MFII11 – Mérito Desenvolvimento Imobiliário I – FII

O Mérito Desenvolvimento Imobiliário I é um fundo de investimento imobiliário constituído sob a forma de condomínio fechado, com prazo de duração indeterminado, e tem como objetivo principal a aquisição de participações de empreendimentos voltados para a incorporação imobiliária.

mfii11

O conceito do FII é bastante interessante e sua forma de operar também, uma alternativa para diversificar em projetos de desenvolvimento e incorporação.

Pode atuar em qualquer segmento (residencial, comercial, logístico, hoteleiro entre outros) desde que seu objetivo seja a venda final do imóvel.

Os projetos, quando são investidos, podem estar em qualquer fase, por exemplo: na compra do terreno antes da aprovação, na participação do projeto após a aprovação antes das vendas, quando o empreendimento já estiver em obras ou, ainda, quando já estiver concluído e entregue e houver apenas um crédito a receber.

A atuação do fundo nos projetos é ativa, os gestores participam de todas as decisões que são tomadas no âmbito dos projetos junto com os incorporadores. Por exemplo, na escolha do terreno a ser comprado, na escolha do produto que será lançado no local, estratégias de marketing, preços de venda, construtoras que serão contratadas para o empreendimento entre outras decisões.

Não foca em um tipo de projeto específico nem em uma região específica; ao analisar um projeto, fazem um estudo de mercado na microrregião para avaliar se o projeto se enquadra naquele local e é atrativo em relação ao risco/retorno.

Não tem nenhuma parceria fixa com construtora/incorporadora, são analisados projeto a projetos. O regulamento permite um projeto tipo retrofit, mas existem poucos projetos com uma rentabilidade atrativa, pois, nesse tipo, a negociação na compra do imóvel é bem relevante.

Pretende manter a carteira do fundo com projetos em fase final (com fluxo de caixa positivo) e com projetos na fase inicial/intermediária (com fluxo de caixa negativo) de maneira que o fundo sempre tenha uma geração de caixa e realize distribuições de rendimento mensais.

Ao participar de um projeto em que, por exemplo, o investimento do fundo seja 50 e o retorno (capital+lucro) seja 125, o fundo irá distribuir 75 de rendimento aos cotistas e reinvestir os 50. O regulamento prevê que o fundo distribua no mínimo 95% do lucro base caixa, mas o fundo irá distribuir os 100%.

Taxas
Gestão Mérito: 1,85%
Administração Planner: 0,145%
Custódia Planner: 0,005%
Performance Mérito: 20% do que exceder o CDI (se negativa, apropriada e rebatida futuro)

RI: contato@meritoinvestimentos.com

Tutor do FII: Lucas

Grupo de Cotistas do FII: Não haverá qualquer tipo de exposição das informações pessoais/individuais.

Anúncios

4.195 comentários sobre “MFII11 – Mérito Desenvolvimento Imobiliário I – FII

      • La tem só o campo para colocar o valor total. Por exemplo: R$ 10.000,00. Desse valor total eles vão dividir por R$ 110,00 e vai me dar a quantidade de cotas? Quanto tempo debitou da conta?

        Curtir

      • Isso mesmo, tendo o dinheiro na conta, vc faz a conta quantas cotas vc quer e multiplica por 110, esse valor é o total q vc deve por no campo valor solicitado, aí no campo preço unitário máximo vc põe 110,

        Curtir

      • Potavio com toda certeza, são 20 mangos por cota, aí vc multiplica por mil ou dias mil cotas não sei quantas o amigo tem, dá uma grana boa, e também vc faz caixa para ir uma coisa q dou muito valor, apesar de vc pagar um cadiquinho e imposto sobra 80% do lucro e vc fez caixa p ir. Então vale sim, mesmo fosse 50 ou 100 cotinhas eu faria, meu avô sempre me encimou desde criança, toda vez q vc tiver a oportunidade de ganhar um Reis que seja, ganhe, desde q se honestamente, não perca a oportunidade jamais, pois não se sabe o dia de amanhã, a fonte pode secar.

        Curtido por 2 pessoas

      • A 110, vai dar mais de um %, a perspectivas são as melhores possíveis ao meu ver, passei ontem em boituva onde eles têm um investimento em andamento e observei ali uma enorme chance de explosão de crescimento em geral, Campinas onde também eles têm projetos já em andamento não precisa dizer nada, e um lugar top top, outros fatores importantes do fii é o fato de eles serem atenciosos com os cotistas em esclarecer qualquer dúvida quando se tem, também não param, enquanto uns devolve dinheiro p cotistas p não trabalhar e esquentarem a cabeça, eles ao contrário estão a todo vapor em busca de novos investimentos

        Curtido por 1 pessoa

      • Um dos únicos fii q não caiu a renda até agora, apesar de ter valorizado o valor da cota, mas não cai rendimento, em muit fiis tivemos um aumento significativo no valor da cota e ainda por sima a renda caiu, assim fica complicado o dy vai lá em baixo com isso, aqui não eles estão mantendo e acho q essa cotação aí passa fácil fácil de 150 quando acabar a emissão, também não duvido de subir um pouco esse rendimento melhorando ainda mais a situação do fii.

        Curtido por 1 pessoa

      • Eduardo

        Quem comprou agora no final do mês de Outubro, pagou em 6 de Novembro, vai ter o valor divulgado em 30/11 proporcional e pago em Dezembro

        A anterior, recebe agora proporcional, já divulgado o valor de R$ 1/cota

        Demais entram no mês cheio e recebem igual a 11 R$ 1,17

        Basta conferir o código em custódia com esse resumão aqui:

        FII MERITO I (MFII) Aviso aos Cotistas

        BRMFIIR15M17 | MFII15
        BRMFIIR14M18 | MFII14
        BRMFIIR12M10 | MFII13
        BRMFIIR13M19 | MFII12
        BRMFIICTF008 | MFII11

        Data-base (último dia de negociação “com” direito ao provento)
        31/10/2017
        Data do pagamento
        16/11/2017

        Valor do provento por cota (R$)
        1,17

        Período de referência
        Outubro

        E da 16 a 18 ainda vieram GORDAS!! 😀
        BRMFIIR16M16 | MFII16, BRMFIIR17M15 | MFII17, BRMFIIR18M14 | MFII18
        por cota (R$) 1,00 -> Liquidou no começo do mês, Proporcional o pagamento

        Curtido por 1 pessoa

  1. Informe Trimestral de FII

    Distribuição do resultado acumulado no trimestre/semestre* Valor(R$)
    F = ∑E Resultado financeiro líquido acumulado no trimestre/semestre corrente: R$ 2.931.103,43
    G = 0,95 x F 95% do resultado financeiro líquido acumulado (art. 10, p.u., da Lei 8.668/93): R$2.784.548,2585
    H Não possui informação apresentada.
    I (+) Lucro contábil passível de distribuição que excede ao total do resultado financeiroâ µ / resultado financeiro que excede o mínimo de 95%â ·. 0

    J = G – ∑H + I Rendimentos declarados: R$2.784.548,2585

    K (-) Rendimentos pagos antecipadamente durante o trimestre/semestre: R$-2.367.274,23
    L = J – K Rendimento líquido a pagar remanescente no encerramento do trimestre/semestre: R$ 417.274,0285
    M = J/F % do resultado financeiro líquido declarado no trimestre/semestre 95,0000%

    Curtido por 8 pessoas

  2. Boa noite!

    Não sei se isso já foi comentado, mas eu preciso ter cotas de MFII11 (no esquema de 1,53 por cota) para fazer reserva na subscrição de novembro? Ou é aberto ao mercado mesmo para quem não possui cota alguma de MFII?

    Obrigado.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Confiança no Brasil

    A decisão da WestRock de construir no Brasil a sua maior fábrica de papelão ondulado no mundo é sinal claro de que a economia está saindo da crise. "Esse movimento adere ao momento econômico e de reforço do nosso posicionamento comercial", diz Jairo Lorenzatto, CEO da empresa no Brasil. Com investimento superior a US$ 125 milhões, unidade industrial começa a ser erquida em Porto Feliz (SP) no próximo mês.

    continua: https://tetzner.wordpress.com/forum-vip/comment-page-44/#comment-272652

    Curtido por 1 pessoa

    • Ministério habilita mais de 54 mil projetos para contratação no MCMV

      O Ministério das Cidades divulgou nesta segunda-feira, 6, no Diário Oficial da União (DOU) portaria com uma lista de 54.089 propostas habilitadas para aquisição de imóvel com recursos do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR) no âmbito do Programa Minha Casa, Minha Vida (PMCMV).

      leia mais:
      https://tetzner.wordpress.com/comment-page-47/#comment-272721

      Curtido por 1 pessoa

    • Caracas… o povo não dorme em serviço hein? A captação deve estar muito forte, os projetos estão fervilhando!!

      FATO RELEVANTE

      A PLANNER CORRETORA DE VALORES S.A., instituição financeira com sede na Avenida Brigadeiro Faria Lima, nº 3.900, 10º andar, Itaim Bibi, na cidade e estado de São Paulo, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 00.806.535/0001-54, na qualidade de instituição administradora do MÉRITO DESENVOLVIMENTO IMOBILIÁRIO I FII – FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO, fundo de investimento inscrito no CNPJ/MF sob o nº 16.915.968/0001-88 (“Administradora” e “Fundo”, respectivamente),

      vem, por meio deste, em cumprimento ao disposto no artigo 41 da Instrução CVM nº 472 de 31 de outubro de
      2008, conforme alterada, divulgar aos cotistas e ao mercado que o Fundo adquiriu uma gleba de 45.632 m², localizada em perímetro urbano da cidade de Campinas-SP, com aprovação prévia de loteamento concedida pelos órgãos municipais, com objetivo de promover a implantação de loteamento e desenvolvimento de empreendimento imobiliário residencial voltado para o público de baixa renda, que contará com cerca de 400 apartamentos.

      Curtido por 4 pessoas

      • A gleba foi adquirida através de permuta por um percentual do Valor Geral de Vendas (VGV) do empreendimento imobiliário residencial que será desenvolvido no local. O investimento é condizente com o estudo de viabilidade apresentado no anexo VI, do Prospecto Definitivo da 4ª Emissão de Cotas do Fundo. Dessa forma não são esperados impactos relevantes que alterem a futura receita/distribuição de rendimentos do fundo aos cotistas apresentados no referido estudo de viabilidade.

        São Paulo, 06 de novembro de 2017.

        Campinas de novo! Novo centro das atenções do FII 😀

        Curtido por 4 pessoas

      • Troglio

        o primeiro motivo é que fazendo assim, reduz bem o desembolso inicial: você pode participar de mais projetos com o mesmo capital, aumentando a segurança do fundo e de todos nós cotistas

        o segundo e a meu ver o mais importante: colocamos o dono do terreno no mesmo barco que o nosso, ele vai ganhar mais se tudo der certo e o projeto fluir

        aqui fica implícita a confiança do dono do terreno no sucesso do negócio, ele só aceitou porque acredita na proposta e em sua realização, de outra forma faria como você disse: esperaria alguém que viesse e pagasse à vista

        acho que para comprar a vista só valeria se pegasse algum proprietário muito apertado, numa propriedade com potencial e que aceitassem vender com um tremendo desconto

        Curtido por 1 pessoa

    • Carlos

      Normalmente essa “garantia” lhe é enviada por email no ato da reservada, pela própria corretora.

      Depois desse dia, somente após a liquidação financeira (o dinheiro saindo da sua conta) e o ajuste de custódia (em até d+3) com a entrada dos recibos MFII15,16,17,18,…

      Curtido por 2 pessoas

  4. Aí pessoal, quanto vai arrecadar essa etapa da subscrição q encerrou dia 29, alguém arrisca um palpite, eu acho q vai arrecadar bem ainda, muita gente está se esforçando para abrir conta onde dá p subscrever, então por isso acho q pode ficar até perto dos 8 novamente, também tem muita gente se animando com os preços em 130; aí tão vendendo alto e comprando a 110, não dá mesmo p perder uma dessas né..???

    Curtido por 3 pessoas

  5. Contextualizando… Informe de Setembro/17: “Em setembro de 2017, ocorreram novos aportes no empreendimento Way Parque das Nações e no Terras da Estância conforme cronograma de obras. Foi adquirida uma área em Boituva-SP para o desenvolvimento de um empreendimento residencial com cerca de 640 casas. A 4ª emissão de cotas do Fundo continua em andamento.”

    WestRock vai investir US$ 125 mi no Brasil: Companhia americana terá nova fábrica de produção de embalagens de papelão ondulado em Porto Feliz (SP). (distância de Boituva até a cidade de Porto Feliz é de 24 km/~22 min.

    Laudo de Avaliação: Colliers International do Brasil

    Projeto Residencial Estrada Municipal BTV-250, s/n°
    Pau D’alho – Boituva – SP Mérito Investimentos
    Outubro de 2017 Laudo: 6.295/17

    De acordo com a proposta nº 5.348/2017, a Colliers visitou o imóvel mencionado acima, na data de 26 de setembro de 2017, e realizou uma análise do imóvel a fim de estimar o valor de mercado do projeto considerando o desenvolvimento de um condomínio residencial horizontal.

    Com base nas análises realizadas, o valor de mercado para aquisição do projeto em outubro de 2017 foi estimado em:

    Valor de mercado do projeto: R$ 8.400.000,00 (Oito milhões e quatrocentos mil reais)

    Curtido por 3 pessoas

    • DIAGNÓSTICO DE MERCADO

      Boituva situa-se a, aproximadamente, 120 km da Capital e a cerca de 40 km de Sorocaba, que é responsável pelo 24° maior PIB do Brasil, tendo a terceira maior concentração de indústrias do estado de São Paulo.

      A posição estratégica de Sorocaba, aliada à diversidade encontrada na indústria e no comércio, além da qualidade e desenvolvimento no setor de serviços e completa infraestrutura de transporte e telecomunicações, lhe conferem uma posição de destaque no cenário estadual que, como consequência, ocasiona uma forte influência sobre seu entorno. Sorocaba também oferece uma excelente oferta de profissionais qualificados.

      A cidade de Boituva é conhecida por concentrar grande parte do turismo de aventura do interior do estado de São Paulo. A economia baseada no setor de turismo é potencializada pelas riquezas naturais da cidade, além de atrair habitantes que migraram de Sorocaba, com intuito de morar em uma cidade mais tranquila, porém muito próxima e com facilidade de acesso tanto à Capital quanto a Sorocaba.

      Em relação ao terreno onde será desenvolvido o projeto avaliado, sua localização favorece à incorporação residencial, a exemplo do que já ocorre na região. O projeto avaliado está próximo às principais rodovias de ligação a Sorocaba e se encontra próximo ao centro da cidade, tendo acesso fácil por transporte público.

      O projeto em análise é para a implantação de um condomínio residencial de padrão médio com 644 residências de
      aproximadamente 60,16 m² de área útil.

      A região onde se situa o imóvel é ocupada principalmente por residências de padrão médio. O fácil acesso à região central torna o bairro atrativo para este uso.

      Curtido por 3 pessoas

      • Bom dia. Moro na cidade então gostaria de dar alguns dados. Boituva é considerada uma das 10 melhores cidades para se morar. Existe sim o turismo de aventura com paraquedismo, balonismo, parapente e paint-ball. A economia da cidade, hoje depende muito mais da cervejaria Petrópolis e empresas de bom porte como ACE Schmersal e demais indústrias dos 3 parques industriais do município. A rodovia Presidente Castello Branco atravessa seu município, praticamente dividindo-o em dois. Fica próxima também da rodovia Marechal Rondon, que a liga a Porto Feliz (há um pedágio na divisa de Porto com Boituva, do lado de Porto Feliz). É uma cidade que mesmo na crise imobiliária sempre vendeu muitos lotes, mas está com muita concorrência na região do empreendimento. Há também um outro loteamento enorme da Guerini Empreendimentos que está em obras que será muito mais viável de vender pela localização mais próxima do Parque Ecológico da cidade.
        Pode ser um empreendimento que decole, mas a concorrência é grande e forte.
        Espero ter ajudado.

        Curtido por 5 pessoas

      • É uma excelente notícia Porto Feliz ser escolhida para sediar o empreendimento. Boituva apostou muito que a proximidade com a fábrica de carros da Toyota ia alavancar o parque industrial pois esta está a menos de 20 km dela, assim como a fábrica de motores da mesma marca que foi instalada em Porto Feliz, mas a crise não ajudou muito. Mesmo assim a situação imobiliária é aquecida. Há casa a menos de 1 km dali que valem mais de 1 ou 2 milhoes, em condomínio fechado. É uma zona requisitada.

        Curtido por 1 pessoa

    • DATAS

      As tabelas abaixo mostram as datas consideradas para execução da obra, bem como a data estimada para o lançamento de cada fase do projeto:

      Residencial

      Etapa Início Prazo (meses) Término
      Lançamento __ jan-18 __ 6 __ jun-18
      Construção __ jul-18 __ 36 __ jun-21
      Habite-se __ jul-21 __ 1 __ jul-21
      Repasse __ ago-21 __ 1 __ ago-21

      ESTIMATIVA DO CUSTO

      Índice Utilizado:
      Residencial térrea padrão popular R$ 1.305,31 /m²
      Data do Índice: set-17
      Data Base: out-17
      Ajuste de Localização: -5,00%
      Índice Atualizado: R$ 1.240,04 /m²
      Projeto R$ 24,80/m²
      BDI – 20,00% R$ 316,21/m²
      Custo Unitário de Construção R$ 1.581,05/m²

      Custo total de construção = Custo unitário de construção X Área Construída
      Custo total de construção = R$ 1.581,05/m² X 38.743,04m²
      Custo total de construção = R$ 61.254.683,39
      Projetou-se que o desembolso de caixa referente ao custo total de construção ocorrerá em 36 parcelas iguais, com seu início no mês de julho de 2018.

      Curtido por 2 pessoas

    • CUSTO UNITÁRIO DE URBANIZAÇÃO

      O custo de implantação do condomínio advém das despesas necessárias para urbanização da gleba. Estimou-se que o custo total de urbanização será R$ 6.835.145,87 ou R$ 69,96/m² de área de lotes.

      O custo unitário de urbanização foi obtido a partir do levantamento de mercado efetuado pela Editora PINI e publicado pela Construção Mercado, que fornece o custo de urbanização para cada etapa.

      Custo de urbanização por 1.000m² de área útil (lotes)
      Etapa __ Custo
      Serviços de topografia __ R$ 1.757,84
      Terraplanagem – Média __ R$ 3.177,63
      Rede de água potável __ R$ 7.392,06
      Rede de esgoto __ R$ 15.752,63
      Drenagem __ R$ 11.530,72
      Pavimentação __ R$ 13.918,91
      Rede de iluminação pública __ R$ 2.441,22
      Total __ R$ 55.971,01

      ESTIMATIVA DO CUSTO
      Índice Utilizado:
      Urbanização de Glebas R$ 55,97 /m²
      Data do Índice: ago-17
      Data Base: out-17
      Índice Atualizado: R$ 55,97 /m²
      BDI – 20,00% R$ 13,99/m²
      Custo Unitário de Construção R$ 69,96/m²

      O valor total para urbanização da gleba é dado pelo produto entre o custo unitário e a área total dos lotes, ou seja:

      Custo total de urbanização = Custo unitário X Área total dos lotes
      Custo total de urbanização = R$ 69,96/m² X 97.700,77 m²
      Custo total de urbanização = R$ 6.835.145,86

      Curtido por 2 pessoas

    • VALOR DE VENDA DAS UNIDADES

      Para as características dos empreendimentos projetados, considerou-se o valor unitário de venda de R$ 3.312,08/m² ou R$ 200.000,00 por residência, considerando a média de 60,39m² de área privativa por casa, conforme item 6.3 VALOR DE VENDA DAS RESIDÊNCIAS verificado adiante.

      Considerando-se a existência de 644 residências, estima-se o VGV – Valor Geral de Vendas do empreendimento em R$ 128.821.018,35.

      Considerou-se a venda das unidades conforme tabela abaixo:
      • Entrada:
      o 5% do valor da unidade
      o 1 parcela
      • Mensais:
      o 30% do valor da unidade
      o 38 parcelas
      • Chaves:
      o 65% do valor da unidade
      o 1 parcela

      VELOCIDADE DE VENDA DAS RESIDÊNCIAS

      Com base no que foi apurado na pesquisa de mercado estimou-se que 193 unidades serão vendidas na etapa de lançamento, que ocorrerá em 6 meses. Estimou-se ainda a venda de mais 451 unidades durante os 36 meses de construção.

      COMISSÃO DE VENDA

      Considerou-se o pagamento de comissão ao agente imobiliário responsável pela comercialização das unidades à razão de 4,00% do valor de venda da unidade.

      INADIMPLÊNCIA

      Considerou-se a existência de inadimplência à razão de 5,00% da receita líquida de comissão. Estimou-se que a recuperação desta inadimplência se dará ao final do fluxo de recebimento das unidades.

      IMPOSTOS

      Considerou-se também pagamento de impostos à razão de 6,73% do valor de venda dos lotes, conforme informado pela Cliente.

      TAXA DE DESCONTO

      Para a determinação do valor do projeto, o fluxo de caixa foi descontado a uma taxa de 20% a.a. que hipoteticamente se igualará à TIR (taxa interna de retorno) do investimento, o custo de oportunidade e os riscos envolvidos.

      VALOR DO PROJETO

      O valor do projeto corresponde ao Valor Presente Líquido – VPL do fluxo de caixa apresentado no anexo V a este relatório e foi estimado em:

      Valor de mercado do projeto:
      R$ 8.400.000,00
      (Oito milhões e quatrocentos mil reais)

      Curtido por 1 pessoa

    • VALOR UNITÁRIO

      Homogeneizados os elementos que compõem o campo amostral através de fatores de fonte, localização e área, padrão construtivo e depreciação, conforme Anexo 2 – Tratamento por

      Fatores obteve-se o seguinte valor unitário básico:
      . Valor Unitário de Venda: R$ 3.358,58/m²

      VALOR DE VENDA DE CADA RESIDÊNCIA

      Multiplicando o valor unitário adotado pela área útil das casas, obtém-se em números redondos o seguinte resultado:

      Valor de Venda: R$ Valor Unitário de Venda x Área privativa da residência
      Valor de Venda: R$ 3.358,58 /m² x 60,39 m²
      Valor de Venda: R$ 202.807,98

      Em números redondos:
      Valor de Venda: R$ 200.000,00

      Curtido por 1 pessoa

  6. Pessoal,
    há quantos anos a Mérito está atuando com FII ?
    Estou perguntando isso para comparar com outra empresa que foi criada para comercializar um loteamento na minha cidade. Essa nova empresa tem menos de um ano e portanto não podemos dizer que tem tradição no mercado. Contudo, ela é uma parceria de outras empresas com tradição. O que eu estou fazendo hoje é verificar qual é o melhor negócio a ser feito: comprar mais cotas MFII ou comprar um lote na minha cidade. Se for comprar o lote, ainda será apenas para investimento. Já tenho casa própria. A minha preocupação é que essa empresa nova assinará os compromissos de compra e venda dos lotes e portanto eu terei um compromisso com um CNPJ muito novo no carcado e se tal CNPJ ‘desaparecer’, como eu fico? Ou seja, talvez seja mais seguro investir em MFII. É justamente por isso que estou perguntando sobre o tempo de atuação da Mérito em FII. Alguém sabe dizer, por favor? E essa boa notícia aí recente ainda dá mais peso para eu tender à MFII. Aceito palpite também!! Abraços.

    Curtido por 4 pessoas

    • Amigo, já que aceita palpite, inclusive de leigo/curioso como eu, aí vai…

      Fiquei pensando… Curioso pensar que se você optar por comprar o terreno, estaria sendo o consumidor final de um dos produtos que o fundo produz, loteamentos. Em Iracemápolis e Paulínia foi assim, e -esperamos- que seja assim em Campinas, Uberaba e Boituva.

      O fundo, junto com loteadoras (sócias nas SPE): compra o terreno, aprova o projeto junto ao poder público, fraciona, urbaniza o terreno (infraestruturas como esgoto e asfalto são por conta do empreendedor), e vende.

      Partindo do pressuposto que você confia na gestão do fundo (caso contrário não estaria aqui), só consigo ver de vantagem em adquirir o terreno não ter taxas de administração e performance. No resto, adquirir um FII leva a melhor. O quesito liquidez me vem a mente. Liquidez não só no sentido de poder vender rapidamente em qualquer dia útil, mas também no sentido do FII pode ser do interesse de qualquer brasileiro, PF ou PJ, ao contrário do terreno em um lugar específico. Quem mora em Santos -geralmente- não quer comprar um terreno em Uberaba, por exemplo. Existe mais demanda pelo ativo imobiliário do que por um imóvel propriamente dito.

      Voltando a questão de ser o consumidor final. Vejo, num exemplo grosseiro, como se fossem duas situações:

      a) Você pode pagar para que um produtor de cachaça experiente produza para você (taxa de administração). Ele irá plantar a cana, destilar e vender o produto final num supermercado, a preço de mercado. O lucro é seu, e está isento de impostos. (não consegui encaixar a taxa de performance no exemplo).

      b) Comprar a cachaça no supermercado e tentar vender mais caro, futuramente.

      Curtido por 4 pessoas

  7. Embalagens: WestRock vai investir US$ 125 mi no Brasil

    Companhia americana terá nova fábrica de produção de embalagens de papelão ondulado em Porto Feliz (SP). Uma das maiores fabricantes de embalagens de papelão ondulado e de consumo do mundo, confirmou ontem que vai investir pelo menos US$ 125 milhões para construir uma nova fábrica no Brasil. O valor, apresentado como “custo mínimo do projeto”, foi revelado pelo principal executivo da companhia, Steven Voorhees, em teleconferência de resultados do ano fiscal de 2017, encerrado em setembro.

    A distância entre a cidade de Boituva São Paulo e a cidade de Porto Feliz São Paulo é de 24 km. O tempo estimado do percurso da viagem entre as duas cidades é de aproximadamente 22 min.

    Curtido por 6 pessoas

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s