Carteiras Comentadas

Não fazemos recomendações de Compra/Venda de Ativos, cabendo a cada um decidir o que é mais adequado ao seu perfil. FIIs tem Risco e NÃO são Renda Fixa.

1- é recomendável a todo investidor, ler pelo menos os 2 últimos relatórios e informes gerenciais que podem ser encontrados na bovespa.

2- interessante também olhar a performance histórica do fundo, de preferencia dos 12 últimos meses, para ter uma noção da renda paga já que há fundos que tem a renda distorcida por conta de apgamentos anuais e semestrais. Lembrando que rentabilidade passada nao é garantia de rentabilidade futura

3- ler os comentários recentes e ficha dos fundos que deseja ter em carteira e postar as dúvidas de cada fundo que aos poucos nós vamos respondendo

Incentive o Blog, assine os produtos e serviços!

Mini_FitaProdServ

Compartilhe com o amigos, basta clicar aqui embaixo no Twitter, Facebook ou Google+

Os comentários aqui publicados não constituem recomendação de compra ou venda de ativos; são opiniões divulgadas para incentivar o debate. Não recomendo ou incentivo que sejam tomadas decisões sobre investimentos de qualquer tipo; nosso foco é educacional e não me responsabilizo por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

1.192 comentários sobre “Carteiras Comentadas

  1. Olá Gostaria de receber o comentário de vcs sobre minha carteira FII:

    VRTA11 18.43% Papéis (CRI, LCI, etc.)
    MXRF11 11.41% Misto
    BRCR11 11.32% Imóveis Comerciais (Escritórios)
    BPFF11 10.10% Fundo de Fundos
    KNCR11 9.58% Papéis (CRI, LCI, etc.)
    MFII11 8.92% Desenvolvimento Residencial
    FEXC11B 8.53% Papéis (CRI, LCI, etc.)
    BCFF11B 8.35% Fundo de Fundos
    FAED11B 6.95% Universidades
    SPTW11 6.42% Imóveis Comerciais (Escritórios)

    Estou formando ela pretendo colocar mais alguns fundo de fundos, Imóveis Comerciais (Agências de Bancos) e Imóveis Industriais/Logísticos, que não tenho ainda nessa versão da carteira.

    Curtir

  2. Olá, primeiramente parabéns a todos que participam pela colaboração com todos os novatos em FII como eu que buscam aprender mais sobre eles. A cerca de um mês comecei a estudar FII para diversificar meus investimentos, hj invisto em TD e ações e busco acumular patrimônio, sendo assim montei minha primeira carteira de FII onde busco qualidade e acumulo patrimonial, mas claro todo rendimento mensal melhor possível sempre é bem vindo para reinvestimentos rsrs

    Segue a carteira:
    HGRE11
    HGBS11
    KNRI11
    PQDP11
    FIIB11
    HGLG11
    RGNO11

    Alguns que pretendo investir mas o P/VP estava acima de 1:
    BBPO11
    BBRC11
    FAED11B

    A todos que tem experiência no mercado de FII, visando uma carteira de qualidade e de acumulo de patrimônio acham que a carteira atende o objetivo? Pode ser melhorada em quais pontos? Compensa compra as que estão acima do preço visando o acumulo de patrimônio?

    Desde já obrigado a todos do blog por compartilhar tantas informações

    Curtir

    • A carteira é boa, apenas ficaria mais atento ao RNGO e sua macro região , caberia um estudo mais aprofundando deste FII.

      Obviamente como todo fundo com relação risco retorno aceitável + qualidade comprovada tende pagar mais caro no mercado secundário recebendo um retorno menor pelo investimento.

      Ai vai muito de seu racional , algo muito subjetivo.

      Lembre-se menor retorno = maior aporte com menor risco,.

      Se tu pretende fazer preço médio para longo prazo, apenas evitaria comprar grande valores aos preços atuais .

      Atribuir maior peso aos Multi MUlti na carteira” estratégia pessoal , quem trabalhar com precificação olha outras métricas .

      A grande maioria trabalhar com preço médio, então o negocio seria um pouco cada mês evitando comprar grande quantidades numa tacada só.

      Nesta estratégia tu pode definir pesos de acordo com sua estratégia ou trabalhar com bandas temporais em cada fundo.

      Curtir

      • Obrigado Senhor dos FII, minha intenção é comprar aos poucos mesmo, pois meus aportes vão ser diluídos em ações tbm. Só nesse primeiro momento pra começar a carteira que vou aportar um pouco mais pois tem fundos aí que exige um valor maior. Minha estratégia é comprar sempre em poucas quantidades mas comprar qualidade, faço isso com ações e pretendo fazer o mesmo com os fii para ir acumulando patrimônio aos poucos. Obrigado pela dica, estou estudando mais a fundo esses que listei vou olhar bem RNGO, ainda estou pegando o jeito de analisar as variáveis dos fii

        Curtir

      • Obrigado Senhor dos FII, minha intenção é comprar aos poucos mesmo, pois meus aportes vão ser diluídos em ações tbm. Só nesse primeiro momento para começar a carteira que vou aportar um pouco a mais pois tem fundos que exigem um investimento maior.

        Minha estratégia é comprar sempre, em poucas quantidades, porém comprar qualidade. Já faço isso com ações (com empresas que na minha avaliação são consistentes), pretendo fazer o mesmo com FII, para ir acumulando patrimônio aos poucos.

        Obrigado pela dica, estou estudando mais a fundo esses que listei, vou olhar com atenção o RNGO. Ainda estou pegando o jeito de analisar os FII rs

        Curtir

    • Obrigado Senhor dos FII, minha intenção é comprar aos poucos mesmo, pois meus aportes vão ser diluídos em ações tbm. Só nesse primeiro momento para começar a carteira que vou aportar um pouco a mais pois tem fundos que exigem um investimento maior.

      Minha estratégia é comprar sempre, em poucas quantidades, porém comprar qualidade. Já faço isso com ações (com empresas que na minha avaliação são consistentes), pretendo fazer o mesmo com FII, para ir acumulando patrimônio aos poucos.

      Obrigado pela dica, estou estudando mais a fundo esses que listei, vou olhar com atenção o RNGO. Ainda estou pegando o jeito de analisar os FII rs

      Curtir

  3. Bom dia.
    Segue a carteira de inicio de ano.
    Concentração em lajes corporativas.
    Querendo sair de BCFF.

    RNGO11 20,18 %
    BRCR11 14,62 %
    BCFF11 10,90%
    CXRI11 10,10 %
    BPFF11 8,85 %
    HGRE11 7,88 %
    BCIA11 6,30 %
    KNRI11 5,70 %
    FIXX11 5,30 %
    BBPO11 5,16 %
    BBFI11B 5,02 %

    Fiquem à vontade em opinar.

    Abraço

    Curtir

  4. Galera, me chamo Jéssica e estou no inicio dos estudos sobre FIIs.
    Uma duvida q me surge é como posso saber se estou pagando caro ou não em uma cota?
    Tipo, se ela vale mesmo tudo aquilo e tal
    Isso vem com o tempo ou vcs tem algum macete pra ter uma media?
    Desculpem a ignorância referente a pergunta… estou estudando ainda e pretendo começar a investir em breve (estou só esperando juntar uma grana pra comprar alguns FIIs)
    Valeu

    Curtido por 4 pessoas

    • Jessica, existem várias maneiras de se mensurar se a cotação esta cara ou barata, duas bem simples são :
      1 – P/VP : Preço em relação ao valor patrimonial da cota, toda vez que a cotação estiver abaixo de 1 significa que esta barato em relação ao valor patrimonial;
      2 – Média de 200 períodos : Quanto mais deslocada a cotação estiver em relação a média, mais cara ou barata vai estar em relação a média histórica de preço. P. ex. hoje o IFIX está 10,43% acima da média de 200 períodos no gráfico diário e 27,75% acima no gráfico semanal.

      Curtido por 6 pessoas

      • Trix, uma dúvida. Não sou expert de análise técnica (ou gráfica), mas como o IFIX incorpora os dividendos no seu valor, não há uma tendência de, ao longo do tempo, sempre se afastar da média, para cima?

        Curtido por 3 pessoas

      • Felipe Mendes, não porque no gráfico indexado as médias também são, note que no gráfico diário o IFIX passou vários períodos abaixo da média de 200 :
        06/13 a 05/14
        11/14 a 01/15
        02/15 a 03/15
        12/15 a 02/16

        Curtido por 1 pessoa

      • Sim Trix, mas imagine um cota de FII a 100 reais, que distribua 1 real por mês, e sua cotação se mantenha inalterada por 50 meses. Colocando numa base 1000, a média num índice seria 1250 e no periodo 50, o índice estaria em 1500, ou seja, 20% acima da média de 50. Com essa leitura poderíamos inferir que a cota está cara, porém, ela se mantem no mesmo valor de mercado em todo esse período.

        Curtir

      • Felipe Mendes , acima citei o IFIX apenas como exemplo, cada FII tem que ser analisado com suas próprias médias, não com as médias do índice, no caso o IFIX.
        No caso desse FII ao final de 50 meses a cotação estaria muito próxima da média de 50, fazendo com que sua cotação não estivesse nem muito cara nem muito barata em relação à essa média.
        P. ex. BBPO11 hoje está cotado 15% acima da média exponencial de 50 períodos no gráfico semanal, portanto bem descolada dessa média.
        Obs. Quanto maior a participação de um FII no IFIX, maior a correlação entre ambos.

        Curtido por 1 pessoa

      • Entendi Trix, fazendo as análises individualmente para cada FII, acho que faz todo o sentido. Só questionei aquilo porque vejo muitos avaliando o IFIX ao longo do tempo. Para comparar com outros investimentos, certamente faz sentido juntar os dividendos, mas para comparar preços relativo no tempo, ai acho que os dividendos distorcem mesmo.

        Curtir

    • Seja bem vinda, Jessica. Em complemento às dicas acima do Trix – que entende pacas – você terá de planejar de acordo com o que você pretende: fazer suas economias renderem para usufruto imediato, formar patrimônio para aquisição de bem durável etc. No meu caso, como aposentado, quero usufruir da renda sem mexer no capital, então eu busco renda mensal. Calculo assim: divido a última renda pelo valor hoje da cota, Se o resultado for acima de 0,8% a.m., então o preço está adequado. No momento essas rendas são produzidas pelos chamados fundos de papel.
      Mas se for para formar patrimônio, as rendas mais garantidas são fundos de tijolo, estes estão caros por causa de vacâncias e locações baratas. Faça a mesma conta e se der 0,7% ou mais então ainda está indicado.
      Mas se a renda mensal for inferior a 0,7%, deve estar havendo algum problema com esse fundo (temos diversos fundos cuja renda no momento é zero, como XTED e CEOC). Faça uma simulação de carteira, diga qual o seu propósito e os cobras do blog vão lhe dar sugestões mais objetivas….

      Curtido por 4 pessoas

    • Jéssica;

      Seja bem vinda!
      Não se acanhe em perguntar, ok? É a troca de experiências que nos permite ampliar o nosso conhecimento sobre determinado assunto.
      Complementando o amigo Trix:

      3) Observar o retorno presente frente aos benchmarks (CDI/Selic, juros + IPCA das NTNBs longas, juros futuros, etc.): grande parte da precificação do mercado toma como base tais métricas/expectativas (custo de oportunidade);
      4) Observar se há resiliência da renda nos atuais patamares: isto você pode detectar nos relatórios passados (meses anteriores), onde são comunicados distratos/vacâncias, multas e seus impactos (negativos ou positivos) nas futuras distribuições;
      5) Observar os fundamentos (qualidade) dos ativos/imóveis que compõem o portfólio/PL de determinado fundo (localização, por exemplo) e a conjuntura do segmento que estes se encontram inseridos (lajes corporativas, shoppings, hospitais, educacionais, recebíveis, etc.);
      6) Observar o histórico da gestão, seja em relação apenas a defesa dos interesses do fundo (e seus cotistas), seja na competência em manter o ativo “sadio” (gerando renda e não despesa aos cotistas).
      Espero ter ajudado de alguma forma.
      Qualquer outra dúvida, só perguntar que o pessoal daqui responde.
      Sds.

      Curtido por 3 pessoas

    • Muito bem Jessica, acabou de chegar e já mandou a pergunta do milhão. Nossos especialistas da área (Trix, Conejo e MPB) já explanaram muito bem os critérios de decisão. Eu particularmente olho para todos e faço na seguinte maneira:
      1) Como mencionou o MPB, olho o benchmark do mercado. No caso olho para 1 ano na frente, ou seja, selic 10%, dividido por 12 e retirando 15% de IR, teremos uma taxa 100% CDI de 0,7% a.m.. Com isso, como faz o Conejo, colo um prêmio e exijo FIIs de Tijolos que me paguem no mínimo 0,8% a.m. Desse filtro, tenho FIIs candidatos a entrar (ou permanecer) na carteira.
      2) Dessa peneira, avalio como o Trix, o P/VP e evito os com relação acima de 1,10.
      3) Depois desse filtro, tento avaliar e escolher os FIIs mais vantajosos, segundo os critérios 4,5 e 6 apresentados pelo MPB.

      * No momento, deixo de fora FIIs de papel, visto que esses, ao meu ver, têm tendência de redução de renda em por consequência no valor da cota. Assim, acho que não vale a pena, mesmo que hoje estejam pagando um pouquinho a mais que os Tijolos.
      Essa análise, é apenas um parâmetro, visto que cada FII tem suas próprias particularidades. Ex.: meses atrás, comprei um pouquinho de BBRC, que no momento, pagava 0,75% a.m. e portanto, não entraria no critério 1, porém, o FII ainda teriam um aumento de renda nos meses seguintes, com a entrega de novas agências, ai para mim, era um ótimo momento de comprar. Depois disso a cota subiu bem e hoje, já não consigo comprá-la mais.

      Curtido por 1 pessoa

    • Obrigada gente pelas respostas!
      Deu pra perceber q vou precisar estudar muito ainda pra entender 100% do que vcs disseram, mas já deu pra pegar algumas noções de como melhor escolher os FIIs.
      Se vale a oportunidade, tenho 22 anos, com reserva de emergência bem alocada e 100% dos investimentos em TD, por hora estudo FIIs para diversificação com foco em aposentadoria e quem sabe independência financeira.
      Assim q finalizar meus estudos venho compartilhar com vcs minha carteira para analise e criticas, q no caso serão muito bem vindas.
      Mais uma vez obrigada!

      Curtido por 3 pessoas

      • Jéssica! Queria uma pessoa em minha família com esse alto nível de educação financeira!!! E ainda mais com somente 22 aninhos!!!
        Todas as dicas que os veteranos deram são muito boas. Minha pequena dica serve como um tempero para todas as outras dicas e elas se complementam: Se organizar para também comprar FIIs quando o mercado estiver em crise, em forte queda e as pessoas só falarem mal da Bolsa de valores e dos fundos imobiliários. As cotas estarão com preços bem mais baixos e será um bom momento para acelerar sua independência financeira!

        Curtido por 1 pessoa

  5. Tenho o
    Aefi11.
    Figs11
    E estou querendo adquirir o FIIB11 tijolos meu objetivo é montar uma carteira para construir uma futura aposentadoria. Se alguém tem uma opinião sobre o FIIBB11 eu agradeço .pois mesmo pesquisando tenho pouco conhecimento.

    Curtir

  6. Bom Dia Pessoal Tudo Bem?

    Tenho 28 anos e hoje minha carteira se encontra exatamente assim:

    XPCM11 3,66%
    XPGA11 8,28%
    VRTA11 7,76%
    RNGO11 4,57%
    SDIL11 6,96%
    HGLG11 6,92%
    HGRE11 5,22%
    NSLU11B 12,45%
    FIIP11B 10,66%
    CBOP11 5,67%
    BBRC11 5,54%
    BCRI11 5,26%
    BRCR11 6,04%
    AEFI11 5,84%
    AGCX11 5,17%
    100,00%

    Minha idéia é esta carteira, em complemento com outra carteira de ações e TD, patrocinarem minha independência financeira a longo prazo.

    Gostaria de saber da opinião de vocês sobre a carteira.

    Estudei bastante, creio que não tenha nenhuma carne de pescoço, ou FII que seja declaradamente ruim, correto?

    Entretanto gostaria, caso haja e eu não saiba, da opinião de vocês.

    Desde já agradeço.

    Abraço

    Curtido por 2 pessoas

    • Leo;

      Achei boa a sua distribuição por setores (lajes corporativas, logística, etc.), mas confesso que achei excessiva a exposição a fundos mono empreendimento/endereço no setor de lajes corporativas (13,9% de um total de 25,16% da carteira, mais da metade destinada a este segmento).
      Lembrando que como não está 100% alocado em FIIs, quaisquer riscos já estão devidamente mitigados.
      Seguem ponderações sobre alguns ativos da sua carteira:

      XPCM11 – Você sabe que há uma parte típica e outra atípica do contrato com a Petro, certo? Tendo ciência disso e com um bom gerenciamento de risco, tudo bem.
      XPGA11 – Observar com carinho a situação financeira da PDG e evitar (a todo custo) comprar acima do VP (como em todo fundo de recebível/papel).
      RNGO11 – Eu não gosto deste fundo, por melhor histórico que apresente. Possui uma base de inquilinos pulverizada e a região possui uma vacância enorme e conta com a concorrência de empreendimentos mais novos (e melhor localizados) no entorno. Acompanhar sobre qual será o desfecho da questão sobre o ISS e que tramita no STF. Cautela seria uma palavra boa a ser adotada aqui.
      HGLG11 – Talvez o melhor fundo de logística do mercado. Deverá sofrer com uma queda nos rendimentos nos próximos meses. Oportunidade de aumentar posição ou alerta? Analise o mercado de logística, o portfólio do fundo e decida sobre como proceder diante deste quadro.
      HGRE11 – Vacância aumentando, queima de caixa idem… ainda que conte com um bom portfólio de imóveis. Aqui deve se olhar o preço pago na cota e com carinho. Margem de segurança se faz necessário e é de bom tom aqui.
      NSLU11B – Confesso que depois da venda do controle da Rede D’or pelo BTG, achei melhor me afastar deste fundo. Antes havia uma “guerra de compadres” pelo valor justo do aluguel (mesmo controlador) e hoje isto não existe mais. A recente ação revisional é mostra disso. Tem lá os seus prós, como dificuldade em achar imóveis adequados a instalações hospitalares, etc… mas eu prefiro observar de fora.
      FIIP11B – A Callebaut renovou por valores abaixo dos até então praticados, o que já era meio que esperado. Observar o que ocorrerá com os demais contratos, em especial, o da Leader (recuperação extrajudicial). Precificação aqui fica meio comprometida, ao meu ver.
      CBOP11 – Para o bem e para o mal, este fundo conta com um grande inquilino que tem interesse em permanecer no empreendimento (AES). Para o bem e para o mal, isso hoje pode ser uma vantagem na comparação com seu “primo” (RNGO), coisa que poderá mudar no futuro (excesso de oferta de imóveis dentro da capital, questão do ISS, etc.). Lembrando que a liquidez dele é restrita e que é melhor localizado que o “primo” (acesso mais fácil).
      BBRC11 – Com o recente PDV do BB e anúncio na redução do número de agências físicas, é preciso levar à conta o risco do que acontecerá ao fim dos contratos (renovação ou entrega). O BB vai manter o número de agências “Estilo” até lá? Risco em parte mitigado pela localização e idade dos imóveis, mas seria bom adotar a métrica do VP e só comprar em momentos de distorção (abaixo daquele).
      BRCR11 – “Torre Almirante” é a questão chave neste fundo. Vai locar? Em que proporção e por quanto o m²? Eu não sei, você não sabe, o Tetz não sabe e desconfio que nem o pessoal do BC Fund tem essa resposta. Vejamos o que acontece no decorrer deste 1º semestre. Bom portfólio de imóveis, mas achei a amortização feita ano passado uma perda de oportunidade para crescimento no PL do fundo. Ôh gestão ativa, cadê você quando a gente mais precisa?!
      AEFI11 – Campos de futebol, aeroportos de OVNIs… o que será decidido sobre os terrenos deste fundo afinal? A Kroton e a gestão do fundo vão descer do muro quando?
      AGCX11 – Mais um fundo que possui grande capital alocado em RF e que já deu sinais de que irá amortizar este valor ao cotista, ou seja, ao meu ver outra perda de oportunidade e consequente redução no PL do fundo. Mesma observação que fiz no BBRC cabe aqui.

      Feitas as explanações, gostaria de que me tirasse algumas dúvidas:
      Qual a vantagem que vê em carregar posição em 15 fundos se não está 100% alocado em FIIs? A pulverização aqui não é excessiva e dificulta o acompanhamento dos ativos (15 relatórios mensais para ler)?

      Sds.

      Curtido por 7 pessoas

      • Fantástico, mesmo, da até medo, pois parece que eu só tenho porcaria na minha carteira :(.

        Confesso que conhecia alguns pontos de atenção que você mencionou, outros são completamente novos para mim. Por isto lhe agradeço demais mbp77.

        Escolhi 15 fundos, pois entendi que aportaria mensalmente durante toda a vida em FIIs, desta forma, a longo prazo acabaria se tornando um montante respeitável, e eu não me sentiria seguro de manter em cinco, ou até mesmo dez FIIs.

        Confesso que são sim, MUITOS relatórios para ler, e confesso que não leio todo o mês, na verdade reviso a carteira de 3 em 3, já o fiz com 6 meses.

        Estes foram os FIIs que ficaram depois de eu rodar bem a carteira em dezembro, por não aceitar mais os fundamentos de alguns.

        Creio que todos os FIIs da bovespa possuam algum porem, e aí que entra o gerenciamento de risco correto? E este é outro motivo dos 15 FIIs, pois nunca consegui encontrar uma carteira de FII 100% sem poréns.

        XPCM11 – Ok sobre petro.
        AEFI11 – Concordo, decidi assumir o risto até 19 tbm.
        NSLU11B – Optei devido a quase o monopólio que ele exerce.

        Sobre os fundos mono-empreendimento, este é uma mudança que fiz na carteira tem um certo tempo, antes não era assim, eu achava que pulverizava ainda mais… já tenho 15 FIIs, e já mitigo o risco dos mono, concorda? Pensei não vale a pena pulverizar ainda mais.

        Mais uma vez agradeço MUITO a resposta. E confesso que eu estava feliz com a cartaira e agora já estou apreensivo kkkkk

        Curtido por 2 pessoas

      • Eu já tive 25 fundos. Hoje, tenho 15. Não estou 100% em FIIs. Logo, isso parece absurdo. Porém, a minha estratégia é simples: quanto estou disposto a perder, caso um fundo vire pó? A partir dessa resposta, fui montando a carteira, simples assim.

        Vantagem dessa estratégia: fico totalmente alheio aos movimentos de curto prazo do mercado. Foco apenas no empreendimento.

        Em tempo, a carteira está em revisão (aliás, acho que está sempre em revisão) e talvez eu reduza a quantidade para doze ou dez. Ainda não me decidi acerca desse movimento.

        Curtido por 1 pessoa

      • Leonardo, você perceberá que os fundos sempre se repetem nas carteiras do pessoal do blog. Mais importante que o fundo em si mesmo (todo fundo tem qualidades e defeitos), é entender o seu mercado, o setor.

        A dinâmica de um fundo de agência é diferente de um fundo de hospital que por sua vez é diferente de escritório. Não existe setor perfeito. As profissões são um bom paralelo: tem jogador rico e jogador pobre; economista rico e economista pobre etc.

        A minha carteira está distribuída da seguinte forma:
        Escritórios (BRCR, HGRE, KNRI, FVBI, FFCI), agências (AGCX) comercial/shopping/logística (FIIP, HGLG, PQDP), educacional (AEFI) e hospital (NSLU).

        Em quarentena, pois ainda não decidi o que fazer: PRSV, SDIL, RBRD e MXRF. Não sei se mantenho, excluo da carteira ou apenas troco por outros fundos. Não tenho pressa para essa decisão. Afinal, desde que o mundo é mundo estamos em crise.

        Curtir

    • Eu tenho vários dos Fundos que você tem também, alguns a mais de 10 anos. E nesse tempo, já perdi as contas de quantas vezes ouvi que o mundo ia acabar, quantas ondas de pânico dizendo que era o fim para o Fundo A ou B. E no entanto eles estão aí, performando. Alguns com mais dificuldades do que outros, mas hoje não há negócio que esteja em céu de brigadeiro, seja FII, sejam negócios empresariais, seja mercado de trabalho….

      É interessante como a trajetória de curto prazo e a de longo prazo, muitas vezes, são tão diferentes.

      Curtido por 2 pessoas

    • Leonardo;

      A minha resposta não teve a intenção de deixá-lo apreensivo, ok?
      Apenas quis frisar alguns riscos contidos nos ativos que carrega. Não há nenhum fundo “podre” na sua carteira.
      Ademais, veja a postagem do colega Carlos sobre a gestão ativa da carteira, é algo que o pequeno investidor deve adotar como costume!
      Sds.

      Curtido por 1 pessoa

  7. Caros amigos estou na dúvida e se puderem me ajudar, estou pensando em acrescentar um FII de papel na carteira para melhorar a performance e estou na dúvida entre esses três: FEXC, VRTA, e BCIA.
    Se puder me falar um pouquinho se existe algum problema com algum deles ficarei grato.

    Curtir

    • Rodrigo, sou cotista do FEXC, tenho investido uma minúscula parcela do meu capital nesse ativo, e hoje eu não tenho mais interesse de investir nesse Fii, eu acreditava no VALOR desse ativo antes do cri da PDG, me preocupa muito também os gastos do fundo, subindo mês a mês, sem explicação alguma nos relatórios, mandei email questionando e nada também, por esses dois motivos, estou fora! prefiro mil vezes investir em fiis de tijolo, e caso eu queria alocar em fii de papel, hoje, eu prefiro aportar em um cdb que me pague ipca + 7,4 ou um prefixado de 13% por exemplo… ( sabendo a diferença das classes de ativos).

      Abraço bons investimentos!

      Deixando claro aqui, não faço INDICAÇÃO de nada, apenas minha opinião!

      Curtir

    • Não acho que seja um bom momento para entrar em papéis, mas se for para escolher entre esses 3, VRTA parece o melhor. Além disso, comprando VRTA, possivelmente vai poder participar de uma subscrição, que seria vantajosa, por poder comprar cotas abaixo do valor de mercado.

      Curtido por 1 pessoa

    • Rodrigo;

      Dê uma estudada com calma no KNCR, pode ser uma boa opção, desde que o compre com desconto sobre o VP (condição primária nos de papel) e tenha ciência da provável queda nos rendimentos futuros (queda na Selic e no IPCA/IGPM).

      Sds.

      Curtido por 1 pessoa

  8. Boa noite a todos. Estou a alguns dias estudando sobre FII, sei que é pouco, mas quero começar a investir nesses fundos. Minha idéia é investir sim a longo prazo visando renda, por isso penso em escolher FIIs sólidos. Alguma dica por onde começar por favor. Agradeço e forte abraço a todos.

    Curtir

    • Eu recomendo a leitura do Carteiras do Blog. Vai poder ver os entendidos do Blog, explicando seu racional para cada FII e poderá encontrar aqueles que mais encaixam no seu perfil, além de abrir os olhos para os riscos de alguns FIIs, que no primeiro momento, nem sempre enxergamos.

      Curtir

      • Joelson vamos lá…

        AEFI a 138,60 paga hoje recorrente uns 0,85% (vou usar aqui o mesmo Mandrake da Xispê)

        FIGS a 67,00 paga em renda mínima garantida até 2019 esses 1,22% que você citou +/- só que, a renda real gerada pelo shopping está bem aquém disso, cerca de 0,36%

        AEFI não tem imóveis para geração de renda e um deadline em 2019 para tê-los

        FIGS tem a situação delicada da General Shopping e uma região bem afetada pelo momento econômico que afetou seu desenvolvimento e influenciou negativamente o desempenho do Maia, principal shopping dentro do FIGS

        Curtir

      • Boa noite, caros participantes do blog:

        Sou iniciante no mundo dos investimentos e gostaria de postar minha carteira para análise dos mais experientes . Venho lendo há uns três meses sobre FIIs (adquiri alguns produtos do blog do Tetzner) ações e continuo estudando para aprender como investir nesse mercado. Minha carteira de investimentos tem a seguinte composição: ações (45,55%); FIIs (29,76); e Tesouro Direto (24,69). Tenho como objetivo acumular patrimônio e formar renda para aposentadoria. Segue a carteira de FIIs para análise:

        BRCR11 = 13,99%
        FFCI11= 0,09%
        FIGS11 = 1,95%
        FIIP11B= 2,45%
        JSRE11= 1,42%
        KNRI11= 10,38%
        MFII11= 1,49%
        RBRD11= 1,83%
        RNGO11= 1,16%
        SDILL11= 1,20%
        VRTA11= 3,55%

        Pretendo aumentar posição em VRTA11, MFII11 e KNRI11.

        Aguardo os comentários!

        Alexandre

        Curtido por 1 pessoa

      • Seja bem Vindo Alexandre!

        Para quem está começando eu vi que ficou bem concentradão nos fundões (BRCR/KNRI), o que não acho ruim só pense em reequilibrar melhor nos próximos aportes 🙂

        Sugestão, coloque só o % dos FIIs com a soma em 100%

        tipo 0,09% em FFCI só vai te dar trabalho e acaba não sendo expressivo no resultado global

        se eu não fiz bobagem aqui fica assim

        BRCR11 35,41%
        FFCI11 0,23%
        FIGS11 4,94%
        FIIP11B 6,20%
        JSRE11 3,59%
        KNRI11 26,27%
        MFII11 3,77%
        RBRD11 4,63%
        RNGO11 2,94%
        SDILL11 3,04%
        VRTA11 8,99%

        Curtir

    • Joelson,

      Como você disse que não tem conhecimento sobre FIIs, eu recomendo que você comece estudando antes de aportar. Mas provavelmente você se perguntará: quais FIIs devo estudar? Acho que um bom começo, é você olhar a composição do IFIX (índice de fundos imobiliários que você encontra no site da bolsa) e olhar os fundos com maior representatividade, ou seja, os fundos mais líquidos. Comece estudando estes fundos e:
      – Leia os relatórios mensais e os informes mensais.
      – Busque saber onde estão os imóveis (requisito para investir em FIIs) e suas características.
      – Monte planilhas para tirar métricas de desempenho (com as informações que você colheu nos relatórios).
      – No caso de avaliar mais de um fundo do mesmo gestor, verifique se estes fundos são bem geridos (eventualmente o gestor não é tão bom e isso fica visível na maioria dos fundos que administra).

      O que eu postei, não é uma recomendação de compra, é apenas um caminho para iniciar. Apesar de você estudar os fundos mais líquidos, não significa que você deve comprar. Aprenda, avalie e busque informação. Tem um pessoal muito bom aqui no blog que sempre ajuda 🙂

      Curtido por 1 pessoa

      • Obrigado fiquei impressionado com o conhecimento de todos vocês .pena que eu não tenho tanta leitura sou do interior. Mesmo assim montei uma carteira com 52% em renda fixa agora já tenho 4% em fiis e 44% em açoes tem mais ou menos 2 anos que comecei a investir. Aí depois que conheci o blog do Tetzner fiquei empolgado e quero ter uma parte do meu capital em fiis . Assisti também vídeos do te
        Tetzner no YouTube.

        Curtido por 1 pessoa

      • Valeu Joelson!

        A maior parte da turma é do interior também, de que cidade você é?

        olha o legal é que você está começando então dá tempo de colocar tudo nos trilhos com muita calma

        eu vejo que você começou como todo mundo usualmente começa, pela renda paga, mas veja além do rendimento, olha na ficha o imóvel que gera esse pagamento

        isso é que vai garantir o sucesso como investidor

        foque no resultado de longo prazo, pense em acumular cotas (e m²), em montar um plano de reinvestimento para fazer os juros compostos (juros sobre juros) agirem e potencializar o resultado

        leitura é prática, precisa exercitar, você começa com o que tem na ficha do fii aqui, depois vai para os comentários para “ouvir” o que a galera tem a dizer do fundo

        ai faz como você já fez, pergunta, sai na chuva pra se molhar, sem medo de ser feliz e tenha certeza, o arco-íris vai aparecer logo logo

        já já você está ajudando os amigos que vão chegando ao blog

        os FIIs que você escolheu não são ruins, mas tem particularidades, se vocês estiver consciente delas, ponderou bem antes de investir, o investimento se paga no tempo

        Curtir

  9. Olá pessoal.

    Minha carteira de FII’s representa 33.19% dos meus investimentos. Meu perfil é de desconsiderar oscilações do valor das cotas e me preocupar mesmo com os dividendos e a valorização deles no longo prazo. Tenho aversão a fundos de papel.
    Montei a carteira ao longo de 4 anos (começando pelo BBPO11, que hoje considero que comprei mais do que devia). Tive algumas compras em bons momentos, mas a maioria ocorreu em momentos ruins e os fundos sofreram desvalorização. Nada muito preocupante porque como disse estou de olho nos dividendos. A ovelha negra da família é o PRSV11, que além de desvalorizar para quase 1/3 do valor da compra está pagando 0.39% de dividendos (0.14% do valor original corrigido pela inflação). Ainda mantenho esse fundo apenas por acreditar no potencial da torre Vargas.

    Segue minha carteira:
    BBPO11 – 21.30%
    KNRI11 – 13.28%
    AEFI11 – 11.76%
    HGBS11 – 10.69%
    BRCR11 – 8.91%
    JRDM11B – 8.12%
    RNGO11 – 8.11%
    SPTW11 – 7.53%
    BMLC11B – 5.86%
    PRSV11 – 4.44%

    No momento estou querendo aumentar um pouco minha carteira de FII’s (mas mantendo abaixo de 40% do total), e gostaria de opiniões a respeito de em quais destes fundos eu poderia reinvestir, ou sugestões de outros fundos que se enquadram no meu perfil. Além disso, se souberem de alguma armadilha nessa minha carteira, por favor me avisem (não consigo acompanhar todos os detalhes de todos os fundos).
    Eu estava cogitando comprar mais cotas dos seguintes fundos: BRCR11, JRDM11B, RNGO11, SPTW11. Considerando o momento atual de valor das cotas versus os dividendos pagos, e a atual participação (moderada) desses fundos na minha carteira.

    Abraços!

    Curtir

    • Entendo que a quantidade de FII numa carteira deva ser proporcional ao total investido. Já imaginastes a PREVI ou a PETROS aplicar 5 bilhões de reais numa única ação? Acho que esses fundos de pensão possuem centenas de ações. Não estou querendo comparar, mas acho que Buffet e outros deve ter profissionais que examinem balanços, como esses fundos de pensão. Mas concentrar um elevado valor em poucos fundos que hoje são seguros mas no final do expediente podem deixar de sê-lo?
      Evidente que quanto mais fundos mais tempo para administrá-los e quem tem emprego fixo e pouca poupança a concentração é recomendável. Mas já não vale para profissionais como Tetzner, Centurio, Sotijolo, Barão….

      Curtido por 4 pessoas

      • Concordo plenamente com o amigo, pois se o valor investido for pequeno, não vale a pena tamanha diversificação, mas a medida que o capital vai aumentando, não faz sentido ter apenas oito ou dez FIIs, seria muita coragem alocar por exemplo 5 milhões em apenas oito ou dez FIIs acreditando que eles sejam infalíveis

        Curtido por 1 pessoa

      • ahchaves,
        Na sua opinião, quais são os 25 fundos estudáveis? Minha intenção é apenas usa-los como referência para aprofundar meus estudos dos FII.

        Conheci esse blog há uma semana, fiz uma leitura geral e iniciei meus investimentos em FII, investindo 20% do meu patrimônio. Os outros 80% estão alocados em renda fixa.
        Meu objetivo é formar uma carteira com rentabilidade acima de 0,7% a.m, sem, contudo, perder o foco na valorização e qualidade dos ativos.

        Para isso, equilibrei a carteira entre fundos com boa rentabilidade (BCRI, XPGDA) e outros com alta vacância, mas com potencial de valorização (THRA e TBOF):

        Cod % Tipo VPC / PREÇO COMPRA RENTABILIDADE NOV
        AGCX 11,69% Imóveis Comerciais (Agências de Bancos) 1,15 0,70%
        BBRC 05,59% Imóveis Comerciais (Agências de Bancos) 1,29 0,67%
        BBPO 04,99% Imóveis Comerciais (Agências de Bancos) 1,31 0,78%
        TBOF 09,55% Imóveis Comerciais (Escritórios) 0,87 0,33%
        THRA 07,57% Imóveis Comerciais (Escritórios) 1,13 0,00%
        HGLG 12,38% Imóveis Industriais/Logísticos 1,01 0,80%
        FIIB 07,41% Imóveis Industriais/Logísticos 0,87 0,81%
        BCRI 12,04% Papéis (CRI, LCI, etc.) 1,21 1,01%
        XPGA 09,06% Papéis (CRI, LCI, etc.) 0,87 1,02%
        PQDP 09,17% Shoppings 0,81 0,57%
        FAED 07,38% Universidades 1,21 0,79%
        FCFL 03,18% Universidades 1,14 0,63%

        Se possível, gostaria que comentassem essa carteira.

        a) Tenho 33 anos;
        b) Pretendo alcançar a independência financeira em até 5 anos;
        c) Busco uma rendimento mensal (parte proveniente dos FII) de R$3.500,00 corrigidos pela inflação;
        d) Estou disposto a aumentar a carteira dos atuais 20% para 40% do meu patrimônio;
        e) Estou ciente que alguns fundos escolhidos são mono inquilinos e do risco que isto representa;
        f) Não me importo com pequenas variações no preço de bons ativos (mais ou menos 3%): Ex. se for comprar R$1.000,00 de cota de algum fundo, não me importo em pagar R$1030,00 (R$10.000 x R$10.300,00 e assim por diante) e fechar a compra imediatamente, mesmo sabendo que levarei alguns meses para recuperar a diferença.

        Agradeço pela ajuda de todos!
        Este fórum é show de bola (conheci através de uma entrevista do Tetzner no youtube)

        Curtido por 1 pessoa

      • Complementando, segue a exposição por setor:

        Universidades: 10,56% – 2 FII
        Shoppings: 9,17% – 1 FII
        Papéis: 21,10% – 2 FII
        Logísticos: 19,78% – 2 FII
        Escritórios: 17,13% – 2 FII
        Bancos: 22,27% – 3 FII

        Curtir

      • Galera, troquei o XPGA pelo VRTA.
        Segue tabela atualizada.
        Agradeço se poderem comentar essa carteira.

        O objetivo é alinhar rentabilidade acima de 0,7% a.m com ativos com potencial de valorização (TBOF, THRA)
        Para isso, precisei incluir uns fundos de papeis na carteira para melhorar a média da rentabilidade.

        Cod %
        VRTA => 9,01%
        BCRI => 12,05%
        FIIB => 7,41%
        HGLG => 12,38%
        FAED => 7,38%
        BBPO => 4,99%
        AGCX => 11,70%
        BBRC => 5,59%
        FCFL => 3,18%
        PQDP => 9,17%
        TBOF => 9,56%
        THRA => 7,58%

        Curtir

      • Junior, parabéns pela carteira. Desses 8 FIIs, não vejo nenhum problemático (muito pelo contrário). Só faria 2 observações:
        1) Sobre os papéis, acredito que escolheu os dois melhores (VRTA e BCRI) e que dificilmente terá algum problema com algum deles. Por outro lado, vejo que em algum momento, esses FIIs de papel terão sua renda reduzida (devido a queda nos juros e inflação), chegando próximo a dos Tijolos. O problema é que até a chegada desse momento, sabe lá se daqui 2, 3, 4 anos, em teoria o valor de mercado deles evoluirá menos que o dos bons Tijolos. Dessa forma, em algum momento a migração (de papel para tijolo) seria uma boa alternativa.
        2) Em relação aos FIIs de Agências, acho que BBRC é melhor que AGCX, devido a qualidade dos imóveis e principalmente dos terrenos sobre os quais estão construídos, e numa situação hipotética de devolução das agências, teria ativos de mais valor. Talvez uma troca de parte de AGCX para BBRC fosse uma boa.

        Curtido por 1 pessoa

      • Valeu Felipe!
        Muito obrigado pelos seus comentários.
        Vou reforçar meu posicionamento no BBRC.

        Ficarei atento a esses fundos de papéis para pular fora assim que der sinais de perda de rendimentos.
        Travei uma posicão no Tesouro Direto IPCA 2050 que compensará eventuais perdas de capitais com a venda desses ativos.

        Acredito que até lá os fundos TBOF e THRA já começarão a dar algum resultado para equilibrar o rendimento médio em torno de 0,70%.

        Curtido por 1 pessoa

  10. Prezados senhores, tenho aprendido muito neste blog.

    Como iniciante neste tipo de investimento montei uma primeira carteira de Fundos, tendo como premissa de seleção os seguintes critérios:
    1) rentabilidade passada (prazo de 1 ano);
    2) Deságio da cota a valor de mercado, em comparação ao valor patrimonial.

    O primeiro objetivo é fazer um percentual de rentabilidade elevado, pelo menos maior que 85% da SELIC (hoje de 0,9254% a.m. ou 11,69% a.a.), e segundo com eventuais ganhos de capitais na realização das valorizações das cotas.

    Buscando uma certa diversificação entre fundos de vertentes diferentes (shopping, lajes, logística, fundo de recebíveis….).

    Assim, uma primeira carteira de 7 fundos, ficou com a seguintes composição.

    RBGS11 – 14,55%
    ALMI11B – 13,91%
    FIGS11 – 14,12%
    BRCI11 – 14,74%
    MFII11 – 14,01%
    XPGA11 – 14,20%
    NSLU11B – 14,46%

    Com essa carteira auferi uma rentabilidade de 1,015% am (equivalente à 12,88%aa), neste inicio de Dezembro de 2016, que só não foi menor por causa da saída do RBGS11 da renda garantida. Atingindo o primeiro objetivo traçado.

    Fazendo uma reavaliação, vejo dois pequenos micos:

    1) RBGS11 e o fim da renda garantida o que reduziu bastante a rentabilidade por cota, mas avalio que já está sendo precificada no valor de mercado. Como ainda não temos perspectivas de melhorias na economia não dá para saber como vai ser o desempenho futuro dela.

    2) ALMI11B com a saída da Petrobrás.

    Já tenho novos alvos para investimentos, e analisarei a oportunidade de desfazer de RBGS11 e ALMI11B.

    Gostaria de comentários dos senhores.

    Curtido por 3 pessoas

      • Então com a saída da Petrobrás já anunciada mas ainda não efetivada… você acredita que todo impacto já foi repassado para os preços?

        Muito investidor de FIIs nem sabe que a Petro vai sair, acredite o povo só vai atrás para saber depois que a renda caiu e então tentar descobrir o motivo

        Curtido por 1 pessoa

      • XPGA para mim continua sendo a mesma coisa, um FII cheio CRIs mais arriscados que cedo ou tarde pode até dar um retorno maior em função de muito pagamento represado não feito, mas igualmente provável de apresentar “novos problemas”

        entenda não estou dizendo que é ruim, estou considerando apenas que como você vai começar uma carteira, talvez devesse primar mais por qualidade e perpetuidade do que pura e simplesmente por renda

        Curtido por 1 pessoa

      • Sobre o XPGA:
        é o mais arriscado dos fundos de papel pelos CRIs que tem. Sugiro que você tenha um ponto de saída para ele, isto é: passou de um certo valor, vende tudo e realiza o lucro. O meu ponto de saída foi 95.00, tanto que ontem vendi tudo e migrei para outros fiis que acho menos arriscado. Tive sorte de ter comprado XPGA quando estava em 80.XX e depois mais um pouco em 87.XX. 20% de lucro na cota + 6% de dividendo em 6 meses para mim foi mais do que o suficente. Tem gente falando que fui burro, que a cota chega a 100.00 até o final do ano, mas preferi nao arriscar

        Curtido por 1 pessoa

    • Senhores,

      essa minha carteira está me deixando feliz, a pesar das “carnes de pescoços”.

      Rentabilidade em relação ao preço de compra foi (comprei no fim de Novembro):

      Dezembro de 2016: 1,0148%a.m. (12,88%a.a.)
      Janeiro de 2016: 1,0609%a.m. (13,50%a.a.) (com os resultados de hoje)

      Não está ruim, eu acho.

      Curtir

      • calma, padawan 🙂

        nesse mundo se ganha de colher e se perde de balde
        um jogada errada anula o ganho de meses, anos…

        isso é igual exercício físico, se tá fácil é porque provavelmente vc está fazendo errado 😉

        Curtido por 1 pessoa

  11. Balanço da carteira, normalizada para 100 reais:

    – PM: 100
    – Preço atual: 113,93
    – dividendos: 15 reais.

    Lucro, sem IR: 28,93 reais de 100 investidos.

    Maiores lucros em % olhando apenas preço a mercado, sem IR e sem dividendos (peso na carteira):
    EDFO: 50% – (13%)
    SHPH: 35% (10%)
    PQDP: 29,9% (12%)
    AEFI: 25% (2,3%)

    Piores Prejus:

    BRCR: – 14% (5,3%)
    HGRE: – 8,1% (7,4%)
    CBOP: – 3,2% (1,4%)
    HGLG: – 2,3 (5,4%)

    Desde 2013, com aportes crescentes, a maior parte nos últimos 12 meses.

    Conclusão: timing de compra se não é tudo, é quase tudo no resultado….

    Eu faço compras grande e pontuais (para cada fundo fiz acho que no máximo 2 ou 3 compras). Basicamente pego o que tem pra aplicar no mês e meto bala no que estiver melhor. Esses no preju foram as compras ainda na queda, antes do fundo.. Os maiores lucros foram compras grandes pouco antes e pouco depois do fundo.

    As compras mais recentes estão mais ou menos todas perto de zero a zero, mas em geral positivas (preço de mercado). FIIB, FIIP, FCFL.. NSLU perto de zero a zero , mas ainda positivo, mas 2 compras, uma velha e uma mais recente, depois da queda.

    Tenho 19 FIIs, 6 no vermelho, o resto no positivo.

    DY atual: 0,69.
    DY pela compra: 0,78

    Curtido por 4 pessoas

    • De 2013 para cá é um período pequeno para se analisar metodologia de compras/vendas da carteira.
      O que é pessoal do compra a qualquer preço prega é
      Se os fundamentos continuarem por um longo o retorno chega.
      Eu faço pequenas compras nos ativos que eu considero mais desfasados na carteira e com um preço que eu acho melhor.
      Não tenho interesse nenhum em bater nenhum índice, me interesso em ter ativos de qualidade na carteira.
      Como qualidade é algo complicado de se medir, acredito que com o aprendizado vamos melhorando a qualidade dos ativos e o retorno da carteira, no começo é o preço que se paga.
      Em Fev/Março vários investidores venderam boa parte da carteira, quando hoje sabemos que era o momento de no minimo manter.
      O que fiz na época?
      Apenas baixei meu aporte mensal em 20% e mantive meus ativos.
      Se fosse conseguisse adivinhar o futuro teria comprado tudo o que podia 🙂

      Curtir

      • Tudo o que você disse é exatamente o que eu penso.não tenho o mesmo conhecimento que você mais vou estudar bastante .neste momento estou sem saber o que comprar ,e parece que o Figs11 que comecei aportar não é exatamente o que eu tinha entendido.mais percebi que vou aprender muito com você

        Curtir

    • Não acho timing tão importante.
      Essas valorizações e desvalorizações são pontuais e podem mudar completamente daqui a 1 ano, 2 anos…
      Não fico muito preocupado com isso.
      A minha maior preocupação é estar investindo nos melhores imóveis e com mais capacidade de gerar renda.

      Curtir

      • Carlos Roberto e Place Holder.
        Concordo 100% com vcs..
        Vejam, eu continuo comprando, embora mais de leve.
        Meu objetivo é perpetuidade da renda. E ponto final. Não ligo pra comparar com CDI, benchmark.. Acho bobagem. concordo com vcs..
        Mas a observação continua válida: o momento da compra é decisivo no resultado.. Para quem se importa em bater índice, deixar o dinheiro na espera num CDI da vida por um tempo é importante.

        Para mim, e acho que vcs pensam igual, o que importa é:

        Comprei hoje FIIs ou qualquer coisa em número suficiente para pagar tipo 3% dos meus gastos. Será que daqui a 5 anos ainda vai pagar 3% dos gastos mesmo se eu gastar toda a renda?

        Para mim, o que importa , é isso… Claro que minha carteira não reflete 100% desse pensamento, não consigo alocar 100% e fundos “perpétuos” sem cair numa concentração absurda.

        Curtir

      • Timing é importante de acordo com valores operados.

        Uma coisa que os teóricos do preço médio não consideram em sua simulações , peso do aporte na fase atual do mercado.
        Se maior em bull market preço médio ficara com uma média mais elevada e se maior em um período de baixa seu preço médio ficara abaixo da linha estipulada.

        Se você opera valores pequenos fracionada média geral tende ao valor de mercado desde que seu aporte não seja feito com grandes volumes.

        Estratégia do preço médio só funciona para pequenos investidores , pois a partir do momento que você possui cada vez mais dinheiro no jogo seu preço médio ficara cada vez mais difícil de trazer para valores de mercado se ocorrer um período de baixa prolongada ” Exigindo cada vez mais dinheiro e mais tempo para recuperar prejuízo trazendo preço médio para média”

        Ex: Se você possui mais de 100 mil comprados em único fundo na fase de 2011 até 2013 grande parte do seu preço médio ficara congelada neste período, para mover seu preço médio para média tu teria de aporta cada vez mais dinheiro na baixa.

        O que faz muito investidores morrerem pelo meio do caminho, quando mercado passa por um período grande de bull market ou bolha especulativa digamos 5 anos, indivíduo passou todo este período aumentando posições e de repente mercado vira para bear market , este investidor se ve com uma quantia vultosa aplicada qual esta sujeita marcação do mercado.
        Para jogar novamente ao valores de mercado tende suporta emocional e o prejuízo momentâneo durante toda período de baixa, sendo que seu preço responde ao valores anteriores, demoraria muito tempo até abaixar média novamente.

        Um dos motivos que não encontramos grandes gestores operando preço médio no mercado se da pelo volume operado que fica congelado de acordo com a fase do mercado.

        Em suma grandes investidores tem metodologia diferente de pequenos pelo volume operado nas transações.

        Exemplo: Digamos que determinado investidor aporta 30 mil por mês em um mesmo fundo em um período de bull market.

        Com este valor comprou 300 cotas mensais ao valor de 100 reais cada , digamos que passe um ano fazendo compra neste valor e ao final de 12 meses obtenha um preço médio de 102 reais e 3700 cotas resultando em valor R$ 377.400 reais.

        Vamos supor que boa parte do mercado fique baixista e instantaneamente nosso investidor perde 30% dos valores aplicados, se antes este investidor tinha 377.400 agora tem 113.220 a menos contabilizados perfeitamente contabilizados em desvalorização.
        A cota no secundário esta sendo negociada por um valor de 72 reais , quanto de dinheiro precisaria para jogar novamente meu preço médio para valores de mercado? acredito que algo próximo 120 mil reais ou mais.

        Quanto maior for valor investido mais dinheiro para jogar para valores de mercado ” Quanto maior volume operador mais preço importa” e quanto menor volume operado menos o preço importa.

        Por este motivo que funciona para grandes investidores não funciona para pequenos ou médios e pequeno de hoje pode ser o grande de amanha, talvez partir de uma determinada quantia este investidor tenha de aportar menos em renda variável para reduzir beta da carteira .

        A teoria do preço médio não é muito útil para quem já passou da casa do milhões pois fica cada vez mais perigoso reverter prejuízos ” Mais dinheiro e mais tempo para jogar preço médio aos valores de mercado”

        Curtido por 3 pessoas

    • Timing é importante dependendo do prazo…pra 1, 2, 3… anos, realmente, faz toda a diferença.

      Mas pra quem tá aportando há 10, 15, 20 anos…pode pegar é fundo histórico, que com o aporte regular vai fazer nem cócegas.

      Curtir

      • Senhor dos FIIs
        No momento da queda se o investidor tem uma carteira consolidada com bons ativos e ainda está em tempo de aporte o mesmo irá comprar mais cotas com menos grana.
        Agora se o investidor está em tempo de fazer uso dos seus rendimentos e precisa vender cotas realmente é complicado.
        O que precisamos entender é se realmente é algo sistêmico ou os ativos escolhidos perderam valor.
        O que penso é o que nem todos os ativos que compramos hoje serão bons ativos daqui 10 anos ou mais, porém se a maioria dos ativos permanecer boa o que quero é usar dividendos, rendimentos mensais, etc.
        Dessa forma pra mim o que importa é aprimorar a compra de ativos de qualidade, claro que seria bom com o menor preço possível, dessa forma tenho minha carteira e vou comprar o que mais me parece bom para o momento, pois é impossível saber quando vai cair ou subir, o que é caro hoje pode ficar mais caro e o que é barato mais barato ainda.

        Curtir

      • Place holder partilho do mesmo ponto de vista, mas existe sim perigo , estes risco aumenta a partir do momento que existe bastante dinheiro no jogo, principalmente porque precisa de cada vez mais dinheiro para trazer para média” vai chegar um momento que sua posição vai ser tão grande que caso tu precise executar prejuízo pode ficar rendido, mas para isso tem saída basta diminuindo posição em renda variável com novos aportes e reinvestimento do aluguel , principalmente a partir do momento que atingir valores considerável de aplicação ” Renda fixa como hedge da carteira”.

        Outra coisa que pode acontecer, em algum momento um ativo de nossa carteira pode vir micar e teremos de executar prejuízo que pode ser grande caso valor investido seja uma quantia razoável, simplesmente não vai haver tempo hábil para trazer nosso preço para média.

        Para resolver é simples: Quanto mais dinheiro investido menos risco precisamos correr e mais conservadora nossa carteira se torna.

        A estratégia do preço médio tem alguns riscos ocultos que muitas vezes é ignorado pelos adeptos do buy&holder e um deles foi este que falei acima.

        Joga numa planilha simulando preço médio 5 anos de compras com diferentes preços ao final do período simule que houve uma desvalorização de 30% no valores da cota, continue fazendo compra mensais e reinvestindo para trazer preço para média e vera tempo que vai demorar.

        Agora imagine que este ativo em questão passe 5 anos em período de baixa ” psicológico do investidor” lógico que se subir para cima da média novamente tu se torna rico, mas se cair e por lá ficar vários anos uma hora o investido vai titubear.

        Curtido por 2 pessoas

      • Senhor dos FIIs
        Concordo com a explanação, para minha carteira ideal eu pretendo não ultrapassar muito 50% em RV, mas sem bitolar com percentual mantendo uma certa flexibilidade para cima e para baixo.
        Hoje estou com cerca de 20% em ações e 5% em FIIs
        e subindo devagar.

        Curtir

    • de acordo com um especialista em alocação de ativos, 90% do resultado da carteira vem da alocação de ativos e 10% do timing.

      ate gestores profissionais erram o timing. pq eu iria acertar…

      ou seja, 90% em como você divide sua carteira, escolhe ativos de excelencia e qualidade.
      abs e bons investimentos

      Curtido por 2 pessoas

  12. Olá Pessoal !
    Gostaria de compartilhar a carteira de FIIs que estou montando para opinarem sobre a mesma.
    Tenho 33 anos, solteiro, não tenho imóvel próprio
    Atualmente minha alocação é 75% em RF, 20% em Ações e 5% Em FIIs, quero deixar o Percentual Assim
    35% RF (10%LFT, 20%NTBN, 5%CDB)
    20% FIIs
    40% Em Ações
    5% ETF Que acompanha o S&P500
    Essas alocações são estimadas como só aportava na poupança até 2014, venho progredindo para aumentar meu % em RV.
    Os FIIs que tenho atualmente são comprados entre julho de 2015 a dezembro 2015, depois disso não comprei mais, pretendo voltar a comprar em FEV/17.

    Composição atual da Carteira
    BBPO – 22%
    EDGA – 14%
    FFCI – 10%
    FPAB – 9%
    PDQP-35%
    RNGO-10%

    FPAB e EDGA provavelmente só aportarei em 2018 , ou apenas manterei as pouquissimas cotas que tenho.

    Como estou pensando na carteira

    BBPO11
    BBRC11
    BRCR11
    EDGA11B
    FCFL11B
    FFCI11
    FLMA11
    FPAB11
    HGBS11
    HGLG11
    HGRE11
    KNCR11
    KNRI11
    PQDP11
    RNGO11
    SHPH11
    TBOF11

    5,88% Para cada até a carteira pegar um volume, ou seja, provavelmente vou comprar um FII por mês e ir estudando
    Vou iniciar pelos que tem menos problemas aparentes e os que já tem pontos sinalizados vou deixar para segundo semestre.

    Curtir

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s