Cantinho do Conejo

conejo1-11

Conejo10, o Eterno Embaixador dos FIIs

“more pelo menos uma vez numa cidade grande, mas vá embora antes que ela o endureça; more pelo menos uma vez numa cidade a beira-mar, mas vá embora antes que ela o amoleça”

Incentive o Blog, assine os produtos e serviços!

Mini_FitaProdServ

Compartilhe com o amigos, basta clicar aqui embaixo no Twitter, Facebook ou Google+

Anúncios

1.159 comentários sobre “Cantinho do Conejo

  1. Para tranquilizar essa garotada que está vindo para cá agora (novatos em investimentos em FII) que se mostra preocupado com ruídos de pororoca, postei o comentário abaixo e acabei recebendo nada menos 18 GOSTEI, portanto acho que pode ter algum conteúdo pedagógico….

    Crise? Que crise?
    Não sei por quantas crises já passei nesses 78 anos
    Me lembro de algumas – o confisco de Geisel e Simonsen, lá por 1976, em que foi baixado um EMPRÉSTIMO COMPULSÓRIO (nunca devolvido) sobre os ganhos do ano anterior, sobre viagens (passagens e remessas para hotéis), compra de dólares e compra de veículo novo.
    Com Figueiredo, em 1981, os reajustes salariais foram rebaixados em 15% e ninguém podia ganhar mais do que 1 FIG (FIG era o salário do Pres Figueiredo, ninguém podia ganhar mais que ele e ele ganhava pouco. Até eu, funcionário subalterno, tive corte no salário.
    Em 1989, a hiperinflação do Sarney, que chegou a 89% num único mês.
    O sequestro da poupança com Collor e as perdas salariais com as constantes trocas de moeda – cruzeiro, cruzeiro novo, cruzado, cruzeiro, ufir e real.
    E vocês se assustam com um governo só porque é novo?

    Curtido por 1 pessoa

    • Conejo, sempre quis conversar sobre essas crises que ocorreram antes de eu nascer, com as pessoas de mais idade(sabedoria) a única que me lembro vagamente é a do Collor, lembro do meu bisa vô falando que um dia antes bateu uma inquietação nele e a todo custo ele quis ir no banco sacar o dinheiro e deixar em casa para compra de um imóvel no dia seguinte.
      E foi a salvação rs…. 🙂

      Enfim, estarei na lagoina do leste no final de semana com um grupo de juventude da minha comunidade.
      Aparece por lá para prosearmos sobre a navegação nessas crises.
      Tenho particular interesse nas que ocorreram no período de investimentos em infraestrutura dentro do país.

      Abraço,

      Curtir

      • Seria uma boa mas estarei nos Ingleses recebendo parentes e amigos. A história de seu bisavô merece melhores detalhes pois a pedido de Collor o Pres José Sarney decretou feriado bancario, de surpresa, então não havia como sacar, só se fosse muito amigo do gerente.

        Curtir

      • Boa tarde Conejo,
        Quem dera ele estivesse vivo, eu buscaria estes detalhes rs… 🙂 então vou ficar devendo!
        Mas creio que ele não tinha muita intimidade com os gerentes de banco não, ele era feirante na Ceilândia embora ele tenha feito alguns negócios de compra e venda de imóveis, cavalos e galinha durante a vida dele lá no DF, não creio que ele tenha desenvolvido um nível de amizade que obtivesse esse tipo de “gentileza” por parte de um gerente de conta.
        Mas fiquei até curioso por conta de outras histórias da família vou até procurar os tios pra buscar umas informações kkkk

        Bom feriado aí pra você e sua família!

        Curtido por 1 pessoa

  2. ANTES QUE SEJA TARDE

    Amigos, aposentei meu título de eleitor. Não consigo mais suportar essa guerra fratricida, provocada por um candidato vazio de ideias e entupido de preconceito contra outro que foi sem ter sido, que esqueceu de se recolher. Como registra Augusto dos Anjos, a mão que afaga é a mesma que apedreja; como o Sol que nutre o alimento é o mesmo que aquece a erva daninha.

    Pais brigam com filhos.
    Irmão com irmão.
    Marido com a mulher, com o cunhado, com a sogra, com o vizinho, com o síndico.
    Médico xinga paciente.
    Taxista se irrita com passageiro.
    Patroa ofende doméstica.
    Família rompe com outras famílias.
    Cidadão são hostilizados, a autoridade desobedecida, o motorista ameaça com seu veículo. O do outro lado sente medo.
    Aqueles que nada têm a perder creem que pegando uma faca farão parte do grupo vencedor; esquecem que as promessas são vazias e que a mentira cobra alto preço.
    O eleitor parece confuso: diz que é contra a ditadura mas vota em quem a elogia.
    A Nação, à beira do abismo, a disseção como resultado, o grito é a última palavra.

    B A S T A !

    “Em nosso tempo, aprendemos a submeter a amizade àquilo que chamamos de convicções. E até mesmo com o orgulho de uma retidão moral. É preciso realmente uma grande maturidade para compreender que a opinião que nós defendemos não passa de nossa hipótese preferida, necessariamente imperfeita, provavelmente transitória, que apenas os muito obtusos podem transformar numa certeza ou numa verdade. Ao contrário da fidelidade pueril a uma convicção, a fidelidade a um amigo é uma virtude, talvez a única, a última. Hoje, eu sei: na hora do balanço final, a ferida mais dolorosa é a das amizades feridas: e nada é mais tolo do que sacrificar uma amizade pela política ou por uma pretensa convicção.”

    Milan Kundera, escritor tcheco ( A Insustentável Leveza do Ser)

    Curtido por 3 pessoas

  3. DIA DO IDOSO, ESTAMOS NOS PREPARANDO? (*)
    Ela é inevitável, mas ainda assim esquecemos de nos preparar
    Michael Viriato

    Criado em 1991 pela ONU, o dia do idoso é comemorado em 1 de outubro. A data foi criada com o objetivo de chamar a atenção da sociedade para as questões do envelhecimento.
    Segundo o site do Ministério da Saúde, o Brasil possui a quinta maior população de idosos do mundo e em 2030, o número de brasileiros com mais de 60 anos, será maior que o de crianças de até 14 anos de idade. Portanto, devemos nos planejar financeiramente para este momento.

    Previdência
    No último levantamento do IBGE, em 2016, a expectativa média de vida dos brasileiros subiu para 76 anos e de cada 100 pessoas, 50% viveriam mais de 80 anos.
    Atualmente, a expectativa média de vida para quem chega aos 65 anos de idade é de 20 anos, ou seja, quem chega aos 65 anos, deve esperar viver até os 85 anos, podendo facilmente ultrapassá-los
    Isto quer dizer que ao chegar aos 60 anos, você deve estar preparado para ter um patrimônio suficiente para proporcionar renda por pelo menos trinta anos.

    Por exemplo, considere que deseja ter uma renda mensal de R$ 5 mil. Multiplicando-se por 12, chega-se a R$ 60 mil. Dividindo este último por 0,04, encontra-se o patrimônio necessário, na aposentadoria, que seria neste caso de R$ 1,5 milhões.
    Se pretende se aposentar com 65 anos, deveria ter este patrimônio a valores de hoje. Para chegar lá, apresento abaixo uma simulação de quanto deveria ter em cada idade, considerando que aplica, de forma simples, apenas em títulos públicos com retorno de 5,5% ao ano e referenciados à inflação.

    Para acompanhar se já atingiu a meta, basta olhar se seu patrimônio já alcançou o valor, da terceira coluna (**), de acordo com sua idade. Por exemplo, se você tem 40 anos e seu patrimônio financeiro é de R$ 393.350,56, parabéns, você não precisaria mais contribuir com nada e, provavelmente, alcançará seu objetivo.
    Saúde

    Outra dica importante para economizar com saúde, no futuro, é adotar hábitos saudáveis desde cedo.
    A prática de esportes e uma alimentação balanceada reduzirão seus custos futuros e seu esforço com poupança para financiá-los.
    As plataformas das principais seguradoras dão dicas adicionais sobre como atingir seus objetivos financeiros para ter uma vida melhor na terceira idade.
    Michael Viriato é professor de finanças do Insper e sócio fundador da Casa do Investidor.
    (*)Material com cortes em respeito aos direitos autorais. Recomendo a leitura da íntegra na FSP
    (**) Infelizmente não consegui trazer para cá a tabela de quando se deve poupar mês a mês de acordo com a idade.

    Curtir

  4. Meu amigo não sei se já comentou aqui no Fórum ou mesmo no seu cantinho, mas gostaria de saber se o senhor investe apenas em FIIs ou tem algum outro tipo de investimento, se não quiser responder vou entender, mas é que aprendo muito com suas postagens e fiquei curioso. Eu invisto em FIIs, tenho um apartamento que alugo e o restante está aplicado em um PGBL da caixa, pois como faço a declaração no formulário completo consigo abater no IR

    Curtir

    • Salve Rodrigo. Embora eu não seja paradigma pois investimentos dependem do perfil de cada qual, estou 90% em FII e apenas 10% em fundos multimercados (Rio Bravo Juros FIC e Absolute Alpha, ambos da Rio Bravo, que administra parte de minha carteira).

      Curtir

  5. OS 7 PECADOS CAPITAIS NOS INVESTIMENTOS

    Estava eu lá nos Ingleses do Rio Vermelho, na barbearia do Miguelino aguardando minha vez. O Miguelino é “das antigas”, tem uma placa onde se lê – Cabelo 20,00 Barba 12,00. É desses que a modernidade decretou a extinção.

    Pois foi ali que encontrei um exemplar antigo, essas coisas que acontecem em salas de espera até de médicos, da revista EXAME. Data: junho de 2012.

    O que me interessou foi a bem escorada matéria sobre os principais erros de investidores iniciantes.

    O trabalho, feito por Flávia Lima e Alessandra Bellotto, resume em 7 os Pecados Capitais do aloprado investidor. São pecados que, em maior ou menor escala, todos cometemos.

    1.- A PREGUIÇA – O homem se move com lentidão quando a mudança de hábito implica esforço, diz a doutora em psicologia econômica Vera Rita Ferreira. Vencer a inércia é meio caminho andado.

    2.- A INDISCIPLINA – Adotar métodos simples é uma atitude que pode render para sempre. Sem atenção às finanças, suas aplicações podem começar a perder a corrida contra a inflação.

    3.- A IGNORÂNCIA – Se você acha o conhecimento caro experimente a desinformação. O investidor pode correr riscos que desconhece quando é tomado pelo entusiasmo.

    4.- A GANÂNCIA – Não se iluda: nem o cafezinho é grátis. Em um cenário com menos possibilidade de ganho, a tentação de buscar o lucro fácil é ainda maior, assim como o risco de cair em golpes.

    5.- A INGENUIDADE – Investimento também é produto. Como em qualquer compra, desconfie. Não vá fazer a pergunta para quem tem interesse em dar a resposta que você queria ouvir: Essa é a primeira lição para deixar a ingenuidade de lado.

    6.- A IRRACIONALIDADE – Se a regra é comprar na baixa e vender na alta, por que as pessoas fazem o contrário? Gestores reconhecidos pregam a distância de opinião de consenso.

    7.- O MEDO – Quem teme mudar pode ser a maior vítima da queda do juro. Os imóveis, vistos por muitos como aplicação segura e rentável, podem não ser uma coisa nem outra no cenário atua

    VANIO COELHO – Jornalista e advogado aposentado. Investe em FII desde 2002.

    Curtido por 1 pessoa

    • És um sociólogo também, pois é no boteco, na barbearia (das antigas), ou na oficina mecânica, num banca de jornal, que, através da prosa ou de um artigo perdido em uma revista sobre a cadeira, que entendemos a vida, os erros e acertos, comuns a todo ser vivo em qualquer área de formação.

      Deixa eu te contar uma coisa:
      Eu tinha uma oficina mecânica, e um vizinho de 3 casas ao lado, sempre ia lá, todos os dias, com jornal na mão, para conversar com a gente. Mas ele mais ouvia do que falava. Sentava na única cadeira que tinha ali perto da entrada e enquanto nós mexíamos nos carros, ele ouvia atentamente nossas ideias para o mundo, para o brasil, para São Paulo… Se chamava Otavio.

      Um belo dia, ele parou de vir. Sua filha passou lá para consertar sua velha parati e informou que o pai havia falecido. Ela pagou o conserto com um cheque dela em conjunto com ele. Vi o nome: Otavio Ianni.

      A noite no jornal nacional, em casa vi a noticia da morte do principal sociólogo e amigo pessoal de FHC (estudaram juntos), professor na USP e a voz contrapontística para Fernando Henrique Cardoso: Sr. Octavio Ianni.
      A filha no dia seguinte me confirmou que se tratava do pai dela, sempre discreto.

      Em todos estes anos, jamais soube quem ele era…

      Curtir

  6. EU SOU CIGARRA

    Por Vanio Coelho (*)

    Você conhece a fábula da cigarra e da formiga: esfomeada e com frio, pediu ajuda à diligente formiga, que perguntou:

    “O que você fez no verão?
    “Eu cantei!
    “Vous chantiez? Et bien, dansez maintenant!

    Bom, então por que me identifico com a cigarra?
    O que vocês conhecem da fábula é uma lição de moral: há que se preparar para o inverno, para superar os tropeços que a vida coloca em nosso caminho. Mas nem por isso vamos deixar de cantar e dançar.

    Afinal, as cigarras são insetos que passam a maior parte da vida sob a terra. Assim que nascem – eclodindo de ovos postos em galhos de árvores – caem no solo e entram na terra. No subsolo, buscam raízes de árvores, nas quais se fixam para sugar a seiva. Depois de passar cerca de um ano nestas condições, estes insetos amadurecem e deixam a terra para concluir seu ciclo vital para entrar na fase adulta, que dura apenas alguns dias.

    Nenhum de nós pode se furtar de relaxar, de se divertir com a família, de comparecer ao happy hour semanal com os amigos. Neste exato momento temos um grande amigo, o Sotijolo, se divertindo no… Camboja. Temos também aquele querido amigo Mochileiro, o Soul Surfer, que nos mostra pedaços encantadores da América Latina, em suas folgas entre o trabalho como Procurador e analista não profissional de investimentos.

    Tenho um filho que procura conhecer os lugares mais distantes do mundo – Machu Pichu no Peru, Rio Ganges na Índia, mamadas de elefantes em Moçambique, Katmandu no Nepal, enquanto põe em risco sua segurança no Iêmen, no Sudão, no Afeganistão, no Haiti, na Síria. Eu mesmo ainda não abandonei os projetos de conhecer as vinícolas da região do Beaujolais, onde no meu tempo de estagiário e Lyon me convidaram para participar da colheita da uva, em troca de uma paga em dinheiro mais 2 litros semanais de Beaujolais. Ou de conhecer os ursos grizzlys no Canadá.
    A Bíblia diz que é uma bênção de Deus aproveitar os frutos de nosso trabalho, o que inclui divertir-se: “Nada há melhor para o homem do que comer, beber e fazer que a sua alma goze o bem do seu trabalho. No entanto, vi também que isto vem da mão de Deus…” (Ec 2. 24)
    A diversão faz muito bem para a saúde, é uma ótima forma de fazer amigos, de aliviar a tensão do dia a dia, além de ser uma ótima oportunidade de testemunhar do amor de Deus para as pessoas. A diversão deve fazer parte da nossa rotina. Devemos programar esses momentos e investir neles. Precisamos arrumar tempo para diversão com a família, com os amigos, com os irmãos na fé.
    E se divertir no trabalho?
    Por que as pessoas têm a impressão de que diversão e trabalho não podem andar juntos? O que há de errado em ver o tempo passar voando no trabalho ou, ao negociar um novo projeto, não ver a hora de poder realmente trabalhar e criar novas soluções para o desafio apresentado? Será mesmo que ficar de cara fechada o dia inteiro, sentado numa mesa com a cabeça no monitor um bom sinal de produtividade? Serão ambientes completamente estéreis, sem alma ou vida, melhores para o rendimento dos trabalhadores por estarem livres de distrações? Eu tenho certeza que não. (Diversão Luís Alt)
    Um líder mais espirituoso, uma equipe mais entrosada, um ambiente menos sisudo. Esses três itens ajudam a deixar o clima no trabalho menos tenso, deixam os profissionais mais leves e felizes e aumentam a produtividade e o desempenho deles. Embora não seja aceita em muitos ambientes de trabalho, a diversão só traz benefícios.
    “O ambiente descontraído é sadio e motivador e pode, sim, aumentar a produtividade dos profissionais”, afirma a gerente de Planejamento de Carreira da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Vanessa Novais. “Um local mais divertido aumenta a criatividade”, diz.
    Não importa o que estiver fazendo, nem a natureza do seu trabalho, é sempre possível encontrar uma forma de colocar prazer e leveza nele.
    Tudo o que você se sente obrigado a fazer adquire um peso. É como se você não tivesse escolha. Entretanto, não dá para viver sem compromissos, sem cumprir tarefas que o levarão a alcançar objetivos e a progredir na vida.
    A chave é transformar tarefas e obrigações em escolhas e diversão.
    Esse é o segredo das pessoas bem sucedidas, que amam o que fazem. Muitas delas, contaram que aprenderam a amar aquilo que fazem, descobrindo nas dificuldades a motivação para ir além.
    Mas o que divertir-se?
    Pode-se chamar diversão a qualquer atividade agradável que serve de descanso por não ser obrigatória e interromper o trabalho habitual. Divertir-se um pouco é bom e necessário pois o homem necessita de algum descanso para reparar as forças físicas e mentais.
    A diversão é o principal da vida? Não, não. Isto converteria as vidas e as pessoas em inúteis. E o homem não é um ser inútil, mas há grandes ideais que se podem tentar. A diversão não deve ser o fim principal da vida, mas sim algo conveniente para outra.
    Para que serve a diversão? Com a diversão pode-se pretender:
    o Respeito consigo próprio: Descansar, aliviar a fadiga do coração e da mente para depois trabalhar melhor. Melhorar a formação. Desenvolver alguma habilidade.
    o Respeito para os demais: Prestar-lhes um serviço diferente do habitual. Estabelecer novas amizades ou mantê-las.
    o Respeito com Deus: procurar uma maior proximidade com um trato mais relaxado sem as preocupações habituais.
    O álcool, sexo e drogas divertem? Não são nada divertidos. Proporcionam prazeres ou travam o uso da razão mas, assim, o homem não descansa e, como alimenta o egoísmo, piora o seu coração.
    5. É melhor trabalhar ou divertir-se? As duas coisas são boas e necessárias, cada uma no seu momento. Nas crianças pequenas, a diversão e as brincadeiras ocupam maior espaço. Ao crescer em maturidade, o homem capta a maior importância do trabalho. Pelo contrário, pensar apenas em divertir-se dificulta a formação da personalidade.
    6. A diversão faz o homem feliz? Há três casos:
    o A diversão racional: descansa o homem e contribui para a felicidade.
    o A diversão em exclusivo: não torna o homem feliz pois falta-lhe o equilíbrio do trabalho. O coração humano necessita de desenvolver os seus talentos e servir os outros.
    o As falsas diversões (álcool, sexo, drogas…) nem descansam nem divertem, mas diminuem a dignidade da pessoa.
    7. Na juventude, a diversão é o mais importante? A diversão não é o mais importante em nenhum momento da vida, tal como o descanso. Mais importante são o trabalho, o estudo, a oração, a cultura, o serviço aos outros… A diversão e o descanso só são necessários para depois aproveitar melhor o tempo.
    8. Mas, se alguém não se diverte enquanto é jovem, desaproveita a vida? O que perde é alguns momentos de diversão. Por seu lado, se se dedica principalmente à diversão, perderá horas de trabalho, de oração, de serviço… Terá que escolher prioridades.
    Brincar não é só coisa de humanos. Na natureza, a brincadeira é comum entre os mais variados animais, sejam mamíferos, aves, répteis, até alguns animais invertebrados, como o polvo e a abelha. O fato de a brincadeira ser tão difundida sugere que ela surgiu há muito tempo na história da evolução.
    Apesar de associarmos o ato de brincar à simples diversão, se a natureza manteve essa característica ao longo do processo evolutivo das espécies, ela deve também servir a algum propósito vital. Cientistas estão descobrindo que quando seu filho está brincando, ele está fazendo algo crucial para a sua vida, pois a brincadeira auxilia no desenvolvimento dos cérebros das crianças.
    Nos últimos cinquenta anos, o tempo que as crianças passam brincando livremente tem diminuído cada vez mais, e isso está impedindo-as de se transformar em adultos confiantes
    Este trabalho reproduz algumas citações recolhidas na internet e nem sempre identificam seus verdadeiros autores.

    (*) Vanio Coelho – Advogado e Jornalista aposentado. Investe all in FII desde 2002. Vive da renda de seus fundos.

    (**) Publicado originalmente na REVISTA DO TETZNER EM ABRIL DE 2015

    Curtido por 1 pessoa

  7. Não é publicidade:

    ENCONTREI ALGUÉM PARA PAGAR MINHAS CONTAS

    Vanio Coelho (*)

    Que tal você encontrar alguém que pague mensalmente as suas contas de IPTU, condomínio, TV a cabo, Telefone, Internet, Luz, Netflix, Jornal Digital, cartões de crédito e ainda sobra para alguns luxos?

    É fácil falar, difícil chegar lá para quem não possui margem para poupança.

    Mas o fato é que temos que começar logo, pensando em montar um patrimônio para usufruir na aposentadoria. Caso contrário vamos ter que ficar nos pontos de cruzamento vendendo 7 panos de chão por 10 reais…. Ou vendendo jornais nos semáforos.

    Outro dia assisti ao nosso amigo Barão (Marcos Baroni) numa live no You Tube. Eis parte de seu depoimento:

    “FII é bom, mesmo quando se erra: De tudo que já estudei neste universo de investimentos em Fundos Imobiliários, pude perceber que a resiliência do Fluxo de Caixa Livre (Renda) faz com que o investidor seja capaz de manter seu patrimônio crescente com muita segurança ao longo dos anos. Os Fundos “ruins” passam, nos ferem, mas o tempo se encarrega de ajustar as distorções com compras recorrentes”.

    Dois conhecidos no mundo dos FIIs – Prof. Arthur Moraes e Sergio Belleza (quem não os conhece não conhece esse segmento) travaram um entusiasta debate a respeito se os Fundos Imobiliários são ou não uma oitava maravilha. Evidente que, um pouco mais um pouco menos, ambos concordaram.

    Menos de 100 mil brasileiros são cotistas dos mais de 150 fundos imobiliários. Na Bolsa os investidores são cinco vezes mais. É um produto com mais de 30 anos porém pouco divulgado. Ora porque os gerentes de banco não são direcionados para incentivar esse tipo de investimento no qual o banco nada ganha, ora porque o próprio gerente ignora o produto. Mesmo os especialistas em finanças não raro ouviram falar do produto mas nunca se interessaram em aprofundar-se e muito menos a recomendar.

    Como começar, então, a investir em fundos imobiliários?

    Há tipos de FIIs para todos os gostos – tijolo (lajes, galpões, casas, shoppings, hospitais), papel (CRI, LCI) e até fundos que compram cotas de outros fundos (FOF).

    Confuso? Existem inúmeros blogs, salas de WhatsApp, programas ao vivo na internet. Como o do Tetzner

    (https://tetzner.wordpress.com/#comments).

    Importante é buscar informações e até pagar pela montagem de uma carteira ou adquirir livros a respeito. Mas mesmo com toda literatura sempre haverá necessidade de receber uma explicação especial. Daí a vantagem de integrar-se num grupo de WhatsApp, seguir um blog e assistir às entrevistas no You Tube.

    Eu descobri os FIIs em 2002 na IPO do FAMB11B, o fundo que comprou o edifício sede da Caixa e o alugou por 10 anos, depois renovado anualmente e ora em fase de sai não sai. A renda era generosa – 1,45% a.m. e, mesmo pagando Imposto de Renda na época (hoje é isento) era o melhor investimento que existia. Mas o prédio envelheceu, a CEF achou o aluguel alto, no Rio os aluguéis de lajes corporativas desabram e a cota, que chegou a superar os 5.000 reais, hoje patina nos 2.300,00. Mas a renda continua generosa – 1,14% a.m., agora isento de imposto de renda.

    E em 2006 fui de BBFI11B, o primeiro fundo do Banco do Brasil. Sua cota de mil reais também beliscou os 5 mil mas hoje, embora pagando boa renda, não apresenta boas perspectivas pois o BB está devolvendo os imóveis. Provavelmente os administradores vão vender os dois imóveis, amortizar os cotistas e fechar o fundo.

    Posteriormente, em 2009, fui de NSLU que tem dado muita alegria à minha família para quem comprei cotas a 154,00 e que ou lhes deu independência financeira ou menos melhorou a situação de cada um. Além de, nesses 10 anos, a renda e a valorização da cota amortizaram 100% do aplicado

    Hoje as informações abundam, a liberação de negociação via home-broker permite a cada um administrar suas compras, vendas e balanceamento de carteira.

    Isso significa que se você montar uma carteira pode ficar tranquilo e viver 7 anos no Tibete, pagando suas contas com um cartão de crédito internacional?

    Doce miragem. Manter uma carteira de FIIs, com perpetuidade, usufruindo da renda sem deteriorar o patrimônio exige tantos cuidados como o pecuarista com sua boiada.

    Explico: eu tenho um rebanho exclusivamente para ter leite, carne e eventualmente venda para manutenção do gado. Como todo pecuarista sabe, tenho que cuidar das cabeças como eliminar os doentes, os fracos, os velhos e de vez em quando, adquirir um novo reprodutor para evitar a endogamia, que é o cruzamento consanguíneo. Preservo as bezerras para leite e reprodução e faço salsicha dos vitelos.

    Pois nos FIIs também tem os que adoecem ou envelhecem e devem ser substituídos. Como a aftosa que ataca meu rebanho, nos FIIs também temos as vacâncias, as inadimplências, os despejos, as brigas judiciais nos reajustes do aluguel.

    Ou seja, vale como nunca o adágio caboclo: o olho do dono é que engorda o boi.

    Mas a verdade de tudo isso é que só se forma patrimônio com FIIs se o investidor, além de aportar recursos novos, reinvestir a renda do próprio fundo. O importante é começar, não importa com quanto.

    (*) Vanio Coelho

    Investidor em FII desde 2002.

    Jornalista e advogado aposentado.

    Vive de aposentadoria + renda de fundos imobiliários

    Este estudo foi originalmente produzido para a REVISTA DO TETZNER de agosto de 2018 e ora liberada no aberto por liberalidade do CEO do Blog.

    Curtido por 5 pessoas

    • Conejo, parabéns pelo artigo!
      Lúdico e lúcido, quase que simultaneamente!

      Só uma dúvida:
      Faz 30 anos que os FIIs existem por estas bandas ou 25 anos (Lei nº 8.668/93)?
      Já eram negociados antes da edição daquela lei?
      Curiosidade mesmo.
      Sds.

      Curtido por 1 pessoa

      • Eu descobri os FII em 2002. O Sergio Belleza é pioneiro, foi um shopping, mas não me lembro da data. Que bom que gostastes do artigo. É mais para provocar discussão sobre giro de carteira com seus inconvenientes (emolumentos, IR etc)

        Curtido por 2 pessoas

    • Brilhante artigo Conejo, para ler, reler, e guardar.
      Só uma dúvida; onde está escrito “E em 2006 fui de BBPO11B, o primeiro fundo do Banco do Brasil. Sua cota de mil reais também beliscou os 5 mil”… creio que confundiu com BBFI, correto?

      Curtir

    • Alá Vanio Coelho, Parabéns pelo Artigo.
      Conheci e comecei a comprar cotas de FII em agosto de 2017, na verdade ouvi uma economista comentar sobre Fundos Imobiliários na CBN, dai resolvi pesquisar, comprei um livro de Fundos Imobiliários e pus em pratica. hoje já conto com uma carteira composta com 10 fundos imobiliários diversificados entre tijolos, papeis, e outros, todos os meses invisto e reinvisto e espero conseguir no prazo de 10 anos colher os frutos que hoje estou plantando e semeando.

      Abraços.

      Ronaldo Silva

      Curtir

      • Você fala em colher os frutos daqui a 10 anos, isso me convence que estás REINVESTINDO a renda mensal, fazendo com que os juros compostos funcionem como dinheiro novo na sua carteira O que dizer mais a não ser que deves olhar teus fundos com a atenção naquelas “doenças” do investimento: inadimplência, vacância, negligência do administrador. E daí é só antecipar a aposentadoria eh eh Bons investimentos!!!

        Curtir

      • Você fala em colher os frutos daqui a 10 anos, isso me convence que estás REINVESTINDO a renda e os juros compostos vão trabalhar para você, podendo se aposentar mais cedo. Parabéns…. Mas cuidado com as doenças típicas do produto: inadimplencia, vacancia e negligencia…. Ao alto e avante!!!

        Curtir

      • Ha ha fiz o primeiro comentário e o computador enviou o pitaco incompleto, completei o pitaco pela segunda vez e o mesmo desapareceu, mandei então o III pitaco e ai apareceu repetido. Não tem problema, o Tetzner talvez possa consertar a lambança mas se náo der é alegria em triplo….

        Curtir

    • Parabéns. Que bom encontrar esse local. O avançar dos anos traz muita sabedoria e lucidez. Sou Eng. Agrônomo e o sol que permite a fotossíntese para a cultura foco e as plantas daninhas é o mesmo. Assim como a água e nutrientes.

      Curtir

  8. FEED BACK

    O autor é meu filho, é aplicador em FIIs mas não acompanha nem entende. Eis eu depoimento sobre meu estudo
    ENCONTREI ALGUÉM PARA PAGAR MINHAS CONTAS
    disponível para os assinantes da Revista

    Ótimo artigo pai!

    Explicou com clareza, facilitando o entendimento até para caras como eu que se beneficiam dos FII e pouco sabem sobre sua natureza.
    Acho muito legal seus incentivos pro pessoal nesse sentido. Me lembra o que fiz pelo Manual do Jogador Caro, inspirando a galera
    através de experiência e estudos a evoluir. Parabéns!

    Ler sobre seus passos no mundo dos investimentos também me trouxe recordações do quanto você lutou para chegar onde está.
    Sinto profunda gratidão pelo o que já fez por nossa família. Não apenas devido à tão desejada segurança financeira que nos proporcionou até aqui,
    mas os princípios repassados através de palavras e atitudes.

    Legal também a analogia do dono do gado e a referência aos 7 anos no Tibete. Achei que com meu naipe de artista e tendo uma aplicação, já podia ir pra lá e virar amigo do Dalai Lama igual o Brad Pitt no filme (kkkkkk).

    Até mais!

    Curtido por 6 pessoas

    • Conejo, uma das coisas mais lindas que nós pais podemos desejar é a evolução dos nossos filhos, tenho 58 anos, recém aposentado (maio/18) e pai de dois filhos, tive pouca oportunidade de estudo, e por isto sempre trabalhei em empregos sem muito valor salarial, e o meu maior orgulho é ter conseguido formar os dois em ensino superior, coisa que eu nem tive a chance, hoje eles trabalham em uma baita empresa (IBM), o mais velho já é Team Lider e a menina, mais nova, recentemente teve uma promoção, e a primeira coisa que ela fez foi pagar um jantar para eu e a patroa. A nossa maior satisfação é este legado que deixamos, espelhado em nossos filhos.
      Esta frase do seu filho diz tudo: Sinto profunda gratidão pelo o que já fez por nossa família. “Não apenas devido à tão desejada segurança financeira que nos proporcionou até aqui,
      mas os princípios repassados através de palavras e atitudes.”
      Eu sei que palavras escritas não carregam sentimentos, mas fica aqui o meu mais profundo agradecimento, por compartilhar conosco esta linda declaração do seu filho sobre princípios. Um fortíssimo abraço.

      Curtido por 4 pessoas

      • Lambari, eu sempre entendi que o maior legado aos filhos é a educação formal, aquela que permite-lhes seguirem por seus próprios pés a longa caminhada da vida. É um legado que ninguém rouba. Parabéns a você por ter criado tão bem essas crianças. Acho que você é daquelas pessoas que conseguem ser felizes mesmo cercado de dificuldades. E se você está por aqui é porque também é investidor. Portanto tudo de bom para você e seus familiares….

        Curtido por 6 pessoas

  9. Finalmente na loja do blog o novo número da Revista do Tetzner onde, um artigo de fundo, recomendo administrar uma Carteira de FIIs com o mesmo profissionalismo que o fazendeiro administra uma boiada.

    Assim como meu reprodutor preferido, que me custou 5 milhões de reis, pode de repente sofrer de disfunção erétil, assim também aquele fundo imobiliário que eu acreditava ser pétreo desaba como NSLU, FAMB, BBFI, ALM, BRCR, e tantos outros.

    Não sei quanto custa assinar a revista, mas sei quanto custa purgar o prejuízo de um fundo que vira mico.

    Curtir

    • Conejo, concordo inteiramente. Tem que ficar de olho como o dono cuida da boiada. Depois de três anos investindo em FIs, aprendi que tem fundos bons, mas tem muita porcaria também. Também aprendi a desapegar do ativo, ao menor sinal de problemas, vendo imediatamente, mesmo com prejuízo. Infelizmente, aquilo que deveria ser simples – FI foi feito para ser simples, penso eu – acaba se complicando por conta de maus profissionais no mercado.

      Curtido por 1 pessoa

      • Então concordamos: não dá para comprar e entesourar, se preciso vender e trocar. Se no Brasil nem o passado é seguro imagine uma aplicação financeira sobre a qual você não tem controle?

        Curtido por 2 pessoas

    • Meu caro amigo Conejo parabéns pelo artigo e se possível gostaria que me tirasse uma dúvida: consideras o NSLU um fundo que virou mico? Estou perguntando, pois tenho ele em carteira e lembro-me quando o senhor relatou que os familiares do senhor também o possuíam em carteira. Acredita que deva vendê-lo?

      Curtir

      • Verdade Rodrigo minha família tem muitas cotas de NSLU. Como o PM é de 154 reais, uma renda de R$ 1,968 equivale a 14,09% a.a. Investir hoje, no entanto, a 230 reais, a renda cai para 10,26% (não é bem isso pois a última renda veio um pouco acima, mas vale o raciocínio). Minha família não vende pois teriam que pagar um caminhão de IR. Mas o mico a que me refiro é que antes um fundo pétreo, daqueles que a gente não se desfaz, já enfrentou redução de 20% mais 20% e a disputa judicial continua. Então continua bom para quem entrou lá atrás mas eu não entraria hoje. Então para você, dependendo do PM, pode segurar porque a renda está atraente.

        Curtir

      • Rodrigo, um novo olhar sobre NSLU. Minhas contas aqui basearam numa renda pontual, que veio bem acima do normal, por causa da distribuição de uma devolução de IPTU que fora pago a mais. A renda habitual é 1, 56. Mas mesmo assim resolvi voltar a esse fundo pois em abril as cotas superaram 280 reis e sem mais aquela escorregaram para 210. Vejo potencial para especular, não para entesourar.

        Curtido por 1 pessoa

    • Obrigado meu amigo mais uma vez pelos ensinamentos, por enquanto vou mantê-lo em carteira, tenho esse fundo desde 2013, meu grande medo não são as revisionais, pois tenho um bom preço de entrada nesse fundo, meu medo é do inquilino um dia sair dali.

      Curtir

  10. Conejo,

    Recebi uma herança de $3 milhões, o qual é meu patrimônio total. Não tenho emprego. Sou casado, minha esposa tem um salário de $10 mil.
    Pela sua experiência, se eu pegasse esse meu patrimônio e investisse tudo em Fiis, conseguiria uma boa renda para morar em cidade de praia (ex.: Florianópolis)

    Abs

    Curtir

    • 3 milhóes aplicados numa carteira de FII com renda média de 0,7% daria 21 mil reais isentidos de qualquer chupim. A esposa um salário liquido de 8 mil Nossa, seria 29 mil reais. Em Floripa o custo de vida é mais ou menos igual no resto do pais, talvez o transporte seja mais barato por causa de ser cidade média e as coisas ficam perto. Comprar um bom imóvel levaria grande parte da renda, talvez um imóvel financiado j[a que a renda mensal permitiria comprometer uns 4 mil. Portanto tudo perfeitamente conforme seus sonhos.
      Mas investir 100% num único ativo é muito arriscado, terias que acompanhar dia-a-dia, esse seria seu novo emprego: viver de renda sem depredar. Para que a renda seja perpétua há que girar a carteira (procure ler a partir de amanhá meu artigo na revista do Tetzner ENCONTREI ALGUEM PARA PAGAR MINHAS CONTAS.
      Volte a conversar com a gente.
      Quanto a segurança nunca falamos de total pois o blog é aberto e pessoas mal intencionadas podem querer tirar proveito.
      Parabéns a) pela herança, b) pelo cuidado na sua aplicação c) por perguntar.

      Curtido por 1 pessoa

    • Fábio, vc tem casa própria?
      Na minha opinião, seria prudente reservar uma parte dessa herança pra um imóvel próprio, a não ser q já tenha.
      Lembre-se que os FIIs podem vir a ser tributados no futuro. As cotas e as rendas também oscilam. Se vc está ciente dos riscos, acho um excelente investimento para geração de renda. Mas tendo em vista os poréns acima, vale ir com calma e não comprometer toda a renda mensal. Deixe sempre uma margem de segurança.

      Curtir

      • Boa noite Eduardo,

        Não tenho imóvel próprio. Fica na dúvida em comprar imóvel por dois motivos:
        A) gosto de ter flexibilidade para mudar;
        B) fica na dúvida se a economia do imóvel próprio é melhor que a rentabilidade dos Fiis. Ainda não tenho uma conclusão.

        Obrigado pelas considerações.

        Curtir

      • Oi Fábio, em termos de retabilidade não tenho dúvidas que FII é melhor q imóvel. Minha preocupação é que vc coloque todas as suas economias em FIIs e algo ocorra nesse mercado. Por isso, no seu lugar eu manteria uma parte num imóvel fixo, numa RF ou Tesouro direito.
        Mas, como já disse, em termos de geração de renda considero os FIIs imbatíveis.
        Eu tenho 100% de minhas reservas líquidas em FIIs. Porém já possuo imóvel próprio.
        A grande vantagem dos FIIs em relação a RF e TD é a isenção fiscal. Mas esta pode cair no futuro.
        Vc poderia investir 2mi em FIIs e manter 1mi em TD, por exemplo.
        Os FIIs te renderiam mais, porém TD te daria mais segurança.

        Curtir

      • Boa noite Eduardo,

        Obrigado pelas considerações. Estou estudando TD tb mas lendo em outros blogs alguns apostam que em breve ele voltara a pagar IPCA + 7,5. Investindo em Fiis eu teria liquidez.

        Curtir

      • Olá, Fábio. TD também tem liquidez, maior inclusive que os FIIs. Tudo é questão de ver o que você realmente busca. Desejo sucesso e que esta benção seja usada com sabedoria e com respeito a quem lhe proveu.

        Curtido por 2 pessoas

    • fabio, eita problema bom que vc arranjou. rsrsrs
      O pessoal acha que ter dinheiro eh so alegria, mas não, vc tem que penar a cabeça para não perder.
      Bom, vou ver se posso ajudar, Primeiramente já vou adiantar que vc não está rico, pobre vc não esta, mas está longe de achar que resolveu sua vida.

      Existe algumas fazes em nossa vida, acumular patrimônio eh a primeira, e acho que vc está na segunda, preservar o patrimônio, entendo que vc pode sim arriscar, aplicar com mais risco, mas eu jamais faria isto com mais do que 5% do patrimônio. o restante, eu dividiria em gerador de rendas, no máximo 800 mil em FII, compraria pelo menos 2 flats(aqui vc tem que tomar muito cuidado) eles gerariam uma media de 0,5%, o restante deixaria em RF.

      Curtir

      • Boa noite Adriano,

        Obrigado pelas considerações. Tenho muita ciência que esse patrimônio me da uma certa tranquilidade mas está longe de me permitir fazer exageros. Por isso tenho estudado bastante sobre investimentos.
        Com relação a suas sugestões de investimentos, fiquei curioso em saber sobre os Flats. Quais vantagens vc considera nesse tipo de investimento comparado a Fiis de tijolos ?
        Abs

        Curtir

      • Fabio!

        Não se trata de vantagens, vc com certeza já escutou a famosa frase, “Não coloque todos os ovos na mesma cesta”, eu traduzo est frase como sendo: Não tenho certeza do que é o melhor, então vou diversificar para não perder tudo. Se nos soubéssemos, o que estamos fazendo, colocaríamos todos os ovos em uma única cesta, correto? No caso o flat se trata exatamente disto, diversificar, não vejo vantagens, mas posso lhe falar de desvantagens, incide IR no rendimento, seu dinheiro fica preso, pois eh difícil de vender no vlr que vc quer. Mas no meu caso, resolvi comprar flats, somente para diversificar, dificilmente eles darão mais do que os 0,5% e ainda incide IR. Tenho, flat, FII e renda fixa, hj entendo que o FII seja melhor, mas vai saber daqui alguns meses. Espero ter ajudado, fico a disposição.

        Curtido por 1 pessoa

    • Fabio,

      Meus sentimentos primeiramente, pois herança normalmente vem de um falecimento de alguém muito próximo.

      Em segundo, eu concordo com a visão do Conejo quanto adquirir um imóvel, eu sei que você quer ter flexibilidade, mas como o mundo de Renda Variável é sempre incerto, vide Fundo que desaba 30% por uma noticia ou MFII que está congelado, você pode ter imprevistos, então ter um cantinho pra sua família traz mais segurança, mas não precisa se descapitalizar, apenas aproveite o momento de mercado que está bem atrativo com imóvel em promoção e com alto valor de negociação e financiamento com juros baixo (com FII você pode chegar a ter rentabilidade maior que o juros do seu financiamento) então você que está com um bom volume de dinheiro, pode ter uma oportunidade que demorará anos para se ter novamente, e caso queira se mudar, sempre existe a possibilidade de alugar ele ou vendê-lo, mas as vezes de perder dinheiro diante do momento, são menores.

      Em terceiro, mesmo com essa renda boa, procure sempre guardar/reinvestir parte desse rendimento mensal para compensar a inflação e o seu dinheiro sempre valer muito, procure sempre proteger o seu capital se irá viver de renda.

      Em Quarto, realmente, dificilmente alguém poderá te achar ou até mesmo pode ser mentira o valor mencionado, mas procure não divulgar os valores, sempre é bom evitar!

      Em Quinto, muito sucesso!!! Sempre diversifique, não ponha tudo em FII, temos uma grande variedade de opções no mercado e alguns que pagam até melhor do que FII com risco moderado.

      Curtir

  11. Pesquisa diz que são poucos os que guardam dinheiro para aposentadoria
    Quase a metade dos trabalhadores entrevistados acredita que o sustento na aposentadoria vai vir da Previdência Social, do INSS.
    Segundo uma pesquisa, quase metade dos brasileiros pretende contar apenas com a aposentadoria paga pelo INSS quando parar de trabalhar.
    A vida profissional da Amanda de Oliveira Vilarino está só começando. “Eu sou muito gastona, eu sou muito consumista. Eu não tenho esse planejamento de poupar dinheiro”, afirma.
    De onde você acha que vai vir o dinheiro que vai te sustentar na aposentadoria? Quase a metade dos trabalhadores acredita que vai vir da Previdência Social, do INSS. Quatro entre cada dez brasileiros acham, inclusive, que o padrão de vida vai ser melhor depois que se aposentar. E a maioria não faz nenhum planejamento, nenhuma economia para que isso aconteça.
    A pesquisa encomendada pela associação que representa as entidades do mercado financeiro mostra que apenas 10% das pessoas têm guardado dinheiro em alguma aplicação. “É necessário que a gente incentive essas pessoas, chame a atenção dessas pessoas. É importante ter uma reserva, isso vai te ajudar hoje, vai te ajudar amanhã e vai ajudar na aposentadoria”, afirma Ana Leoni, superintendente de Educação da Anbima.
    A coordenadora pedagógica Lilian Maria de Castro Moniz não fez essa poupança. Ela se aposentou em 2017 e ainda trabalha para conseguir manter o padrão de vida. “Só o convênio, um convênio razoável, consome quase metade da aposentadoria”, diz.

    De acordo com o Ministério da Previdência, para cada aposentado existem menos de dois trabalhadores na ativa. Para sustentar todos os aposentados, diz uma economista Ana Clara Abrão, é preciso fazer uma reforma do sistema previdenciário, Caso contrário, sobrarão dois caminhos: aumento de impostos, que já são pesados, ou o país se endivida mais ainda.
    “É um fator que leva o país a crescer menos, a gerar menos emprego e penaliza a população como um todo. E todo esse desequilíbrio pode acabar em juros mais altos, pode acabar em colapso, pode acabar em inflação”, afirma Ana Clara.
    Aos 20 anos, Rafael Bueno Flosi, estagiário, guarda pelo menos 10% do salário que recebe, já de olho na aposentadoria: “Antes de gastar com outras coisas, eu já separei esse dinheiro justamente para isso”, conta ele.
    Texto editado em respeito aos direitos autorais de O GLOBO

    Curtido por 1 pessoa

  12. Boulos propõe taxar ricos para ampliar investimento público

    Por Cristiane Agostine, Ricardo Mendonça, Fernando Taquari e César Felício | De São Paulo Ana Paula Paiva

    “Grandes medidas têm que passar por plebiscito e referendos. A sociedade precisa ser um poder de pressão” Mais jovem pré-candidato à Presidência,
    com 36 anos, e o primeiro a anunciar aliança e vice, Guilherme Boulos (Psol) propõe um pacote tributário para os mais ricos. Entre as medidas, estão a criação do imposto sobre fortunas, aumento da taxação de heranças, uma nova alíquota de Imposto de Renda para pessoas físicas e retomar a cobrança de tributo sobre dividendos.

    O presidenciável promete ainda reduzir as desonerações, que classifica como “Bolsa Empresário”. Com as medidas, sua equipe estima um aumento de arrecadação equivalente a 2% do PIB.
    …..
    A nova receita deve ser direcionada para um “plano emergencial” de obras e financiamento de programas sociais. Essa é sua ideia para o país voltar a crescer e, assim, superar a crise fiscal.
    ….
    Se eleito, promete que sua primeira ação será apresentar um plebiscito para revogar medidas do governo Michel Temer, como o teto de gastos, a reforma trabalhista e o marco regulatório do pré-sal.
    ….
    Temos que voltar a tributar lucro e dividendo, que pode arrecadar cerca de R$ 60 bilhões ao ano, segundo tributaristas. Temos que taxar grandes fortunas, que está na Constituição e não foi regulamentado. Temos que aumentar a alíquota de imposto sobre grande herança. A alíquota máxima de herança no Brasil é de 8%. Nos Estados Unidos, insuspeitos de e bolivarianismo, é de 40%. Temos que tributar mais renda e patrimônio para criar condições para a redução gradual da tributação sobre consumo e produção. Criar nova faixa do Imposto de Renda. A alíquota máxima de 27,5% está muito abaixo dos padrões internacionais. Nossa proposta é criar uma faixa de 35% de alíquota. Quem ganha mais do que R$ 1,3 milhão paga de alíquota de verdade 6,7% (*).

    (*) Essa conta – quem ganha mais de 1,3 milhão paga apenas 6,5% de IR. Nos meus cálculos a conta não bate. Como reduzir a renda bruta de 1,3 milhão para apenas R$ 357.500 de renda líquida tributável?

    (Material editado por respeito aos Direitos Autorais. Mais detalhes no VALOR de hoje).

    Curtir

    • Com todo respeito que tenho pelo amigo recém renomeado “Encontrei alguém para pagar minhas contas”, antigo Conejo10, mas esse Boulos é mais uma criação patética da esquerda, se fosse há 20 anos atrás enganaria muita gente, hoje não mais. Entre ele e o Lula só muda a mosca, a merd@ é a mesma.

      Curtir

      • Calma, ADG. O que me assusta é a taxação da chamada grandes fortunas. Se um candidato levanta a bola nada impede que outro mate no peito e chute a gol.

        Curtir

      • Refuto cada tema do buolos com pé nas costas.

        – Os países desenvolvidos tem mais ricos por m2 logo a tributação na renda faz mais sentido e arrecada mais.
        – A tributação no brasil é maior no consumo porque existe número insuficiente de ricos e vai continuar sendo assim por um longo tempo. As estatísticas oficiais dão conta de que teremos apenas 200 mil pessoas com mais de 1 milhão USd daqui 5 anos. Contra aproximadamente 17 milhões no EUA.

        A tributação sobre herdança não afeta os ricos uma vez que eles usam ” Holding” e Trust no exterior. Logo quem paga a conta é a classe média. Arrecadação é insuficiente e mero chute não tem como fazer esta conta, quem diz que tem mente.

        Aonde ele tirou 60 bilhões em imposto com IR sobre dividendos? Quando o lucro do mercado inteiro de renda variável tirando bancos é pífio. Mentiu mais uma vez, pelas minhas conta tributando mercado de FII ele consegue apenas 600 milhões de reais e mercado de ações 25 bilhões contra um déficit de 150 bilhões e crescendo .

        Segundo da onde ele tirou que os ricos vão ficar aqui sentando esperando serem tributados? E da onde ele tirou que os ricos não são tributados quando é preciso abrir uma empresa e empresa tem 40% do faturamento tributado ou mais.

        Sobre alíquotas soltas se trata desinformação o imposto sobre consumo é ridiculamente baixo a carga tributária americana com todos desconto que o fisco da é de 26% do produto interno bruto contra 34% a 36% do Brasil.

        E como não existe ricos suficiente logo se adota o modelo sobre consumo! Fato

        O dinheiro do rico não esta debaixo da cama, este dinheiro esta investido em empresas que geram empregos e no melhor sinal que isso venha se reverter eles remetem dinheiro para o exterior.

        Na endeusada europa o imposto sobre fortuna foi revisto porque os bilionários começaram vendem suas fortunas e ir para o exterior. Foram mandar empresas para fora do país em países com carga tributária mais amistosa.

        Porque tu acha que a própria China do partido comunista cobra as menores alíquotas de imposto que EUA em diversos campos? Isso empurrou diversos empresas para montar seus parque indústrias na China.

        O dinheiro do rico esta investindo em empresa que pagam 40% de a 50%. Os cara viajam na maionese e tiram número fictícios .

        Alias estes investimentos públicos seria ainda mais dinheiro na mão de burocratas do estado . Não se contenta com 34% do pib é preciso mais.

        Estudem, estudem estatísticas solta não querem dizer nada. A margem das empresas norte americanas em alguns estados é dobro da brasileiro, logo para eles faz sentido tributar menos consumo e mais renda.

        Propor o mesmo aqui é a mesma coisa que você dizer que um país pobre pode se tornar rico aumentando alíquotas em quem emprega capital na produção , indústria e investimentos KKKk

        Ou seja tirar água da parte funda da piscina e jogar na rasa vai fazer todos enriquecerem .

        Curtido por 1 pessoa

      • Conejo não vai dar certo.
        Este tipo de imposto não arrecada nada, qualquer número é mero chute.

        Na europa eles tiverem que rever isto porque não arrecadou nada KKKK

        Curtir

      • Para finalizar a conta: Segundo bestouro 200 mil pessoas vão pagar a conta de 200 milhões .
        Segundo ele ricos não pagam impostos sobre consumo .
        Segundo eles ricos não tem grande parte das suas fortunas fora do pais .
        Segundo ele consegue calcular exatamente quanto cada rico tem no país e aumentar alíquotas vai gerar ainda mais investimentos .
        Segundo ele tirar dinheiro de pessoas e dar para burocratas do estado vai fazer enriquecer o país.
        Quando na verdade saímos de uma tributação de 20% do pib meados de 1990 para atuais 34 a 36%. Aonde esta o enriquecimento? Que tal irmos para 50%.

        Porque como número de ricos é insuficiente , consequentemente vai começar considera ricos pessoas com patrimônio superior a 100 mil reais.

        Tudo que eles piropos já foi feito antes e vai continuar sendo feito.

        Curtir

      • Caro ADG concordo plenamente. A única concordância seria com a taxação bem maior das heranças. Esse pessoal procura soluções que na prática são fantasiosas. Vou dar um pitaco, na tentativa de outros brasileiros pensarem, sobre melhorias e desenvolvimento do pais: a) uma riqueza enorme tem deixado o pais, seja na qualidade das pessoas retirantes seja nos bens desviados, em transferências significativas, seja em remessas mensais; b) o agro negócio é demonstração clara que necessitamos de ” tecnologia”, gente capacitada, meritocracia e usar adequadamente o que Deus nos deu; c) uma imprensa desenvolvida para educar no sentido patriótico, independente de ideologias….. esse abecedário poderia continuar, mas deixo para os amigos do blog. Só concluo para dizer que o que eu desejo para o pais é que assim como as pessoas de bem vivem com medo de viver aqui, os bandidos, corruptos, ladrões, mal intencionados etc,, também tivessem medo, Como está ninguem tem Medo de nada!!!

        Curtir

  13. 6/07/2018 às 05h00

    Fundo de previdência aberta rende menos que taxa Selic

    Por Adriana Cotias | De São Paulo

    A rentabilidade dos maiores fundos de previdência aberta está abaixo do CDI (Certificado de Depósito Interfinanceiro), principal referência do mercado de renda fixa e que segue de perto a oscilação da taxa básica de juros (Selic). A fintech de investimento Monetus calcula que os retornos dos maiores fundos de Banco do Brasil, Caixa, Itaú Unibanco, Bradesco e Santander são, em média, equivalentes a 90% do CDI. No total, os grandes bancos concentram R$ 676,5 bilhões em fundos de previdência aberta, o equivalente a mais de 90% do setor.

    Considerando o desempenho de todo o mercado nos últimos 12 meses, o levantamento da Monetus mostra que 70% do volume aplicado em fundos de previdência aberta rendeu no período menos que o CDI. Quando a taxa Selic estava com dois dígitos, a diferença não era muito percebida. Agora, o valor da taxa de administração, por exemplo, pesa mais na rentabilidade dos fundos. “Os desempenhos dos fundos de renda fixa de previdência são muito semelhantes. O grande ponto que o investidor tem que prestar atenção é nas taxas que paga de administração e carregamento, é isso que no fim das contas vai dar a diferença de uma performance líquida melhor ou pior”, diz Carlos Heitor Campani, do Coppead/UFRJ.

    (*) Editado. Leia mais em Valor Economico de hoje.

    Curtido por 1 pessoa

  14. Futuro incerto
    Estudo aponta o Brasil como um dos países mais imprevidentes do mundo
    • O Brasil é um dos países que menos poupam no mundo, mostra um novo estudo publicado pelo Banco Mundial. Um de cada três brasileiros diz ter feito alguma economia no ano passado, mas somente 11% reforçaram suas reservas pensando no longo prazo, para permitir uma velhice menos insegura.
    No mundo desenvolvido, 71% dos adultos guardaram dinheiro com esse objetivo, diz o relatório. Entretanto até nações menos avançadas poupam mais do que o Brasil, cuja taxa aparece abaixo da média dos emergentes, de 16%.
    Parte da explicação está na generosidade do sistema previdenciário nacional. Para muitos trabalhadores pobres, o piso equivalente a um salário mínimo representa a garantia de que manterão o padrão de consumo na aposentadoria, ou até mesmo a possibilidade de alcançar renda mais elevada.
    Mesmo quem recebe acima disso na ativa consegue preservar parcela significativa dos seus ganhos ao deixar o mercado, o que desestimula a formação de reservas.
    Embora a maioria dos brasileiros se comporte de forma imprevidente, a disposição dos que poupam parece ter resistido à crise econômica. Especialistas suspeitam que a recessão pode até ter levado muitos a guardar, com medo do futuro.
    É possível que as transformações em curso no emprego tenham efeito semelhante. A maior parte das pessoas que encontraram ocupação nos últimos anos teve que aceitar trabalho sem registro em carteira profissional ou abrir negócio próprio para ganhar a vida.
    Sem contar com a proteção garantida pelo sistema oficial de seguridade, muitos poderão se sentir encorajados a separar fatias maiores da sua renda para reduzir riscos durante a velhice.
    Nesse sentido, o comportamento presente das famílias brasileiras representa uma oportunidade. O próximo governo terá a obrigação de fazer algo para equilibrar as contas da Previdência Social e poderá encontrar aí parte da solução.
    Medidas de estímulo à poupança individual poderiam atenuar os efeitos mais drásticos do ajuste, reduzir pressões sobre os cofres públicos e, ao mesmo tempo, diversificar fontes de financiamento disponíveis para a atividade econômica.
    … Uma discussão séria na campanha eleitoral obrigaria os presidenciáveis a oferecer ideias consistentes sobre o tema. Alguns têm falado em criar um sistema de capitalização, com contas individuais. Mas nenhum deles esclareceu ainda como pretende financiar as aposentadorias do velho regime na transição para o novo modelo.
    (Editado por respeito aos direitos autorais(.

    EM TEMPO:
    Projeto de Orçamento não prevê reajuste para servidores
    O senador Dario Beber (PSDB-SC), relator do projeto de lei com diretrizes para o Orçamento de 2019, propôs o congelamento de salários de servidores federais. Somente com os civis deixariam de ser gastos R$ 6 bilhões. Caso a decisão atinja também os militares, a economia vai a R$ 11 bilhões.

    Curtido por 1 pessoa

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s