DOMC11 – DOMO – FII

Nova Denominação:   REAG Renda Imobiliária

O Fundo é administrado pela Caixa Econômica Federal, em regime de condomínio fechado e com prazo indeterminado de duração; classificado como um FII de Tijolo no segmento Escritórios.

DOMO11.bmp

Empreendimento imobiliário comercial denominado “Edifício Domo Corporate” (Torre A), localizado na Cidade de São Bernardo do Campo, Estado de São Paulo, o qual possui área privativa de 30.600,60 m², composto por 26 (vinte e seis) pavimentos.

O Fundo de Investimento Imobiliário Domo é proprietário do Edifício Domo Business Torre A, localizado à Rua José Versolato, 111, no Centro da cidade de São Bernardo do Campo-SP.

A gestão ficará com a Claritas Gestão de Recursos Ltda e o fundo conta com garantia de rena mínima (RMG) até Dezembro/16, na razão de 0,82% sobre valor de emissão.

Taxa de Administração

o equivalente a 0,95% ao ano sobre o valor do Patrimônio Líquido, observado o valor mínimo mensal de R$30.000,00, calculada diariamente, com base em um ano de 252 dias úteis, e provisionada mensalmente sobre o Patrimônio Líquido do Fundo e será paga mensalmente pelo Fundo até o 5º  dia útil ao encerramento do mês subsequente ao mês em que os serviços foram prestados.

RI: gedef@caixa.gov.br

Anúncios

140 comentários sobre “DOMC11 – DOMO – FII

  1. Seguem abaixo comentários enviados ao gestor do fundo:

    i. Dividendos

    É importante para o FII pagar seus primeiros dividendos, independente do valor, apenas para desfazer a imagem do default da PDG sobre a renda mínima garantida.

    ii.Relatório gerencial

    Conforme falamos várias vezes em assembleia, este fundo foi originado em oferta CVM 400, ao público de investidores em geral. O relatório serve para informar todos os cotistas sobre a situação geral do FII.

    iii. DF’s FISD e FIP CAM

    As demonstrações financeiras 2017 dos ativos FISD11 e FIP CAM Vanguarda ainda não foram publicadas, isso gera preocupação em relação a situação patrimonial do FII REAG.

    iv. Detalhes dos empreendimentos dentro dos fundos FISD e FIP CAM

    Não há nenhum detalhamento sobre os ativos dos fundos de desenvolvimento que o FII REAG investe, isso gera incerteza na base de cotistas. Ressalto que o FII necessita demonstrar estes investimentos.

    v. Estratégia do fundo

    Não é possível saber a estratégia do FII atualmente, quais os ativos-alvo e como o FII se portará olhando para frente.

    vi. Investidores institucionais

    Tenho conversado com alguns investidores institucionais sobre o FII, e existe interesse latente da parte deles em fazerem investimentos, desde que o fundo tenha um disclosure maior.

    vii. Necessidade do novo laudo de avaliação

    Gostaria de saber o motivo de contratar o laudo de avaliação do Domo Corporate em setembro/2018, o FII costuma fazer o laudo entre novembro e dezembro, se a REAG tem intenção de vender o ativo, peço que publique comunicado ao mercado.

    viii. Recompra dos recebíveis cedidos

    A rentabilidade que virá com a recompra dos recebíveis cedidos do Domo Corporate será maior e de menor risco vis a vis os investimentos feitos nos fundos de desenvolvimento.

    viv. Desdobramento das cotas

    Desdobrar as cotas em 10 para cada 1 aumentará a liquidez e atrairá mais investidores.

    x. Ticker

    O ticker DOMC11 já não reflete mais a realidade do fundo, sugestão de alterar para ou REAG11 ou RERI11.

    Curtir

    • Boas considerações Jorge Jr. No item dividendos é preciso ter resultado na verdade, para poder pagar. Se não o fizeram ainda, provavelmente porque junto com a RMG não honrada ficaram outras contas ‘penduradas’, pelo menos é a suspeita… aguardemos as respostas e mais uma vez, meus parabéns 😊

      Curtir

    • À
      CM CAPITAL MARKETS DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA

      De 2013 a 2016 fui cotista do FII DOMO e agora estou investindo no REAG RENDA IMOBILIÁRIA – FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – FII CNPJ Nº 17.374.696/0001-19.
      Procurei nas informações disponíveis no site da BMFBOVESPA e não encontrei algumas informações que necessito:

      1) Relatório Gerencial
      2) Prazos de carência/descontos concedidos aos inquilinos.
      3) Em que fase está a ação em relação a RMG que não foi honrada de acordo com o previsto no lançamento do FII DOMO.
      —–
      Tbm fiz estes questionamentos.

      Curtir

  2. Prezados colegas, visto que o gestor deste fundo não produz relatório gerencial (solicitei diversas vezes em assembleia) e para trazer luz a eventuais interessados, relaciono as principais informações abaixo. Sou cotista há 1,5 anos e tenho uma posição um pouco maior que 1% do fundo. Acompanho tudo de perto e já fui diversas vezes no empreendimento.

    Ressalto que isto não é uma recomendação de investimento, somente informações que coletei nos relatórios disponíveis, em assembleias, em conversas com o gestor em assembleias e em visitas ao imóvel principal do FII.

    Principal ativo – DOMO CORPORATE

    O imóvel localiza-se na Rua José Versolato, 101, Centro, Cidade de São Bernardo do Campo, Estado de São Paulo.
    “DOMO CORPORATE” faz parte do Complexo Domo Business, e é composto por 27 pavimentos com 94 unidades autônomas (escritórios), as quais possuem o direito de uso de 10 vagas de garagem cada uma, totalizando área privativa de 30.603,24m². 11 elevadores, heliporto, gerador e redundância em telecom.

    Único empreendimento de lajes corporativas classe A/AA em toda região do ABCD. A valor de mercado do fundo em setembro/2018, a R$ 500,00 a cota, o CapRate implícito seria de 27%*. O equivalente em M2 seria cerca de R$2.200/M2*, muito abaixo do custo de reposição do ativo.

    *desconsiderando do valor de mercado do FII o valor de face dos investimentos realizados em outros ativos imobiliários de desenvolvimento, e dividindo o valor residual na metragem quadrada do empreendimento (30.603m2).

    Abaixo, relacionamos a lista de inquilinos, majoritariamente composto por empresas de excelente risco de crédito:

    HP Enterprise – 8 lajes
    Mondial Serviços Ltda. (Grupo Allianz Seguros) – 4,5 lajes
    Grupo Notre Dame Intermédica – 1 laje
    Suzano Papel e Celulose S.A. – 1 laje
    Regus – 1 laje
    Prudential do Brasil Seguros de Vida S.A. – 0,5 laje
    Mangels Industrial S.A. – 0,5 laje
    Forncecedor automobilístico multinacional – 0,5 laje
    Metropolitan Life Seguros e Previdência Privada S.A. 0,25 laje
    Brasil Previdência – 0,25 laje
    Alent Brasil Soldas Ltda. – 0,25 laje
    Prime Action Consultoria Ltda. – 0,25 laje

    Notem que a base de inquilinos é basicamente de risco de crédito high grade. E contratos de 5 e 10 anos.

    Estes inquilinos somam 76% de ocupação. O gestor comentou em assembleia que existem negociações com a CEF; Magna International (multinacional de autopeças) e outros interessados. Acreditam que até o final do ano preencham o imóvel.

    2ª OFERTA EM CAPTAÇÃO

    Foi aprovado em assembleia uma segunda captação de recursos mediante oferta CVM 476 no valor de até R$500.000.000,00 ao preço de R$1.000,00/Cota. Até o informe mensal de julho/2018, a oferta havia captado R$65.500.000,00.

    OUTROS DESTAQUES

    Através da criação de um site exclusivo para investidores e potenciais inquilinos, o gestor sinaliza seu compromisso com uma gestão mais transparente. Investidores institucionais compraram cotas nos últimos 2 meses.

    Curtir

  3. …”foi elaborado e emitido novo Laudo de Avaliação, referente ao Empreendimento denominado “Domo Corporate”.
    O Laudo de Avaliação em questão foi elaborado para determinar o valor de mercado atualizado do Domo Corporate, considerando as melhorias e valorização do referido empreendimento.

    Assim, informamos que o ativo foi reavaliado, de forma que o valor do empreendimento passou de R$ 179.162.000,00 (cento e setenta e nove milhões, cento e sessenta e dois mil reais) para R$ 188.500.000,00 (cento e oitenta e oito milhões e quinhentos mil reais).
    Por fim, o Administrador informa que o novo valor foi refletido na carteira e demais relatórios do Fundo a partir do dia 03/09/2018.

    São Paulo, 04 de setembro de 2018

    Curtir

  4. FII DOMO (DOMC) Fato Relevante

    (“Fundo”), vem, pelo presente, em
    cumprimento ao Artigo 41, inciso IV da Instrução da Comissão de Valores
    Mobiliários (“CVM”) nº 472, de 31 de outubro de 2008, e alterações posteriores,
    divulgar fato relevante relativo ao Fundo, para comunicar V.Sas. e os demais
    interessados que, o Fundo firmou Aditamento ao Contrato de Locação Para Fins
    Comerciais, recebido para assinatura na presente data, pelo qual incluiu ao

    Instrumento Particular de Contrato de Locação de Imóvel Para Fins Não
    Residenciais, celebrado em 10 de abril de 2017, celebrado com empresa de
    primeira linha, 02 conjuntos comerciais, sendo estes, 111 e 114, que
    correspondem a 2,13% da área bruta locável do imóvel de propriedade do Fundo,

    Curtir

    • reduzindo o índice de vacância do imóvel de 59,61% para 57,48%, bem como
      aumentando a receita mensal de locação em R$ 28.530,68, passando a receita
      mensal de locação auferida pelo Fundo de R$ 598.593,37 para R$ 627.124,05, após
      decorrido o prazo de carência concedido no Aditamento ao Contrato de Locação
      firmado pelo Fundo.

      Sendo o que nos apresentava para o momento, colocamo-nos à disposição para
      esclarecimentos adicionais que se façam necessários.

      Curtir

  5. REAG RENDA IMOBILIÁRIA – FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – FII
    CNPJ Nº 17.374.696/0001-19
    AVISO AOS COTISTAS
    A CM CAPITAL MARKETS DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA., com sede
    na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Rua Gomes de Carvalho nº 1.195 – 4º andar,
    inscrita no CNPJ sob o nº 02.671.743/0001-19, (“Administrador”), na qualidade de Administrador
    do REAG RENDA IMOBILIÁRIA – FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – FII, inscrito no CNPJ sob o nº
    17.374.696/0001-19 (“Fundo”), informa ao mercado que não será realizada a distribuição de
    rendimentos aos Cotistas do Fundo, referente ao período apurado entre os dias 01/06/2018 e
    29/06/2018.
    Sendo o que nos cumpria para o momento, permanecemos à disposição.
    Atenciosamente,
    CM CAPITAL MARKETS DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

    Curtir

  6. Este fundo já tem um histórico meio desanimador, para dizer o mínimo.
    Agora, o que dizer do resultado um laudo de avaliação, feito a pedido do atual gestor, e que majora em 17% o preço do VP das suas cotas?
    Como explicar tal resultado na atual conjuntura deste segmento?
    Tem gente andando sobre as águas, mas sem ser Jesus.
    Sds.

    Curtido por 2 pessoas

    • Após os esclarecimentos efetuados pelo Gestor sobre a Ordem do Dia, foram
      aprovadas:

      (i) por cotistas que representam 48,29% (quarenta e oito inteiros e vinte e nove
      centésimos por cento) das cotas emitidas a destituição da Administradora Caixa
      Econômica Federal e a eleição da nova administradora CM Capital Markets DTVM Ltda.
      (“Nova Administradora”), indicada pelo Gestor, nas mesmas condições previstas no
      Regulamento do Fundo, autorizando a Administradora a promover e praticar todos os
      atos necessários para a efetivação da transferência ora aprovada;

      (ii) por cotistas que representam 48,29% (quarenta e oito inteiros e vinte e nove
      centésimos por cento) das cotas emitidas a destituição do custodiante Oliveira Trust
      Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. e a eleição do novo custodiante CM
      Capital Markets DTVM Ltda., indicado pelo Gestor, nas mesmas condições previstas no
      Regulamento do Fundo e no contrato e nos termos do art. 12 do Regulamento;

      Curtir

    • (iii) por cotistas que representam 49,25% (quarenta e nove inteiros e vinte e cinco
      centésimos por cento) das cotas emitidas a alteração da denominação social do Fundo,
      a qual passará a ser REAG Renda Imobiliária – Fundo de Investimento Imobiliário – FII;
      (iv) por cotistas que representam 48,29% (quarenta e oito inteiros e vinte e nove
      centésimos por cento) das cotas emitidas a alteração do Regulamento do Fundo,
      conforme proposta apresentada; e
      (v) por cotistas que representam 49,25% (quarenta e nove inteiros e vinte e cinco
      centésimos por cento) das cotas emitidas a realização de oferta pública de distribuição
      de cotas de emissão do Fundo, com esforços restritos de distribuição nos termos da
      Instrução da CVM nº 476, de 16 de janeiro de 2009, no montante total de até R$
      500.000.000,00 (quinhentos milhões de reais), estando a Administradora e/ou a Nova
      Administradora expressamente autorizada a contratar, pelo Fundo, quaisquer
      Ata da Assembleia Geral Extraordinária de Cotistas realizada em 23 de outubro de 2017
      Domo Fundo de Investimento Imobiliário – FII
      4
      prestadores de serviços para a assessoria no âmbito da oferta, nos termos do art. 24

      Curtir

    • CONVOCAÇÃO

      ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE COTISTAS

      Convidamos os senhores cotistas do DOMO FUNDO DE INVESTIMENTO
      IMOBILIARIO, cadastrado sob o CNPJ n.º 17.374.696/0001-19 (“Fundo”), a
      comparecer à Assembleia Geral Extraordinária de Cotistas, convocada a pedido de
      cotistas que representam mais de 5% das cotas emitidas, conforme parágrafo
      quarto do artigo 57 do Regulamento do Fundo, a realizar-se no escritório da Caixa
      Econômica Federal (“Administradora”) localizado no Condomínio Edifício São Luis
      de Gonzaga, na Avenida Paulista, 2300, 11º andar, Cerqueira César, São
      Paulo/SP, no dia 14 de novembro de 2017, às 10h, em primeira convocação, e,
      em segunda convocação, no dia 14 de novembro de 2017, às 10h30, para
      deliberar sobre: (i) a alteração da denominação social do Fundo, a qual passará a
      ser REAG Renda Imobiliária – Fundo de Investimento Imobiliário – FII; (ii) a
      alteração do Regulamento do Fundo; e (iii) a realização de oferta pública de
      distribuição de cotas de emissão do Fundo, com esforços restritos de distribuição
      nos termos da Instrução da CVM nº 476, de 16 de janeiro de 2009, no montante
      total de até R$ 500.000.000,00 (quinhentos milhões de reais).

      Os cotistas devem comparecer ao local designado para a Assembleia Geral
      Extraordinária portando documento de identidade original com validade em todo o
      território nacional e, no caso daqueles que se fizerem representar por
      procuradores, estes devem ter sido constituídos há menos de 1 (um) ano e devem
      comparecer ao local designado portando procuração original com firma
      reconhecida e com poderes específicos

      São Paulo, 29 de setembro de 2017

      CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

      Curtir

      • Boa noite, colegas investidores

        a quem puder me oferecer alguma luz sobre essa questão:

        o fundo está sabidamente sofrendo de uma enorme vacância. a emissão de cotas será provavelmente ajudar o fundo a honrar suas dívidas futuras; talvez seja usado dar um gás ao fundo ao adquirir algum outro imóvel ou CRI (de qualquer forma, não é o caso de um MFII, por exemplo).

        por que, então, se até o fundo ‘deu chabu’, essa emissão é tão bem vista a ponto de fazer a cota disparar?
        (pergunta não é irônica)

        muito obrigado

        Curtir

      • Meu entendimento:
        -Uma cotação a 500 reais significa que o prédio estava a venda por menos de R$ 3.000/m2, abaixo do custo de reposicao.
        – a nova gestora está continuamente alugando espaços no imóvel, mesmo sendo apenas 20% da área, está bem pulverizado em quantidades empresas
        – a emissão está indicando a entrada de contrato atípico com a Mercedes-Benz pra carteira, dando fôlego para que as locações do imóvel ocorram, passando a gerar renda ao fundo e melhorando a perspectiva futura do fundo.
        – a emissão reduziu o risco na estratégia de compra de vacancia a meu ver…

        Curtir

      • Não sei se estou enganado mas, pelo que li na proposta da administradora, os Ativos Alvo são: um prédio em Juiz de Fora, monoinquilino, outro em Campinas também monoinquilino e um 3º, em Barueri, completamente desocupado. Resumindo, acho que eles merecem o troféu Óleo de Peroba.

        Curtir

    • Ao que parece tomaram a gestão da CAIXA… Vamos ver se agora melhora.

      RESUMO DA DECISÃO DA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE COTISTAS DO DOMO FUNDO DE
      INVESTIMENTO IMOBILIARIO – FII
      Informamos aos senhores cotistas do DOMO FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIARIO – FII (“Fundo”), CNPJ nº.
      17.374.696/0001-19, o resumo das deliberações tomadas na Assembleia Geral Extraordinária de Cotistas convocada
      convocada a pedido de cotistas que representam mais de 5% das cotas emitidas e realizada no dia 23 de outubro de 2017.
      Foram aprovadas:
      (i) por cotistas que representam 48,29% (quarenta e oito inteiros e vinte e nove centésimos por cento) das cotas emitidas a
      destituição da Administradora Caixa Econômica Federal e a eleição da nova administradora CM Capital Markets DTVM Ltda.
      (“Nova Administradora”), indicada pelo Gestor, nas mesmas condições previstas no Regulamento do Fundo, autorizando a
      Administradora a promover e praticar todos os atos necessários para a efetivação da transferência ora aprovada;
      (ii) por cotistas que representam 48,29% (quarenta e oito inteiros e vinte e nove centésimos por cento) das cotas emitidas a
      destituição do custodiante Oliveira Trust Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. e a eleição do novo custodiante CM
      Capital Markets DTVM Ltda. (“Novo Custodiante”), indicado pelo Gestor, nas mesmas condições previstas no Regulamento do
      Fundo e no contrato e nos termos do art. 12 do Regulamento;
      (iii) por cotistas que representam 49,25% (quarenta e nove inteiros e vinte e cinco centésimos por cento) das cotas emitidas a
      alteração da denominação social do Fundo, a qual passará a ser REAG Renda Imobiliária – Fundo de Investimento Imobiliário
      – FII;
      (iv) por cotistas que representam 48,29% (quarenta e oito inteiros e vinte e nove centésimos por cento) das cotas emitidas a
      alteração do Regulamento do Fundo, conforme proposta apresentada; e
      (v) por cotistas que representam 49,25% (quarenta e nove inteiros e vinte e cinco centésimos por cento) das cotas emitidas a
      realização de oferta pública de distribuição de cotas de emissão do Fundo, com esforços restritos de distribuição nos termos da
      Instrução da CVM nº 476, de 16 de janeiro de 2009, no montante total de até R$ 500.000.000,00 (quinhentos milhões de reais),
      estando a Administradora e/ou a Nova Administradora expressamente autorizada a contratar, pelo Fundo, quaisquer
      prestadores de serviços para a assessoria no âmbito da oferta, nos termos do art. 24, parágrafo 2º, inciso II, da Instrução CVM
      472, observados apenas e tão somente os limites de custos da oferta apresentados na proposta.

      Curtir

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s