IRDM11 – Iridium Recebíveis Imobiliários – FII

IRDM11

Foco Principal : Investimento em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), desde que atendam aos critérios definidos na política de investimento do Fundo.

Outros Ativos Imobiliários: LCI, FII, Letra Imobiliária Garantida, Certificados de Potencial Adicional de Construção (CEPAC), com base na Instrução CVM nº 401, de 29 de dezembro de 2003.

ADMINISTRADOR: BTG Pactual Serviços Financeiros S.A. DTVM

CNPJ: 28.830.325/0001-10

TAXAS
0,17% Taxa de Administração
0,83% Taxa de Gestão

TRIBUTAÇÃO
IR PF: Rendimentos distribuídos aos cotistas são isentos. Haverá tributação de 20% no caso de ganho de capital em negociação.

IR PJ: Haverá incidência de 20% de imposto de renda sobre a distribuição de rendimentos e ganho de capital em negociação.

IR INR: Haverá incidência de 15% de imposto de renda sobre a distribuição de rendimentos.

Isenção sobre rendimento distribuído pelos FII para PF, inclusive em país com tributação favorecida.

RI: sh-contato-fundoimobiliario@btgpactual.com

Anúncios

77 comentários sobre “IRDM11 – Iridium Recebíveis Imobiliários – FII

  1. Olá, boa noite, sou iniciante, e venho me interessando muito pelos Fundos Imobiliários. Como faço para me atualizar sobre o valor do patrimonio do fundo? Já que o seu valor oscila. Vi que tem fundos que possuem sites com essas informações. E para outros fundos que não tem site?

    Curtir

    • Passeios hoje em dia todo FII tem relatório mensal ou periódico. Assim como informes mensais padronizados, alternativamente você pode assinar o Radar ou a Matrix e ter além do Vp uma dezena de outras métricas atualizadas e no seu email

      Curtir

  2. Ato societário de aprovação (se houver)
    Data da informação
    12/09/2018
    Data-base (último dia de negociação “com” direito ao provento)
    12/09/2018
    Data do pagamento
    19/09/2018
    Valor do provento por cota (R$)
    0,908926453703704
    Período de referência
    Agosto/2018
    Ano
    2018
    Rendimento isento de IR*
    Sim

    Curtir

      • problema aqui, além da elevada alocação em cotas de FIIs que travam o resultado e o repasse da inflação…

        são os 45% do PL “travados” no CDI

        e com mais 15% em FIIs…. esmagadora maioria em VISC… temos praticamente 60% do patrimônio do cotista que deveria repassar a inflação… patinando

        e lerê

        3C fez escola pelo visto

        Curtir

      • Tetzner, compreendo concordo com suas críticas a respeito das alocações inoportunas do fundo, mas não consegui acompanhar seu raciocínio a respeito da suposta queima de caixa.
        Seria este o motivo do aumento expressivo da renda no mês de junho? OU isso se deve ao resultado de CRIs que ainda não haviam feito seu primeiro pagamento?
        Estou ansioso para ver o próximo relatório gerencial e saber de onde veio esse dinheiro.

        Curtir

  3. Não foi por falta de aviso…. vamos a mais uma sessão de “engana que eu gosto”

    pelo tom da mensagem…. “ARDEU” lá hein…

    “Estratégia de Alocação e Esclarecimentos

    Com relação a alocação realizada em abril no Vinci Shopping Center FII (VISC11), a equipe de gestão informa que ela e as demais alocações em FIIs fazem parte da estratégia secundária para obter uma alocação mais eficiente dos recursos temporariamente investidos em caixa.

    Ainda sobre o VISC11, é importante saber que o mesmo divulgou um dividendo referente a maio de R$ 0,61/cota, o que equivale a um dividend yield de 0,58% no período (dado o preço de aquisição), superando a remuneração do CDI (0,52%). Vale lembrar que o aumento de aversão ao risco prejudicou o preço de quase todos os ativos de risco e que os preços das cotas dos FIIs não foram exceção.

    Por fim sobre a alocação em FIIs, a equipe de gestão esclarece que segue confiante na performance do fundo VISC11 e dos demais FIIs e ativos investidos e que para as aquisições de novos CRIs, se utilizará de: i) recursos aplicados no Fundo Soberano e ii) LCIs, antes de realizar qualquer prejuízo.”

    Curtir

    • É a velha tentação da gestão que tropeça no próprio cadarço do sapato… na ânsia de aparecer fazem lambança…

      e agora como a exposição já tomou quase 10% do PL não dá nem para pensar em aproveitar a queda das cotas

      ficou travado agora com 9% em fundo soberano… se aparecer algo maior ou muito melhor vai ter de mexer nas LCIs… e no frigir dos ovos nas cotas de FIIs (15% do PL!!)

      Curtir

      • Se queria um pouco a mais de rentabilidade devia ter ido ao limite de KNCR.
        Mudaram o perfil de risco do fundo.
        Por coisas assim que não gosto dessas permissões genéricas que os administradores vem pedindo para um monte de fundos. Dizem que é apenas para aplicar o saldo em caixa para melhorar a performance e diminuir custos. Mas ai pedem para fazer o que quiser junto. Aí tem um mono ativo e pedem autorização para investir em FII. Depois o gestor tem uma trade Idea como essa é a bomba fica com cotista.

        Curtir

    • Ainda acho que é melhor do que nada. Evidente que o mais importante era arrecadar dinheiro, no entanto, ao menos estão tentando. É o mesmo de VRTA, tem muita coisa pior por aí. Não que ser menos ruim seja qualidade.

      Curtir

      • Essa superposição é algo que eu bato muito na tecla também Tetzner: caso o cotista do iridium quisesse comprar vinci shopping, ele fosse lá e comprasse visc11, pois não pode o gestor trazer um risco nada a ver com o core de ativos do fii. Todavia, esse é um vício maldito do mercado financeiro brasileiro (ouso a dizer mundial), pega um “fundo cambial” e ver a quantidade de renda fixa NÃO DOLARIZADA que muitas vezes tem lá dentro. Enfim, por essas e outras que os ETF´s crescem tanto, o cara compra um ETF de ouro ele vai ter praticamente uma correlação de 99% com o ouro, não vai ser 67% ouro, 15% prata e 8% renda fixa e 10% em caixa.

        Curtido por 1 pessoa

    • Hahahahaha hohohoho hehehehehehehe, bem feito para os cotistas deste Fii. Comprar fundo de papel da BTX bomba! !!!! Não tenho nenhum prurido de rir na cara dos bobos

      Curtir

    • Bem, eles assumiram o risco…compraram VISC porque o rendimento é maior que o CDI. Beleza de racional, faz sentido. O grande perigo seria se na hora de sair do investimento para entrar no negócio-fim (os recebíveis) o preço da cota estivesse abaixo do que pagaram. Aí devolveriam todo o delta e mais um pouco de carne. E não é o que de fato aconteceu? Se surgir um CRI bom negócio agora, vão realizar um prejuizo razoável.

      Se fosse um FoF, com o Tetz disse, tranquilo. Faz parte do risco do negócio. Porém eles importaram um risco alienígena. Risco de Fundo de Recebíveis é o risco dos CRIs em que investem. Risco de outro FII não faz parte do escopo.

      Curtir

      • Assumir o risco com dinheiro dos outros é fácil, né? Deviam é retirar da taxa de administração deles a diferença entre a renda da carteira de renda fixa e o que o Visc render. O custo de oportunidade aqui será alto.

        Curtido por 2 pessoas

      • Curva de juros futuros virada a dois meses e os caras enfiam 10% do PL em Fii de tijolo. Dinheiro aguardando alocação tem que estar em renda fixa com liquidez e ponto, o resto é rolo.

        Curtir

      • Tetzner;

        Vamos esperar para ver qual o operacional que adotarão numa possível inversão dos juros pagos pelos CRIs e a aplicação do caixa disponível.
        Atualmente, a relação risco X retorno não aparece adequada para travar posição de longo prazo (CRIs).
        Sobre a aquisição de outros FIIs, essa parte realmente não me agrada.
        Sds.

        Curtir

      • Tetzner;

        Então, nada garante.
        Mas assim como o fundo citado, nada resiste à prova do tempo.
        Como é um fundo recém lançado, ainda dá-se o benefício da dúvida.
        Algo que já não acontece com o MXRF e seu longevo (e polêmico) histórico.
        Vejamos como se saem com a “não aprovação” (prejudicada) de aquisição de papéis emitidos pela administradora.
        É nessas situações e na reação frente a elas que se separam os meninos dos homens.
        Sds.

        Curtir

      • Mbp77

        eu já penso o contrário: o começo é justamente a hora de ganhar a confiança, de fazer tudo certinho, sem aventuras…

        e já de cara foram “brincar de traders”

        a meu ver, perderam a credibilidade que nem tinham e jogaram no chão qualquer tipo de expectativa que alguém tivesse

        Curtir

      • Igual a PF colocar o dinheiro da reserva de emergência em renda variável… quando precisa resgatar, tá sempre no preju!!!
        Agora nem se tiver CRI pra alocar o $ poderá fazê-lo, sob pena de perder um ano da rentabilidade pra cobrir o preju

        Curtir

      • Exato Morilson!

        Nos primeiros 6 meses nem precisava divulgar rentabilidade, era um período de alocação, de paciência

        Ai começa a fazer “trade” pra tampar, compensar ou utilizar prejuízos e vai dilapidando o patrimônio do cotista…

        Curtir

    • Para mim dos males o menor. Evidente que o único interesse das administradoras é gerar taxa. Ainda assim, melhor operar do que ficar esperando a ajuda de Deus. O que tem de fundo com caixa, aproveitando o grande retorno da selic atual não é brincadeira.

      Curtir

  4. No mês de abril, o fundo adquiriu cinco novas operações de CRI e, em maio (até a divulgação do
    presente relatório), investiu em mais duas emissões. Juntas, estas totalizam um volume de
    aproximadamente R$ 36 milhões, o que leva a alocação do fundo em CRI para 50,3% do PL. Em
    linha com a estratégia secundária da gestora para obter uma alocação mais eficiente dos recursos
    em caixa e por entender que se tratava de uma boa oportunidade de geração de valor, o fundo
    participou da oferta do FII Vinci Shopping Centers (VISC11).
    Com relação aos dividendos, estes ainda foram impactados negativamente por conta da fase mais
    intensa de alocação. Considerando que no geral os CRI adquiridos só passam a pagar a primeira
    parcela no mês subsequente ao da aquisição, a equipe de gestão espera uma melhora no dividendo
    do próximo mês.

    Curtido por 1 pessoa

  5. Administradora fazendo proposta para que o fundo possa adquirir “ativos” emitidos pela administradora?? Não haveria conflito de interesses aí?? O que vocês pensam disso? É normal? Já ocorreu em outros fundos administrados pela BTG? Qual foi o resultado?

    Curtir

    • Lucas

      eu falei que começou bem mal com a história de comprar cotas de FIIs e não ter onde alocar o capital da oferta, bem no estilo: “dá cá o teu dinheiro, eu garanto minhas taxas e tome lá Renda Fixa”

      agora então se aprovar que as garras nefastas da 3C cravem nas vértebras do cotista (porque na carne já estão)… aí vai pra vala literalmente a meu ver

      Curtir

    • Se entendi bem o Iridium não é um FoF. É um Fundo de Recebíveis que comprou cotas de um Fundo de Recebíveis, é isso? Como disse o Tetzner tem a parte das taxas, das corretagens…não sei dizer se é melhor do que deixar o dinheiro na Renda Fixa, precisaria fazer os cálculos.

      Precisa tomar cuidado para não perderem o foco, o objetivo e não virar um samba do crioulo doido (sem nenhuma conotação racista, por favor).

      Curtido por 1 pessoa

      • Fabio Castro

        é um FII de Recebíveis que pelo jeito não tem no que investir… esquisito captar e não ter onde alocar, fazer aporte em FIIs e virar um pseudo FoF

        afinal, tinha ou não tinha destinação para os Recursos?

        como você disse Fábio Castro, senão vira uma bagunça só…

        Fundo de Fundo de Fundos, Taxas sobre Taxas sobre Taxas … e o rendimento óhhh

        Curtido por 1 pessoa

      • Pois é…até porque FoF tem outros objetivos e outras estratégias, outra forma de atuar no Mercado. O Fundo tem outro DNA. É a mesma coisa que o Tesouro Direto começar a vender ações, farmácia vendendo sapato…fica um pato manco.

        Curtir

      • É preciso verificar se a estratégia de alocação de recursos em FIIs é algo perene ou meramente transitória, haja vista a escassez de bons papéis disponíveis no mercado, agravada pela concorrência com outros fundos de papéis novos ou já existentes no segmento de FIIs e em outros.
        Gostei do portfólio inicial e do formato do relatório gerencial, possui leitura e layout agradáveis e com informações adequadas sobre os CRIs adquiridos.
        Por outro lado, a presença da 3C é algo que incomoda, ainda que a gestora seja outra (Iridium) e cujo corpo de profissionais conte com pessoal de reconhecida expertise na área (egressos do Fator).
        Observar que conta com proposta em aberto da administradora (sim, a “dita”) em que esta se manifesta de forma a que o fundo possa adquirir ativos financeiros, fundos e valores imobiliários emitidos pela própria até o limite de 100% do PL do fundo.
        Algo que os cotistas devem ponderar com a devida atenção.
        Sds.

        Curtido por 1 pessoa

    • Antonio, Fundo sem objetivo claro, sem DNA, e com as 3 consoantes no comando, Melhor que ele pensando em liquidez recomendo Renda Fixa, vários ativos de renda fixa são melhores opções que isto, isto é minha opinião particular.

      Curtir

    • O fundo está no começo. Mostrou uma lista interessante de CRIs alvo que estão em estudo. Alocou apenas 2,5% do PL em 4 fiis de papel. Não acho ruim para o cotista. Rende mais que aplicações de curto prazo. E tem liquidez para alocar em CRI assim que for decidido. Preferia que tivesse alocado um % maior. Acho melhor do que travar em LCA de 1 ano pagando 94,5 % do CDI num momento de taxa baixa

      Curtido por 1 pessoa

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s