PQDP11 – Parque Dom Pedro Shopping Center

O Fundo é administrado pelo BTG Pactual, em regime de condomínio fechado, com prazo indeterminado de duração.

Seu objetivo foi a aquisição participação no Shopping Parque Dom Pedro em Campinas –  SP, visando a exploração comercial do empreendimento com locação.

O Fundo possui 288.672 cotas, que correspondem à 18%, do FII Shopping Parque D. Pedro(SHDP11) que, por sua vez, detém 85% do imóvel Shopping Parque Dom Pedro.

O Fundo também é proprietário de 15% do empreendimento denominado “Shopping Parque Dom Pedro”, integralmente finalizado e destinado à exploração comercial por meio da locação de suas atuais lojas.

PQDP11

Trata-se portanto de um FII de Tijolo – Shoppings Centers.

O Shopping tem 185 mil m² de área construída, pertence ao grupo português Sonae e seu projeto foi inspirado em parques temáticos.

Conta com 404 lojas sendo: 31 âncoras, 314 satélites, 59 de alimentação, 15 de cinemas, teatro, área de serviço e lazer; além de 8.000 vagas de garagem.

Taxas:
Administração: 0,23%a.a. sobre patrimônio liquido (mínimo R$ 20.000,00 mensais corrido pelo IGPM).

Gerenciadora: Unishopping Consultoria
Taxa de Gerenciamento: 4,00% ao mês sobre a receita de aluguel

RI: sh-contato-fundoimobiliario@btgpactual.com

Tutor do FII: Mbp77

Autor: Tetzner

Engenheiro, Investidor há mais de20 anos, autor de 2 livros e pioneiro em Fundos Imobiliários :)

1.885 comentários em “PQDP11 – Parque Dom Pedro Shopping Center”

  1. PQDP11

    Rendimento Amortização
    Ato societário de aprovação (se houver)
    Data da informação
    31/08/2021
    Data-base (último dia de negociação “com” direito ao provento)
    31/08/2021

    Data do pagamento
    20/09/2021

    Valor do provento por cota (R$)
    11,689864641

    Período de referência
    Julho

    Curtido por 1 pessoa

    1. PQDP,

      Vamos ver se este mês, na próxima 6a. feira, a Adm. anuncia a distribuição da grana ref. ao lucro mostrado no último RF ($ 13,7293/cota)…
      Shopping tem ficado aberto e tem “café no bule”
      Vamos aguardar…

      Curtido por 3 pessoas

      1. Alguma coisa tem, pois o maior vendedor foi a Guide, corretora normalmente utilizada pela Hedge. E hoje era o último dia para apresentação de resposta pela BTG no processo aberto pela CVM.

        Curtido por 4 pessoas

      1. Só tem um detalhe, se der algo favorável, escapar de multa e se enquadrar na legislação dos fiis, ou já q todos os fiis podem vir a ser tributados igualmente, vacinação e vida mais próximo do normal, isso já é verídico em muitos lugares no exterior, ou seja, ela pode ajustar de uma semana p outra em Milão por cota, 50 continha=igual a cinquenta conto no bolso, caso trade de errado terás um gigante na carteira como ótimo investimento a médio longo prazo. Sigo catando faca caindo aqui. Eu diria um facão caindo kkk

        Curtido por 1 pessoa

  2. Não consegui abrir o anexo

    COMUNICADO AO MERCADO
    A BTG Pactual Serviços Financeiros S.A. DTVM, com sede na Praia de Botafogo, nº 501 – 5º
    andar, parte, na Cidade e Estado do Rio de Janeiro, e inscrita no CNPJ sob o nº 59.281.253/0001-
    23, devidamente credenciada junto à Comissão de Valores Mobiliário (“CVM”) como Administradora
    de carteira, de acordo com o Ato Declaratório CVM nº 8695 de 20 de março de 2006, na qualidade
    de administradora do Fundo de Investimento Imobiliário Parque Dom Pedro Shopping Center,
    inscrito no CNPJ sob o nº 10.869.155/0001-12 (“Fundo”), em complemento ao Fato Relevante do dia
    22/06/2021, serve-se do presente para dar ampla divulgação, aos cotistas do Fundo e ao mercado
    em geral, do inteiro teor do Comunicado ao Mercado divulgado pela Aliansce Sonae Shopping
    Centers S.A. em 24/06/2021, também relativo ao Ofício nº 16/2021/CVM/SSE, o qual se encontra
    anexo a este Comunicado ao Mercado.
    Permanecemos à disposição para quaisquer esclarecimentos adicionais que se façam necessários.
    São Paulo, 25 de junho de 2021.
    BTG PACTUAL SERVIÇOS FINANCEIROS S.A. DTVM
    Administradora

    Curtido por 1 pessoa

  3. FII D PEDRO (PQDP) Fato Relevante

    FATO RELEVANTE
    A BTG Pactual Serviços Financeiros S.A. DTVM, com sede na Praia de Botafogo, nº 501 – 5º
    andar, parte, na Cidade e Estado do Rio de Janeiro, e inscrita no CNPJ sob o nº 59.281.253/0001-
    23, devidamente credenciada junto à Comissão de Valores Mobiliário (“CVM”) como Administradora
    de carteira, de acordo com o Ato Declaratório CVM nº 8695 de 20 de março de 2006
    (“Administradora”), na qualidade de administradora do Fundo de Investimento Imobiliário Parque
    Dom Pedro Shopping Center, inscrito no CNPJ sob o nº 10.869.155/0001-12 (“Fundo”), serve-se
    da presente para divulgar aos cotistas do Fundo e ao mercado em geral que

    (i) Recebeu da CVM, nesta data, Ofício nº 16/2021/CVM/SSE, cujo inteiro teor encontra-se
    anexo a este Fato Relevante (“Ofício”), no qual a Superintendência de Supervisão de
    Securitização – SSE (“SSE”) manifesta-se sobre seu entendimento a respeito do
    enquadramento tributário do Fundo. No entendimento da SSE, o Fundo estaria enquadrado
    no artigo 2º da Lei nº 9.779, de 19 de janeiro de 1999, conforme alterada (“Lei 9.779”), um
    vez que cotistas titulares de vinte e cinco por cento do Fundo teriam atuado como
    incorporadores do a Shopping Parque Dom Pedro (“Shopping”), empreendimento
    imobiliário que compõe a carteira do Fundo;

    (ii) Independentemente do entendimento da SSE, a Administradora reafirma aos cotistas do
    Fundo e ao mercado em geral que entende que (a) o Fundo não se enquadra no Art. 2º da
    Lei 9.779, tendo em vista que não tem conhecimento de que a acionista indireta do Fundo
    referida pela SSE, a Aliansce Sonae Shopping Centers S.A. (“Aliansce Sonae”), tenha atuado
    como incorporadora do Shopping, tampouco de que se enquadre nas demais hipóteses que
    levariam à alteração do enquadramento tributário do Fundo; e (b) que adota elevados padrões
    de diligência para atender às normas regulatórias e tributárias aplicáveis ao Fundo e monitor
    os riscos regulatórios e tributários a que o Fundo possa estar exposto. Não obstante, a
    Administradora está tomando as providências necessárias para enviar esclarecimentos
    adicionais à SSE sobre seu entendimento, na forma solicitada no Ofício;

    (iii) Por fim, esclarecemos que até a presente data a Administradora não recebeu qualquer
    comunicação da Receita Federal do Brasil a respeito de seu entendimento sobre a situação
    tributário do Fundo.

    Curtir

    1. Levantamos a lebre aqui na época do abcp11. Que teriam mais fundos que se enquadrariam neste critério.
      Tudo se resume concentração de cotas por parte do incorporador.

      Fique de encontrar SHPH , mas não achei incorporador com grande % .

      Mas fique de olho! Este é o critério.
      Que as tranqueiras de casa de auditoria e CVM demoram década para ver.

      olha inutilidade deste orgão CVM : deveria enquadrar o fundo na mesma época do aBCP.
      Ridículo!!!!!! CVM é uma porcaria.

      Curtido por 4 pessoas

      1. Mais uma vez me sinto um otário, massa de manobra de gente mal intencionada, que leva nossas suadas economias, sem que nada possamos fazer …

        Dá vontade de vender até o último FII e comprar tudo em debenture incentivada AAA, onde até o momento nunca tive surpresa desse tipo.

        Curtido por 2 pessoas

      2. Não sou cotista , nem do abcp . Mas, na época do rolo com o abcp, mandei e-mails pra cvm e receita federal, perguntando se haveria meios legais disponíveis para os cotistas saberem o nome ou a condição dos cotistas maiores de qq fii. Resposta : NÃO!!!! Então, só 4 entidades são responsáveis , porque sabiam , pela situação : a receita, a cvm, o cotista detentor dos mais de 25% e a ADMINISTRADORA que não impediram a situação, SABENDO DA ILEGALIDADe. A administradora é juridicamente responsável por prejuízos desse tipo, mas os cotistas tem que processa-la e até agora não vi nem um movimento nesse sentido. Os prejuízos não se limitam aos rendimentos que seriam subtraídos, mas também a queda na cotação, danos morais, etc. ACORDEM!!!! Não adianta só reclamar e achar que não pode fazer nada…

        Curtido por 6 pessoas

      3. @senhor dos FII, o relatório que você menciona , não informa o NOME do cotista, muito menos sua participação na constituição do fundo. E, segundo a CVM e a Receita, não há como saber. Inclusive , hoje , se num fundo sem problemas, uma empresa que , de alguma forma, se enquadre nessas proibições, adquirir mais de 25% das cotas, os outros cotistas não tem meios de saber o NOME E CONDIÇÕES desse cotista.

        Curtido por 1 pessoa

      4. o informe acusa cPNJ com mais de 25%
        Não diz quem , mas informa sim que tem cotista com alta concentração de cotas.
        Neste quesito tu pode fazer um exercício de cruzar dados, foi o que fizemos aqui na época.
        Volta lá atrás que a gente falou que PQDP poderia se enquadrar no mesmo operacional.

        no aBC pegamos relatório da cyrela properties tinha participação de 60%.

        o mesmo vale para sierra que também já é sabido grande participação tendo quase toda totalidade.

        o relatório acusa que tem 25% .
        basta tu ir numa assembleia de cotista que tu consegue saber que é majoritário.

        Este rolo seria de fácil resolução caso tivesse uma aba tipo ação com CNPJ dos maiores detentores.

        – Vá no informe e veja se tem + 25%
        na assombreia sempre tem representantes majoritários .

        Curtir

      5. Na minha opinião cabe a gestora do fundo emitir nos relatórios mensais um alerta sobre a alta concentração do fundo em um único CNPJ ou CPF.
        A pandemia e o processo de aceleração de compras virtuais tiraram o sossego de muitos investidores que estavam investindo em FII de shoppings. Algumas pessoas perderam o emprego na pandemia e não contavam com as perdas de yields mensais dessa categoria de ativos. Para fechar com chave de ouro mais esse problema.
        Investidor precisa de previsibilidade e confiança na gestão. Posso contar nos dedos as gestoras que confio na área de FIIs.

        Curtido por 2 pessoas

      6. Estou zerado em FII de SHoppings … desde que me entendo como investidor de FII … mas, enfim: Se fosse nos EUA, os investidores lá já estariam se movimentando; contra a PETR (NYSE: PBR) … já ganharam INÚMERAS ações na justiça, por exmeplo. Enquanto isso, os acionistas minoritários brasileiros … 🤡🤡🤡

        Curtido por 1 pessoa

    2. Pessoal. Bom dia. Dúvida simples de beginner:
      Se os fatos acima forem comprovados, o fundo passa a ser empresa, certo?
      Nesse caso, as cotas passam a ser ações? É isso?
      Então, se eu passar a ser investidor de ação automaticamente nesse caso, terei isenção de imposto nos meus rendimentos, já que eles são sempre menores que R$ 20.000 ao mês?

      Como esse caso todo poderá me impactar negativamente, além da desvalorização atual da cota?

      Obrigado.
      Abraços.

      Curtir

    3. O que a gente percebe de tudo isso, no meu ponto de vista, é que todos esses rolos não passam de maneiras “xxxperrrtas” de burlar as regras! Os “xxxperrrtos” contam com a conivência de administradores e outros que “xxxxperrrrtamente” olham para o outro lado! Até que a casa cai e quem fica no prejú é o de sempre! Isso só desmoraliza e desacredita tudo e todos em FIIs, afinal o que mais se esconde por traz das regras e da burocracia senão a certeza do lucro fácil e da impunidade do “xxxxpeeerrrrrto”?

      Curtido por 2 pessoas

    1. Tive o entendimento que a aquisição posta em deliberação tem como um dos objetivos a aquisição de cotas do FII SHOPPING PARQUE DOM PEDRO, que fará uma emissão para fazer frente ao Capex do Shopping.

      Atualmente, o FII Parque Dom Pedro detém 20,02% de participação no FII SHOPPING PARQUE DOM PEDRO.

      Curtido por 2 pessoas

      1. Karioca,

        Tem toda a razão. Também entendi, que o SHDP vai fazer uma emissão e o PQDP quer aumentar a sua participação comprando as cotas que lhe cabem. Submeteu a votação em razão de um possível conflito de interesses. Votei SIM!!

        Curtir

    2. Pois é, o estagiário deveria ter escrito isso no corpo do email, pois se tratando de BTG tenho 2 pés atrás. Dizia claramente “autorização para comprar FUNDOS do BTG” e não SHPH11B; Já votei contra e não dá pra voltar atrás …

      Curtido por 1 pessoa

      1. Ó a pegadinha:

        “Nesse caso, a aquisição posta em deliberação, tem como UM DOS OBJETIVOS a aquisição de cotas do FII
        SHOPPING PARQUE DOM PEDRO que fará uma emissão para fazer frente ao Capex do Shopping. Desta
        forma, permitindo que a Administradora execute a política de aquisição do Fundo no melhor interesse
        dos cotistas.”

        Ou seja, o pedido também tem OUTROS objetivos não informados…

        Curtido por 2 pessoas

      1. Este rendimento é referente ao mês de Abril, que em Campinas os Shoppings ficaram fechados até o dia 18.04.21.
        Do dia 19 até 24, abriu das 11:00 as 19:00 hrs, mas restaurantes e alimentação continuaram fechados…
        Abril foi muito complicado para o Comércio em Campinas..

        Espero que o proximo resultado seja normal, pois em Maio o Shopping ficou aberto…
        Mas agora em Junho, o prefeito já está ameaçando novas restrições com o crescimento das internações nas UTI´s dos hospitais de Campinas.
        Complicado

        Curtido por 2 pessoas

NOVOS COMENTÁRIOS AQUI: (sem links, emails ou telefones)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s