Fórum de Fundos Imobiliários

ABCP11  Ajuda  ALMI11  ALZR11  ANCR11B  ARRI11  Assinatura  ATSA11  BARI11  BBFI11B  BBPO11  BBRC11  BBVJ11  BCFF11  BCIA11  BCRI11   BLMG11  BMII11  BMLC11B  BNFS11  BPFF11  BPML11  BRCO11  BRCR11  BTAL11  BTCR11  BTGM11  BTLG11  BVAR11  CARE11  CBOP11  CEOC11  CINO11  CNES11  Conceitos  CPFF11  CPTS11  CRFF11  CTXT11  Cursos  CVBI11  CXCE11B  CXRI11  CXTL11  DEVA11  DMAC11  DOMC11  DRIT11B  EDFO11B  EDGA11  Entrevistas  EURO11  FAED11  FAMB11B  FCFL11  FEXC11  FIGS11  FIIB11  FIIP11B  FIVN11  FLMA11  FLRP11  FMOF11  FOFT11  FPAB11  FTCE11B  FVBI11  FVPQ11  GALG11  GGRC11  Glossário  GRLV11  GSFI11  GTWR11  HABT11  HBRH11  HBTT11  HCRI11  HCTR11  HFOF11  HGBS11  HGCR11  HGFF11  HGLG11  HGPO11  HGRE11  HGRU11  HLOG11  HMOC11  HOSI11  HPDP11  HSAF11  HSLG11  HSML11  HTMX11  HUSC11  Insight  IR  IRDM11  JRDM11  JSRE11  KFOF11  KINP11  KNCR11  KNHY11  KNIP11  KNRE11  KNRI11  KNSC11  LASC11  LGCP11  Livros  LUGG11  LVBI11  MALL11  MAXR11  MBRF11  MFAI11  MFII11  MGFF11  MXRF11  NCHB11  NEWL11  NEWU11  NSLU11  NVHO11  ONEF11  OUFF11  OULG11  OUJP11  PATC11  PATL11  PLRI11  PORD11  PQDP11  PRSV11  PVBI11  QAGR11  QMFF11  RBBV11  RBCB11  RBCO11  RBDS11  RBED11  RBFF11  RBGS11  RBPD11  RBPR11  RBRD11  RBRF11  RBRL11  RBRP11  RBRR11  RBVA11  RBVO11  RCRB11  RECR11  RECT11  RFOF11  RELG11  RNDP11  RNGO11  RZTR11  SAAG11  SCPF11  SDIL11  SHPH11  SPTW11  TEPP11  TGAR11  THRA11  TORD11  TRNT11  TRXF11  URPR11  VCJR11  VGHF11  VGIP11  VGIR11  VIFI11  VILG11  VINO11  VIRE11  VISC11  VLOL11  VPSI11  VRTA11  VSHO11  VTLT11  VVPR11  WMRB11B  WPLZ11  WTSP11B  XPCI11  XPCM11  XPHT11  XPIN11  XPLG11  XPML11  XPPR11  XPSF11  XTED11

Login   Registro   FII   Ações   Fundos   Diversão   Comentar   Loja   Ajuda   Comentários   RSS   AdBlock   Whatsapp

Siga o Tetzner nas Mídias Sociais:
https://twitter.com/CristianTetzner
https://www.facebook.com/cristian.tetzner
https://www.youtube.com/user/SrTetzner
https://www.instagram.com/tetznerfiis

12.610 comentários em “Fórum de Fundos Imobiliários”

  1. Índice de Confiança da Construção subiu 3,3 pontos em julho, para 95,7 pontos, o maior nível desde março de 2014 (96,3 pontos), divulgou nesta terça-feira (27) a FGV (Fundação Getulio Vargas).

    De acordo com Ana Maria Castelo, coordenadora de Projetos da Construção do FGV IBRE, a sondagem aponta o crescimento da atividade e uma percepção bastante favorável em relação à evolução da demanda nos próximos meses. Ou seja, volta a prevalecer um cenário levemente otimista.

    “Se no segundo semestre de 2020, a alta dos custos contribuiu para derrubar a confiança, em 2021, esse efeito foi atenuado. Não porque tenha ocorrido queda ou redução no ritmo dos aumentos – o quesito custo da matéria-prima assumiu pelo segundo mês a primeira posição entre os fatores limitativos à melhoria dos negócios”, explica ela

    “Ocorre que o percentual de assinalações que apontam o aumento dos preços praticados pelas empresas também alcançou um recorde histórico, sugerindo que, apesar dos desarranjos que os aumentos dos custos têm causado, as empresas esperam que esse aumentos sejam absorvidos em grande parte pela demanda final”.

    O resultado positivo vem da melhora das expectativas dos empresários para os próximos meses. O Índice de Expectativas avançou 6,8 pontos, para 102,2 pontos, maior nível desde de janeiro de 2020 (104,2 pontos). Os indicadores de demanda prevista e tendência dos negócios subiram 6,4 e 7,2 pontos, para 102,3 pontos e 102,0 pontos respectivamente.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Índice Nacional de Custo da Construção-M (INCC-M), medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), teve inflação de 1,24% em julho deste ano, percentual inferior ao apurado no mês anterior (2,30%). Com o resultado, o índice acumula 10,75% no ano e 17,35% em 12 meses.

    De junho para julho, houve quedas nas taxas de inflação dos materiais, serviços e mão de obra. Os materiais e equipamentos passaram de 1,75% para 1,52%. Os serviços recuaram de 1,19% para 0,65%

    Curtido por 1 pessoa

  3. Receita obriga bolsa a informar diariamente todas as operações de pessoas físicas

    Instrução Normativa publicada às vésperas da proposta de reforma tributária fecha cerco sobre aplicações em ações, BDRs, ouro e fundos, mas condiciona remessa de dados a ‘autorização do contribuinte’. Corretoras e investidores aguardam detalhamento da Receita, que promete que ferramenta vai permitir transportar dados para a declaração

    Por Rafael Gregorio, Valor Investe — São Paulo

    23/07/2021 06h00 Atualizado há 3 dias

    O Texto é gigante para colar aqui.

    Curtir

  4. Café com Tetzner 26/Jul/21: Atualizações dos FIIs DEVA, HABT, HCTR, HGLG, MCCI, RZTR, SHPH, URPR, XPCM, XPHT, XPIN

    Boicote a Alavancagem nos FIIs e não Subscreva emissões para incentivar mais ‘endividamento’ dos Fundos Imobiliários! TRXF

    Relatórios
    FII DEVANT DEVA
    FII HABIT II HABT
    FII HECTARE HCTR
    FII CSHG LOG HGLG FR
    FII MAUA MCCI
    FII RIZA TX RZTR FR
    FII HIGIENOP SHPH
    FII URCA REN URPR
    FII XP MACAE XPCM
    FII XP HOT XPHT
    FII XP INDL XPIN

    Cursos, Painel e Radar dos FIIs: https://tetzner.wordpress.com/loja

    😀 Siga o Tetzner

    Curtido por 4 pessoas


    1. Prêmio Walter do Mercado 2021 – IFIX : 5ª semana de julho (dia 30 –338ª edição )
      Ainda dá tempo de participar e concorrer ao prêmio semanal, não perca tempo vote djá.
      Campeão da semana: Interceptor
      Mapeamento de Tendência junho/21.
      No Walter do Mercado

      Curtir

  5. A expectativa da SELIC até o final de 2021 é atingir 6,5-7% a.a. Em 2022 eu prefiro nem colocar a previsão dos diversos agentes de mercado.
    Vocês acreditam que os FIIs disponíveis hoje já espelham esse aumento? Na minha opinião ainda não houve o devido ajuste….

    Curtir

    1. Eu disse q a dois anos quando começaram a forçar a barra de cortarem muito os juros q ele retornaria no máximo em 2 anos acima dos 7%. A Dilma fez a mesma coisa, aqui no bananal tem q ter um Juninho nessa faixa aí p compensar diversos percalços, incluindo o principal risco.
      Volto a insistir, não somos pais de 1º mundo p ter juros de 1ºmundo gente. Somos atrasado e corrupto, povo fraco de cultura econômica etc….aceita q dói menos…
      Quanto aos fiis, é ir comprando quando cai um pouquinho e só. Essa receita. Sempre vai dar uma quedinha no meio da trajetória, é aí q vai comprando, deixa a pórva viva, sem do, sempre compensa. Quando juros subir muito também os fiis podem ficar barato pela inflação ok. Juros altos não são regras p derrubar volor de fii. Alguns fiis ainda continua descontados devido a pandemia, principalmente shopping, eu arrisco alta do que estabilidade nos preços desses e alguns outros….

      Curtido por 2 pessoas

    2. Até os 7% de 2021… eu creio que os Fii já foram precificados, a depender apenas de ajustes localizados.

      Agora… 2022 em diante… é outra batalha que não tem nada a ver com 2021; e, ainda não está precificada, nem de longe…

      Curtir

    3. Se neste ano Selic ficar só em 7% vai ser um alívio porque o enrosco do Brasil é monstruoso.
      Acho que está precificado só em parte, mercado ainda no oba oba do fantasma da tributação que por hora deixou de assustar.
      Em 2022 se a Selic tiver que ir a 12% aí é FIIs em tendência de baixa. IFIX pode ir buscar a região de 2.400 fácil, só de início de uma onda 3.

      Curtido por 1 pessoa

  6. Receita Federal criou uma regra que obriga entidades como a bolsa de valores e as corretoras a informar todas as operações realizadas por pessoas físicas residentes no Brasil com ações, cotas de fundos, BDRs, ouro e outros ativos.

    Segundo a Instrução Normativa 2.033/2021, publicada em 25 de junho, às vésperas da apresentação da proposta de reforma tributária, as entidades de mercado ficam obrigadas a enviar as informações diariamente, no prazo de dez dias.

    Curtir

    1. Corretoras e investidores aguardam detalhamento da Receita, que promete que ferramenta vai permitir transportar dados para a declaração, mas a remessa de dados depende de ‘autorização do contribuinte’.

      A obrigação vale desde 1º de julho, e, no primeiro envio, as entidades deverão informar o estoque de ativos no último dia do mês anterior – ou seja, a Receita passaria a ter uma fotografia da carteira dos contribuintes até aquele instante.

      Por ora, não houve envio de dados, e a efetividade da obrigação está em suspenso. O principal entrave é uma disposição da própria IN 2.033 que condiciona a remessa a uma “autorização prévia do contribuinte”, sem determinar como ou quando isso será feito.

      À consulta do Valor Investe, a Receita Federal respondeu que são duas obrigações de remessa na norma: “As operadoras estão obrigadas a passar as operações realizadas de pessoas físicas residentes no Brasil à ‘depositária central’”, e, “No Brasil, essa figura é a B3, que centralizará as informações e repassará para a Receita”.

      Para as empresas que devem remeter as informações, o não-envio de dados de clientes que tenham dado o aval enseja multas de R$ 500 a R$ 1.500, possivelmente cobradas sobre cada CPF com dados não enviados.

      Possibilidade de “apuração prévia do imposto”
      Enquanto isso, corretoras ouvidas pelo Valor Investe veem a situação “nebulosa”, dizem aguardar definições de lacunas na norma e citam preocupações com um aumento de custos e com eventuais não autorizações por parte da clientela.

      Entre especialistas ouvidos pela reportagem, a maior dúvida é sobre que motivação o contribuinte terá para autorizar o compartilhamento de seus dados com o Fisco, diz Thiago Marigo de Castro, sócio da área tributária do escritório Freitas Leite Advogados.

      Questionada sobre que incentivo o contribuinte teria, a Receita promete que a ferramenta vai permitir uma apuração prévia do imposto de renda nas operações com esses ativos, com possibilidade de transportar dados para a declaração.

      “Aceitando o compartilhamento das informações, o contribuinte terá à disposição, na página da Receita, os cálculos dos tributos devidos e a emissão facilitada dos DARFs. Também poderá transportar os valores diretamente para sua declaração de imposto de renda do ano seguinte”.

      O Fisco complementou que “A ferramenta facilitará a apuração, mas seu uso é opcional. O contribuinte, se desejar, poderá continuar calculando seus tributos e emitindo o DARF manualmente”.

      Ricardo Maitto, sócio da área tributária do escritório TozziniFreire Advogados, crê que a exigência de autorização por parte do investidor deriva de uma cautela do Fisco com a privacidade de dados, no contexto da LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais). “Via de regra, quando é um terceiro que presta informação sobre alguém, por exemplo, a corretora informando uma transação que eu fiz, isso exige uma autorização”, comenta.

      Fica a dúvida, ele diz, sobre o que acontecerá no caso de o investidor-contribuinte não autorizar: “Pode ser que a Receita não consiga atingir todo o universo de investidores. Ou pode ser que as corretoras e a bolsa exijam o aval do cliente para que ele possa continuar operando”.

      Christiano Chagas Monteiro de Melo, sócio da área tributária do escritório Demarest, acredita que autorizar ou não seja prerrogativa do cliente, “Mas as corretoras, em contratos de prestação de serviços, podem exigir isso como um item de compliance. Pode ser que o mercado feche questão sobre o tema”

      Mas, segundo ele, o assunto ainda está “fora do radar das instituições financeiras”, que aguardam detalhamentos e analisam outros pontos da reforma tributária com maior potencial de impacto sobre os negócios.

      Caso não haja um incentivo ao contribuinte, Castro, do Freitas Leite, especula que poderia haver um movimento de migração de corretoras que exigem a autorização para concorrentes menos ostensivos.

      Por fim, os tributaristas veem uma possibilidade muito reduzida de judicialização, na medida em que a nova obrigação foi instituída por uma Instrução Normativa, e não por uma lei. “Nessa hipótese, o problema é que, enquanto a discussão se arrasta no Judiciário, o contribuinte sofre entraves”, comenta Maitto.

      Curtido por 1 pessoa

    2. Sai o “dedo-duro”, entra o informe diário
      Para os advogados consultados, a novidade está ligada ao aumento no número de pessoas físicas na bolsa – que saltou de cerca de 600 mil pessoas em 2014 para estimados 3,8 milhões hoje – e à proposta de reforma tributária.

      “Nossa percepção é que aumentou o volume de transações de pessoas muitas vezes sem familiaridade com o fato de que, quando há ganho de capital, é preciso declarar as transações até o final do mês seguinte”, afirma Maitto, do TozziniFreire.

      Já a conexão com o projeto de reforma do governo reside na proposta de acabar com o imposto de renda retido na fonte sobre operações de renda variável, à alíquota de 0,005% (e de 1% em operações de day trade).

      Popularmente conhecido como “dedo-duro”, esse imposto – de impacto financeiro diminuto, mas de valiosa pista, para o Fisco, sobre o montante das operações realizadas – era o principal meio que a Receita tinha de monitorar os negócios em bolsa. “Nunca foi para arrecadar tributo, era só para rastrear o contribuinte”, explica Maitto.

      Sem o “dedo-duro” no caso de a proposta ser aprovada nos termos em que foi apresentada, dizem os advogados, a Receita estaria mirando outra maneira de continuar a par.

      E esse controle ganharia mais importância diante da eventual necessidade de pôr em prática a tributação de dividendos, um dos pontos mais sensíveis da reforma tributária. “Nessas informações que a depositária central vai transmitir, estão também dados sobre dividendos pagos pelas empresas listadas”, pontua Castro, do Freitas Leite.

      Sobre esse tema, a Receita respondeu que “Nenhuma relação. A solução está sendo construída para facilitar a apuração dos valores tributáveis pelo cidadão”.

      “Até hoje, a Receita só sabia que uma pessoa tinha operado em bolsa pelo IRRF descontado na nota de corretagem, ou quando o contribuinte informava na declaração. Agora, a Receita poderá apurar ganhos obtidos por contribuintes e comparar com o que será declarado por eles”, comenta Richard Domingos, diretor da Confirp Consultoria Contábil.

      “Ainda não vimos entre nossos clientes contatos de corretoras pedindo a autorização. Me parece um tema em andamento”, diz Welinton Mota, diretor tributário da Confirp.

      Daí a estimativa dos especialistas de que o assunto evolua somente conforme avance a discussão da reforma tributária no Congresso, que hoje é a prioridade da autoridade fiscal.

      Curtir

    3. A Instrução Normativa 2.033/2021 da Receita Federal, em detalhes

      A novidade consta da Instrução Normativa 2.033/2021, publicada em 25 de junho, um dia antes da apresentação, pelo governo federal, de sua proposta de reforma tributária.

      “Dispõe sobre a obrigatoriedade de envio de informações sobre operações realizadas em bolsa de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas, operações com liquidação futura fora de bolsa e operações de empréstimo de títulos e valores mobiliários”, diz o texto.

      Em seguida, a IN dispõe que “A obrigação de que trata o caput é restrita às operações realizadas por pessoas físicas residentes no País, mediante autorização prévia do contribuinte para envio das informações ao sistema”.

      Ainda segundo a ordem da Receita, deverão ser reunidos e informados os dados das seguintes entidades:

      – bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e entidades de balcão organizado, em relação às operações realizadas nos mercados por elas administrados;
      câmaras de compensação e liquidação das operações realizadas nas entidades previstas no inciso I;
      – corretoras e distribuidoras de títulos e valores mobiliários que atuem na intermediação de operações nas entidades previstas no inciso I, em relação às corretagens e demais despesas cobradas de seus clientes; e
      – a própria depositária central, em relação aos ativos depositados, incluídos os saldos e as transferências de titularidade, bem como eventos financeiros ou em ativos.
      E estão sob a obrigação de serem informadas as operações com os seguintes ativos:

      ações;
      – Certificados de Depósito de Valores Mobiliários (BDR);
      – certificados de depósito de ações;
      – ouro;
      – direitos e recibos de subscrição;
      – cotas dos fundos de índice de ações negociadas em bolsas de valores ou mercado de balcão organizado (ETF);
      – cotas de Fundos de Investimento Imobiliário (FII);
      – cotas de Fundos de Investimento em Ações (FIA);
      – cotas de Fundos de Investimento em Participações (FIP) e Fundos de Investimento em – Cotas de Fundo de Investimento em Participações (FIF FIP);
      – cotas de Fundos de Investimento em Empresas Emergentes (FIEE); e
      – cotas de Fundos de Investimento em Participações em Infraestrutura (FIP-IE) e dos Fundos de Investimento em Participação na Produção Econômica Intensiva em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (FIP-PD&I).

      Curtir

      1. Se funcionar será ótimo, já deveria ser assim, tudo pronto, só apertar um botão e ter darf, não iria precisar mais de informes rendimentos, até hoje não recebi a metade, sou a favor, caso funcione e sem erros e complicações lógico..

        Curtir

  7. Quem avisa amigo é.
    A conta da economia ta chegando!

    Prévia da inflação, IPCA-15 sobe 0,72% em julho, maior variação para o mês desde 2004 e acima do esperado pelo mercado

    A expectativa, segundo consenso Refinitiv, era de alta de 0,64% frente junho de 2021 e de 8,50% na comparação com julho de 2020.

    Curtir

    1. KKKKK Meirelles defende ‘imprimir dinheiro’ contra crise do coronavírus: ‘Risco nenhum de inflação’8 de abr. de 2020

      Lembra bastante Guido Mantega falando de dólar

      19 de out. de 2014 — … o ministro Guido Mantega (Fazenda) disse à Folha que “vai quebrar a cara” quem apostar numa disparada do dólar e na queda da Bolsa

      Jegues
      17 de mai. de 2019 — O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta sexta-feira (17) que não há motivos para se preocupar com a recente turbulência no mercado …

      Curtir

      1. Inflação ai vou EU!!!!!!!!!!!!
        Falta de chips causa paralisação parcial em 12% das fábricas de eletroeletrônicos

        Escassez mundial de chips causa atrasos ou interrupções de produção em quatro a cada dez fábricas de produtos eletrônicos, como tevês, notebooks e celulares

        Curtir

      2. Crédito com Garantia de Imóvel – Taxas a partir de 0,70% + IPCA

        Traga o seu empréstimo com garantia de imóvel para o Inter e economize em suas parcelas. Faça a portabilidade do seu Home Equity para o Inter e aproveite as melhores taxas.

        o que vai acontecer quando créditos contratados pelo IPCa estourarem o teto com inflação cavalar!

        Curtir

      3. Falta de chips é a nova pandemia … Ligando lé com cré … Primeiro veio a crise na saúde pra diminuir a população mundial … Agora a crise econômica pra acabar de quebrar as economias ocidentais … Mas não não , nada disso foi orquestrado … Qual é mesmo o país que fornece os tais chips para o mundo !???

        Curtir

      4. Qdo eu era criancinha, lá em barabacena … parava-se a produção de automóveis por causa do AÇO, da BORRACHA… !! Hoje … é por causa do CHIP ! A que ponto (patético !!) chegamos

        Curtir

    2. IPCA de dois dígitos já já … Não não é só uma inflaçãozinha transitória … Provocada pelo governo e vem em muito boa hora pra um governo endividado até a tampa.
      Enquanto isso no Brasil real … Dá lhe pobreza e atraso econômico social … De resto vai tudo bem.

      Curtir

    3. No fim e ao cabo, todos os precos vão acompanhar a variação do dolar. É so uma questão de tempo. Lembram do dolar a R$. 2,80? Pois é! Por incrivel que pareça a nossa economia é praticamente tuda dolarizada. Os índices de inflação não refletem a realidade dos preços. Eles apanham meia duzia de produtos escolhidos pelo PSDB e PT lá atrás. Então todas as comodities são dolarizadas. Só existe então a variação dos preços das comodities em quantidade de dólares que o mercado precifica. O maior beneficiado disso tudo são os países que possuem moeda forte. Resumindo: o seu poder de compra derreteu 50% em relação ao dolar. A menos que vc tenha dolarizado suas economias. Abcs.

      Curtido por 1 pessoa

      1. O IGPM foi criado pela fundação Getúlio Vargas. O IPCA em 1979 e o IBGE divulga os resultados.
        Galera tem que parar de seguir séries como Brasil Paralelo outras porcarias e começar a pensar de forma crítica.
        Não foi criação de um partido. Kkkk

        Curtir

    4. https://tetzner.files.wordpress.com/2017/09/waltermercado.png?

      5 Takeaways from Nareit’s 2021 REIT Industry ESG Report
      No internacional

      Semanais : DI1F29, IFIX, HCTR CPTS, MXRF.
      Destaque do Trix : XPHT11, TRNT11, RBGS11 .
      No trix-report

      Prêmio Walter do Mercado 2021 – IFIX : 5ª semana de julho (dia 30 –338ª edição )
      Já está aberta a votação, não perca tempo vote djá.
      Campeão da semana: Interceptor
      Mapeamento de Tendência junho/21.
      No Walter do Mercado

      Curtir

  8. Café com Tetzner 23/Jul/21: Quando a Alavancagem ‘dá Ruim’… o caso do General Growth e a correlação com TRXF11

    Notícias
    +IPCA-15 fica em 0,72% em julho
    -Quando a Alavancagem ‘dá Ruim’… o caso do General Growth e a correlação com TRXF11
    Relatórios
    +FII MERITOFA MFAI
    +FII MERITO I MFII
    +FII MAXI REN MXRF
    +FII VBI PRI PVBI
    +FII RBRALPHA RBRF

    Cursos, Painel e Radar dos FIIs: https://tetzner.wordpress.com/loja

    😀 Siga o Tetzner

    Curtido por 2 pessoas

  9. Guedes sinaliza aumentar ainda mais lucros e dividendos. Segundo ele dessa forma ele não atinge a classe média, só atingi os mais afortunados. Deu na mídia.
    Será q essa égua não sabe que hoje no Brasil os pobres também usam os investimentos em bolsa como forma de poupar suas economias e com isso ter suas reservas e complemento de renda, no presente e futuro. Será q essa égua não sabe mesmo disso ou finge q não sabe.
    Na boa, esse jegues, esse bostanagua e esses militares já deu, hora de por essa corja p correr

    Curtir

      1. Quanto aos chorões, eu sou um deles, ditado aqui é nunca chorar pelo leite derramado, o resto tá valendo.
        Não fosse o tetz chorar antes e fazer a mobilização q q fez, os fiis seriam tributados

        Curtir

    1. @Interceptor … acorda: moramos em um pais RACISTA e de MISERÁVEIS, mergulhando no SOCIALISMO desde 1930 (o qual ainda não deu certo, por isso tem que arrochar ainda mais !!!)

      … Em 2019, o rendimento médio mensal do 1% mais rico da população, que recebia R$ 28.659, correspondia a 33,7 vezes o rendimento da metade da população mais pobre do Brasil, que ganhava R$ 850 …

      … A massa de rendimento médio mensal real domiciliar per capita alcançou R$ 294,4 bilhões em 2019. A parcela dos 10% da população com os menores rendimentos detinha 0,8% dessa massa, enquanto que os 10% com os maiores rendimentos concentravam 42,9% em 2019 …

      … Do total de pessoas residentes no Brasil em 2019, 131,2 milhões (62,6%) tinham algum tipo de rendimento. O rendimento médio real de todas as fontes, após subir 2,8% em 2018 (para R$ 2.247), manteve-se praticamente inalterado em 2019 (R$ 2.244). O Sudeste registrou o maior valor (R$ 2.645), seguido pelo Sul (R$ 2.499) e pelo Centro-Oeste (R$ 2.498), enquanto os menores valores estavam no Nordeste (R$ 1.510) e no Norte (R$ 1.601) …

      … O rendimento médio mensal real de todos os trabalhos foi de R$ 2.308 no ano passado. O valor manteve-se praticamente estável em relação a 2018, quando ficou em R$ 2.317. O maior valor da série ocorreu em 2014, quando alcançou R$ 2.364. Após queda de 4,1% em 2015 frente a 2014, o rendimento de todos os trabalhos ficou praticamente estável nos anos de 2016 e 2017 e registrou expansão de 2,3% em 2018 …

      … Segundo o IBGE, em 2019, permanecem as grandes discrepâncias entre o rendimento médio mensal real de todos os trabalhos das pessoas brancas (R$ 2.999), pardas (R$ 1.719) e pretas (R$ 1.673). Também continuam as diferenças de gênero: o rendimento de todos os trabalhos dos homens (R$ 2.555) é 28,7% mais alto que o das mulheres (R$ 1.985) …

      … De acordo com a pesquisa, o rendimento médio dos trabalhadores com ensino superior completo (R$ 5.108) era, aproximadamente, três vezes maior que o daqueles com somente o ensino médio completo (R$ 1.788) e cerca de seis vezes o daqueles sem instrução (R$ 918) …

      Publicado em 06/05/2020 (Agência Brasil)

      … O estudo mostra que a metade mais pobre da população vive com uma renda média de R$ 850 por mês. Os 5% mais pobres, ou cerca de 4,5 milhões de pessoas, recebem R$ 165, em média, por mês. Já os 1% mais ricos, cerca de 900 mil pessoas, ganharam em 2019 R$ 28.659 por mês. O valor equivale a 33,7 vezes a média da metade mais pobre … (Fôia)

      🤣🤣🤣🤣

      Curtir

    1. Poisé! O governo federal tá se fazendo de salame e não sabe pq a arrecadação subiu tanto? Explico de forma simples e didática prá qquer um entender: subiu pq todos os preços subiram em média mais de 35% aumentando a base de cálculo de todos os produtos vendidos e com estes aumentos houve ganhos das empresas ou aumento das margens e consequentemente dos lucros. Maior base de tributação é igual a maior tributação. Simples assim.

      Curtido por 3 pessoas

    2. 137 bi roubados da parcela da população que produz transferidos aos parasitas que nada produzem, só atrapalham a vida de quem quer trabalhar.
      Depois que o Pr disse que o PIB pode crescer 9% este ano, não estranhem se ele começar a saudar a mandioca também, talvez seria bom mudar a dieta do palácio. Mas é o que tem pra hoje, ainda não apareceu opção melhor e a que tem é muuuito pior.
      Já que ele pretende fazer uma mini reforma ministerial, aproveita e se livra do peso morto jegues. O problema é que provavelmente o sucessor seria ainda pior.
      Eita !!! Estamos no mato sem cachorro, se ficar o bicho come, se correr o bicho pega.

      Curtido por 3 pessoas

    3. Estes ganhos de arrecadação não se reverte em ganhos operacionais.( lucro operacional).

      Tem haver com dois fatores: Ganho inflacionário ” imposto inflacionário” Aumento de custos acarretado pelo excesso de liquidez e oferta restrita = inflação

      Uma menor produção e aumento de custos repassados ao consumidor = aumento de faturamento sem que aja aumento de produção.

      Basicamente empresa fatura, porem quase sempre não se reverte em lucro líquidos maiores , principalmente em setores devastados pelo covid!

      Basicamente os ganhos vem de commodities = pobres pagando mais impostos ” ICMS” , “PIS” “IRPJ” E afins em commodities agrícolas e petroleo = aumento de arrecadação.

      outro fator é o aumento de compras online = Reduz participação da economia informal.

      o resto é embuste
      Imposto inflacionário : melhor imposto que existe
      A custa de dizimar poder de compra da moeda.

      Curtido por 1 pessoa

  10. Café com Tetzner 22/Jul/21: Alavancagem e nota 3 reais, o caso TRXF11. Atualizações BARI, BCFF, LVBI, MGFF, PATC, TEPP, VLOL

    Alavancagem, Riscos: Operações de crédito contraídas podem atingir um montante maior que seu patrimônio atual, criando uma realidade na qual convive-se com um valor que não se tem.

    Notícias
    Relatório
    FII BARIGUI BARI
    FII BC FFII BCFF
    FII VBI LOG LVBI FR
    FII MOGNO MGFF
    FII PATRIA PATC
    FII TEL PROP TEPP FR
    FII OLIMPIA VLOL FR

    Cursos, Painel e Radar dos FIIs: https://tetzner.wordpress.com/loja

    😀 Siga o Tetzner

    Curtido por 2 pessoas

NOVOS COMENTÁRIOS AQUI: (sem links, emails ou telefones)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s