BRCR11 – BTG Pactual Corporate Office Fund

O fundo é administrado pelo BTG Pactual, em regime de condomínio fechado e com prazo indeterminado de duração; seu objetivo é a aquisição de imóveis comercias, sendo portanto classificado como FII de Tijolo – Imóveis Comerciais – Escritórios.

BRCR11_P

É o terceiro maior fundo de investimento imobiliário listado em bolsa do Brasil, em termos de patrimônio líquido e com liquidez, cotas sendo negociadas em mercado organizado da bolsa desde seu IPO, ocorrido em dezembro de 2010.

Desde sua constituição em junho de 2007 adota uma gestão ativa de sua carteira, com o objetivo primordial de investir em escritórios comerciais de laje corporativa com renda no Brasil, estrategicamente localizados em grandes centros comerciais, por meio da aquisição de imóveis comerciais de escritórios ou direitos relativos a imóveis, prontos ou em fase final de construção.

Diferencial deste FII é que tem uma gestão e relatórios similares ao de uma empresa que tem ações listadas em bolsa, vejam os comentários do relatório

Amortização de Maio/16: Para cotistas sujeitos isenção, imunidade ou não sujeitos à tributação:
O valor de R$16,304134239 amortizados por cota será dividido em:
R$ 5,154046986 – considerados rendimentos isentos e não tributáveis
R$ 11,150087253 – considerados como devolução de principal a ser deduzido do custo médio de aquisição.

Fundos de Investimento Imobiliário - FII 
Fundo Quantidade Valor (R$) 
FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO - FII EDIFÍCIO GALERIA 407.028,00 19.903.669,20 
FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO - FII TB OFFICE 118.205,00 8.593.503,50 
FII PROJETO AGUA BRANCA 126.198,00 44.669.044,08 
FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO - FII PRIME PORTFÓLIO 5.828.104,00 929.452.310,12 
Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) 
Companhia Emissão Série Quantidade Valor (R$) 
BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 06/06/2013 311 1 820.189,96 
Letras de Crédito Imobiliário (LCI) 
Emissor Vencimento Quantidade Valor (R$) 
CAIXA ECONOMICA FEDERAL 29/08/2018 5 55.703.529,50 
BRAZILIAN MORTGAGES COMPANHIA HIPOTECARIA 22/09/2019 54.917,00 78.047.089,24 
CAIXA ECONOMICA FEDERAL 23/05/2019 6 69.141.085,20 
CAIXA ECONOMICA FEDERAL 29/08/2018 5 55.568.504,00 
Outras cotas de Fundos de Investimento 
Fundo Quantidade Valor (R$) 
SOBERANO SIMPLES FIC 10.380,22 431.157,65 
BTG PACTUAL CAPITAL MARKETS FI RF 1.701.875,51 13.833.378,51 
Outros Ativos Financeiros 
Emissor Ativo Quantidade Valor (R$) 
Banco Itaú S/A CDB 650.768,32 650.768,32 
Banco Itaú S/A CDB 934.704,58 934.704,58 
Informações do Ativo Valor (R$) 
Disponibilidades 823,16 
Títulos Públicos 0 
Títulos Privados 260.045.680,84 
Fundos de Renda Fixa 14.264.536,16

Taxas:
Administração: 0,25%a.a. sobre o valor total dos ativos do fundo (mínimo R$ 30.000,00 mensais corrigido pelo IGPM).
Gestão: 1,50%a.a. sobre valor de mercado do fundo (temporariamente reduzida para 1,1%aa)

RI: contato@bcfund.com.br

Tutor do FII: Rlemos

Anúncios

2.579 comentários sobre “BRCR11 – BTG Pactual Corporate Office Fund

  1. Fato Relevante de hoje….

    É isso mesmo? O divulgado a dias atrás foi só para aumentar a cotação do fundo? Agora divulgam o correto com o mal entendido que querem adquirir apenas as cotas do CENESP.

    Esse FII só me dá alegria. Estas picaretagens são ótimas para fazer trade.

    FATO RELEVANTE

    São Paulo, 8 de dezembro de 2017 – A BTG PACTUAL SERVIÇOS FINANCEIROS S.A. DTVM, instituição financeira, com sede na Cidade e Estado do Rio de Janeiro, localizada à Praia de Botafogo, 501, 5º Andar (Parte), Torre Corcovado, Botafogo, Rio de Janeiro, Brasil, CEP 22250-040, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 59.281.253/0001-23, devidamente credenciada na Comissão de Valores Mobiliários (“CVM”) como administradora de carteira, de acordo com o Ato Declaratório CVM nº 8.695, de 20 de março de 2006 (“Administradora”), e a BTG PACTUAL GESTORA DE RECURSOS LTDA., com sede na Cidade e Estado de São Paulo, na Avenida Brigadeiro Faria Lima, nº 3477, 14º andar – parte, inscrita no CNPJ/MF nº 09.631.542/0001-37 (“Gestora”), na qualidade de administradora e gestora, respectivamente, do FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – FII BTG PACTUAL CORPORATE OFFICE FUND (“FII BC FUND”) e do FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – FII PRIME PORTFOLIO (“FII PRIME PORTFOLIO”), em conjunto “Fundos”, vêm pelo presente, em complemento ao Fato Relevante divulgado em 05 de dezembro de 2017, informar ao mercado que em 07 de dezembro de 2017 receberam esclarecimentos da GTIS Partners Brasil Aquisições e Participações Ltda. (“Proponente”), nos quais a Proponente reitera sua proposta, não vinculante e não solicitada apresentada em 04 de dezembro de 2017 (“Proposta”) e informa que a mesma considera, dentre os ativos que pretende adquirir, apenas as cotas do FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – FII CENESP, inscrito no CNPJ/MF sob o n.º 13.551.286/0001-45 (“FII CENESP”), detidas diretamente pelo FII PRIME PORTFOLIO, que representam aproximadamente 78,04% das cotas emitidas pelo FII CENESP.

    Tendo em vista a informação acima, a Proposta corresponde a um valor patrimonial líquido (net equity value) por cota do BC Fund de R$ 114,61 (cento e quatorze reais e sessenta e um centavos), considerando a data base de 31 de outubro de 2017, data do último fechamento contábil divulgado pelo Fundo.
    Reiteramos que a Gestora se pronunciará sobre a Proposta oportunamente, finda sua análise, que considerará, dentre outros fatores, o laudo semestral de avaliação dos ativos realizado por consultor independente que será divulgado em breve, seguindo a periodicidade previamente adotada pelo Administrador (maio e novembro de cada exercício).

    Curtido por 3 pessoas

  2. Deu ruim?

    FATO RELEVANTE

    São Paulo, 8 de dezembro de 2017 – A BTG PACTUAL SERVIÇOS FINANCEIROS S.A. DTVM, instituição financeira, com sede na Cidade e Estado do Rio de Janeiro, localizada à Praia de Botafogo, 501, 5º Andar (Parte), Torre Corcovado, Botafogo, Rio de Janeiro, Brasil, CEP 22250-040, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 59.281.253/0001-23, devidamente credenciada na Comissão de Valores Mobiliários (“CVM”) como administradora de carteira, de acordo com o Ato Declaratório CVM nº 8.695, de 20 de março de 2006 (“Administradora”), e a BTG PACTUAL GESTORA DE RECURSOS LTDA., com sede na Cidade e Estado de São Paulo, na Avenida Brigadeiro Faria Lima, nº 3477, 14º andar – parte, inscrita no CNPJ/MF nº 09.631.542/0001-37 (“Gestora”), na qualidade de administradora e gestora, respectivamente, do FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – FII BTG PACTUAL CORPORATE OFFICE FUND (“FII BC FUND”) e do FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – FII PRIME PORTFOLIO (“FII PRIME PORTFOLIO”), em conjunto “Fundos”, vêm pelo presente, em complemento ao Fato Relevante divulgado em 05 de dezembro de 2017, informar ao mercado que em 07 de dezembro de 2017 receberam esclarecimentos da GTIS Partners Brasil Aquisições e Participações Ltda. (“Proponente”), nos quais a Proponente reitera sua proposta, não vinculante e não solicitada apresentada em 04 de dezembro de 2017 (“Proposta”) e informa que a mesma considera, dentre os ativos que pretende adquirir, apenas as cotas do FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – FII CENESP, inscrito no CNPJ/MF sob o n.º 13.551.286/0001-45 (“FII CENESP”), detidas diretamente pelo FII PRIME PORTFOLIO, que representam aproximadamente 78,04% das cotas emitidas pelo FII CENESP.

    Tendo em vista a informação acima, a Proposta corresponde a um valor patrimonial líquido (net equity value) por cota do BC Fund de R$ 114,61 (cento e quatorze reais e sessenta e um centavos), considerando a data base de 31 de outubro de 2017, data do último fechamento contábil divulgado pelo Fundo.
    Reiteramos que a Gestora se pronunciará sobre a Proposta oportunamente, finda sua análise, que considerará, dentre outros fatores, o laudo semestral de avaliação dos ativos realizado por consultor independente que será divulgado em breve, seguindo a periodicidade previamente adotada pelo Administrador (maio e novembro de cada exercício).

    São Paulo, 08 de dezembro de 2017.

    Curtir

      • Fazer previsão de preço é como jogar na loteria.

        O que se pode fazer é dizer esta caro ou barato de acordo com modelos quantitativos de valuation.

        Se um lixo subir na bolsa 100% isso significa que existe mais pessoas comprando determinado ativo ( Oferta x demanda), embora os fundamentos sejam o mais lixo possível.

        Portanto subir ou descer não significa nada no que tange ao fundamentos : Porque já estamos careca de saber que no longo prazo a cotação vai acompanha a curva de lucro.

        Quando você traça uma curva de lucro BRCR em relação aos bons empreendimento vera que ele esta na contramão dos demais.

        Curtido por 2 pessoas

      • Em 2012 BRCr custava 152 com uma taxa de juros em torno de 7%, hoje o mesmo BRCr custa 104 com uma taxa de juros em torno de 7%.

        Em 2012 ABCP custava 9,80 com taxa de juros em 7% hoje custa 16,18% com taxa de juros em torno de 7%.
        Em 2012 PQDP custava 1.570 com taxa de juros em 7% hoje custa 3.209 com taxa de juros em torno de 7%.

        Pegue a curva de lucro destes ativos e faça um prognostico ao longo do tempo e você vera porque estão destruindo valor .

        A propósito o custo oportunidade do período foi de mais de 30%.

        Curtido por 3 pessoas

      • Correto Senhor dos FII, eu vi isso na prática. BRCR e PQDP eram minhas principais posições. PQDP vem se valorizando, decorrência direta da geração de valor do empreendimento. BRCR, ao contrário, destrói valor e o resultado é a queda na cotação (acabei por vender toda a posição). Não tem milagre: o que dá lucro se valoriza no longo prazo; o que não dá lucro (ou muito pouco) destrói o valor do acionista. Eu diminui pela metade o número de FIs, fiquei com aqueles que , a meu critério, são geradores de valor no longo prazo.

        Curtido por 1 pessoa

      • Nesses 104 seria preciso acrescentar a amortização feita no período.

        Chutando a mesma valorização da cota do BRCR no período, encontraria-se um valor próximo a 130 reais.

        De qqer maneira é um FII que sofreu bem nesta crise, seja por problemas na gestão sim ( falta de DNA imobiliário para adequar o portfólio e mesmo amplia-lo), seja por contingências ( alta exposição ao mercado do Rio de Janeiro).

        Sem querer “defender” a gestora, reduzir todo o problema à “má gestão” é uma analise distorcida também.

        É sempre a uma visão simplista nossa…ou achamos um “culpado por tudo” ou achamos um “salvador de tudo”.

        Curtido por 1 pessoa

      • Marcos C a questão aqui é má gestão sim! Piorar por fatores inerentes a gestão é uma coisa, agora todos outros pares tanto HGRE , KNRI etc tiveram uma performance melhor ao longo do período analisado, estes mesmo fundos inseridos no mesmo ambiente de dificuldade que BRCR.
        Isso é destruição de valor ! Além disso as taxas de ADM destes fundo são impraticáveis a longo prazo, principalmente quando cotação segue valor de mercado, cotação esta que muitas vezes é reflexo da curva de juros e não do mérito da gestão.
        Estamos aqui desde 2014 alertando, sempre tinha gente vindo aqui com estes mesmos argumentos e a gestão continuou fazendo burrices atrás de burrices.
        A verdade que quando sobe o pessoal comprado torce porque acredita num turnaround do ativo. Isso é natural ninguém esta torcendo contra.
        São os fatos que depõem contra ativo, então não existe melhora significa nestes fatos ao longo do período analisado, apenas taxas de ADM gordas.
        Outra não existes cotistas suficientes para meter o pé na bunda da gestora e ai fica todo como esta.
        Imagina você aposentando com uma gestão querendo vender os ativos !
        Quem lembra da questão antiga em 2015 do FII fazer um rolo com ativos da br properties etc.
        Cara todo ano tem algum rolo com estes fundo : Simplesmente quem pulou fora lá atrás e migrou para bons ativos ganhou muito mais dinheiro e poupou dor de cabeça.

        Curtido por 2 pessoas

  3. E agora? Vai ou não?

    A BTG PACTUAL SERVIÇOS FINANCEIROS S.A. DTVM, instituição financeira, com sede na Cidade e
    Estado do Rio de Janeiro, localizada à Praia de Botafogo, 501, 5º Andar (Parte), Torre Corcovado,
    Botafogo, Rio de Janeiro, Brasil, CEP 22250-040, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 59.281.253/0001-23,
    devidamente credenciada na Comissão de Valores Mobiliários (“CVM”) como administradora de
    carteira, de acordo com o Ato Declaratório CVM nº 8.695, de 20 de março de 2006 (“Administradora”),
    e a BTG PACTUAL GESTORA DE RECURSOS LTDA., com sede na Cidade e Estado de São Paulo, na
    Avenida Brigadeiro Faria Lima, nº 3477, 14º andar – parte, inscrita no CNPJ/MF nº 09.631.542/0001-37
    (“Gestora”), na qualidade de administradora e gestora, respectivamente, do FUNDO DE
    INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – FII BTG PACTUAL CORPORATE OFFICE FUND (“FII BC FUND”) e do
    FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – FII PRIME PORTFOLIO (“FII PRIME PORTFOLIO”), em
    conjunto “Fundos”, vêm pela presente informar ao mercado que nesta data de 04 de dezembro de
    2017, após o fechamento dos mercados, receberam uma nova proposta não vinculante e não solicitada
    para aquisição de ativos detidos pelos Fundos (“Portfolio”).
    Referida proposta, não vinculante e não solicitada para aquisição do Portfolio (“Proposta”) foi
    encaminhada pela UBS Brasil Serviços de Assessoria Financeira Ltda. e a REC Gestão de Recursos S.A.
    tendo como proponente a GTIS Partners Brasil Aquisições e Participações Ltda. (“Proponente”) e traz
    como preço de compra para a aquisição do Portfolio o valor de R$ 2.327.859.755,00 (dois bilhões,
    trezentos e vinte sete milhões, oitocentos e cinquenta e nove mil setecentos e cinquenta e cinco reais)
    (“Preço de Compra Proposto”), sendo R$ 1.103.413.712,00 (um bilhão, cento e três milhões,
    quatrocentos e treze mil setecentos e doze reais) para o FII BC FUND e R$ 1.224.446.043,00 (um bilhão,
    duzentos e vinte e quatro milhões, quatrocentos e quarenta e seis mil, quarenta e três reais) para o FII
    PRIME PORTFOLIO.
    O Proponente afirma que a Proposta “corresponde a um valor patrimonial líquido (net equity value)
    por cota do BC Fund de R$ 115,00 (cento e quinze reais) em 30 de setembro de 2017.” A Gestora, por
    sua vez, verificou que o preço proposto corresponde a um valor patrimonial aproximado de R$ 112,14
    (cento e doze reais e quatorze centavos) por cota em 31 de outubro de 2017, data do último
    fechamento contábil divulgado pelo Fundo.
    A Gestora se pronunciará sobre a Proposta oportunamente, finda sua análise, que considerará, dentre
    outros fatores, o laudo semestral de avaliação dos ativos realizado por consultor independente que
    será divulgado em breve, seguindo a periodicidade previamente adotada pelo Administrador (maio e
    novembro de cada exercício).
    Por fim, informamos que a Proposta possui validade de 60 (sessenta) dias, podendo ser prorrogada.

    São Paulo, 05 de dezembro de 2017.

    Curtido por 9 pessoas

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s