos

      Cada aporte levará à aquisição de uma quantidade de cotas, as quais começam a gerar rendimentos que potencializam o aporte e aceleram o acúmulo de capital, através dos juros compostos.

      Lembram dessa figura?

      Curtido por 4 pessoas

      • Então…

        A “brincadeira” ai de cima é a faixa Azul 😀

        Percebam como a taxa, o reinvestimento e o efeito dos juros compostos elevam drasticamente o montante acumulado no mesmo período de tempo.

        É mais ou menos igual o Bolt… na largada ele fica meio apagado, você fica se perguntando “cadê o raio” ?

        O tempo vai passando, a renda das cotas adquiridas vai se somando aos aportes e eles vão crescendo ao longo do tempo, ganhando velocidade, …

        Passa um, dois, três, … dispara!

        Abre uma distância, duas, três, … e já começa a olhar para trás a turma que vai ficando pelo caminho 😀

        Curtido por 3 pessoas

      • Tetz
        Brilhante sua capacidade de sintetizar em apenas 3 gráficos todos o raciocínio.
        Agora basta você disponibilizar esse trabalho (planilhas e gráficos) para os assinantes lançarem seus próprios objetivos. (E montar um pequeno maunal de instruções e uso).
        Somente acho você MUITO otimista na taxa de juros REAL.
        Sua tabela vai de 1,25%am a 0,5%am.
        Está com receio de desanimar os novatos?

        Galera!!. Joga 0,5%am na simulação.

        Curtido por 4 pessoas

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s