FEXC11 – BTG Pactual Fundo de CRI (Excellence)

O fundo é administrado pela BTG Pactual, sob condomínio fechado e com prazo indeterminado de duração; antigo FII Excellence.

fexc11b

O FII investe em empreendimentos imobiliários, por meio da aquisição de certificados de recebíveis imobiliários (CRI), letras hipotecárias (LH), letras de crédito imobiliário (LCI) ou de direitos a eles relativos, buscando rentabilidade anual de 105% do CDI; portanto, é classificado como sendo um fundo do tipo Papel e enquadra-se na segmentação IGPM

O rendimento elevado é explicado pela composição de papéis do fundo e trazem ao cotista uma proteção natural contra a inflação mais direta.

Este FII já está na 8ª emissão e foi liberado para negociação em Abril/08.

O Fundo investe exclusivamente em CRI’s seniores, com pagamento de juros, correção monetária e amortização mensais; pela sua característica e dos ativos que compõem o seu portfólio, a estratégia do Fundo não visa obter rentabilidade linear e, para preservar seu patrimônio, reinveste seus recursos recebidos como amortização em novos papéis.

Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) Companhia Emissão Série Quantidade Valor (R$)
 ÁPICE SECURITIZADORA IMOBILIÁRIA S.A 15/07/2017 95 5.000,00 5.118.097,20
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 13/04/2010 156 10 1.159.138,41
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 20/01/2011 201 19 1.248.608,68
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 20/06/2011 247 15 1.357.214,38
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 20/08/2011 253 17 1.851.102,74
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 20/08/2011 255 24 2.531.036,39
 RB CAPITAL SECURITIZADORA RESIDENCI 25/02/2013 86 8 2.573.811,28
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 13/12/2007 78 1 121.990,14
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 13/01/2008 85 15 288.795,17
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 13/03/2008 88 7 245.700,84
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 13/09/2008 105 18 8.771,73
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 13/09/2008 106 2 173.348,21
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 13/10/2008 111 2 239.354,58
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 13/12/2008 113 12 652.765,30
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 13/02/2009 116 3 288.596,23
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 20/03/2009 117 2 96.604,18
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 20/04/2009 120 5 440.444,03
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 20/06/2009 123 1 53.631,24
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 20/08/2009 125 1 67.048,91
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 20/10/2009 127 1 86.895,82
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 20/10/2009 130 19 1.367.462,99
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 20/09/2010 180 37 1.482.328,60
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 20/03/2011 217 28 2.751.660,18
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 20/04/2011 226 25 2.512.641,32
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 20/05/2011 233 26 1.902.531,77
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 13/06/2011 242 6.144,00 530.970,82
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 13/06/2011 239 26 927.737,69
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 13/06/2011 244 26 2.247.539,64
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 20/07/2011 251 40 1.681.328,42
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 20/09/2011 257 42 1.909.992,66
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 20/09/2011 259 38 2.956.257,53
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 20/10/2011 261 47 1.707.835,25
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 20/11/2011 269 71 8.392.047,30
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 20/12/2011 274 70 5.858.793,57
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 13/06/2011 237 26 3.904.827,39
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 13/06/2011 238 26 2.188.645,90
 ÁPICE SECURITIZADORA IMOBILIÁRIA S.A 06/09/2013 8 5 2.196.185,84
 BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZACAO 20/09/2015 368 37 7.640.017,15
 RB CAPITAL SECURITIZADORA RESIDENCI 30/09/2016 130 6.539,00 6.125.907,80
 RB CAPITAL SECURITIZADORA RESIDENCI 06/06/2016 141 6.939,00 7.215.951,42
 GAIA SECURITIZADORA S.A. 13/12/2016 97 200 7.579.933,13
 ÁPICE SECURITIZADORA IMOBILIÁRIA S.A 14/09/2016 187 5.197,00 4.997.042,55
 PDG COMPANHIA SECURITIZADORA 05/09/2014 25 47 9.098.977,98
 Letras de Crédito Imobiliário (LCI)
 Emissor Vencimento Quantidade Valor (R$)
 BANCO ABC BRASIL S/A 10/01/2018 2.500,00 2.545.018,60
 CAIXA ECONOMICA FEDERAL 25/04/2018 2 20.707.647,80
 BANCO RODOBENS S.A. 10/10/2017 5.000,00 5.093.099,80

Taxas:
Administração: 0,30%a.a. sobre valor total dos ativos do fundo (mínimo R$ 20.000,00 mensais corrigido pelo IGPM).

RI: sh-contato-fundoimobiliario@btgpactual.com

Anúncios

642 comentários sobre “FEXC11 – BTG Pactual Fundo de CRI (Excellence)

  1. No mês de outubro ocorreu a liquidação financeira da aquisição do CRI Rede D’Or – Hospital
    Santa Helena, no valor de R$ 12 milhões, ou 8% do patrimônio do Fundo. O CRI, que recebeu
    rating AA+ da Fitch Ratings, possui prazo de 10 anos e foi adquirido pela taxa de IPCA + 6,49%
    a.a., ou seja, aproximadamente 200 bps acima da taxa da NTN-B de prazo médio equivalente
    vigente na data do bookbuilding.

    Conforme divulgado como evento subsequente no relatório anterior, ocorreu em outubro ainda
    a liquidação financeira do CRI do Grupo Cem, ativo lastreado em uma carteira pulverizada de
    contratos de aquisição de lotes residenciais em 32 loteamentos em diversas cidades do interior
    do estado de SP, montante de R$ 2,5 milhões (1,7% do patrimônio) a ser remunerado a IGP-M +
    10% a.a. pelo prazo de 12 anos. O CRI conta com um excesso de lastro de 133% em relação ao
    seu valor, coobrigação do grupo da companhia cedente e aval dos sócios, além de alienação
    fiduciária dos lotes objeto dos contratos, com LTV máximo de 60% ao longo de toda a operação.

    Curtir

    • Adicionalmente, a gestora aprovou no mês a aquisição de R$ 14,5 milhões do CRI JSL, cujo
      bookbuilding ocorrerá em meados de Novembro. O CRI será emitido com um spread de 300 bps
      acima da NTN-B de prazo equivalente e contará com uma ampla gama de garantias, além do
      risco JSL, contará com coobrigação da Ribeira, empresa do patrimonial do grupo, aval dos
      acionistas e alienação fiduciária de imóveis, com um LTV aproximado de 35%.

      Alguém tem referências dessa JSL ? 🙂 Depois do casso “PDG” é preciso olhar cada compra com uma lupa!

      Curtir

  2. Conforme informado no relatório anterior, a equipe de gestão aprovou a aquisição de R$ 5 milhões de um CRI cujo lastro é uma carteira pulverizada de contratos de aquisição de lotes residenciais em 32 loteamentos em diversas cidades do interior do estado de São Paulo.

    A liquidação financeira ainda não ocorreu pois a documentação que apoia a operação ainda não havia sido finalizada pelos coordenadores da oferta.

    Curtir

  3. Data da informação 08/09/2017
    Data-base (último dia de negociação “com” direito ao provento) 08/09/2017
    Data do pagamento 15/09/2017
    Valor do provento por cota (R$) 0,33
    Período de referência Agosto/2017
    Ano 2017

    Curtir

    • IGP-10 recua 0,17% em agosto com deflação menor no atacado e alta no varejo, diz FGV

      SÃO PAULO (Reuters) – O Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) desacelerou a queda a 0,17 por cento em agosto, ante deflação de 0,84 por cento no mês anterior, diante do recuo mais fraco dos preços no atacado e da retomada da alta no varejo, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta quarta-feira.

      Curtido por 1 pessoa

    • IGP-DI fecha julho com queda de 0,30% e acumula baixa de 2,87% no ano

      O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) registrou em julho a quinta deflação seguida, ao cair 0,30%.

      Em junho, a retração havia sido de 0,96%.

      O indicador acumula queda de 2,87% no ano e de 1,42% em 12 meses, conforme levantamento da Fundação Getulio Vargas (FGV).

      Curtir

  4. BB e Caixa pegam PDG no contrapé

    A PDG enfrenta resistências de onde menos esperava.

    Banco do Brasil e Caixa Econômica têm se mostrado mais refratários do que as próprias instituições financeiras privadas ao pedido feito pela incorporadora para adiar a entrega do plano de reestruturação do seu passivo.

    Em recuperação judicial, a PDG carrega mais de R$ 5,75 bilhões em dívidas.

    Curtido por 1 pessoa

  5. A PDG Companhia Securitizadora, empresa que se encontra em Recuperação Judicial, informou ontem (19), por meio de nota, que foram programados doze eventos de resgate antecipado exclusivamente dos CRI custodiados na BM&FBovespa. Companhia informou que havia, anteriormente, solicitado a suspensão das respectivas programações em razão da ausência de recursos para realização de qualquer pagamento dos certificados. Entretanto, a BM&FBovespa considerando que a companhia dispõe de tais recursos, solicitou à PDG a programação de resgate antecipado para o próximo dia 21 de julho. O montante total dos devidos pagamentos é de R$ 1.428.226,80.

    Curtido por 3 pessoas

    • Depoimento de quem conhece bem o empreendimento JdP…
      – As torres da fase inicial já estão todas construídas;
      – Houve muita devolução entre 2015 e 20162T;
      – Aumentou bastante a visita de corretores e potenciais compradores a partir de 2017T1/meadosT2, porém não tenho informação sobre conclusões de negócios…
      – As torres comerciais estão em fase de conclusão final;
      – Existe uma torre corporativa com lajes 2,5k m2 com algo como 18 lajes que não tenho info sobre comercialização…

      Curtido por 1 pessoa

      • na faixa de 8 a 8,5k/m2…esses sao valores reais de fechamento dos negócios!
        Até 2016T2, eu diria que entre vendas, estoque e devolução 50% do empreendimento já estava nas mãos dos proprietários…com o aumento da procura eu já soube que tem coisa se materializando esse ano, ou seja, podemos considerar que mais de 50% do empreendimento como um todo está vendido.
        A torre corporativo em momento algum entra nessa estatística.

        Curtido por 3 pessoas

      • Olá Tetzner, Gilvan,

        Apenas um aspecto importante (tendo em vista que estou acompanhamento o caso da PDG).
        O valor / m2 está baixo neste caso, porque na maioria dos prédios que foram entregues pela PDG, eles não vem pagando as taxas condominiais e, em muitos casos, não foi dado baixa nas matrículas de várias unidades (mesmo após ter sido pago pelos compradores), quando o imóvel foi financiado por um banco.

        Ou seja, existe uma dívida da PDG com muitos empreendimentos entregues nos últimos 2-3 anos. Por isso, tem acontecido este deságio. Conheço bem Perdizes porque morei lá. Se tentar encontrar apartamentos (que não PDG), é muito difícil encontrar este preço num prédio novo. Assim, este preço por m2 não deve ser levado em consideração como a realidade do mercado.
        Abs

        Curtido por 1 pessoa

      • Conheço 2 compradores que pagaram em torno de R$10.000/m² nos Jardins das Perdizes, em apartamentos de 156m² e 79m² .
        Inclusive o de 156 foi pago à vista em 2016.

        Curtir

  6. Mandei um mail pra gestora sobre a rentabilidade e o IGPM; depois de 15 dias recebi a resposta: IGPM negativo “come” o prêmio do título. Ou seja, o mínimo não é o prêmio e inflação “zero”, ele cai junto com o IGPM . Uia! Abraço com o comentário de agora no SAAG,

    Curtido por 2 pessoas

    • Richie numa situação extrema e conforme aquela fórmula de atualização do VNE/VNA que postamos esses dias, então no mais extremo caso… consome o prêmio e entra no principal. A questão é que no Brasil é difícil isso acontecer, mas mundo afora é mais fácil.

      Curtir

      • Richie foi curiosidade do amigo Deutinvestimento, saber como atualizam os valores. Tem principal, prêmio e juros. Essa conta o cotista não precisa da fórmula… se entender que o prêmio e a inflação afetam o resultado, está ótimo.

        Curtir

      • Sim, isso eu entendi. Mas queria ter uma noção do “peso” da inflação nos cálculos. De onde veio esta fórmula? É exclusiva do fundo, dos CRIs ou é uma fórmula geral? Pergunto porque os cálculos do VNA multiplicam o valor inicial pelo índice de inflação.

        Curtir

      • Richie

        é uma fórmula geral de atualização dos CRIs

        Valor Nominal Atualizado (VNA) 1 : Valor Nominal Unitário na data de emissão , na data de integralização, na data estipulada pelo Termo de Securitização para início da atualização ou na última data de atualização, após amortização, pagamento ou incorporação de juros, se houver, o que ocorrer por último, corrigido monetariamente pela variação do indexador (IGP- M, IPCA,TR e outros).

        Curtir

      • Os CRI corrigidos por índices de preços terão seus Valores Nominais de Emissão (VNE) atualizados monetariamente (VNA).

        O cálculo do VNA se resume ao Valor Nominal de Emissão dos títulos ou da última data de amortização ou incorporação de juros, quando houver, atualizada pelo pró-rata dia útil da variação mensal do índice, quando disponível, e, quando não disponível, pelo pró- rata dia útil da projeção da variação mensal do índice, calculado e divulgado pela ANBIMA, sempre observando as datas de validade das projeções e as datas de aniversário dos ativos.

        Curtir

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s