BBFI11B – BB Fundo de Investimento Imobiliário Progressivo

O fundo é administrado pela Caixa Econômica Federal, em regime de condomínio fechado e tem prazo indeterminado de duração; classificado como sendo um fundo do tipo Tijolo e enquadra-se na segmentação Escritórios.

Possui dois imóveis em seus ativos: um em Brasília, localizado no Setor Bancário Sul, Quadra 01, Bloco “A” (Edifício Sede I), e outro no Rio de Janeiro, localizado na Rua Gomes Braga, 65, com entrada suplementar pela Rua Barão São Francisco, 177 (Centro Administrativo do Andaraí).

bbfi11b-bmp

O edifício de Brasilia(sede) conta com 46.135 m²,  23 andares e 27 pavimentos; já o do Rio de Janeiro(CARJ) conta com 104.498 m², 9 blocos integrados pelo subsole, mais 1 agência.

Centro Administrativo do Andaraí (CARJ)
O complexo Comercial está localizado na Zona Norte do Rio de Janeiro, região que possui uma ocupação mista entre os usos comercial/serviços, institucional e residencial. Entre os usos encontrados na região podemos citar agências bancárias, shopping center, comércio local, edifícios residenciais, entre outros. Destacam-se no entorno imediato o Shopping Center Boulevard Iguatemi Rio e o hipermercado Guanabara. A região é amplamente servida por diversas linhas de ônibus regulares que fazem a ligação com o centro e outros pontos da cidade. Quanto ao sistema de transporte por metrô, a estação mais próxima é a Saens Peña, localizada a cerca de 2 km (Linha 1) e a Maracanã, localizada a cerca de 2 km (Linha 2) da propriedade.

Imóvel CARJ – Centro Administrativo do Rio de Janeiro:
Valor: R$ 2.157.100,00 (em 07/04/16), Prazo: 5 (cinco) ano portanto com contrato de locação vigente até outubro de 2020.

Edifício Sede I
O imóvel situa-se na Quadra 04 Bloco A do Setor Bancário Sul, onde a atividade predominante é bancária, comercial / serviços. Suas principais vias de acesso são Eixo Rodoviário Sul, Eixinho L e as vias L-1 e BS-S1. A sua localização é central com relação ao Plano Piloto, beneficiada pela proximidade da Estação Rodoviária do Plano Piloto, do Setor Comercial Sul e da Esplanada dos Ministérios. Nesse setor foram construídos diversos edifícios comerciais com arquitetura não tão moderna, porém de bom padrão construtivo, fazendo com que o local se valorize em relação ao Setor Comercial Sul, que está com ocupação total e apresenta prédios bem mais antigos. A região possui uma ocupação mista entre os usos comercial/serviços e institucional. Entre as atividades encontradas podemos citar agências bancárias, praças de alimentação com lojas de apoio, shopping center, sede de bancos e de escritórios de advocacia, entre outros.

Locado parcialmente para o Banco do Brasil S.A. com contrato de locação vigente até janeiro de 2025 com valor de aluguel atual em R$ 754.105,33 ao mês.

130.000 cotas

Taxas:
Administração de 5,10% sobre a receita do fundo após deduções das despesas e provisões (mínimo R$ 36.000,00 mensais corrigido pelo IGPM).

RI: viter@caixa.gov.br, gemob@caixa.gov.br e gedef@caixa.gov.br

Anúncios

295 comentários sobre “BBFI11B – BB Fundo de Investimento Imobiliário Progressivo

  1. Pessoal, temos que arrumar uma forma de sair desse impasse:

    São Paulo, 25 de novembro de 2016
    Aos
    Cotistas do BB Fundo de Investimento Imobiliário Progressivo
    Ref.: Consulta Formal – Proposta de Alteração do Regulamento do BB Fundo de Investimento Imobiliário Progressivo
    A Caixa Econômica Federal, instituição financeira sob a forma de empresa pública, regendo-se pelo Estatuto aprovado
    pelo Decreto nº 7.973, de 28 de março de 2013, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 00.360.305/0001-04 (“Administrador”), na
    qualidade de instituição administradora do BB Fundo de Investimento Imobiliário Progressivo, inscrito no CNPJ/MF
    sob o nº 07.000.400/0001-46 (“Fundo”), vem, por meio desta, nos termos do artigo 40 do regulamento do Fundo
    (“Regulamento”), consultá-los formalmente (“Consulta Formal”) acerca da proposta de alteração do Regulamento.
    Anteriormente foram realizadas consultas formais aos cotistas em 15/10/2014 e 17/08/2015 com o objetivo de deliberar
    sobre a alteração dos artigos 3º, § 1º, e 4º, II, e a exclusão dos artigos 3º, § 2º, 4º, IV, 23, 24, 25 e 36, IX do
    regulamento do Fundo (“Regulamento”) de forma a permitir a locação dos imóveis do Fundo para locatários diversos do
    Banco do Brasil S.A. (“BB”), tendo em vista que o locatário BB já havia manifestado a intenção de entregar parte do
    imóvel Sede I, o que de fato ocorreu em 08/01/2015.
    Porém, para que a matéria constante nas referidas consultas formais fosse aprovada, era necessária a aprovação de
    cotistas que representassem dois terços, no mínimo, das cotas emitidas, quórum esse que não foi atingido pela
    participação dos cotistas.
    Entretanto, a publicação da Instrução CVM nº 571 em 25 de novembro de 2015, que entrou em vigor em 1º de fevereiro
    de 2016, alterando a Instrução CVM nº 472/08, trouxe novo dispositivo previsto no Art. 20, §1º, I, o qual determina que a
    alteração de regulamento dependem da aprovação dos cotistas presentes que representem, no mínimo, 25% (vinte e
    cinco por cento) das cotas emitidas pelo Fundo, quando o fundo tiver mais de 100 (cem) cotistas.
    Nesse sentido, após a entrada em vigor da referida instrução e adaptado o Regulamento, estamos realizamos nova
    Consulta Formal aos cotistas, com força de deliberação de Assembleia Geral de Cotistas, sendo certo que está
    administradora observará o quórum de aprovação de 25% (vinte e cinco por cento) das cotas emitidas pelo Fundo.
    Com o objetivo de permitir a locação dos imóveis do Fundo para locatários diversos do Banco do Brasil S.A., são
    necessárias alterações e exclusões de artigos do Regulamento que tratam da política de investimento do Fundo e
    temas correlatos.
    ALTERAÇÃO DO ARTIGO 3º, §1º DO REGULAMENTO:
    Redação Atual:
    “§ 1º – A aquisição dos imóveis pelo FUNDO visa proporcionar aos seus cotistas a rentabilidade decorrente do
    recebimento de receitas de aluguel das unidades comerciais dos imóveis, nos termos dos contratos de locação
    celebrados com o Banco do Brasil S.A., por período de 10 (dez) anos, prorrogável por igual período.”
    Redação Proposta:
    “§ 1º – A aquisição dos imóveis pelo FUNDO visa proporcionar aos seus cotistas a rentabilidade decorrente do
    recebimento de receitas de aluguel das unidades comerciais dos imóveis, nos termos dos contratos de locação
    celebrados.”
    EXCLUSÃO DO ARTIGO 3º, §2º DO REGULAMENTO:
    “§ 2º – A aquisição será gravada com cláusula de retrovenda e exercida nos termos do art. 505 e seguintes do
    Código Civil e dos arts. 23, 24 e 25 deste Regulamento.”
    ALTERAÇÃO DO ARTIGO 4º, II DO REGULAMENTO:
    Redação Atual:
    “II – O FUNDO deverá alugar os imóveis do seu Patrimônio Imobiliário para o Banco do Brasil S.A. sendo
    admitida a sublocação, a qual deverá ser formalizada em conformidade com as regras estabelecidas no
    contrato de locação respectivo;”
    Redação Proposta:
    “II – O FUNDO deverá alugar os imóveis do seu Patrimônio Imobiliário sendo admitida a sublocação, a qual
    deverá ser formalizada em conformidade com as regras estabelecidas no contrato de locação respectivo;”
    EXCLUSÃO DO ARTIGO 4º, IV DO REGULAMENTO:
    “IV – A ADMINISTRADORA, em nome do FUNDO, poderá aceitar a permuta de imóvel pertencente ao seu
    Patrimônio Imobiliário, por outro pertencente ao patrimônio do Banco do Brasil, desde que comprovada a
    equivalência patrimonial do bem, mediante prévia avaliação, conforme estabelecido no parágrafo 4º do art. 45
    e art. 12, ambos da Instrução CVM nº 472/08, e assegurados os rendimentos provenientes de sua locação.
    Uma vez aceita a permuta, a decisão deverá ser ratificada em Assembleia Geral;”
    EXCLUSÃO DO ARTIGO 23 DO REGULAMENTO:
    “Art. 23 – O Banco do Brasil S.A., na qualidade de alienante dos imóveis objeto da aquisição pelo FUNDO, se
    reserva o direito de reavê-los a qualquer momento, no prazo improrrogável de 3 (três) anos, contados a partir
    da data de alienação dos referidos bens, conforme constará da Escritura Pública de Integralização de Cotas
    com Bens Imóveis.”
    EXCLUSÃO DO ARTIGO 24, CAPUT E PARÁGRAFO ÚNICO, DO REGULAMENTO:
    “Art. 24 – Para o exercício do direito previsto no artigo anterior, o Banco do Brasil S.A. pagará ao FUNDO na
    data de sua concretização, o valor da alienação atualizado pelo IGP-M da FGV ou outro índice que venha a
    substituí-lo, ou o valor da avaliação dos referidos bens, o que for maior, acrescido de todas as despesas
    relativas à transmissão original e à retrovenda, além do valor das benfeitorias necessárias ou úteis que tiverem
    sido promovidas.
    Parágrafo único – A avaliação dos bens de que trata o caput será efetuada em conformidade com o disposto
    no parágrafo 4º do art. 45 e art. 12 da Instrução CVM nº 472/08.”
    EXCLUSÃO DO ARTIGO 25 DO REGULAMENTO:
    “Art. 25 – O exercício do direito previsto no art. 23 não está sujeito à deliberação em Assembleia Geral de
    Cotistas, mas constitui motivo de liquidação antecipada do FUNDO.”
    EXCLUSÃO DO ARTIGO 36, IX DO REGULAMENTO:
    “IX – aprovar a substituição de imóveis integrantes da carteira do FUNDO nos termos do inciso IV do art. 4º
    deste Regulamento;”
    FORMALIZAÇÃO DA CONSULTA
    Assim, o Administrador solicita a análise por V. Sas. e o posicionamento quanto às propostas ora formuladas até às
    10:00 do dia 06 de fevereiro de 2017, por meio do preenchimento da Carta-Resposta anexa e do seu posterior envio
    ao Administrador.
    Para todos os fins de direito e, em conformidade com a regulamentação aplicável, a aprovação das matérias objeto
    desta Consulta Formal terão a força de deliberação da Assembleia Geral de Cotistas do Fundo.
    Caso V. Sa. necessite de quaisquer esclarecimentos ou informações adicionais, poderá entrar em contato com o
    Administrador, pelos meios abaixo indicados:
    Alexandre Pereira Nascimento / Vinicius Barbieri Domingues

    Conforme cláusula 41, §2º, I do Regulamento, para que a matéria constante da presente Consulta Formal seja
    aprovada, é necessária a aprovação de Cotistas que representem 25% (vinte e cinco por cento), no mínimo, das
    cotas emitidas.
    No dia 06 de fevereiro de 2017 o Administrador divulgará o resultado nas páginas eletrônicas da Comissão de Valores
    Mobiliários, da BM&FBOVESPA e do Administrador. Caso seja atingido o quórum para alteração do Regulamento, o
    Administrador providenciará a publicação do Regulamento nas páginas eletrônicas da Comissão de Valores Mobiliários,
    da BM&FBOVESPA e do Administrador.
    Por fim, ressaltamos a importância da participação de todos os cotistas em responder a presente
    consulta formal, cuja decisão favorável a alteração do Regulamento permitirá a locação de grande
    parte do imóvel Sede I que permanece vaga, possibilitando o incremento dos rendimentos auferidos
    pelos cotistas.
    CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

    Curtir

    • Não jony, aqui a coisa é diferente, são só duas agências uma normal num centro administrativo do Bb no rio q está imune, outra mais imuni ainda é a agência de Brasília tida como agência mãe, agência 1, agência A fora de cogitação, Bbfi tudo safo. Joia joia

      Curtir

      • Normal filpe, quando sai algo sobre o inquilino costuma dar uma generalização no calor da notícia, a medida q o mercado for entendo a notícia vai perceber q Bbfi saiu fortalecido comprado com Bbpo e outros q tenha Bb como inquilino.

        Curtir

  2. CONVOCAÇÃO
    ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE COTISTAS
    Convidamos os senhores cotistas do BB FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO PROGRESSIVO (“Fundo”), a comparecer à Assembleia Geral Extraordinária de Cotistas que será realizada no escritório da Caixa Econômica Federal (“Administradora”) localizado no Condomínio Edifício São Luis de Gonzaga, na Avenida Paulista, 2300, 11º andar, Cerqueira César, São Paulo/SP, no dia 18 de outubro de 2016, às 10h, em primeira convocação e, em segunda convocação, no dia 18 de outubro de 2016, às 10h30, para deliberar a seguinte ordem do dia:
    (i) manutenção da taxa de administração do Fundo nos moldes atuais, nos termos dos art. 36, § 4º, da Instrução CVM nº 472/08 e do art. 7º, § 1º, I, da Instrução CVM nº 571/15. O quorum de aprovação da matéria é de 25% (vinte e cinco por cento), no mínimo, das cotas emitidas, conforme art. 20, § 1, da Instrução CVM nº 472/08.
    (ii) caso não seja aprovado o item (i), deliberar pela alteração da cobrança da taxa de administração do Fundo, caso o Fundo integre ou passe a integrar índice de mercado, nos termos dos art. 36, § 1º, da Instrução CVM nº 472/08 e do art. 7º, § 1º, I, da Instrução CVM nº 571/15. O quorum de aprovação da matéria é de 25% (vinte e cinco por cento), no mínimo, das cotas emitidas, conforme art. 20, § 1, da Instrução CVM nº 472/08.

    Curtido por 1 pessoa

    • Segue abaixo a proposta da Administradora:
      “Art. 32 – A ADMINISTRADORA receberá, pelos serviços de gestão do FUNDO, com exclusão de qualquer outra, caso as cotas do FUNDO tenham integrado ou passado a integrar, nesse período, índice de mercado, a seguinte remuneração, cobrada mensalmente: o equivalente à 0,3% (três décimos por cento) ao ano incidente sobre o Valor de Mercado do Fundo, calculado diariamente à taxa “1/252” (um doze avos) de forma linear, tendo como piso mensal o valor de R$ 43.000,00 (quarenta e três mil reais), corrigido anualmente pelo IGP-M da FGV.
      § 1º – Caso as cotas do FUNDO deixem de integrar índice de mercado, A ADMINISTRADORA receberá, pelos serviços de gestão do FUNDO, com exclusão de qualquer outra, a seguinte remuneração, cobrada mensalmente: o equivalente à 2,23% (dois inteiros e vinte e três centésimos) ao mês sobre o total de receitas do FUNDO, deduzidas todas as despesas e provisões do FUNDO, antes da incidência da referida taxa, tendo como piso mensal o valor de R$ 43.000,00 (quarenta e três mil reais), corrigido anualmente pelo IGP-M da FGV.
      § 2º – Pela prestação dos serviços de custódia, controladoria o Banco do Brasil S.A. receberá o equivalente a 0,08% (oito centésimos por cento) ao ano incidente sobre o Patrimônio Líquido do FUNDO do dia anterior, calculado diariamente à taxa “1/252” (um doze avos) de forma linear, tendo como piso mensal o valor de R$ 17.500,00 (dezessete mil e quinhentos reais), corrigido anualmente pelo IGP-M da FGV.
      § 3º – Pela prestação dos serviços de escrituração de cotas, o Banco do Brasil S.A. receberá o equivalente R$ 5.000,00 (cinco mil reais), corrigido anualmente pelo IGP-M da FGV, somado ao valor unitário de R$ 1,15 (um real e quinze centavos) por investidor.
      § 4 – O Valor de Mercado do FUNDO será calculado com base na cotação de fechamento do dia anterior ou da última cotação de fechamento disponível multiplicado pela quantidade de cotas do fundo.
      Art. 33 – A taxa de administração, custódia, controladoria e escrituração serão pagas mensalmente, por período vencido, até o 5º dia útil do mês subsequente ao dos serviços prestados.”

      Curtir

  3. Pergunta aos estudiosos desse FII:
    Qual o motivo de anunciarem o prédio de Brasília para locação mesmo com o regulamento não permitindo outro inquilino? Forçar uma mudança às pressas apresentando um potencial interessado?

    Curtido por 2 pessoas

    • Isso mesmo, o fundo está trabalhando a passos lentos na tentativa de inquilino para área restante, depende de quem possa ser o inquilino, se o mesmo faça reformas e adaptações no imóvel posterior acerto em aluguel, carência etc… caso ocorra interessados eles agilizam as coisas caso contrário fica como está. O problema é q isso vira um ciclo vicioso, não aluga por q precisa de reformas, (prédio e regulamento), não reforma por q não arruma interessado. E assim vai

      Curtir

  4. Provento Pagamento Papel Empresa Qtde Bruto (R$) % IR Líquido (R$)
    RENDIMENTO 22/09/2016 JSRE11 FII JS REAL CI ER 1 0,95 0 0,95
    RENDIMENTO 15/09/2016 BBPO11 FII BB PRGII CI ER 2 1,91 20 1,53

    Assim ficou melhor, porque tem IR?

    Curtir

  5. Amigos, segue questionamentos e resposta da Caixa com relação as medidas sobre a vacância e possibilidade de venda de parte do ativo, a resposta teve grande atenção.
    Srs.
    Boa noite.
    Como cotista do fundo, gostaria de saber se haverá nova tentativa de alteração no estatuto do fundo para locação da área em vacância?
    Existe a possibilidade disto aproveitando a ICVM 571/15?
    Vocês tem algum plano como locação, venda ou retrofit para o imóvel SEDE I?
    xxxxxxx

    Resposta:
    Prezado Sr. xxxxx

    1.No tocante ao redução do quórum para alteração do Regulamento do Fundo, a Instrução CVM nº 571/15 em vigor desde 1º de fevereiro de 2016 alterou a Instrução CVM nº 472/08, trazendo novo dispositivo previsto no Art. 20, §1º, I, o qual determinará que a alteração do Regulamento do Fundo dependerá da aprovação dos cotistas presentes que representem, no mínimo, 25% (vinte e cinco por cento) das cotas emitidas pelo Fundo.
    2.Nesse sentido, precisamos adaptar o Regulamento do Fundo até outubro/16, para poder realizar nova Consulta Formal aos cotistas, com força de deliberação de Assembleia Geral de Cotistas.
    3.A locação do Imóvel SEDE I vem sendo trabalhada por uma imobiliária local de Brasília, responsável por grande parte das locações corporativas em Brasília, especialmente as realizadas pelo poder público.
    4.O principal retorno que recebemos, tanto por parte da imobiliária, quanto dos possíveis locatários que tem visitado o imóvel, diz respeito ao atual estado de conservação do Edifício, que precisa de reformas, tanto para permitir que os possíveis locatários possam ocupar as instalações, quanto para poder competir com outros imóveis de Brasília.
    5.Atualmente, a Gomes Figueiredo, escritório de arquitetura com atuação concentrada em Brasília, está preparando um projeto de retrofit para o Edifício SEDE I e, nas próximas semanas, o Fundo deverá iniciar o levantamento dos custos para execução das obras.
    6.Assim, tão logo seja possível estabelecer um orçamento de obras, uma assembleia será convocada para deliberar a realização do retrofit.
    7.Com relação a venda, embora não seja o objetivo principal, o Fundo tem recebido sondagens sobre esta possibilidade, porém até o momento não houve nenhuma proposta formal.
    8.Permanecemos à disposição para eventuais esclarecimentos.
    Atenciosamente

    Curtido por 3 pessoas

  6. Para os amigos Losgomes e interceptor:

    Data-base (último dia de negociação “com” direito ao rendimento ou amortização) 29/07/2016
    Data do pagamento 15/08/2016
    Valor do Rendimento por cota R$ 20,78465830769
    Período de referência 07/2016

    Curtido por 1 pessoa

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s