MGFF11 – Mogno Fundo de Fundos FII

Objetivo: Auferir rendimentos e ganhos de capital na aquisição de Fundos de investimentos Imobiliários (“FII”) e outros ativos ligados ao mercado imobiliário

Início do Fundo: 27/mar/2018
Taxa de Gestão: 0,80% a.a.
Taxa de Administração: 0,20% a.a.
Taxa de Escrituração: 0,30% a.a.
Taxa de Performance: Variação do IGPM-M + 3% ou 4,5% o que for maior entre os dois no período de apuração
(semestre)

Gestor: Mogno Capital Investimentos Ltda.

Prazo de Duração: Indeterminado
Administrador: BTG Pactual Serviços Financeiros S/A DTVM

Patrimônio Líquido:R$ 109.867.843,03

Autor: Tetzner

Engenheiro, Investidor há mais de20 anos, autor de 2 livros e pioneiro em Fundos Imobiliários :)

209 comentários em “MGFF11 – Mogno Fundo de Fundos FII”

  1. Resultado da consulta formal: as matérias colocadas em deliberação não foram aprovadas, tendo em vista que não foi atingido o quórum de aprovação de ao menos 25% (vinte e cinco por cento) das cotas emitidas pelo Fundo, conforme previsto na Instrução CVM 472, Art. 20, parágrafo primeiro.

    Curioso que os mesmos cotistas que reclamam dos gestores, no momento em que são chamados a se manifestar, se omitem…

    Curtido por 1 pessoa

      1. ao contrário Fábio Castro

        tem quorum mínimo

        cada ‘abstenção’ tem o valor de vários votos não

        imagine o seguinte cenário

        24% a favor
        1% contra

        deu quorum e aprovou

        se esse 1% não se manifestasse… créu proposta com 24% de aprovação REFUGADA rs

        Curtir

    1. @Fábio … tem o outro lado da moeda … qual o nr. de investidores ativos que realmente giram carteira ?

      De acordo com o gráfico abaixo … Sendo o volume diário médio negociado de cerca de R$ 40 mil reais… se as minhas informações estiverem corretas …

      … isso daria cerca de (40.000 / 770.000.000) = 0,005% do PL/dia, quiça nr. “distintos” de investidores.

      O movimento de sobe-e-desce é causado por muito pouco; muito pouco!!

      Curtir

    1. >>> O fundo se estrategizou de modo a gerar a maior parte da renda baseado em giro de carteira. Como a maior alocação está no setor “Corporativo” … creio que seja daí também que se espera o “ganho de capital”; nào sei. Será que o setor corportaivo poderia servir como alocação tática, gerando renda constante mesmo que seja pequena ? Eu creio que sim … afinal, 2-3 meses de aluguel de edifício vai ser pago de alguma maneira a não ser que … o caixa dessas empresas esteja muito ruim, muito ruim mesmo.

      Curtido por 1 pessoa

      1. Renatão

        esse relatório só serviu pra explicar o tanto que eles ‘entubaram’

        cara não deve ter nada no lucro mais, e pior, nem reservas pra aproveitar a queda tem

        qq venda pra gerar liquidez vai gerar prejuízo

        tão vivendo do vapor dos lucros do último semestre, se a coisa evoluir até junho… não tem o que distribuir no 2o semestre

        no lugar deles repensava muito bem essa essa estratégia

        o fato é um só: FoF que tiver caixa e comprar nessa baixa ok, vai ter 2o semestre… mas Fof que foi pego 100% comprado como eles… vai respirar o vapor de 2019

        Curtido por 3 pessoas

      2. A situação pede prudência, cuidado e ao mesmo tempo um pouco de ousadia para os gestores. Aqueles Fundos que realizaram vendas nos meses anteriores, aproveitando as altas do fim de 2019 e que ainda estavam com esse caixa disponível tem a oportunidade de realizar lucro com esse movimento de pêndulo enlouquecido (sobe 10% num dia, cai 15% no outro, depois sobe mais 6%, depois cai mais 8%…) se conseguirem se movimentar na posição, direção e timing certos…

        Curtido por 1 pessoa

    2. Felizmente não tinha posição muito grande neste fundo( mesmo assim doeu ). Depois do derretimento da cota e daleitura do relatório ativei o modo ” herança pro filho”. Não há outra alternativa no momento. Alias modo ativado em quase todos os “Fiis “.

      Curtido por 1 pessoa

  2. Proposta já disponível para votação online pelos cotistas através da plataforma digital DocuSign:

    “17/02/2020 – PROPOSTA DA ADMINISTRADORA REFERENTE À CARTA CONSULTA
    (i) A alteração do Regulamento, de modo a permitir a aquisição de certificados de recebíveis imobiliários pelo Fundo
    (ii) A alteração do Regulamento, de modo a aumentar o capital máximo autorizado para a realização de novas emissões de cotas sem a necessidade de aprovação dos Cotistas do Fundo
    (iii) A alteração do Art. 25 do Regulamento, alterando-se sua redação do parágrafo terceiro em diante, de modo a (a) incluir a possibilidade de parcelamento da Taxa de Performance (conforme definida no Regulamento), (b) alterar a data de pagamento da Taxa de Performance e (c) dispor com maior clareza sobre a forma de cálculo da Taxa de Performance”

    Curtido por 1 pessoa

  3. Pessoal, por curiosidade, alguém fez o cálculo de quanto seria o rendimento sem considerar o ganho de capital por giro da carteira? Tentei fazer a conta, mas ao que parece, o rendimento todo venho de ganho de capital das cotas… Fiquei meio receoso se com cotas sendo ajustadas para baixo, o quão vantajoso pode ser o FoF.

    Curtir

    1. Muitos desses fundos entram em ofertas restritas… e outras de carater “privado” … muito antes das cotas irem à mercado. Me lembro de fundos com cotas a R$ 75 enquanto aos reles mortais como nós, nos emitem a mercado começando nos R$ 100. Esses FdF tem muuuuita gordurta para queimar; muita!

      Curtido por 2 pessoas

NOVOS COMENTÁRIOS AQUI: (sem links, emails ou telefones)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s