CXRI11 – CAIXA RIO BRAVO – FII

CXRI11_FII

Nome do Fundo: Caixa Rio Bravo Fundo de Fundos de Investimento Imobiliário – FII

Administradora: CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
Valor Inicial da Cotas: R$1.000,00
Tx de Administração: 1,2%a.a  incidente sobre o PL, piso de R$30.000 por mês atualizada pelo IPCA, paga até o 5º dia útil de cada mês.
Prazo: O prazo de duração do Fundo é indeterminado.

O Fundo tem por objeto a realização de investimentos imobiliários mediante a aquisição de Ativos, com foco em Cotas de FII, selecionados de acordo com a análise e expertise da Gestora e da CoGestora, de forma a proporcionar aos Cotistas uma remuneração para o investimento realizado, por meio do fluxo de rendimentos gerado pelos Ativos e do aumento do valor patrimonial de suas Cotas.

O Fundo aproveitará, ainda, as oportunidades de investimento e desinvestimento junto ao mercado secundário. Buscará deter pelo menos 5% (cinco por cento) dos fundos imobiliários em que investir, de modo a poder convocar e ter maior representatividade nas assembleias gerais de cotistas dos referidos fundos, propondo melhorias na gestão e cobrando medidas dos administradores/gestores, como renegociações, revisionais, realização de obras e melhorias, compra ou venda de imóveis, etc.

O gráfico abaixo representa a estrutura da forma de investimento do Fundo.

CXRB11

Quem compra cotas desse fundo, está comprando a gestão de seus administradores e gestores, nesse caso a Caixa e a Rio bravo.

Neste FII as decisões de investimento precisam ser tomadas por unanimidade através de um comitê de investimento formado por 02 membros(e 01 suplente para cada); uma pessoa indicada pela CAIXA e outra pela Rio bravo.

Busca superar o IFIX – Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários da Bovespa; bom lembrar que o gestor que  busca superar um índice de mercado, precisa buscar oportunidades dentro de mercado que se valorizem mais que o índice ao longo do tempo. Isso é mais fácil escrever do que efetivamente fazer ao longo do tempo.

Quem quer comprar esse FII, precisa entender que está comprando a capacidade de seus gestores(CAIXA e Rio Bravo) em trabalharem em conjunto para ganhar do IFIX ao longo do tempo.

Critérios de concentração:

I – até 100% (cem por cento) do Patrimônio Líquido do Fundo em Cotas de FII;

II – até 50% (cinquenta por cento) do Patrimônio Líquido do Fundo em cotas de fundos geridos pela Administradora, pela Co-Gestora ou por empresa a elas ligada;

III – até 20% (vinte por cento) do Patrimônio Líquido do Fundo em Cotas de FII de emissão de um mesmo fundo de investimento imobiliário;

IV – até 20% (vinte por cento) do Patrimônio Líquido do Fundo em ativos cujo emissor seja instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil;

V – até 20% (vinte por cento) do Patrimônio Líquido do Fundo em ativos cujo emissor seja fundo de investimento, ressalvado o disposto na alínea I acima;

VI – até 10% (dez por cento) do Patrimônio Líquido do Fundo em ativos cujo emissor seja companhia aberta;

VII – até 10% (dez por cento) do Patrimônio Líquido do Fundo em ativos cujo emissor seja um mesmo fundo de investimento, ressalvado o disposto na alínea III acima;

VIII – até 5% (cinco por cento) do Patrimônio Líquido do Fundo em ativos cujo emissor seja pessoa física ou pessoa jurídica de direito privado que não seja companhia aberta ou instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil; e

IX – Não haverá limites quando o emissor for a União Federal.

Adicionalmente aos critérios de concentração acima previstos, o Fundo não poderá deter mais de 20% (vinte por cento) de seu Patrimônio Líquido em títulos ou valores mobiliários de emissão de empresas ligadas à Administradora ou à Co-Gestora.

Os rendimentos auferidos pelo Fundo (já descontados das despesas ordinárias do Fundo) serão distribuídos aos Cotistas, mensalmente, até o 8º Dia Útil do mês subsequente ao recebimento dos recursos pelo Fundo.

A Assembleia Geral de Cotistas poderá ser convocada pela Administradora, atuando como representante do Fundo, ou por Cotistas que detenham, no mínimo, 5% (cinco por cento) do total de Cotas emitidas pelo Fundo.

Não podem votar nas Assembleias Gerais de Cotistas do Fundo: (a) a Administradora; (b) a Gestora; (c) a Co-Gestora; (d) os sócios, diretores e funcionários da Administradora, Gestora ou Co- Gestora; (e) empresas ligadas à Administradora, Gestora ou Co-Gestora, seus sócios, diretores e funcionários; e (f) os demais prestadores de serviços do Fundo, seus sócios, diretores e funcionários.

E-mail: gedef@caixa.gov.br, institucionais@riobravo.com.br

Tutor do FII: Git

Anúncios

392 comentários sobre “CXRI11 – CAIXA RIO BRAVO – FII

  1. Puts, que chato…. 😦

    Informamos aos senhores cotistas do CAIXA RIO BRAVO FUNDO DE FUNDOS DE
    INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – FII (“Fundo”), CNPJ nº. 17.098.794/0001-70, o resumo da
    Assembleia Geral Ordinária, convocada pela Administradora, realizada no dia 18 de outubro
    de 2017.
    Como novamente não houve o comparecimento de Cotista, a Assembleia não pôde ser
    instalada. Diante da ausência de Cotistas, será convocada nova Assembleia Geral Ordinária
    em data oportuna.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Relatórios bem feitos, ótima diversificação, gestor de qualidade, retornos interessantes. Sendo assim, alguns dos colegas poderia explicar o porquê da cota patrimonial ser maior que a cota de mercado ao longo dos anos?

    Curtido por 1 pessoa

  3. CONSULTA FORMAL – PROPOSTA DE SEGUNDA EMISSÃO E DA OFERTA DE COTAS DO CAIXA RIO BRAVO FoFIIs

    Volume da Oferta Até R$ 100.000.000,00

    R$ 1.035,00/cota

    O valor indicado não inclui os custos estimados da Oferta. Considerando a subscrição e integralização da totalidade das cotas objeto da Oferta pelo preço de R$1.000,00, o custo unitário será de até 3,50%, ou seja, equivalente a R$ 35,00

    Curtido por 5 pessoas

  4. AGOSTO 2017 COMENTÁRIOS DO GESTOR

    O mês de agosto foi marcado pela surpresa advinda da inflação, assim como pela melhora sensível da atividade econômica no Brasil.
    A tônica do ano tem sido as surpresas positivas observadas nos indicadores inflacionários. A recessão, aliada a dinâmica positiva da inflação de alimentos tem
    comprimido os índices, levando o IGP-M, inclusive, para o campo negativo. No caso do IPCA, a acumulado de 12 meses encontra-se em 2,46%, patamar
    mais baixo da última década. Estas circunstâncias permitiram ao Banco Central manter o ritmo de flexibilização da taxa básica de juros, tanto na reunião de
    final de julho, como no início de setembro. Em meados de agosto também houve a revisão da meta fiscal que, apesar de negativa, não impactou os preços
    dos ativos financeiros de forma expressiva, uma vez que a notícia já era esperada pelo mercado e a divulgação não trouxe um “rombo” maior. Por último,
    grande parte da apreensão proveniente do cenário político foi dissipada. Isso fez com que aparecesse de forma mais clara a tese de descontaminação entre
    política e economia.
    No cenário descrito acima, agosto foi mais um mês de outperformance dos ativos de risco. Enquanto o CDI apresentou +0,80%, as carteiras de títulos
    prefixados e indexados à inflação valorizaram 1,06% e 1,34%, respectivamente. No caso do USD, mesmo o modo risk on do mercado não foi suficiente para
    sustentar uma valorização do real – a moeda americana subiu 0,76% no mês. E o grande destaque foi o Ibovespa. O índice de ações subiu 7,46%, sustentado
    pela combinação de juros mais baixos que o precificado até então, melhores resultados divulgados pelas empresas, IPOs e expectativa de nova rodada de
    privatização e concessões como forma de diminuição do déficit fiscal.
    Em linha com o CDI, os fundos imobiliários apresentaram valorização de 0,86% no mês. Entendemos que a preocupação quanto à tributação dos FII foi
    dispersada e uma nova rodada de discussão sobre este tópico não deve ocorrer no curto prazo. Como já observado no início do mês de setembro, as
    perspectivas para o setor dada a Selic em patamar próximo ao mínimo histórico têm impulsionado o valor das cotas de FII no mercado secundário e
    acreditamos que esta onda deverá indicar o novo nível de mercado. Por fim, o HGBS11 – CSHG Brasil Shopping FII, uma das posições mais relevantes do
    Caixa Rio Bravo Fundo de FII, está sendo foco de ativismo e potencialmente terá sua taxa de administração diminuída. Tal fato foi recebido de maneira
    positiva pelo mercado e foi integralmente capturado pelo CXRI11.
    Por fim, o Fundo CXRI11 apresentou valorização no mês de 0,41% da cota patrimonial ajustada (que incorpora os rendimentos previamente distribuídos),
    ao contrário da cota de mercado, que apresentou retorno negativo de 7,28%. Desde o início do Fundo, a cota patrimonial ajustada pelos rendimentos
    valoriza 46,43% contra 47,51% do IFIX.

    Curtido por 5 pessoas

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s