XPIN11 – XP Industrial – FII

Objetivo e Política de Investimento do Fundo

O Fundo, constituído como condomínio fechado, tem prazo indeterminado de duração e é regido pelo presente Regulamento e pela legislação vigente. Para fins do Código ANBIMA Fundos de Investimento e das “Diretrizes de Classificação ANBIMA de Fundos de Investimento Imobiliário”, o Fundo é classificado como “FII Renda/Gestão Ativa/Outros”.

O objetivo do Fundo é a obtenção de renda e ganho de capital a ser obtido mediante a exploração de um ou mais Empreendimentos Imobiliários, por meio de aquisição de Ativos Imobiliários Industriais e/ou Logísticos, incluindo Imóveis para posterior construção, Imóveis em construção ou Imóveis Prontos, para posterior alienação, locação ou arrendamento.

O XP Industrial FII nasceu da parceria entre a XP Vista e a BBP – Brazilian Business Park. O fundo é detentor de 27 módulos nos condomínios empresariais CEA e Barão de Mauá, localizados à Rod. Dom Pedro I, km 87,5, São Paulo/SP.

O processo de diligência dos ativos do pipeline foi concluído com êxito em Agosto de 2018, sendo que estima-se concluir a aquisição destes imóveis no mês de Setembro, procedendo assim com a alocação integral dos recursos captados.

Administrador: VÓRTX DTVM LTDA
CNPJ do FII: 28.516.325/0001-40
PL: R$ 190.466.391
Taxa de Administração: 7,25% sobre o fat. (mínimo de R$ 25mil)

RI: admfundos@vortx.com.br

Tutor do FII: Mariano

Autor: Tetzner

Engenheiro, Investidor há mais de20 anos, autor de 2 livros e pioneiro em Fundos Imobiliários :)

180 comentários em “XPIN11 – XP Industrial – FII”

  1. XP INDUSTRIAL FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO
    CNPJ/MF nº 28.516.325/0001-40
    FATO RELEVANTE
    O XP INDUSTRIAL FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO, fundo de investimento imobiliário
    constituído sob a forma de condomínio fechado, de acordo com a Lei nº 8.668, de 25 de junho
    de 1993, conforme alterada (“Lei nº 8.668”) e a Instrução da Comissão de Valores Mobiliários
    (“CVM”) nº 472, de 31 de outubro de 2008, conforme alterada (“Instrução CVM 472”), inscrito
    no CNPJ/MF sob o nº 28.516.325/0001-40 (“Fundo”), neste ato representado por sua
    administradora VÓRTX DISTRIBUÍDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA., sociedade
    com sede na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2277,
    2º andar, conjunto 202, CEP 01452-000, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 22.610.500/0001-88, vem,
    por meio deste, comunicar aos seus cotistas e ao mercado em geral, que, em consonância com
    o acordado na Escritura Pública de Compra e Venda, celebrada em 05 de maio de 2020 (“ECV”)
    e o Instrumento de Particular de Novação e Assunção de Obrigações, celebrado em 05 de maio
    de 2020 (“Termo”, e quando mencionado em conjunto com a ECV, doravante designados como
    “Documentos da Transação”) com Império Empreendimento Imobiliário SPE Ltda., sociedade
    limitada, inscrita no CNPJ/MF sob nº 10.300.874/0001-18 (“Império” ou “Vendedor”), por meio
    dos quais adquiriu a unidade autônoma nº 20 do Edifício Topázio no Condomínio Centro
    Empresarial de Atibaia com área privativa total de 1.830,47 m² (um mil, oitocentos e trinta
    vírgula quarenta e sete metros quadrados) (“Unidade 20”) e as unidades autônomas nºs 04 e
    04A, ambas do Edifício Brahms do Condomínio Empresarial Barão de Mauá, com área privativa
    total de 3.175,72 m² (três mil, cento e setenta e cinco vírgula setenta e dois metros quadrados)
    (“Unidades 04 e 04A”), todas situadas no Município de Atibaia, Estado de São Paulo, objeto,
    respectivamente, das matrículas nºs 91.325, 104.467 e 104.468, todas do Oficial de Registro de
    Imóveis e Anexos da Comarca de Atibaia (“Imóveis”). Os Imóveis estão 100,0% (cem por cento)
    locados e a modalidade das locações é típica.
    Foi acordado entre as partes que o Fundo fará jus às receitas decorrentes dos aluguéis dos
    Imóveis desde o mês de março de 2020.
    O preço total pago pelo Fundo para a aquisição dos Imóveis foi de R$11.726.002,35 (onze
    milhões, setecentos e vinte e seis mil e dois reais e trinta e cinco centavos) (“Preço”), sendo que
    o pagamento de parte do Preço correspondente a R$ 1.340.454,00 (um milhão, trezentos e
    quarenta mil e quatrocentos e cinquenta e quatro reais) (“Valor Retido”) será realizado pelo
    Fundo na forma acordada no Termo. A Transação atende integralmente à Política de
    Investimento constante do Regulamento do Fundo e reforça a estratégia de comprar imóveis de
    vocação logística e industrial em localizações relevantes e com especificações técnicas de
    qualidade.
    Estima-se que os rendimentos provenientes da locação dos Imóveis serão de aproximadamente
    R$0,1260 por cota nos próximos 12 meses, correspondente à média mensal de R$0,0105 por
    cota, considerando o número de cotas emitidas pelo Fundo nesta data.
    Cabe ressaltar que os valores acima representam uma estimativa para o resultado operacional
    dos Imóveis no período indicado, não sendo, desta forma, uma garantia de rentabilidade,

    observado, ainda, que o Fundo poderá realizar uma retenção de até 5% dos lucros auferidos no
    semestre e apurados em base caixa, conforme previsto na regulamentação em vigor.

    Curtir

      1. ôpa !! Então…. rendimento diminuiu, e bem! Depois que me dei conta da última emissão, conversão dos recibos… aquisição recente, etc. A conferir o relatório gerencial.

        Curtir

    1. @PAULO … depois de ver o vídeo de hoje do @Tetz … me dei conta que esse comentário seu “retirando este fundo do seu portfólio!” nada mais é do que … os analistas especializados da corretora recomendando suas carteiras mensais, incluindo e retirando FII. UFA! Ao ler, pensei que o GRUPO GESOR estaria colocando À VENDA o FUNDO !!

      Vamos oa que interessa, respondendo sua pergunta. Não tenho bola de cristal,mas algo me sussrura no meu ouvido que sugestão de espcialista é para se fazer o OPOSTO. Nào é dica de nada!

      Curtir

  2. Fato Relevante divulgado ontem, 03/03/2020:

    … neste ato comunica ao mercado que formalizou o CONTRATO DE
    LOCAÇÃO DE IMÓVEL NÃO RESIDENCIAL (“Contrato”), com a empresa M CASSAB
    COMÉRCIO E INDÚSTRIA LTDA (“Locatária”), sociedade com sede na cidade de
    São Paulo, estado de São Paulo, na Avenida das Nações Unidas, nº 20.882 inscrita no
    CNPJ/ME sob o nº 49.798.823/0001-03.

    Curtir

    1. O Contrato tem como objeto as Unidades Autônomas n°s 4, 5, 6 e 7, do Edifício Figueira,
      de uso comercial, com 12.742,54 m² de área construída e 2.960,00 m² de área de
      utilidades, objeto das matrículas n° 130.110, 130.111, 130.112, e 130.113,
      respectivamente, todas do Registro de Imóveis da comarca de Atibaia-SP, situadas no
      Centro Empresarial Espaço Gaia Terra II (“Condomínio Gaia Terra II”), localizado na
      Estrada Alberto Tofanin, nº 5.589, na cidade de Jarinu-SP, em conjunto referidas como
      “Imóvel”.
      O prazo do Contrato é de 20 anos, iniciados a partir de 01 de dezembro de 2019 e com
      vencimento em 01 de dezembro de 2039 (“Prazo”). Em virtude de o Contrato abranger
      a totalidade do Edifício Figueira, o Locador concedeu carência à Locatária,
      exclusivamente em relação ao aluguel mensal relativo aos 08 (oito) primeiros meses do
      Prazo (“Carência”), ou seja, durante os meses de dezembro de 2019 (quando foi iniciada
      a negociação locatícia entre as partes) a julho de 2020, para que a Locatária se instale
      no Imóvel, sendo o primeiro aluguel devido a partir de 1º de agosto de 2020 (inclusive),
      com pagamento no mês subsequente.
      Considerando que o Fundo ainda está recebendo a Multa e que esta servirá para suprir
      o período de Carência, na forma do item (iv), alínea (a) do Comunicado, e complementar
      os recebíveis do Contrato, na forma do item (iv), alínea (c) do Comunicado, conforme
      aplicável, o rendimento atual das cotas do Fundo relativo a este Imóvel não deverá
      sofrer variações até que o saldo da Multa seja quitado, previsto para março de 2021.
      A partir de tal data, tendo em vista que o saldo da Multa já terá sido integralmente pago,
      o Contrato gerará um rendimento mensal nos 12 meses subsequentes de R$ 0,07/cota
      (considerando a quantidade de cotas do fechamento de janeiro de 2020,
      correspondente a 2.180.089 cotas).

      Curtir

      1. Segundo o fato relevante de 02/09/2019, o impacto negativo após o período e carência e dos 12 meses de pagamento da multa seria de R$ 0,12/cota. Considerando que o impacto estimado do novo contrato após o mesmo período é de R$ 0,07/cota (para a quantidade de cotas em janeiro/2020), poderíamos deduzir que haveria uma diminuição de R$ 0,05/cota na distribuição. Todavia, com a nova emissão, essa diferença tende a ser diluída.

        Mas, a não ser que eu tenha feito uma interpretação equivocada dos fatos relevantes, há uma perda de rendimentos quando comparado com o contrato anterior.

        Curtido por 1 pessoa

NOVOS COMENTÁRIOS AQUI: (sem links, emails ou telefones)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s