KNRI11 – Kinea Renda Imobiliária

Seu objetivo é recursos em empreendimentos corporativos e centros de distribuição de excelente padrão construtivo, de forma diversificada e preferencialmente prontos, para posterior exploração de locação;  administrado pela Intrag DTVM, em regime de condomínio fechado, com prazo indeterminado de duração.
knri11
Trata-se portanto de um FII de Tijolo – Imóveis Comerciais – Escritórios.

O fundo possui 16 ativos sendo 9 edifícios comerciais (responsáveis por 15% da ABL e 55% da receita) e 7 centros logísticos (responsáveis por 85% da ABL e 45% da receita) a maioria no eixo Rio – São Paulo.

Fundo possui 61 contratos de locação e mais de 45 inquilinos. 26% atípicos e 74% típicos, sendo 67% reajustados pelo IGP-M e 33% pelo IPC-A.

CNPJ: 12.005.956/0001-65
Constituição: 07/07/2010
Registro CVM: 07/07/2010
Patrimônio: R$ 2.156.912.169,41
Número de Cotas: 14.599.290

Taxas:
Administração: 1,25%a.a. sobre valor de mercado (mínimo de R$ 125.000,00 mensais).
Gestão e custodia já incluídos na taxa de administração.

RI: intrag@itau-unibanco.com.br

Tutor do FII: SunTzu

Anúncios

1.161 comentários sobre “KNRI11 – Kinea Renda Imobiliária

    • A Kinea Renda Imobiliária reportou quatro movimentações importantes em empreendimentos no Rio de Janeiro: três novas locações e uma desocupação. A equipe de gestão do fundo foi brilhante e firmou contrato de locação com a Regus de um andar e meio do Edifício Lagoa Corporate; quatro andares do Edifício Botafogo Trade Center com a M4U; e meio andar do Edifício Buenos Aires Corporate com a Sul América Seguros.

      Entretanto, ainda houve uma desocupação do Edifício Buenos Aires Corporate pelo Banco do Brasil, fechando a operação de agência no imóvel. Assim, a taxa de vacância física saiu de 7,5% para 6,7%, e a taxa de vacância financeira ajustada pelas carências caiu de 14,8% para 13,4%. Em virtude da fraca atividade econômica no Rio de Janeiro e do aumento da vacância, houve concessão de carência nas novas contratações, portanto, o impacto na receita só deve ser observado em um horizonte superior a seis meses.

      Curtir

    • Distribuição do resultado acumulado no trimestre/semestre* Valor(R$)

      F = ∑E Resultado financeiro líquido acumulado no trimestre/semestre corrente 31.960.728,36

      G = 0,95 x F 95% do resultado financeiro líquido acumulado (art. 10, p.u., da Lei 8.668/93) 30.362.691,942
      H Não possui informação apresentada.

      I (+) Lucro contábil passível de distribuição que excede ao total do resultado financeiroâ µ / resultado financeiro que excede o mínimo de 95%â ·. 11.912.344,9

      J = G – ∑H + I Rendimentos declarados 42.275.036,842
      K (-) Rendimentos pagos antecipadamente durante o trimestre/semestre -27.992.687,28
      L = J – K Rendimento líquido a pagar remanescente no encerramento do trimestre/semestre 14.282.349,562

      M = J/F % do resultado financeiro líquido declarado no trimestre/semestre 132,2718%

      Curtir

      • Bom, então era isso mesmo, não tinha entendido errado.
        Menos mal. 🙂
        Prosseguindo, olhando os três trimestres anteriores e por ordem crescente temos os seguintes percentuais, respectivamente:
        115,5389%
        136,0503%
        130,7929%
        Média simples (somando o percentual do último trimestre): 128,6634%
        É isso mesmo?!
        Sds.

        Curtido por 1 pessoa

      • Ao menos construíram uma imagem de honestos e trabalhadores. Todos os fundos vem sofrendo. Imagino que o pessoal esteja trabalhando para torná-lo lucrativo ao cotista, diferentemente de outros fundos gigantes que vimos naufragar.

        Curtir

      • Eduardo;

        Por mais que eu respeite o seu ponto de vista, e sem querer entrar no mérito de honestidade e/ou capacidade laborativa alheia, não posso concordar com a sua postagem.
        Sustentabilidade na distribuição é um pré-requisito mínimo para demonstrar resiliência e saúde financeira no cashflow de um FII, e isto não vem ocorrendo aqui.
        Uma régua de medida para análise deve ter mensuração uniforme e imparcial.
        Se fosse assim, a Griffo gozava de prestígio parelho ao pessoal da Kinea e nem por isso o resultado foi diferente no HGBS, o qual ofertava o mesmo quadro que aqui se mostra.
        Mudam-se os personagens, mas o enredo continua o mesmo.
        Teremos um epílogo diferente daquele?
        Algo a se ponderar.
        Sds.

        Curtido por 5 pessoas

      • Acho KNRI um bom fundo, o problema aqui é o “efeito Ambev”, ou seja, o bom histórico do fundo permitiu uma precificação acima da realidade, sem margem de segurança, então, no primeiro grande sinal desafiador enfrentado, os pontos negativos do ativo apareceram. A propósito, o fundo segue mal precificado em minha opinião. Até quando? Só Deus e a paciência dos cotistas saberão.

        Curtido por 3 pessoas

      • Fábio;

        Será que tal nova emissão vai estancar de vez a sangria ou vai postergar a sua solução mais um pouco?
        Gosto da maneira como este ele é estruturado (quase um fundo misto), bem como, do portfólio.
        Já a maneira como se dá sua gestão financeira, não me atrai nem um pouco.
        Tirar o leite da vaca sem dar tempo nem ração suficientes para esta se recuperar, deságua no mesmo resultado.
        Seja neste, seja em qualquer fundo.
        E não me parece algo inteligente.
        Sds.

        Curtir

      • Aí está o problema, mbp, todo mundo sua a camisa pra fazer emissão, mas vem o kinea com a estrutura do itaú, em especial do personalitté, e faz emissões enormes com um pé nas costas. Isso pode levar ao mau hábito de emissões constantes e, lembrando, em cada emissão dessas vc perde de 3% a 5% com taxas, aí eu me pergunto, tem alguma chance de no longo prazo um investimento que já perde 3% a 5% na largada ganhar do CDI? É rezar pra Kinea não entrar nos erros do BTG, ou seja, pensar muito no curto prazo, nas taxas, e esquecer que sem o cotista ganhando dinheiro nada vai se sustentar ao longo dos anos.

        Curtido por 2 pessoas

      • Os dois pontos levantados por você são pertinentes, tetzner, mas volto a dizer: há de observar os custos de emissão,pois perder 3% a 5% já de largada é muita coisa, principalmente se isso for sendo repetido ao longo do tempo, e, lembremos, fii não conta com isenção de IR sobre ganhos de capital. A forte queda nos juros básicos da economia foi ,para os fiis, como o chamado vento de cauda em altitude de cruzeiro na aviação, aquele que todo piloto adora porque encurta o tempo de viagem. Em janelas curtas e mesmo de alguns anos vários fundos performaram bem quando ajustados pelo risco, mas repito, muito mais pela valorização das cotas do que pela melhora do resultado líquido operacional.

        Curtido por 1 pessoa

    • Informe Mensal

      Nome do Fundo: KINEA RENDA IMOBILIÁRIA – FII CNPJ do Fundo: 12.005.956/0001-65
      Data de Funcionamento: 11/08/2010 Público Alvo: Investidores em Geral
      Código ISIN: BRKNRICTF007 Quantidade de cotas emitidas: 15.524.207,00
      Fundo Exclusivo? Não Cotistas possuem vínculo familiar ou societário familiar? Não
      Classificação autorregulação: Mandato: RendaSegmento de Atuação: HíbridoTipo de Gestão: Ativa Prazo de Duração: Indeterminado
      Data do Prazo de Duração: Encerramento do exercício social: 30/06
      Mercado de negociação das cotas: Bolsa Entidade administradora de mercado organizado: BM&FBOVESPA
      Nome do Administrador: INTRAG DTVM LTDA. CNPJ do Administrador: 62.418.140/0001-31
      Endereço: AV BRIGADEIRO FARIA LIMA, 3400, 10º andar- ITAIM BIBI- SÃO PAULO- SP- 04538-132 Telefones: 55-(11)30726012
      Site: http://www.intrag.com.br E-mail: relacionamento.intrag@itau-unibanco.com.br
      Competência: 09/2017
      Data da Informação sobre detalhamento do número de cotistas¹ 29/09/2017
      Número de cotistas 20.288
      Pessoa física 20.250
      Pessoa jurídica não financeira 23
      Banco comercial 1
      Corretora ou distribuidora
      Outras pessoas jurídicas financeiras
      Investidores não residentes 6
      Entidade aberta de previdência complementar
      Entidade fechada de previdência complementar
      Regime próprio de previdência dos servidores públicos
      Sociedade seguradora ou resseguradora
      Sociedade de capitalização e de arrendamento mercantil
      Fundos de investimento imobiliário 2
      Outros fundos de investimento 6
      Cotistas de distribuidores do fundo (distribuição por conta e ordem)
      Outros tipos de cotistas não relacionados
      1 Ativo – R$ 2.262.582.317,06
      2 Patrimônio Líquido – R$ 2.228.028.856,93
      3 Número de Cotas Emitidas 15.524.207,0000
      4 Valor Patrimonial das Cotas – R$ 143,519657
      5 Despesas com a taxa de administração em relação ao patrimônio líquido do mês (%) 0,1103%
      6 Despesas com o agente custodiante em relação ao patrimônio líquido do mês (%) 0,0000%
      7 Rentabilidade Efetiva Mensal (%) 0,7041%
      7.1 Rentabilidade Patrimonial do Mês de Referência² (%) 0,0627%
      7.2 Dividend Yield do Mês de Referência³ (%) 0,6414%
      8 Amortizações de cotas do Mês de Referência⁴ (%) 0,0000%
      Informações do Ativo Valor (R$)
      9 Total mantido para as Necessidades de Liquidez (art. 46, § único, ICVM 472/08) 41.444.269,16
      9.1 Disponibilidades 253.069,59
      9.2 Títulos Públicos 41.191.199,57
      9.3 Títulos Privados
      9.4 Fundos de Renda Fixa
      10 Total investido 2.207.220.118,41
      10.1 Direitos reais sobre bens imóveis 2.092.050.691,27
      10.1.1 Terrenos
      10.1.2 Imóveis para Renda Acabados 2.092.050.691,27
      10.1.3 Imóveis para Renda em Construção
      10.1.4 Imóveis para Venda Acabados
      10.1.5 Imóveis para Venda em Construção
      10.1.6 Outros direitos reais
      10.2 Ações
      10.3 Debêntures
      10.4 Bônus de Subscrição, seus cupons, direitos, recibos de subscrição e certificados de desdobramentos
      10.5 Certificados de Depósitos de Valores Mobiliários
      10.6 Cédulas de Debêntures
      10.7 Fundo de Ações (FIA)
      10.8 Fundo de Investimento em Participações (FIP)
      10.9 Fundo de Investimento Imobiliário (FII)
      10.10 Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC)
      10.11 Outras cotas de Fundos de Investimento
      10.12 Notas Promissórias
      10.13 Ações de Sociedades cujo único propósito se enquadra entre as atividades permitidas aos FII
      10.14 Cotas de Sociedades que se enquadre entre as atividades permitidas aos FII
      10.15 Certificados de Potencial Adicional de Construção (CEPAC)
      10.16 Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI)
      10.17 Letras Hipotecárias
      10.18 Letras de Crédito Imobiliário (LCI) 115.169.427,14
      10.19 Letra Imobiliária Garantida (LIG)
      10.20 Outros Valores Mobiliários
      11 Valores a Receber 13.917.929,49
      11.1 Contas a Receber por Aluguéis 13.830.958,51
      11.2 Contas a Receber por Venda de Imóveis
      11.3 Outros Valores a Receber 86.970,98
      Informações do Passivo Valor (R$)
      12 Rendimentos a distribuir 14.282.880,40
      13 Taxa de administração a pagar 2.457.291,00
      14 Taxa de performance a pagar
      15 Obrigações por aquisição de imóveis 8.941.052,34
      16 Adiantamento por venda de imóveis
      17 Adiantamento de valores de aluguéis 27.094,13
      18 Obrigações por securitização de recebíveis
      19 Instrumentos financeiros derivativos
      20 Provisões para contingências
      21 Outros valores a pagar 8.845.142,26
      22 Total do passivo 34.553.460,13

      Notas

      1. A relação de cotistas por tipo de investidor deverá ser encaminhada, obrigatoriamente, apenas para os meses de março, junho, setembro e dezembro cada ano. Nos demais meses o administrador deverá informar apenas o número total de cotistas.
      2. Rentabilidade Patrimonial do Mês de Referência (%) = [(Valor patrimonial da cota do último dia útil do mês de referência + Soma das amortizações por cota realizadas no mês de referência)/Valor patrimonial da cota do último dia útil do mês anterior ao de referência)].
      3. Dividend Yield do Mês de Referência (%) = Rendimentos declarados por cota no mês de referência/ Valor patrimonial da cota do último dia útil do mês anterior ao de referência.
      4. Amortizações de cotas do Mês de Referência (%) = [(Soma das amortizações por cota realizadas no mês de referência) / (Valor patrimonial da cota do último dia útil do mês anterior ao de referência)] – 1. As amortizações não se confundem com os rendimentos declarados/distribuídos.

      Curtir

  1. FII KINEA (KNRI) Fato Relevante – 15/09/2017

    KINEA RENDA IMOBILIÁRIA FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – FII, inscrito no CNPJ/MF sob o nº 12.005.956/0001-65 (“Fundo”) informa aos cotistas do Fundo, em observância às disposições constantes da Instrução da Comissão de Valores Mobiliários nº 472, de 31 de outubro de 2008, conforme alterada,

    Curtir

    • que efetuou, nesta data, o pré-pagamento integral dos certificados de recebíveis imobiliários da 89ª série da 1ª emissão da RB Capital Securitizadora S.A. (“CRI”),
      lastreados nos créditos imobiliários decorrentes do ativo imobiliário Centro de Distribuição Santa Cruz, de titularidade do Fundo, no montante de R$ 29.548.383,81. Com a amortização antecipada dos CRI, e considerando a amortização antecipada dos certificados de recebíveis imobiliários da 83ª série da 1ª emissão da RB Capital Securitizadora S.A.,

      Curtir

    • conforme divulgada na comunicação de fato relevante de 08 de setembro de 2017, a totalidade das receitas decorrentes dos aluguéis do ativo imobiliário acima mencionado, até então parcialmente cedidas para o pagamento das obrigações dos CRI, serão incorporadas às receitas do Fundo. São Paulo, 15 de setembro de 2017

      Curtir

    • Se eu não errei na conta aqui… vai volta ao patamar de cash burn pré crise…

      chegou a distribuir com operacional 0,20 abaixo… agora com dinheiro da emissão e quitação dos CRIS… pelo AnaliSYS vai pra 0,10 de queima

      devemos ver mais uma rodada de renegociações de aluguéis até o final do ano e ainda a possibilidade de vir outra desocupação da Foxconn

      Curtir

    • KINEA RENDA IMOBILIÁRIA FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – FII CNPJ/MF nº 12.005.956/0001-65 Administrado por INTRAG DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. FATO RELEVANTE INTRAG DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA., inscrita no CNPJ/MF sob o nº 62.418.140/0001-31, na qualidade de instituição administradora do KINEA RENDA IMOBILIÁRIA FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – FII, inscrito no CNPJ/MF sob o nº 12.005.956/0001-65 (“Fundo”) informa aos cotistas do Fundo, em observância às disposições constantes da Instrução da Comissão de Valores Mobiliários nº 472, de 31 de outubro de 2008, conforme alterada, que efetuou, nesta data, o pré- pagamento integral dos certificados de recebíveis imobiliários da 83ª série da 1ª emissão da RB Capital Securitizadora S.A. (“CRI”)

      Curtido por 1 pessoa

    • , lastreados nos créditos imobiliários decorrentes do ativo imobiliário Centro de Distribuição Santa Cruz, de titularidade do Fundo, no montante de R$ 75.752.125,91. Com a amortização antecipada dos CRI, 72% (setenta e dois por cento) das receitas decorrentes dos aluguéis do ativo imobiliário acima mencionado, até então cedidas para o pagamento das obrigações dos CRI, serão incorporadas às receitas do Fundo. São Paulo, 08 de setembro de 2017. 

      Curtir

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s