Caldeirão do Renatão

Tema livre, espaço aberto que será coordenado pelo amigo Renato UnReal.

Os comentários aqui publicados não constituem recomendação de compra ou venda de ativos; são opiniões divulgadas para incentivar o debate. Não recomendo ou incentivo que sejam tomadas decisões sobre investimentos de qualquer tipo; nosso foco é educacional e não me responsabilizo por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

1.451 comentários em “Caldeirão do Renatão”

  1. Frases para meditar – e, para nunca esquecer:

    O governo é bom em uma coisa. Ele sabe como quebrar as suas pernas apenas para depois lhe dar uma muleta e dizer: “Veja, se não fosse pelo governo, você não seria capaz de andar!” | Harry Browne

    LIBERDADE … a habilidade de viver a sua vida da maneira que você quer vivê-la.

    Vale a pena ler o livro … e ouvir as suas palestras

    EM TEMPO:
    Governo aprova renda-mínima e assistencialismo de R$ 600 / 3 meses. É VERGONHOSO. Ao invés de deixar o indivíduo trabalhar por conta-própria, por necessidade ou vontade, até vendendo BANANAS na beira da estrada se quiser ou for a única possibilidade … o que faz o governo ?

    CONFISCA-lhe seu meio econômico de vida e sobrevivência (as bananas), AMEAÇA-o de prisão, OBRIGANDO-o a receber o “vale-comida” e ficar DEPENDENTE do estado babá e prevaricador. Na prática, qual a diferença disso para a caderneta de comida de CUBA ? (Da VENEZUELA ? ) Da Romênia-comunista ?

    Curtir

  2. Thomas Piketty … lembram dele ?

    Eu, confesso: já tinha jogado no lixo (do esquecimento)
    Mas … como qualquer comida estragada … sempre volta a cheirar (mal)…

    Imposto sobre grandes fortunas, RENDA MÍNIMA, imposto no dividendos, projetos assistencialistas … mais imposto sobre herança, IMPOSTO! IMPOSTO! IMPOSTO!… para combater as … desigualdades!!

    Mas eles estão do lado do povo … não se precoupem.

    Curtir

    1. Ainda bem que podemos dar uma utilidade para esses “livros” : usar como papel higiênico.
      Já aqui em terras tupiniquins há um projeto tramitando para aumentar imposto sobre grandes fortunas. Detalhe para essa gente grandes fortunas detém todos que ganham acima de dois salários mínimos, aí entra uma extensa lista de exceções onde entram eles e seus mancomunados .
      Ignoram que a maioria dos países onde está estupidez foi implantada já voltaram atrás.
      Esse é o congresso que vamos ter para nos tirar da crise, imagina onde isso vai dar.

      Curtir

      1. Frases para meditar – e, para nunca esquecer:

        O governo é bom em uma coisa. Ele sabe como quebrar as suas pernas apenas para depois lhe dar uma muleta e dizer: “Veja, se não fosse pelo governo, você não seria capaz de andar!” | Harry Browne

        LIBERDADE é habilidade de viver a sua vida da maneira que você quer vivê-la.

        Vale a pena ler o livro … e ouvir as suas palestras

        EM TEMPO:
        Governo aprova renda-mínima e assistencialismo de R$ 600 / 3 meses. É VERGONHOSO. Ao invés de deixar o indivíduo trabalhar por conta-própria, por necessidade ou vontade, até vendendo BANANAS na beira da estrada se quiser ou for a única possibilidade… o que faz o governo ? CONFISCA-lhe seu meio econômico de vida e sobrevivência (as bananas), AMEAÇA-o de prisão, OBRIGANDO-o a receber o vale-comida e ficar DEPENDENTE do estado babá e prevaricador. Qual a diferença disso para a caderneta de comida de CUBA ? DA VENEZUELA ? Da Romênia-comunista ?

        Curtido por 1 pessoa

      2. IMPOSTO SOBRE GRANDE FORTUNAS! Que boa idéia, hein? Em plena crise, querem que os ricos vão embora do Brasil. Sim, por que alguém com grande fortuna aceitaria ser taxado (roubado) explicitamente pelo Estado e continuar a morar …no Brasil?? Para ser roubado (mais) é melhor morar na Suíça, por exemplo. Ou nos Estados Unidos. A França quando aplicou essa “genialidade”, viu centenas de milhares de ricos (muito ricos mesmo) irem embora. O País que mais gostou disso foi a Bélgica (bem pertinho) que os recebeu amigavelmente. Famosos, como o ator Gerard Depardie (acho que escreve assim) foi para a Rússia. Então o que vai acontecer? Os ricos de verdade vão embora, todos. Aí as aves de rapina destes parasitas fixam que grande fortuna é, por exemplo, um milhão de reais, porque tem muito pobre aqui, muita desigualdade, blablabla…aquele papinho de ladrões . E advinhem quem vai pagar essa conta, amigos investidores de Fiis????

        Curtir

      3. Trix, você lembra desde quando tem que confirmar que sua declaração de bens passa de 1 milhão de reais (200 mil dólares ou menos) no Ajuste Anual ? Pergunta: Tem alguma coisa a ver a tal confirmação com a intenção de tributar “grandes fortunas”??

        Curtir

  3. Renatão, depois dá uma procurada na entrevista que o “Dr. Bruce Aylward”, um dos Boss da OMS, deu pro The Pulse da RTKH, virou meme o momento que a reporter questiona sobre Taiwan – Pais que NÃO faz parte da OMS e conseguiu lidar muito bem com COVID-19.
    O “Dotor” finge que não ouviu, depois chega a encerrar o programa, tudo pra não ter que reconhecer de forma positiva Taiwan….

    Curtir

    1. Eu vi … entrevista boa é essa daqui: Impactos da quarentena no Brasil l Dr. Osmar Terra, Junior Durski e Dr. Roberto Zeballos … com especial atenção a esse último, quando fala dos telefonas que tem recebido do John Hopkins

      Curtir

  4. País desenvolvido de 1o. mundo é assim:

    Dá com uma mão …

    .. e tira com a outra!

    >>> Empréstimo cobrirá dois meses de folha e será limitado a dois salários mínimos por funcionário, informou o presidente do BC. Empresas não poderão demitir no período.

    Enquanto isso … em país sub-desenvolvido e assistencialista …
    Não tem conversa-fiada: Vai para a FILA do DESEMPREGO e …

    Zefini!

    Curtir

  5. >>> Para mim, o artigo é CLARíSSIMO! mas … o melhor mesmo é ler o que os especialistas no assunto tem a dizer… conhecem o termo factum principis ?! -rsrsr É cada uma …

    Curtir

    1. Como ficam os contratos de aluguel de lojas de shoppings diante do cenário do coronavírus

      Luís Fernando de Lima Carvalho* ao ESTADÃO

      28 de março de 2020 | 13h00

      A contratação entre lojistas e Shopping Center possui uma natureza complexa. O shopping Center, por sua estrutura, traz consigo peculiaridades que impõem, inclusive nos termos da lei específica de locação, um tratamento jurídico diverso.

      O art. 54 da Lei de locação é claro ao dispor a liberdade entre os contratantes. Apenas em seu parágrafo primeiro há algumas vedações daquilo que pode ser ajustado entre as partes.

      O locatário, desde a contratação, já está ciente das normas gerais da locação, as quais se tornam públicas por seu registro em cartórios extrajudiciais.

      Nesse sentido, para o caso ora tratado, seria necessário analisar cada regulamentação geral e, claro, cada contrato para saber as disposições fixadas entre as partes.

      Sabe-se que, usualmente, locador e locatário estipulam como aluguel um valor fixo mínimo e/ou um valor percentual do faturamento da loja.

      No entanto, a questão, agora, deixa de se limitar à vontade das partes e passa a ter o envolvimento de toda coletividade. Por isso a intervenção estatal.

      No estado de São Paulo, destacamos o pronunciamento do governador João Dória recomendando o fechamento dos shoppings, porém, houve, ontem, por exemplo, a manifestação de nove prefeitos de cidades da Baixada Santista e do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, comunicando a efetiva proibição de abertura.

      Juridicamente denomina-se esta ordem, imprevisível, como Fato do Príncipe. Para defesa do interesse da coletividade, o Estado intervém diretamente no contrato, in casu, no funcionamento do shopping Center e consequentemente dos lojistas. Por conta deste fato, nenhuma parte pode ser responsabilizada. Não há inadimplemento contratual. Ambas não podem exercer a posse do imóvel.

      Assim, a suspensão das atividades, a nosso ver, não deve gerar maiores ônus tanto ao lojista, que já terá de responder por tantos encargos, como por exemplo, os trabalhistas, e não terá condições de gerar faturamento, como para os shoppings, que da mesma forma responderão por seus empregados e deixarão de receber valores locativos correspondentes às vendas dos seus locatários.

      Acreditamos, então, que a melhor alternativa, até em cumprimento à boa-fé contratual, para as partes envolvidas é a composição a fim de que o contrato fique temporariamente suspenso, suspendendo-se também, por certo, a exigência de suas obrigações.

      A Lei de locação no seu art. 9o., inciso IV, prevê a possibilidade de se desfazer o contrato de locação caso sejam ordenadas pelo poder público reformas no imóvel.

      Tal comando, em relação à ordem estatal, não é diretamente aplicável, mas pode servir, por analogia, a uma compreensão de que, de fato, todos os contratos de locação, de uma forma geral, estão sujeitos à intervenção do poder público, podendo inclusive ser desfeitos.

      Enfim, como falamos, e principalmente considerando a necessidade de darmos todos, sem exceção, uma imensa atenção à responsabilidade social, o ajuste entre as partes é o melhor procedimento a ser feito.

      *Luís Fernando de Lima Carvalho – Responsável pela área de Direito Imobiliário, Consultivo e Contencioso do CSMV Advogados. Doutor e Mestre em Direito Civil pela PUC/SP. Pesquisador convidado na Università degli Studi di Camerino, Itália. Especialista em Direito dos Contratos pelo Centro de Extensão Universitária. Formado pelo Mackenzie. Leciona Direito Imobiliário, Civil e Processual Civil nos cursos de especialização da FAAP. Coordenador e autor do livro “A nova execução de títulos extrajudiciais”. Dentre outros artigos e publicações é co-articulista da obra “Estudos avançados de direito imobiliário”.

      Curtir

  6. Olha pessoALL… medo, medo… dessa crise auto-imposta, sinceramente não tenho. Tenho (muito) medo, sim, da caneta dos governantes, de eleição, etc… do RISCO POLÍTICO, das decisões monetárias de ocasião, “confisco”, etc.

    Nem medo do risco de não receber aluguel, tenho. Podem até deixar de pagar… não vai ser tanto o caso dentro do meu portifólio FII, focado em Logístico e corporativo e FdF entupidos de dinheiro em caixa rendendo pelo menos um CDI-zinho… mas enfim: 1 mês, 2 meses, etc sem aluguel mas depois… um dia, pagam! E tudo volta ao “normal”.

    O que realmente me decepciona e muito me entristece nesse episódio do virus chinês … é com o nível [baixíssimo!!] de aspiração de LIBERDADE da sociedade civil brasileira.

    Como os brasileiros se mostram dispostos a se colocarem debaixo de uma autoridade estatal é algo estupendo ! Nao totalmente surpreendente, haja visto o conceito de Pai dos Pobres desde 1930 que nos acomete … mas é extraordinariamente entristecedor para mim constatar o voluntarialismo da maioria dos indivíduos para trilhar os caminhos de suas vidas juntos a um estado… “forte”.

    A sociedade brasileira está muito, muito, mas muito mesmo… FRAGILIZADA e totalmente DISPOSTA a se colocar debaixo do cabresto de um poder “forte”.

    É LAMENTáVEL … está muito fácil criar o caos para conquistar e dominar. Pensei que tinhámos superado a estigma de povo dócil e servil, mas me enganei.

    Curtir

  7. ANATOMIA do crash / crise (auto-imposta!):

    É muito simples, não tem necessidade de complicar:

    1. Em um primeiro momento … DESOVA para 50% da cotação atual; paralisa e aguarda.

    2. Em se aguardando… SOBE uns 30% a título de operar no intradiário, observando o ambiente.

    E vai operando de lado… até os resultados de 2 TRIM consecutivos confirmem ou rechaçem a “crise”

    O resto todo é mimimimimi
    (ñ é dica de nada.)

    Curtir

    1. Minha visão-macro …

      1. Fundos logísticos no fundo da lista … e muitos deles já pagando prêmio acima do VPA. Setor mais resiliente ao CRASH (me recuso a denominar o momento de “crise”). Bom para renda; Upside ~20%

      3. O restante dos Fundos … exceto FII de shoppings (até por que eu nao tenho nenhum em carteira) embolados no meio de campo. Bom para observr; Upside ~ 10-20%

      Sr. Mercado vivendo um dia-de-cada-vez … e se alimentando de realizações no intradiário … eu creio que vai ficar assim pelos próximos 6 meses [ou, 2 resultados consecutivos de trimestre]. O 1. resultado de TRIM pós-crash… já está precificado. A depender do tamanho do rombo … e em se confirmado pelo resultado do 2o. TRIM, vai subir ou descer mais. Na minha visão, vai subir… mas isso sou eu. Não é dica de nada. Durante esses 3 – 6 meses… entusiasmo ZERO com qualquer retomada/subida.

      Me posicionei em vários FII estratégicos, visando o longo prazo (2 -5 anos; sim … meu LP é dessa magnitude.) mas eu tenho que preservar RENDA MENSAL, por isso estou aproveitando as cotações deprimidas do FII log;isticos e entrando como posso. Faço operações focadas de oportunidade.

      Curtir

      1. 1. CORREÇÃO: onde escrevi “Upside ~20%” … lê-se pouco Upside < ~5-10%"

        2. FALTOU: Fundos de Fundos no topo da lista… talvez aversão à alocação do portifólios deles concentrada em shoppings e táticas visando ganho de capital, apesar do ELEVADO dinheiro em caixa já relatados por diversos deles e intenção de manter uma renda possível. Bom para ganho de capital; Upside > ~20%

        MERCADO atualmente NÃO opera baseado em FUNDAMENTOs.

        Curtir

  8. A empresa tomanaod uma séwrie d emedidas para preservsr caixa, como reduçao de investimentos e… anunciou na manhã de hoje que adiou o pagamento de dividendos aos acionistas, de 20 de maio deste ano para 15 de dezembro de 2020.

    E atenção!! a DATA-BASE para se ter DIREITO AOS PROVENTOS será 27 de abril, data da nova AGO. Assim… a cotação da ação mais provavelmente vai se descolar da cotação do OIL por causa disso.

    “Investidor tá no prejuízo mas não é bobo não !!”

    Curtir

  9. Então .. lembram daquele epidemiologista famoso que foi conversar com o TRUMP … e cujo MODELO MATEMÁTICO de SIMULAÇÃO estava sendo utilizado pelo mundo todo para predizer a progressão da viroso, nr. de mortes etc e tal .. pois é!!!

    Chamaram-no no parlamento inglês para prestar contas, e o danadinho colocou lá um Coeficiente de CAGAÇO no modelo, coeficiente esse já muito conhecido na minha engenharia civil, rodou o modelo de novo e… advinhem ? De 500 mil mortes caiu para … 20 mil.

    E ainda tem gente que acredita que projeção… é REALIDADE!

    Que fique a lição aí para os mais engraçadinhos; inclusive o tal “cientista” da IMPERIAL COLLEGE of LONDON, casa de tantos Nobel da Ciência (da época que Nobel da Ciência não era agracidado pela cor da pele, gênero nem preferência sexual)

    Curtir

  10. O dilema da SEDE PRÓPRIA

    É comum os empreendedores e empresários procurarem ajuda especializada para decidir se é preferível ou não ter sede própria. Em retrospecto, quantos de nós ainda lembramos de quando as empresas se orgulhavam de estampar os dizeres empresa com sede própria ? Eu me lembro ! Era motivo de (muito) orgulho, inclusive. Solidez.

    Mas os tempos mudam … e hoje até nos deparamos com os FUNDOS IMOBILIÁRIOS e a possibilidade até de se fazer um sale/leaseback onde uma transação de vendas entre o proprietário do imóvel e o comprador (no caso, um FII) que funciona como um empréstimo. O proprietário vende o objeto ou propriedade e, em seguida, aluga-o imediatamente do comprador. Os pagamentos assumem a forma de despesas de aluguel.

    Como o tema continua a provocar discórida entre sócios, ou comumente entre fundadores e herdeiros da empresa quando familiar… a pergunta permanece: Afinal, é bom ou ruim investir na sede própria?

    Se utilizar alguns critérios puramente matemáticos para responder à dúvida, a respsota seria majoritariamente NEGATIVA. Não, não vale a pena investir em uma sede própria. Eu demonstro:

    Suponha que a rentabilidade do negócio seja de cerca de 10% ao mês. E que a empresa está localizada em um galpão / laje corporativa cujo aluguel representa um cap_rate de cerca de 9%; ou seja, se o valor venal do imóvel for de 1 milhão de reais, o aluguel estaria na faixa de uns R$ 7.500,00 mensais. Geralmente, o primeiro pensamento seria dividir esse valor pelo valor do aluguel (R$ 1 MM / R$ 7500) e chegar a conclusão de que em uns 130 meses livres do aluguel … o investimento da aquisição estaria pago. A partir desse ponto, o lucro da empresa aumentaria na proporção do aluguel não mais pago. Esse é o pensamento majoritário utilizado pelo empresário para decidir construir ou alugar.

    Se o empresário estivesse levando em consideração “apenas” construção/aluguel, talvez essa decisão não estivesse muito errada. Contudo, ao ampliar a visão para incluir outras variáveis ao problema, por ex. custo de oportunidade talvez a solução poderia ser outra.

    Assim, se o empreendedor optasse por não construir a sede própria e investir os R$ 1 MM no próprio negócio, admtindo a mesma rentabilidade de 10%, ao final do mês obteríamos R$ 100 mil de rentabildiade (R$ 1 MM x 10%). O suficiente para pagar uns 13 meses de aluguel (R$ 100 mil / R$ 7500). Mas a matemática não para por aí.

    Se optarmos por reinvestir o capital de R$ 1 MM somado ao ganho na empresa no mês anterior de R$ 100 mil e deduzindo o valor do aluguel do mês (R$ 7,5 mil) faríamos um novo investimento, agora de R$ 1,0925 MM. (1.000.000 + 100.000 – 7.500). Como resultado ao final do segundo mês teríamos R$ 109.250,00 mil de rentabilidade (1.092.500 x 10%). Isso daria um montante de R$ 1.201.750,00 ao final do segundo mês (R$ 1.092.500,00 + R$ 109.250,00). Repetindo o processo: R$ 1.201.750,00 – R$ 7.500,00 = R$ 1.194.250,00 + 10% ao final do 3o. período obtendo assim R$ 1.313.675,00. Essa é uma das matemáticas que pode seguir repetindo por toda a vida da empresa.

    Mesmo sendo a via matemática clara ao nos dizer não ser a construção da sede própria a melhor opção, sabemos que os números apenas nào refletem os anseios de quem busca a resposta. Muitas vezes, os empreendedores olham para seus negócios como objetivos de vida, de modo que o patrimônio e riqueza gerados muitas vezes tornam-se também a fundação financeira sobre a qual vidas dos fmailiares e herdeiros se tornarão mais prósperas no futuro.

    Desse modo, mesmo podendo não ser vantajoso construir e se abrigar em uma sede própria, é preciso realizar uma análise mais aprofundada para saber qual o objetivo do negócio e de vida de seus fundadores para tentar encontrar o momento mais certo para que a mobilização da riqueza em um imóvel aconteça sem prejudicar a sobrevivência da empresa.

    Abs …

NOVOS COMENTÁRIOS AQUI: (sem links, emails ou telefones)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s