Fórum de FIIs

tetzner_blog-fiis

A Maior, mais Bem Informada e Ativa comunidade 100% FII

ABCP11  AEFI11  AGCX11  ALMI11B  ATSA11B  BBFI11B  BBPO11  BBRC11  BBVJ11  BCIA11  BCFF11B  BCRI11  BMLC11B  BNFS11  BPFF11  BRCR11  CBOP11  CEOC11B  CNES11B  CPTS11B  CTXT11  CXCE11B  CXRI11  CXTL11  DOMC11  DRIT11B  EDFO11B  EDGA11B  EURO11  FAED11B  FAMB11B  FCFL11B  FEXC11  FFCI11  FIGS11  FIIB11  FIIP11B  FIXX11  FLMA11  FLRP11B  FMOF11  FPAB11  FVBI11B  GRLV11  HCRI11B  HGBS11  HGCR11  HGJH11  HGLG11  HGRE11  JRDM11B  JSRE11  KNCR11  KNIP11  KNRI11  MAXR11B  MBRF11  MFII11  MXRF11  NSLU11B  ONEF11  PLRI11  PQDP11  PRSV11  RBBV11  RBGS11  RBPD11  RBRD11  RBVO11  RDES11  RNDP11  RNGO11  SAAG11  SDIL11  SHPH11  SPTW11  TBOF11  TFOF11  THRA11B  TRNT11B  TRXL11  VLOL11  VRTA11  WPLZ11B  XPCM11  XPGA11  XTED11

Juntos somos mais Fortes! Incentive o blog, assine os produtos e serviços:

Mini_FitaProdServ

Login   Registro   FII   Ações   Fundos   Diversão   Comentar   Loja   Ajuda   Comentários   RSS

5.796 comentários sobre “Fórum de FIIs

      • Ô Lôco kkk

        vejo boas chances de continuar na mesma toada, vir outro 0,75% na linha do discurso de não surpreender o mercado, de termos uma política monetária mais previsível

        um rompante desses, tipo 1,25% passaria uma mensagem muito ruim ao mercado, beirando o desespero…

        Curtido por 2 pessoas

      • Um corte de 0,75 acompanhado de um bom discurso com tendências em seu conteúdo, vale mais q um corte irresponsável e prematuro de 1 ou 1,25, minha opinião

        Curtir

      • Acho que não demonstra desespero e sim que o banco central, está de olho na inflação e a de olho no centro da meta e não no teto da meta!
        A minha visão é simples, inflação sobe juros sobe, inflação cai juros cai, o sistema tem de ser flutuante e de acompanhamento mensal, não tem segredo!

        Curtir

      • E tem mais, se esse governo conseguir aprovar essas reformas, o pais entrará em uma nova realidade, nunca antes vista!
        A inflação sobe pq o governo gasta demais, se o governo para de gastar a inflação será controlada!
        Essa renda fixa do brasil deveria ser vista com tristeza e não como a galinha dos ovos de ouro dos investidores! Se a RF foi alta é pq a inflação foi alta também!

        Curtido por 2 pessoas

      • Juros altos nos EUA, todos preferem levar o dinheiro p lá, e receber juros reais em dólar, e outro 🌍, aqui juros em 7% ou 15 como estava esses tempos, tanto faz ninguém sabe se tá ganhando ou perdendo, embora eu ainda ache que vale mais um juro d 7, com recessão do q um juro de 15 com inflação fora de controle. Mas o investidor bananes (como diz o Léo) não pensa assim, vejam todos correndo dos fiis de papel e dos juros pré, que pra mim é uma oportunidade, e não refugados

        Curtir

      • Só mais um complemento, juros altos ou baixos nos EUA significa SEGURANÇA,
        Lembro de um frase q Obama disse quando assumiu o governo, sobre um comentário de uma agência de riscos, daquelas q tem pouca ou nenhuma credibilidade, disse q EUA caminhava para perder istatos em sua credibilidade. Aí em um dos primeiros pronunciamento q fez obama disse.
        OS EUA SEMPRE FOI É E SEMPRE SERÁ A A A

        Curtir

      • Tetz;

        Já me intrometendo na conversa com o north (rsrs)…
        Meu palpite é no intervalo entre 25 e 50 bps a ser anunciado pelo FED hoje.
        Tem todos os indícios de ser uma alta feita com a devida cautela e de forma paulatina.
        Sobre a correlação com o Copom, se os títulos norte americanos ficarem com retornos mais atraentes que os nossos, o BC vai chegar num limite de corte da Selic para manter uma atratividade mínima dos títulos e demais aplicações nacionais.
        Ademais, apesar da aprovação da PEC dos gastos ter sido um bom passo, de nada esta adiantará se outras medidas que estanquem a hemorragia (déficit fiscal) não forem adotadas (Reformas previdenciária e trabalhista). Lembrando que o limite no aumento de gastos se baseia no IPCA (indexação).
        Diminuir o limite do cheque especial de nada resolve se os gastos persistirem mais altos que a arrecadação; o rombo (e o futuro tombo) continua a aumentar.
        Sds.

        Curtido por 1 pessoa

      • Tetzner, atualmente o juro básico (chamado “federal fund rates”) está na faixa 0,5% a 0,75% ao ano. Deve subir para o intervalo 0,75% a 1,00% ao ano, só que ainda pode ter mais tres ou quatro elevacoes no ano. Por enquanto isso só tem impacto de curto prazo, pois como a inflação lá (chamada consumer price index) também vem subindo os juros reais ficam estacionados. A problemática vai ser se os juros reais começarem a subir e toda a curva de juros nos EUA se redesenhar (na verdade, com a eleição do trump e promessa de aumento de gastos, os juros futuros mais longos já vem subindo,vide esse gráfico

        ). Nosso país tem muito potencial, mas ainda há muita coisa pendente, perigosamente pendente.

        Curtido por 2 pessoas

      • Só pra completar, quando aquela senhora impichada era presidente do brasil, fizemos o experimento de ter juros reais de 20 anos em 4%, mas na época as taxas reais de 20 anos em todo o mundo desenvolvido era quase 0, mesmo assim deu tuuuudo errado. Eu quero ver juros se os juros reais de 20 anos no primeiro mundo subirem pra 2%, nos Eua ja é 1%, quem vai aceitar receber só 4% pra carregar o risco do governo da bananalandia por 20 anos, com um povo que adora mamar nas tetas do estado.

        Curtido por 7 pessoas

      • North sobre sua ultima divagação, quase ninguém apenas alguns fundos abutres.
        Se levarmos em conta que já´existe no mercado casa de investimento conceituadas dando call de venda em ativos brasileiros, poderia intensificar este processo caso reformas não avancem e o déficit fiscal continue aumentar nos últimos anos.

        No menor sinal de elevação por parte do primeiro mundo, boa parte do capital especulativo aquele que usa arbitragem de juros para operar no mercado sai vendido do Brasil.

        Alguns grandes fundos pegavam financiamento no primeiro mundo a juros baixos para aplicar em títulos e ações de emergentes.

        Naquela fuga que houve quando perdemos grau de investimento derrubando a bovespa para casa dos 38 mil pontos havia muito dinheiro destes fundos que estavam arbitrando juros no mercado nacional.

        Até este momento todos os fundos e grandes players estão posicionados esperando reformas , no menor sinal que o custo oportunidade seja melhor em países desenvolvidos podem vender parte da carteira brasileira para alocar em outros mercados.

        Curtido por 1 pessoa

      • Lembrando que mesmo pro pequeno investidor pessoa física ja é possível ”dolarizar” parte do patrimonio, tem etf de s&p500 no mercado e logo devem chegar outros etfs ”dolarizados”. Os que possuem um pouco mais de capital e disposicao ja podem inclusive abrir conta em uma corretora estrangeira so usando a internet. Resumo da ópera, a fuga de capitais não precisa mais se restringir só a estrangeiros, os proprios brasileiros estarão cada vez menos dispostos a cobrir o risco de governo perdulario (e de povao que quer tudo de graça) , e dessa vez contarão com a possibilidade real de terem parte do seu patrimonio em moeda forte.

        Curtido por 1 pessoa

      • Acaba de ser decidido pelo Federal Reserve: o target da fed rates de fato subiu para 0,75 a 1 por cento anual. Segundo o FED, a inflacao americana anualizada ja atingiu dois por cento,nivel que consideram ideal.

        Curtir

      • Tetzner, atualmente está na banda 0,5% a 0,75% (sempre ao ano), a aposta é subir pra banda 0,75% a 1,00% (ao ano). No curto prazo isso sempre atrai algum dinheiro pro Tio Sam, no médio prazo tem que observar as taxas de juros reais, estas não se alteraram muito pq o IPCA deles (Consumer Price Index) também tem subido

        Curtir

    • Por mim já cortava o suficiente para ficar em 9% de uma só vez. 2015 SELIC de 14, 25 com inflação de 10, 5, agora SELIC mais de 12 com inflação de 4,5 , com país na recessão, metade do país desempregado e a outra individada, é um absurdo . Juros reais estratosféricos . Já no Congresso Reforma Sindical, acabava com taxa sindical obrigatória, reforma trabalhista, tributária , previdenciária e a mais importante a Judiciária, ( o Judiciário é de longe o poder mais corrupto e incompetente do Brasil ), pois sem segurança jurídica nunca o país irá para frente.

      Curtir

  1. CVM intensifica sanção sobre oferta irregular de ‘condo-hotéis’

    A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) decidiu intensificar a ação sancionadora sobre ofertas irregulares de investimentos em cotas de empreendimentos hoteleiros – os chamados “condo-hotéis” -, no momento em que elabora regulação específica para o setor.

    Hoje, há seis processos com acusação já formulada em vigor na autarquia, e outras investigações estão em curso

    Nem todos os casos citam executivos. Entre as empresas do setor citadas estão Accor, Atlantica Hotels, Renaissance e Bristol.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Secovi-SP prevê crescimento em 2017

    Vendas de unidades novas caiu quase 20% no ano passado, o pior da série histórica iniciada em 2004

    Depois da queda de 19,7% na venda de imóveis residenciais novos na cidade de São Paulo em 2016, pior ano da série histórica iniciada em 2004, o Secovi-SP, o Sindicato da Habitação, acredita que o mercado possa crescer de 5% a 10% neste ano e já considera possibilidade de revisar a projeção para cima em junho ou julho.

    “Acreditamos que 2017 seja o ano de retomada”, afirma o presidente do Secovi-SP, Flávio Amary.

    Segundo ele, o início da melhora será sentido “quando o Brasil deixar de perder empregos e começar a criar empregos”.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Brasileiro investe muito mal o dinheiro

    O brasileiro investe muito mal suas economias, mostra um estudo realizado com 3,2 milhões de usuários

    Cerca de 10% têm aplicações, ou seja, umas 300 mil pessoas, as a rentabilidade média é muito baixa, cerca de 70% do juro diário do CDI; isso equivale ao ganho da poupança ou menos.

    O brasileiro ainda não sabe lidar com o dinheiro e não guarda olhando o retorno, mas mais a segurança.

    Com a poupança média do brasileiro em torno de R$ 2 mil, o que equivale à renda média mensal, o que quer dizer que se a pessoa perde o emprego, tem um mês de poupança para sobreviver.

    Curtido por 5 pessoas

    • Um dado interessante dá poupança é o porquê do brasileiro investir nela é que entre o período de 1995 e 1999 a poupança teve um rendimento bem acima dá inflação.

      1995 inflação de 22,1% e poupança rendeu 41,95%
      1996 inflação de 9,56% e poupança rendeu 16,88%
      1997 inflação de 5,22% e poupança rendeu 16,05%
      1998 inflação de 1,65% e poupança rendeu 15,08%
      1999 inflação de 8,94% e poupança rendeu 12,74%

      Então por isso o brasileiro ainda tem esses anos áureos na cabeça e ainda investe em poupança.
      Veja que deixou o dinheiro parado entre 1995 e 1999 dobrou o patrimônio.
      Coisa de renda fixa mesmo!

      Curtir

      • A poupança remonta à época de Dom Pedro II. É algo enraizado na sociedade brasileira devido a propaganda massiva de grandes instituições, facilidade de aplicação e resgate, falsa segurança, falta de educação financeira… Agora que o brasileiro está começando a conhecer o TD… Os demais investimentos e intermediações financeiras via corretora vai demorar ainda para tornar-se popular.

        Curtido por 1 pessoa

    • Não acho investir em poupança tão ruim não. .. ruim mesmo é não investir em lugar nenhum como a maioria da população
      E grande parte das pessoas físicas na bolsa teria ganho mais se mantido o dinheiro na poupança… cai no famoso “ganha de colher e perde de balde”, vide ipo em em geral

      Curtir

  4. FII Even Permuta (KINP)

    Mais um fundo de desenvolvimento KINP… 100 MM em projetos da Even….
    Noticia boa que empresas estejam buscando formas alternativas de financiamento a produção… pena que o lote mínimo Não esteja ao alcance dos mortais.

    qual a melhor maneira de surfar no mercado imobiliário: ser sócio de uma construtora como a Even ou participar de um projeto como esse, com prazo e “gestão profissional” do investimento?

    Curtido por 1 pessoa

      • indicadores Even:
        Divida líquida = 1.381.840.000 << só aqui já acabou analise
        Div Br/ Patrim 0,88
        EBIT = 75.236.000 < << com EBit deste vai pagar nunca esta dívida.
        Lucro líquido no topo da bolha imobiliária = 280.000 milhões

        Curtido por 4 pessoas

      • – Ao que me consta o maior lucro líquido de Even foi R$361 milhões em 2012.
        – Para uma dívida líquida de R$1,381 bilhões, existem terrenos com VGV de R$5,3 bilhões, sendo 50% em SP. Vendendo só os terrenos já paga essa dívida líquida, e…
        – Ainda sobram R$2 bilhões em apts já prontos em estoque.
        – Pessoas muito ricas também fazem maus negócios, mas a Nova Milano (gestora pertencente aos donos da grendene) não teria quase 50% das ações ON, e aumentando ano após ano, se a coisa tivesse tão feia assim.
        – Concordo que Eztec é menos arriscada.
        – Por fim, se a nova realidade da economia brasileira for essa draga dos últimos 2 ou 3 anos, não só a Even quebraria como talvez 80 por cento das empresas.

        Curtido por 5 pessoas

      • Não apostaria neste calculo de lank bank para liquidação, mais um dos motivos que fez muita gente perder dinheiro nos últimos anos.
        Imóveis tem liquidez baixa , além disso o valuation pode estar sobrevalorizado pelos avaliadores, experimente vender grandes empreendimentos para abater dívida bruta ” vai ter de entregar de graça ou no mínimo com grande desconto”.
        Um exemplo é o tempo que se leva para executar garantia no sistema financeiro, geralmente os imóveis tem de ir a leilão com desconto consideráveis , agora imagine uma companhia a beira da falência pagando bastante juros na dívida corporativa.

        Vide caso da falida PDG, muita gente entrou nessa de contabilizar land bank e imóveis para abatimento de dívida bruta , hoje este mesmo vem pagando um preço alto.O mesmo processo aconteceu com a viver anteriormente, conheci algumas pessoas que perderam muito dinheiro com este tipo de avaliação, contabilizar land bank como abatimento de dívida.

        Quando entra distrato com grande volume a construtora quebra em questão de meses, principalmente se não tiver caixa líquido positivo para aguentar enorme volume de devoluções e não estiver pelando em cima de vendas falsas.

        O esquema das construtoras é manjado! As construtoras vinham pedalando em cima de imóveis na planta para adiar reconhecimento dos distratos.

        Agora que abaixou volume lançamentos os distratos começam ser contabilizados o caixa será consumido com uma velocidade incrível.

        Para piorar a população anda extremamente endivida, consequentemente teremos uma retomada lenta neste setor , sinceramente não apostaria neste setor se não pela especulação.

        O esquema é similar uma pirâmide financeira tem de continuar pedalando em cima das vendas falsas e adiando o máximo reconhecimento de distratos.

        Até por isso anda um salve-se quem poder nesse mercado! Por este tempos foram até Brasília pedir mais um plano milagroso para salvar o setor.

        No meu entendimento a questão é bastante simples , este setor será remodelado e apenas as melhores empresas vão permanecer .
        Direcional, EZtec, MRV e cyrella.

        Curtido por 2 pessoas

      • Muito cuidado com valuation de land bank de construtora.

        Como eles calculam, 2 jeitos mais comuns:

        – Média do m² vendável usando lançamentos anteriores da própria empresa.
        – Custo + margem da empresa.

        Ou seja, se o mercado não colaborar, esse vgv vai pro cacete.

        Curtir

    • As construtoras que tem mais distratos trabalham com vendas na planta há décadas e apesar dos cancelamentos de vendas serem irrelevantes até 2010, já acumularam mais de R$ 20 bilhões só no período de 2011 a junho/2015, uma evidência clara das vendas falsas na planta.

      O volume real de distratos é muito maior do que consta acima: existem construtoras que omitem esta informação em seus relatórios (exemplos: Cyrela, Even, Helbor e outras), uma que não menciona os distratos se forem revendidos no mesmo trimestre em que o cancelamento ocorre (PDG), atrasos de mais de 1 ano para reconhecer distrato (exemplos: PDG, MRV), construtora dando desconto no ato do financiamento imobiliário para evitar o distrato (exemplo: Rossi), dentre outras ações para que esta anomalia não apareça na íntegra.

      Quais os efeitos para o mercado imobiliário como um todo? A partir do próximo item, as consequências desta anormalidade.

      A combinação de super estoques com alto endividamento forçou a redução mais sensível nos preços dos imóveis para os bancos nos EUA. E no Brasil? Como exemplo, vejamos o caso da PDG, a líder das vendas falsas na planta, com mais de R$ 4,7 bilhões em distratos só no período de janeiro/2011 a junho/2015:

      Vale a pena avaliarmos outras construtoras que, da mesma forma que a PDG, estão super-endividadas e ao mesmo tempo com estoque recorde, a tal ponto que não realizaram nenhum lançamento no 1S15. O que poderiam fazer para se livrarem destes estoques e ao mesmo tempo, buscarem caixa para pagarem suas dívidas?

      As construtoras em São Paulo não só focaram nos imóveis de menor preço, como ainda fizeram uma redução sensível nos preços destes, tanto quando analisamos por tipologia, quanto por metro quadrado.

      O que consta acima, tanto dos relatórios das construtoras quanto do SECOVI SP, é uma reação natural: construtoras precisam vender para tentarem gerar caixa que pague suas contas, como os preços subiram de forma artificial e gerando super-estoques por terem ficado completamente díspares em relação à renda e capacidade de compra das famílias, a única saída eram reduções relevantes nos preços.

      Esta situação seria recente e apenas consequência da crise? Vamos relembrar evidências que tem se acumulado desde 2013 quanto a quedas de preços de imóveis novos, já como consequências de todo este processo de vendas falsas na planta e excesso de investidores:

      Qual seria a tendência daqui pra frente?

      Apesar da redução constante em lançamentos e preços dos imóveis novos que já ocorrem há anos, o desequilíbrio entre oferta e procura tem piorado, o que significa que os preços ainda tem que cair muito até que possam voltar a se tornarem compatíveis com a renda.

      A tendência é que com menos lançamentos e a crise, cada vez mais as construtoras tenham dificuldade de fazer caixa para pagamento de suas dívidas, pois terão cada vez menos vendas falsas (dependem de lançamentos) e encontrarão cada vez menos compradores, em função de aumento no desemprego, queda da renda, dificuldades para obtenção do crédito imobiliário que está mais caro, etc., ou seja, será a necessidade das construtoras e a falta de compradores habilitados, ambos crescentes, que forçarão a intensificação na redução dos preços.

      Em outras palavras, comprar agora, mesmo que com grandes “descontos e promoções”, significará pagar mais caro do que adiar a compra.

      As 12 construtoras com Ações na BOVESPA utilizadas como referência para este estudo são aquelas que tem foco no segmento residencial: Cyrela, EzTec, MRV, Helbor, Even, Trisul, Gafisa, PDG, Brookfield, Rossi, Tecnisa, Viver. Informações extraídas dos relatórios trimestrais que constam nas páginas de Relação com Investidores dos sites destas empresas.

      Curtido por 4 pessoas

      • Realmente não há como deixar de realizar a análise sem olhar para o retrovisor. Mas vale lembrar que exceção a Eztec, todas meteram a mão na cumbuca nos tempos de vacas gordas.
        Como o amigo northeasteconomy comentou, os majoritários da Even, Cyrella, MRV e até Eztec entraram um uma fase de arrumar a casa para uma nova fase…. por isso, considero que a Even tenha algum potencial de reorganização, até pq sempre teve um foco bem definido em localização geográfica de atuacao, quase nenhuma terceirização de canteiros, sem atraso de entregas, creio que não exista um passivo judicial considerável.

        Mas a parte interessante da proposta é que o recado é o seguinte: os bancos exigem retorno de 10-15% a.a. Sem assumir os riscos do projeto, isso é muito caro quando algo não sai como planejado. Por isso, procuramos sócios pra compartilhar os riscos, mas acreditamos que o projeto é interessante cujo potencial 10,5%+ipca. Mas vai que dá tudo errado, não vou te pagar tudo isso, mas pelo menos o ipca vc terá de volta. E estamos trazendo o Kinea pra escolher os projetos que faremos em conjunto, pra maior segurança dos investidores.

        Será interessante acompanhar de perto a evolução deste fundo…

        Curtido por 1 pessoa

      • Senhor dos fiis, comparar Even com PDG é complicado: a primeira é empresa de dono, investidor…a segunda tem o DNA BTG, preciso dizer mais nada, né. Como eu disse, se o Brasil ficar estagnado onde está, não somente a Even, mas a Ambev, o Itau e o próprio governo brasileiro quebrarão, a única diferença é quando. Qualquer um que invista em ações no atual momento, ainda mais no setor de incorporações, acredita que no médio prazo as coisas melhorarão, do contrário a única solução é investir nas empresas lá de fora.

        Curtido por 4 pessoas

      • Morilson, veja como é uma empresa (Even) com trânsito e networking: ao invés de ficar fazendo dezenas ou centenas de distratos com pessoas físicas, com toda trabalheira que isso traz, empacota um projeto, procura um grande investidor, compartilha os dados do projeto, divide um pouco o risco e bola pra frente. Proatividade na veia pra enfrentar um pouco esse cenário podre atual da incorporação no Brasil. Até EZtec está tendo que sair um pouco da ”zona de conforto” e bolar novos projetos com um DNA ligeiramente diferente do original da empresa.

        Curtido por 5 pessoas

      • Even , PDG , EZTEC etc todas estão pedalando na planta o exemplo vale para todas, diferença é que quando acaba lançamentos soma-se isso a vendas falsas na planta feitas e períodos anteriores + estoques em posse de bancos indo a leilão.

        Na outra ponta se avoluma uma quantidade enorme de distrato que ainda não foram reconhecidos no balanços das incorporadoras, vide caso deste estudo que foi feito em 2015, este estudo acertou na mosca! se atente que bastou parar de fazer novos laçamento sobre vendas falsas na planta para entrar distratos a perder de vista.

        Levando em conta que existe super estoques nosso mercado qual seria a saída? lançar mais em vez de se desfazer dos estoques já se avolumando acarretando em custos elevados de manutenção ? Pois é isso que tenho ouvido de diversos analistas.

        Sintoma típico de descolamento de oferta e demanda:
        Uma caminhão de oferta contra uma demanda cada vez mais reprimida acarreta em defasagem de preços ou dificuldade em se desfazer dos estoques.

        Imagine um funil com unidades a venda na outra ponta uma pressão sobre distratos forçando vendas a torto e a direita.

        Outra fator jogando contra estas estimativas é que no boom economicos anteriores havia um maior poder de comprar por parte do brasileira e um menor endividamento das famílias , resumindo havia mais dinheiro na mesa.

        Atualmente mesmo que nosso juro entre para linha neutra 7% a.a isso levando em conta todas reformas previdência etc, boa parte da dívida já foi contraída anteriormente. O ideal seria entrar em processo de desalavancagem tanto de empresas quanto de consumidores o que demandaria tempo ou seja uma recuperação mais lenta.

        Se você pegar informações desde 2012 , ira perceber que desde esta época representantes de instituições vem alardeando que poderia haver recuperação no setor e até o momento nada.

        Então qual vantagem de empresas com zero dívida? A vantagem é que neste processo de desalavancagem a empresa que estiver com menos dívida sai na frente por não precisar queimar estoques a torto e a direita para abater dívida contraída em períodos posteriores.

        O estoque mesmo que vendido com enormes descontos entra como lucro direto para acionista e não para abatimento de dívida contraída.

        Também não entendi qual relação de causa com outras ações defensivas, este tipo de ação é especulativa por isso enorme desconto.

        Que dizer se tudo der certo a ação pode disparar acarretando em grandes ganhos ou não.

        Eu mesmo especulei bastante com estas ações de empresas altamente endividadas ganhando um bom dinheiro , mas como tese de investimento longo prazo é roubada.

        A geração de caixa não ira ser suficiente para abatimento da dívida o que leva segundo fator queima de estoques a preço de custo ou abaixo disso para abatimento de dívida contraída.

        O preço da avaliação não contem desvalorização dos preços , ainda estão super estimados.
        O que vai acontecer se todas empresas endividadas jogarem estoques ao mesmo tempo no mercado e soma-se estoques enormes em posse de bancos? Que tal lançar novos lançamentos na planta e efetuar mais vendas falsas ? Acredite é a loucura que estou ouvindo por parte de representante do setor.

        Primeiro que tem de parar de lançar para que aja um equilíbrio da oferta e da demanda.
        Tem de esperar alguns anos para ocorra este equilíbrio e só assim ir entrando novos lançamentos.
        Lançar com super estoque é apagar incêndio com gasolina !

        Curtir

      • O fundo parece um “Fazenda Boa Vista” com garantia mínima de IPC-A até seu encerramento; isso mesmo, tem data para acabar… (72 meses)

        Ao invés da JHSF tem a Even

        O banco provavelmente entrou no negócio para ajudar a empresa que deve ser cliente, então ajudando a Even ele se ajuda e claro, fica com a corretagem 1,3% do valor de toda da emissão que é exclusividade do Itaú ( mais 1,45% do VM de Tx Adm e mais 20% do que exceder IPCA-A + 6%)

        duro é ficar 4 anos e meio sem renda…

        Curtido por 2 pessoas

      • Fundo de alto risco ainda tem de confiar no projeto e na solvência do incorporador.
        O que mais me preocupa nesse processo todo , banco não aceitou fazer negocio com a even forçando a empresa buscar financiamento no mercado.
        Porque diabos pessoa física ou mercado aceitaria este risco? Uma coisa aprendi ao longo da ultima década se banqueiro não quer financiar tal projeto recebendo este caminhão de juros é porque o risco por de trás é grande.

        Curtido por 3 pessoas

  5. Como é que pode, né? O SPTW,patinho feio,
    menosprezado,
    desprezado,
    ridicularizado,
    outro dia tinha caido para 59 reais, voltou aos 74,50 antes de fazerem aquele péssimo anúncio em que a renda despencou!!!A gente comprado mesmo a renda caindo para 0,72%? Vendi um terço ontem e estou pensando em aumentar o desfazimento de posição..

    Curtido por 5 pessoas

      • Leonardo, não acompanho mais o EDGA, não está na minha carteira. Trata-se de um prédio retrofitado, luxuoso, no coração do Rio, mas cuja cidade sofre tremendamente as consequências de governos incompetentes, corruptos e demagogos, passando por Brizola, o Gato Angorá, o Garotinho (sic), o Sergio Cabral…. vai ser difícil recuperar o Estado que, aliás, sempre foi deficitário. Uma das razões da fusão Guanabara e Estado do Rio era melhorar as possibilidades econômicas, com um polo automobilístico, mas tudo fracassou. O petróleo off shore significou um alivio mas seus recursos foram roubados, desviados e mal aplicados. Eu me mantenho fora, para comprar vacâncias existem melhores oportunidades.

        Curtido por 1 pessoa

  6. Saques do FGTS e renda podem reanimar consumo

    À medida que a economia exibir sinais de reação, a postura meramente defensiva das famílias pode ser revertida e dar um alento ao consumo

    Queda da Selic pode ser positiva para os bancos no curto prazo

    Efeito do afrouxamento só deve aparecer de forma mais relevante no ano que vem

    Câmbio ampara cenário de aceleração de corte dos juros

    Possível ajuste de baixa no dólar após Fed corrobora alívio monetário

    leva um tempinho, mas volta aos trilhos 🙂

    Curtir

  7. Vai completar 3 anos que invisto em FII no mês de maio.
    E faz 3 anos que a BTG só faz c@gada em toda parte que administra.
    Se juntar todos os fiis que a BTG administra dá mais de R$4 bilhões tranquilamente.

    Aí você pensa vou pra outros FIIs que não tenha a BTG no meio.
    OK mas o que?
    Xted,HGLG,FIGS,KNRI,PRSV e tantos outros com administração queimando caixa ou fazendo o cotista de trouxa que eu cheguei as seguintes conclusões:

    1 – A CVM não pode seguir a risca todas as leis pois tiraria 90% dos fiis do mercado por má gestão e outras bizarrices​.

    2 – O brasileiro como administrador é medíocre.

    3 – O brasileiro como investidor gosta de mediocridade.

    4 – O brasileiro gosta de ver seu capital sendo administrado por medíocres.

    5 – O brasileiro(e me incluo no meio) escuta meia dúzia de “eu te amo” e já morre de amor pelo administrador.

    6 – O brasileiro acredita tanto no futuro que seremos uma Suíça,Japão ou Noruega só de imaginar.

    7 – Mediocridade toma conta do Brasil e achamos isso normal.

    Pra mim existe de 5 a 7 FIIs bons, o resto ou é medíocre ou é lixo puro.
    Pronto falei…

    Curtido por 6 pessoas

    • Leo M

      por ai, temos um universo de 120 FIIs dos quais para chegar em meia dúzia com qualidade… dá trabalho!

      agora, temos também alguns casos de falha na precificação, ou seja, tem um mínimo de qualidade mas a precificação é que foi equivocada

      esses casos o próprio mercado acerta, por isso: NUNCA, NUNCA entro em IPO de FII

      sem informação, relatórios, debate, tempo para o mercado assimilar, fica muito difícil identificar as “pegadinhas” dos prospectos

      alguns a gente consegue identificar como fria, cilada, etc de cara, tipo o da vale, o de leilões, … questão de tempo

      Curtido por 4 pessoas

      • Universo de 120 fiis no Brasil, já na “América” (USA), ao final de 2016, havia 170 Reits, acompanhados pela NAREIT, com capitalização de 957 bilhões de dólares (média de 7,975 bilhões de US$ por cada Reit). Moral da história, fiis – aqui – pouco diversificados, arriscados, muitos monoimóveis (ou próximos a isso),etc.

        Curtido por 2 pessoas

      • Acho que a Riobravo é uma empresa mais com DNA de gestora e asset, tipo, grosso modo, por não ser muito ligada a bancos ela tende a ter menos conflitos de interesse em relação a uma Kinea, BTG e, adicionalmente, precisa dos seus ativos geridos (direta ou indiretamente) performando bem para o braço de asset continuar a crescer. Seus clientes tendem a pensar mais fora da caixa e serem mais críticos (no bom sentido da palavra),daí não engolirem qualquer coisa. Não existe rede enorme de agências para sair capturando dinheiro fácil pra emissões desnecessárias, enfim, ou a empresa gere bem os ativos ou quebra/estagna.

        obs: não sei se com a chegada dos chineses isso mudará.

        Curtido por 1 pessoa

    • Po Leo, que revolta!

      Até concordo. Mas me diga, pq a revolta? Vc não ganhou dinheiro nessa subida monstro? Isso não faz parte de investir num ativo que se correlaciona negativamente com a taxa de juros?

      Eu não tenho uma visão tão negativa… Do mercado como um todo.

      Dog eat Dog. Simples assim.. Vc olha as balas perdidas vindo, vê se dá pra ter um lucrinho desviando delas e segue o barco..

      Curtido por 1 pessoa

    • Cara você é chorão pra caramba.

      Vai investir em poupança, todo dia este seu mimimi cansa a minha beleza.

      Ta insatisfeito? Vira homem, pega seu dinheiro e vai investir onde você é feliz.

      Invisto em FIIs, tem FII caindo, FII subindo, e eu tô pouco me lixando, pois FII É LONGO PRAZO pra maturar juros compostos.

      Aff

      Curtir

  8. 13/03/17
    A TOV Corretora começa nesta semana a devolver o dinheiro dos clientes que tinham saldo em conta corrente na instituição, que está em liquidação desde 6 de janeiro de 2016.
    O pagamento havia sido suspenso depois que o controlador da empresa, Fernando Heller, entrou com pedido de liminar na Justiça, alegando que o dinheiro deveria entrar na lista de credores da empresa, os chamados credores quirografários, e, portanto, aguardar a liquidação final da instituição.

    07/01/16
    Banco Central decreta liquidação extrajudicial da corretora TOV
    Autoridade monetária cita ‘graves violações às normas legais’.
    Corretora é investigada na operação Lava Jato.

    1 Ano e 2 Meses e 7 Dias sem ver a cor do dinheiro…

    Curtido por 6 pessoas

  9. Será?? Vem ai o tão sonhado corte de 1%?? Nunca antes na história desse país!

    Investidor reforça aposta em corte de 1 ponto percentual na taxa Selic
    Inflação em queda e câmbio comportado explicam movimento

    Os mercados começam a semana de decisão de política monetária nos EUA com convicção renovada na ideia de que o Banco Central vai acelerar o ritmo de cortes da taxa Selic no próximo mês.

    Nem mesmo riscos em torno de nova alta de juros nos EUA esvaziaram essa aposta, embora a tenham diminuído durante o pico de estresse dos últimos dias.

    Curtido por 4 pessoas

  10. Alguém participou??

    Leilão da Caixa oferece imóveis até 80% mais baratos que preço de mercado

    SÃO PAULO – A Caixa Econômica Federal realizou ontem um leilão de imóveis.

    Os valores iniciais de venda podem ser negociados por até 80% do preço de avaliação dos bens, e serão leiloados cerca de 120 imóveis da capital e da região metropolitana de São Paulo.

    “Os imóveis estão sendo comercializados pelo valor de contrato, e chegam a ser até 80% mais barato que o preço de mercado dos mesmos, sendo uma excelente oportunidade para quem busca a compra da casa própria ou investimento”.

    O leilão ofereceu imóveis de todos os tipos e em diversos bairros da cidade: desde apartamentos padrões, como casas, terrenos e salas comerciais, como imóveis mais luxuosos. Há, por exemplo, uma casa na Vila Nanci, em Mogi das Cruzes, avaliada em R$ 247.500, mas que tem um lance inicial de R$ 54.900.

    Outra opção disponível é um apartamento no bairro da Bela Vista, de dois quartos, avaliado em R$ 410 mil, que está com lance inicial de R$ 243,6 mil.

    Curtido por 1 pessoa

  11. Condições do mercado imobiliário se deterioram

    As condições gerais do mercado imobiliário encerraram o ano passado com a menor média histórica da série do Radar Abrainc-Fipe.

    Com nota de 2,4 na escala entre 0 (menos favorável) a 10 (mais favorável), o recuo foi de 0,9 ponto, no comparativo com dezembro de 2015, e um recuo de 3,8 pontos, face à pontuação de dezembro de 2014.

    O péssimo resultado faz sentido, após o golpe sofrido no PIB (-3,6%). Com efeito, 3 dos 12 indicadores para estimular a atividade no setor encontravam-se no nível mais baixo: emprego, massa salarial e preço dos imóveis.

    Curtido por 1 pessoa

    • Mas como no Brasil o mercado faz a leitura ao contrário do original, eztc3 e outras incluindo fiis, seguem no sentido oposto, como se vivêcemos um boom imobiliário, quando na verdade a realidade é q passaremos anos para recuperarmos isso, quero dizer q não a nescidade do mercado sair comprando e inflando tudo, só por que tem um pessoal aí que diz q o país um dia vai melhorar, a economia vai voltar a crescer, a vc peguenta quando e vem a mesma ladainha de sempre. Realidade é simples, é claro q se está chovendo é muito fácil dizer q um dia vai voltar o sol, isso é óbvio, o mesmo acontece com a economia e os charlatões economista do Brasil , um dia vai melhorar, isso é óbvio, a pergunta é,
      Quando e quanto irá custar isso ao mercado em geral. essa é a pergunta chave, o resto é lirismos

      Curtido por 2 pessoas

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s