RBRF11 – RBR Alpha

RBRF11

Objetivo: Auferir rendimentos e ganhos de capital na aquisição de Fundos Imobiliários (“FII”), Certificados de Recebíveis Imobiliários (“CRI”), e outros ativos líquidos ligados ao mercado imobiliário.

Taxa de Gestão:
0,8% a.a. sobre o patrimônio líquido (PL) do Fundo

Taxa de Administração:
0,2% a.a. sobre o patrimônio líquido (PL) do Fundo

Taxa de Performance:
20% sobre o que exceder o Benchmark

Benchmark:
Maior entre: i) IGP-M + 3% a.s.; ou ii) 4.5% a.s.

Ativos

“Alpha”
Principal estratégia do Fundo, com foco em fundos imobiliários que investem diretamente em imóveis prontos, majoritariamente abaixo do custo de reposição, com objetivo de capturar a valorização dos ativos independentemente do nível de dividendos pagos;

“Beta”
Posições táticas, focando em fundos imobiliários com ativos estabilizados e que pagam dividendos constantes. Estes
fundos são mais sensíveis às oscilações de curto prazo do quadro macroeconômico como redução ou aumento da taxa de juros. Em um momento mais otimista do mercado, alocaremos um percentual maior nesta estratégia

CRI High Yield
Geração de retornos acima do benchmark através de investimentos em dívida imobiliária, com garantias e recebíveis
imobiliários. Miramos um retorno esperado maior do que NTNB + 2% com foco na qualidade das garantias imobiliárias. Nesta estratégia entendemos que a diversificação é fundamental para mitigar riscos

Liquidez

Recursos aguardando alocação futura. São momentaneamente investidos em ativos de alta liquidez (Tesouro, Fundos de Renda Fixa, FIIs e/ou CRIs High Grade (Retorno esperado menor do que NTNB + 2% com foco no crédito corporativo)

RI: sh-contato-fundoimobiliario@btgpactual.com

Autor: Tetzner

Engenheiro, Investidor há mais de20 anos, autor de 2 livros e pioneiro em Fundos Imobiliários :)

125 comentários em “RBRF11 – RBR Alpha”

  1. Pessoal,

    Uma carta consulta quase que uma bíblia. Não curto quando o gestor joga um monte de propostas de mudanças numa única carta. Fica gigante e confuso pra ler, entender e refletir.

    O que vcs acharam das propostas? Alguma com aquele ar de pegadinha?

    Gosto de FpF básico e simples. Comprar cotas de outros FII e ativos diretos relacionados a imóvel. Não gosto de deixar gestor livre pra decidir o melhor destino pra lucro livre e muito menos usar “derivativos” pra buscar maiores ganhos.

    Quando o FII nasce assim é uma coisa. Querer se transformar pede uma reflexão maior. Uma reflexão mais detalhada sobre cada item proposto. Poderiam ter enviado a base de cotista os detalhes (da ate pra solicitar isso via email). Não gosto quando fazem propostas e me obrigam a ir buscar os detalhes. Prefiro receber antes a visão da gestão, poder pensar com calma e só ai receber a consulta formal. Coisa minha.

    Enfim, esperar e ver no que vai dar.

    Valeu!!!

    Curtido por 2 pessoas

      1. Ja pensei nisso tb. Seria interessante. Ate mesmo FII temáticos e fora da caixinha. Nosso mercado ta crescendo. Mais alguns anos quem sabe não teremos FII de: Portos, aeroportos, torres, estacionamentos, os setoriais citado por vc e etc…

        Acho que com mais volume, maior liquidez e uma economia forte teremos condição real de ter tais produtos.

        Não custa nada pensar e ficar debatendo tais ideias. Vai que alguém se anima e vira pioneiro numa destas ideias?

        Valeu!!!

        Curtido por 3 pessoas

    1. O jeito é ir lá … e votar. Qdo começam a INVENTAR muito, é sinal de que estão DESESPERADOS para entregar RESULTADO CONDIZENTE sob a DESCULPA de agilidade; na minha opinião.

      O item 2. chega a ser uma AFRONTA: … a retenção pelo Fundo do Saldo Excedente Não Distribuído … além de quererem um CHEQUE em BRANCO de R$ 5 BB p/ futuras emissões; claro!! dinheiro NOVO entrando, LUBRIFICA a máquina PROVENTOS…

      Não obstante … a cotação deu uma RESPIRADA desde o fundo de uns R$ 90.
      Seriamente pensando em levar para a … GUILHOTINA.

      Curtido por 1 pessoa

      1. É claro … essas mudanças todas DEPOIS de terem soltado o RELT. GERENCIAL onde consta uma disponibilidade atual de reserva a distribuir de R$0,32/cota… Pq Não AUMENTAM os PROVENTOS d emodo a ficart com ZERO sobras, então ? 🤬🤬

        Curtido por 1 pessoa

      2. Mas não era EXATAMENTE “isso” que DETONARAM o MFII ????

        … Art. 14 – Não serão cobradas taxas de ingresso e saída dos subscritores das cotas; não obstante, a cada nova emissão de cotas, o FUNDO poderá cobrar taxa de distribuição no mercado primário para arcar com as despesas e custos da oferta pública da nova emissão de cotas, a ser paga pelos subscritores das novas cotas no ato de sua respectiva subscrição, exceto se de outra forma for deliberado em assembleia geral de cotistas ou ato da ADMINISTRADORA, conforme o caso.” …

        >>> mais uma TAXINHA para … TURBINAR o caixa ???
        🙄😏😣😒😟😩😬😠🥺

        Curtir

  2. 18/02/2021 – Ficam liberados os negocios com as cotas da 6a Emissao sob o codigo RBRF11.
    Todas as cotas devidamente emitidas, subscritas e integralizadas farao jus a
    futuras distribuicoes de rendimentos em igualdade de condicoes (inclusive as
    cotas da 6a Emissao).

    Curtir

  3. Ato societário de aprovação (se houver)
    Data da informação 09/02/2021
    Data-base (último dia de negociação “com” direito ao provento) 09/02/2021
    Data do pagamento 18/02/2021
    Valor do provento por cota (R$) 0,6
    Período de referência Janeiro
    Ano 2021
    Rendimento isento de IR* Sim

    😦

    Curtido por 1 pessoa

    1. ltamos aos início de 2020 … ñ conseguem nem manter o mesmo patamar do 2o. sem/20. FII de TIJOLOestá se tornando um veículo de investimentos com patamar DECRESCENTE de rendimentos … Em outras palavras: um poço sem fundo !

      Já a PAPELADA … crédito fácil … essa vai muito bem obrigado; é o verdadeiro país do faz-de-contas !!!

      Curtido por 1 pessoa

    2. Okay, há o COPO meio-CHEIO aqui: houve emissão… goles 12,13,14,… diluiu … há ainda uma reserva de lucros de R$ 0,22/Cota … distribuíram quase R$ 8/cota em 2020 [ano tido como … péssimo!] o que dá uns 8-9% a.a.

      Sigo comprado nesse e vários outros FdF como veículo de acesso a novos fiundos e fundos da própria casa. NÃo tenho mais duplicidade em carteira; por exemplo… ñ aloco em RBRL pois o RBRF já ppossui uns 10% nele, etc . [memso caso do VIFI…]

      Curtir

  4. Pessoal,

    Uma breve olhada no FII…e por que estou nele e gosto muito olhando pra 10 anos a frente:

    – A tese de ser um multiestratégia real estate completo me agrada demais. Poder estar em todos os ativos ligados ao setor imobiliário e conseguir surfar os variados ciclos é muito interessante. E esta muito bem planejada pela equipe de gestão;

    – A gestão faz um belo trabalho. Gosto muito de como pensam e agem no segmento de real estate. Seja aqui ou no exterior;

    – Entraram no setor de desenvolvimento imobiliário e irão com muita calma (querem chegar ate 10% do PL);

    – Vão entrar no setor de residência voltada pra geração de renda. Gosto muito. Acho que existe potencial pro Brasil de amanhã;

    – Mais de 56.000 cotistas acreditam no produto e na tese (gosto demais de uma base grande, diminui meu risco e me da certa tranquilidade)

    Um FII FoF bem completo. Nada de ficar só girando cotas de FII. Abraça o imobiliário como um todo. Ta crescendo devagar e ficando consistente para seguir na distribuição de renda seja com cenário positivo ou de crise. Isso é muito importante na minha visão de investidor de longo prazo. E a tese e a forma que esta pensando o Brasil de amanha, o deixam “blindado” para uma provável elevação dos Juros.

    São por estes fatores que o tenho. Um conjunto de coisas. Tento ter na minha carteira produtos assim. Um ou outro mais pimenta e com dose de aventura…mas a espinha dorsal são FII com gestão forte. Resultados consistentes e visão pra 5 ou mais anos a frente. Mas Gama, Brasil olhando tanto tempo assim? Sim. Ao investir em FII tenho que planejar la na frente. São ativos de maturação. Seguem ciclos. Não pode vir pra FII e pensar em 2 anos. Isso é o que eu acho e executo. Cada ativo suas características e objetivos na minha carteira. 🙂

    Não é recomendação de nada!!!

    Valeu!!!

    Curtir

    1. @Gama … para ficar atento, de acordo com as últimas contas que fiz: a relação despesa/receita desse fundo é altíssima!, na casa dos 30-40%!!!! enquanto que nos outros FdF, a média é nos 15-20% sendo que o HFOF e o BPFF estão em seus… 5% !!!

      Curtido por 1 pessoa

      1. Os custos precisam estar sempre sendo avaliados. Mas não é meu foco em FII. Nunca foram. Nem mesmos nos Fundos MM 😉

        Se tem custo elevado e ainda entrega o que desejo. To dentro.
        Se tem custo elevado e tem a tese e estratégia que desejo. To dentro.
        Se tem custo elevado e tem gestão que confio e gosto da conversa olho no olho. To dentro.
        Se tem os 3 juntos. TO MUITO DENTRO 🙂

        Agora, se tem custo elevado e esta aquem dos seus pares, tem gestão fraca, tem tese que não me agrada e ainda não retorno o que desejo. TO FORA! Na verdade sequer, entro (tento evitar ao máximo, mas tem momentos que parece algo e depois vira outro algo e me obriga a acertar o rumo. Faz parte do jogo. Só tento fazer o mínimo possível disso).

        Simples e funcional. Faço tudo pra ter simplicidade e obter o que desejo. Gosto assim. Tento seguir assim.

        Valeu!!!

        Curtido por 2 pessoas

  5. Data da informação
    10/09/2020
    Data-base (último dia de negociação “com” direito ao provento)
    10/09/2020
    Data do pagamento
    17/09/2020
    Valor do provento por cota (R$)
    0,6
    Período de referência
    Agosto
    Ano
    2020
    Rendimento isento de IR*
    Sim

    Curtir

  6. Pessoal,
    RBRF alocou 8,25% do patrimonio em TEPP11. Alguém tinha esse fundo no radar? Aquisição em 20% do VP e com DY de 7% a.a. 3 imóveis em SP: 2 na marginal pinheiros e 1 no Itaim. 7% de vacância.

    TEPP11 (Fundo de Tijolo) – Portfólio composto por 3 prédios comerciais localizados na cidade de São Paulo: Condomínio São
    Luiz, Ed.Torre Sul e Ed. Passarelli. Vemos atualmente os empreendimentos negociados cerca de 20% abaixo de seu custo de
    reposição (este é nosso olhar para investimento em real estate) e com recorrência de dividendos próxima de 7% a.a.
    Historicamente estas 2 variáveis não aparecem juntas em teses de investimento onde vemos valor: recorrência e ganho de
    capital esperado. Neste caso temos as 2 variáveis juntas o que nos dá muito conforto na alocação de recursos efetuada e
    também vemos na gestão Tellus capacidade para capturar o valor de longo prazo do portfólio

    Curtido por 1 pessoa

  7. A partir de 13/08/2019 as 3.931.480 (três milhões, novecentas e trinta e uma mil, quatrocentas e oitenta)
    cotas integralizadas na 5º Emissão de Cotas do RBRF11 passarão a ser negociadas na B3 S.A. – Brasil, Bolsa,
    Balcão, participando em igualdade de condições nas futuras distribuições de rendimentos do RBRF11

    Curtido por 2 pessoas

NOVOS COMENTÁRIOS AQUI: (sem links, emails ou telefones)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s