Fórum Fundos Imobiliários

tetzner_blog-fundo_imobiliario

A Maior, mais Bem Informada e Ativa comunidade 100% FII

ABCP  AEFI  AGCX  ALMI  ATSA  BBFI  BBPO  BBRC  BBVJ  BCIA  BCFF  BCRI  BMLC  BNFS  BPFF  BRCR  CBOP  CEOC  CNES  CPTS  CTXT  CXCE  CXRI  CXTL  DOMC  DRIT  EDFO  EDGA  EURO  FAED  FAMB  FCFL  FEXC  FFCI  FIGS  FIIB  FIIP  FIXX  FLMA  FLRP  FMOF  FPAB  FVBI  FVPQ  GRLV  HCRI  HGBS  HGCR  HGJH  HGLG  HGRE  JRDM  JSRE  KNCR  KNIP  KNRE  KNRI  MAXR  MBRF  MFII  MXRF  NSLU  ONEF  OUJP  PLRI  PQDP  PRSV  RBBV  RBDS  RBGS  RBPD  RBRD  RBVO  RDES  RNDP  RNGO  SAAG  SDIL  SHPH  SPTW  TBOF  TFOF  THRA  TRNT  TRXL  VISC  VLOL  VRTA  WPLZ  XPCM  XTED

Juntos somos mais Fortes! Incentive o blog, assine os produtos e serviços:

Mini_FitaProdServ

Login   Registro   FII   Ações   Fundos   Diversão   Comentar   Loja   Ajuda   Comentários   RSS   AdBlock

Anúncios

7.714 comentários sobre “Fórum Fundos Imobiliários

  1. Olá pessoal.
    Estive no Hack Town 2017 no último fim de semana. Vi algumas palestras sobre dinheiro virtual, bitcoin e IoT. Numa delas, fiquei sabendo que o Itau criou um aplicativo para celular, que simplesmente foi um fracasso. Os usuários em potencial não quiseram baixar o aplicativo para o smartphone. Segundo à palestra, o motivo principal é o fato que atualmente as pessoas estão realmente diminuindo a pretensão em instalar novos aplicativos no celular. E isso pode ter relação com os celulares já muito ocupados em termos de espaço. Na mesma palestra, foi dito que as soluções futuras que não exigirem instalações de aplicativos terão mais sucesso. Nessa linha de pensamento, o Itau desistiu de emplacar um novo aplicativo e já está projetando uma solução para Whatsapp. A solução para Whatsapp será baseada em Chatbot. O Chatbot é um sistema de mensagem instantânea, como o messenger do Facebook, mas que responde uma pessoa automaticamente. Ou seja, uma pessoa entra num messenger e conversa com um software, até mesmo sem perceber que é software. A ideia é criar um chatbot que atenderá as pessoas via Whatsapp. No final das contas, o chatbot será como um novo usuário adicionado no seu Whatsapp, mas que conversará com você como um atendente do Itau. Contudo, o Whatsapp ainda não dá suporte para chatbots. Mas, isso é uma questão de tempo. O messenger do Facebook já dá suporte para chatbots. A conclusão é que os bancos farão de tudo para não perder o bonde de se digitalizarem ao máximo possível.
    Em relação a dinheiro virtual, uma moeda foi criada para transações entre máquinas. Se chama IOTA. Essa certamente será uma revolução! Permitirá, por exemplo, um carro auto-dirigido abastecer num posto de gasolina e depois pagar pelo abastecimento, sem interação humana. Esses dinheiros virtuais mostram a força que têm e como isso pode, aos poucos, ganhando muito espaço.
    Alguém aqui poderia listar desvantagem em investimento em Bitcoins, para longo prazo? Cinco anos ou mais?

    Curtido por 2 pessoas

      • Boa pergunta. E essa pergunta surgiu mesmo nas palestras. As respostas foram que os governantes estão negligenciando 100% as moedas digitais, até agora. Contudo, o poder deles de fazer ‘merd…” não é contestável. Uma sugestão de interferência é que eles podem, por exemplo, fechar os ‘exchanges’ locais onde converte dinheiro digital em moeda comum. Mas, aí a moeda digital ainda seria trocada de outras formas entre as pessoas, só na forma digital mesmo. Resumo: seja lá qual for a regulamentação, não será possível exterminar as moedas digitais. Não há como fazer isso. Se, por exemplo, o dinheiro digital se tornar proibido, isso terá o mesmo efeito da proibição sobre as drogas. Portanto, até agora nada foi pensando em regulamentação. Eu pessoalmente acho que o dinheiro virtual veio para ficar. Já existem empresas que aceitam pagamentos com Bitcoins, por exemplo. Ex: Microsoft.

        Curtir

      • Talvez alguns países possam embargar mas outros irão querer atrair investimentos através desta modalidade. Japão e Canadá já então entrando nessa. Quanto as exchanges, o futuro reserva exchanges descentralizadas. Particularmente não considero criptomoedas investimento assim como dólar, euro, etc…

        Curtir

  2. Brasil entrará em 2018 com ritmo de crescimento maior, diz Ministro

    Brasil Econômico – O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, manifestou otimismo em relação ao retorno do crescimento da economia brasileira. Por meio de comentários realizados nesta sexta-feira (8) em sua conta no Twitter, o líder da equipe econômica do governo do presidente Michel Temer afirmou que o país entrará em 2018 com economia crescendo a um ritmo em torno de 3%, com expectativa de alta ainda maior para 2019.

    Segundo Henrique Meirelles, as transformações que estão sendo implementadas pelo governo “ajudam na retomada da confiança, com queda de juros de longo prazo e previsão de crescimento maior nos próximos anos”. Entre as medidas apontadas pelo ministro, está a aprovação do teto de gastos, que limita os gastos do governo à inflação do ano anterior pelos próximos 20 anos.

    Meirelles também citou a aprovação da reforma trabalhista, da Taxa de Longo Prazo (TLP), que cria novo cálculo de juros para o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), além da lei de responsabilidade das estatais e do controle da inflação. “O Brasil saiu da recessão”, complementou. Na avaliação do ministro, o país está pronto para seguir com a agenda de reformas iniciada no ano passado. “Já aprovamos uma série de medidas”, afirmou.

    Curtido por 1 pessoa

    • Fabio Castro

      arrumaram a casa econômica que estava bagunçada… mas o lado político é que agora bagunçou

      tem que focar agora num movimento de continuidade e torcer para surgir uma alternativa de longo prazo no cenário político

      locomotiva nos trilhos, ainda naquela fase de arranque com patinada rs

      Curtido por 2 pessoas

    • Ledo engano não arrumaram nada no econômico , nosso déficit nominal é superior ao pib potencial.

      O pib cresce 2% o déficit cresce 3 ou 4%, o que esta acontecendo é uma grande jogada de marketing aliada ao impressão irresponsável de dinheiro pelo banqueiros centrais , isso faz com que existe excesso de liquidez global, consequentemente quando não existe mais yields atrativos na praça desenvolvidas os gringos vem comprar nos emergente junk bonds.

      Ai você vai ver até lixo subir 100% porque não existe mais nada para comprar no mercados desenvolvidos.

      Curtir

  3. Novo título do setor imobiliário deve atrair por segurança e rentabilidade
    Jéssica Alves, O Estado de S.Paulo 11 Setembro 2017 | 05h00

    Com dupla garantia ao investidor, LIG será isenta de IR e deverá competir com outros papéis do segmento

    Um novo produto financeiro vai integrar a sopa de letrinhas dos investimentos ligados ao setor imobiliário. Autorizada pelo governo no fim de agosto, a Letra Imobiliária Garantida (LIG) tem potencial para ganhar espaço tanto na carteira do pequeno investidor como dos gestores de fundos imobiliários. Isso porque, para especialistas, ela será uma opção com retornos melhores do que a Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e com menos risco que os Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI), ambos concorrentes diretos.

    A LIG, que está em processo final de regulamentação pelo Banco Central, é um título privado do mercado imobiliário, isento de Imposto de Renda e que poderá ser emitido por instituições financeiras. O prazo para resgate é de 24 meses e a rentabilidade será baseada na taxa de juros ou atrelada a outros indicadores, como o IPCA. Deve estar disponível no mercado até o fim do ano.

    Novo produto deve ser disputado tanto por pequenos investidores quanto por gestores de fundos imobiliários

    A LIG promete sair na frente de outros produtos que integram a prateleira de ativos imobiliários por oferecer uma dupla garantia ao investidor. Além da salvaguarda da própria instituição que emitiu o título – ou seja, seu patrimônio –, haverá como garantia uma carteira de ativos imobiliários específica para esse fim, que não poderá ser usada para quitar outras dívidas da instituição no caso de falência. Romeu Amaral, advogado e especialista em financiamento empresarial, alerta, porém, que a dupla garantia exige que o investidor conheça também quais os ativos “salva-vidas” vão compor a carteira.

    No caso da LCI, por exemplo, a única cobertura é a do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que garante investimentos de até R$ 250 mil por CPF e instituição bancária em caso de quebra. Já os certificados, por oferecerem retornos maiores, não estão sob esse mesmo guarda-chuva. Por isso, ao comprar um CRI, o investidor tem de avaliar os empreendimentos imobiliários dos tomadores do empréstimo para medir os riscos.

    Além da vantagem da dupla garantia da LIG, acredita-se que, no futuro, a letra pode disputar com a LCI o investidor que busca rentabilidade e não se importa com o prazo de resgate de dois anos. Não faria sentido lançar um produto com retorno menor do que já existe se ele vai ficar preso por mais tempo. Se for pagar o mesmo com resgate maior, as pessoas vão ficar nas LCIs. Há uma carência de 90 dias na LCI e a rentabilidade geralmente é atrelada ao CDI.

    Outra crença é a de que o prazo maior, entretanto, vai exigir um investidor mais estruturado, que possa deixar o dinheiro por mais tempo – o que deverá implicar aportes iniciais maiores.

    Diversificação. Além do investidor pessoa física, fundos imobiliários podem estar ansiosos pela LIG. Isso porque os fundos são importantes compradores de papéis lastreados no mercado, além de imóveis fixos.

    A vantagem do fundo imobiliário é o acesso a uma carteira diversificada. O investidor poderá comprar cotas de fundos que investem em LIG, CRI e LCI e conseguir uma liquidez maior. Se ele for negociado em Bolsa, é possível entrar e sair quando quiser. A desvantagem é que o fundo imobiliário não é isento de Imposto de Renda e tem taxas de administração.

    Curtir

  4. Alckmin quer passar 267 imóveis públicos para fundo privado
    dom, 10/09/2017 – 10:01
    Atualizado em 10/09/2017 – 10:33

    Ocupado desde 2014 por músicos, grafiteiros, fotógrafos, cineastas e atores, entre outros, o espaço tornou-se centro cultural

    Por Cida de Oliveira

    Da RBA

    Depois de aprovar leis que autorizam a venda de fazendas experimentais e de áreas de conservação em várias regiões do estado, o governo de Geraldo Alckmin pretende agora transferir 267 imóveis para um fundo de investimento imobiliário a ser criado e administrado por empresas.

    A ideia, anunciada no último dia 23, é criar um Fundo de Investimento Imobiliário (FII) a partir da venda desses 267 imóveis públicos estaduais e assim formar um caixa para garantir que seus parceiros público-privados não fiquem no prejuízo caso algum desses projetos não sejam tão lucrativos para o setor empresarial.

    É o caso da Linha 4-Amarela do Metrô. Se a tarifa paga pelos passageiros não garantir o lucro esperado ao consórcio ViaQuatro, o fundo pode ser acessado. Outro exemplo é a PPP Habitacional. Mesmo que haja inadimplência na compra ou nos serviços condominiais, o parceiro privado nunca fica no prejuízo.

    Extraido da internet

    Curtido por 2 pessoas

  5. A crise e os elefantes brancos

    No segundo trimestre de 2017, 15 prédios comerciais de alto padrão estavam totalmente vazios no Rio de Janeiro.

    Segundo levantamento de consultoria imobiliária, os espaços vagos dos edifícios totalizavam 372 mil m² de área livre.

    O maior deles é Eco Sapucaí, construído nas proximidades do sambódromo, no Centro do Rio, com 86 mil m² de espaço livre.

    No terceiro trimestre, no entanto, um alívio: quatro desses prédios começaram a ser ocupados parcialmente.

    Até o fim do período, o espaço vazio deve cair, portanto, para 201 mil m².

    Curtido por 2 pessoas

  6. IFIX já se assemelha à pirâmide financeira.

    O índice no seu segundo ano consecutivo de alta chega a uma situação paradoxal, como o “Dilema de Tostines” podemos dizer :
    Sobe mais porque estão comprando ? Ou Compram mais porque está subindo ?
    É óbvio que esta subindo porque existe uma força compradora muito forte, mas muitos são motivados a comprar pelo simples fato de que continua subindo, simplesmente isso.
    Aqui começa o perigo, a partir deste ponto o movimento de alta ganha características de pirâmide financeira uma vez que para a alta continuar se sustentando é preciso que cada vez mais pessoas comprem FIIs. Movimento este já constatado pelos últimos Boletins da Bovespa que dão conta que o número de investidores tem aumentado mês a mês.
    Para dar conta de absorver este aumento no número de investidores, a quantidade de FIIs disponíveis para investimento teria que aumentar proporcionalmente afim de aliviar a pressão compradora gerada pelos entrantes no mercado, fato esse que não vem ocorrendo. Esse aumento no número de investidores é saudável mas não tem força por si só para aumentar a indústria de FIIs sem a contrapartida no aumento do número de FIIs disponíveis, como consequência uma bolha pode estar se formando.

    Outro dia comentando com o Tetz sobre o potencial do pessoal da caderneta de poupança vir para os FIIs, quero ressaltar alguns pontos :
    1- Não é o zezinho que poupa R$100/mês, a grande maioria dos poupadores, que virá para os FIIs;
    2- Existe sim um número considerável de grandes poupadores, estes sim podem e já devem estar migrando para os FIIs;
    3- Porém o perfil deles é de poupador e não de investidor;
    4- São motivados pela preservação do patrimônio e enquanto o IFIX continuar subindo será um porto seguro para suas “poupanças”;
    5- Por características de perfil não suportam dormir nem com 1% de perda patrimonial, ao primeiro sinal de reversão do IFIX são os primeiros a liquidar posição.

    Estaria o IFIX numa bolha ?
    Se uma bolha estiver se formando, o seu estouro já teria hora certa para ocorrer ?

    Antes de terminar quero deixar um recado aos que vão me acusar de catastrofista, de ter perdido o ponto e de ficar choramingando, etc, antes de começarem com blá blá blá :
    52% do meu patrimônio financeiro esta alocado em FIIs;
    Os outros 48% estão muito bem alocados, obrigado;
    Se estivesse 100% alocado em FIIs iriam dizer que sou louco, enfim é impossível agradar a gregos e troianos ao mesmo tempo.
    Fácil é criticar, difícil é argumentar. Felizmente aqui no blog do Tetzner o nível dos blogueiros é bem elevado e temos participantes que realmente fazem uso racional do próprio cérebro.

    Nada mais sábio do que “prever para prover”.
    Boa reflexão e que este post instigue um debate salutar e proveitoso à todos.

    Curtido por 7 pessoas

    • 52%!!! WOW! acho q o maximo que cheguei foi uns 30%. Isso sim eh que ter o ¨skin in the game¨ vou levar suas considerações ainda mais a serio, Trix.
      Tres razoes pelas quais ainda não estamos em uma bolha dos bons FIIs:
      1 – Vacancia bem alta
      2- Valor dos alugueis re-negociados nos ultimos 3 anos sofreram fortes quedas em algumas regioes importantes
      3- valor de avaliacao de alguns imoveis ainda baixos, muitas vezes ainda abaixo de custos de reposicao do ativo
      fiquei bem curioso sobre os demais 48%. tem outros ativos de renda variavel? se sim, voce e meu idolo!

      Curtido por 3 pessoas

      • ali martins , FIIs nada mais são do que ativos financeiros lastreados em imóveis que possuem características tanto do mercado imobiliário, as que você citou, quanto do mercado de capitais, onde são negociadas as cotas. Eu invisto em FIIs desde 2010, tenho notado que na formação de preço, prevalecem as caraterísticas do mercado financeiro, tais como correlação com a taxa de juros, expectativas de ganhos futuros, etc, já as características do mercado imobiliário prevalecem pontualmente, tais como uma nova vacância, um novo contrato, a compra ou venda de um imóvel, etc.
        Ah, os 48% estão alocados em renda fixa, um pouco em multi mercados e um pouco em ações.

        Curtir

    • Trix, para mim valor de imóvel e de fundo imobiliário é inversamente correlacionado com a taxa de juros do mercado. Assim como IFIX está respondendo , o valor dos imóveis físicos vai responder lá na frente.

      Pareia os números (IFIX x SELIC) e faz um teste de correlação de Spearman. Acho que ambas as variáveis devem ter uma distribuição normal. Vai dar correlação de quase -1, aposto… Se alguém tiver paciência de me dar isso em excel eu faço o teste.

      Você também pode fazer uma regressão linear. Coloca o IFIX como variável dependente e como variáveis independentes a Selic e o número de CPFs do mercado, você vai medir a força que cada uma destas variáveis tem em predizer o IFIX.

      Podemos até bolar um modelo de regressão múltipla com outros fatores, como por exemplo PIB, número de reportagens sobre o tema veiculado/mês, etc..

      “Without data you’re just another person with an opinion.” – W. Edwards Deming

      Vamos testar?

      Curtido por 4 pessoas

      • PS: Eu não acho que é bolha. Pra mim uma clara bolha especulativa é o bitcoin. Sobe pq sobe.
        As chamadas para bitcoin são: pessoas fizeram fornutas. Venha você também. Bolha. Bolha Bolha. Depois que a bolha estourar vou comprar pq realmente acho revolucionário no longo prazo. Tipo NASDAQ em 2000.

        Agora: eu vejo pouca gente comprando FII só pq subiu. Pelo contrário..

        Curtido por 2 pessoas

      • HEMMER, ótima idéia, se você é estatístico então é o homem certo no lugar certo na hora certa, eu não uso excel no dia a dia , mas tem colegas aqui que tem muita prática com isso e podem colaborar com você, o Tetz faz a ponte entre vocês, será muito útil para todos nós.

        Curtir

      • Concordo em relação aos FIIS que a cotação caiu muito. Discordo em relação aos imóveis que a meu ver ainda estão absurdamente caros, acredito que o preço tem que cair mais

        Curtir

    • Acho que nesse caso o louco sou eu.
      Do patrimônio financeiro estou 100 % em fii. Do patrimônio total um pouco mais de 10%, porém pretendo aplicar o restante, 4 imóveis,em fiis quando melhorar o mercado para venda.

      Curtido por 2 pessoas

    • Não sei se chega a ser bolha, mas que Fii está caro, isso está. Por isso estou estudando ações , que também acho que estão caras, mas acho que vai abrir oportunidade ante que FIIs.
      Por exemplo, me recuso a pagar o preço que PQDP está hoje.

      Curtido por 4 pessoas

      • Louis, não é uma dica(aliás segundo as recomendações dos maiores investidores nunca se deve aceitar uma dica em renda variável), mas em linha com seu comentário algumas ações q são do grupo menos vulnerável e Ainda pode dar ponto de entrada e eu estou comprando elas como está ou aguardar mais quedas são, cesp6, tiet11, vez ou outra bbse3, Petr4, Cple6, Embr3, egie3 quando cai também São boas p composição da carteira. pra quem gosta de pimenta, estão comentando muito sob Ogxp3 de que existe uma possibilidade de se tornar novamente uma boa empresa já que ela entrou com pedido de retirada de concordata por não ter mais dívidas e estar redonda, ela agora pertence aos acionistas q assumiram a empresa e contrataram um bom Ceo q vem transformando a empresa do caos para o q está hoje, mas lembre se, não é uma dica, apelas sugestões para o amigo estudar e pesquisar mais a fundo caso tenha interesse, cuidado, ABS

        Curtido por 2 pessoas

      • Investimentos financeiros 50% total, sendo:
        55 % Fiis, 27 % ações, 9% renda fixa, 8% moedas.
        Os outros 50% em imóveis.
        Ano passado eu estava 60% ações. Aí nestes 9 meses fui realizando lucros de 30-80% ( WEGE e GRND dobraram! !!!! ). E coloquei o Cash em PQDP e FCFL em Janeiro, MFII, BCRI e KNIP e TD SELIC nos outros meses. E sempre comprando Itaú claro. Não consigo entender o pessoal que tem mais de 35 % de renda fixa.

        Curtido por 3 pessoas

      • Caro Interceptor, agradeço as dicas, ainda estou “engatinhando” em ações, estou estudando aos poucos, objetivo de ter alternativa aos FIIs. Quero estar preparado para investir um pouco mais quando eu achar que abriu oportunidade boa. Para diversificação mesmo, meu objetivo é ter futuramente 50% FII, e 20% ações.
        Abraços

        Curtido por 2 pessoas

    • Na minha opinião o movimento dos fii’s segue muito a selic, quanto mais baixa a selic mais as cotas se valorizam para manter o “yield” pareado com a selic.

      Por isso eu não vejo como uma bolha, a valorização vem simplesmente do ciclo de queda da selic.

      Curtido por 1 pessoa

    • O pensamento é bastante interessante. Comprar por estar subindo é uma característica forte do “investidor” em renda variável. Lembro que antes da crise de 2008 várias pessoas se aventuraram e se tornaram investidores por profissão, e vale ressaltar que naquela época qualquer coisa que você comprasse subia, e fácil fácil conseguiam 3 ou 4% a.m.. Aí fica fácil “ganhar” dinheiro. Hoje por exemplo MGLU tem P/L de qse 70, e alguns estudiosos recomendam não mais do que 15. E por que sobe tanto quase todo dia? Tem comprador, e não sou eu. PQDP é um FII que já tive já passou dos 3k/cota hj, super caro na minha opinião, e continua subindo. Quero ver se alguém tiver 20 cotas e quiser vender a que preço isso vai chegar, mas continua subindo. Por que? Tem gente comprando, talvez o gerente do banco recomendou a compra por simplesmente estar subindo.

      Se as pessoas analisarem fundamentos básicos dos FIIs verão que muitos bons já estão acima do valor patrimonial, porém alguns com DY ainda atrativos visto o rumo que a renda fixa está tomando. Acho que para aqueles que estudam pelo menos um pouco (P/VP, DY, vacância, inquilinos e contratos a vencer, tipo de reajuste) e tem uma ideia melhor de onde estão colocando o dinheiro talvez não sejam pegos totalmente por uma bolha quando acontecer, mas para os seguidores da manada o impacto vai ser grande.

      Curtido por 2 pessoas

  7. olá Pessoal! Passando aqui num ar de tranquilidade. Feriadão em curitiba! E para melhorar, vou olhar minha carteira e passei de um numero redondo, ô maravilha! Destaques para AGCX, BBPO, ALMI, CNES, HGRE, PQDP, RBRD, FVBI, FFCI, JRDM, NSLU, RNGO, FLMA . Patinhos feios da carteira: BCFF(esperando para pegar mais incautos), BRCR(lenga lenga), EDGA(ta na uti), FMOF(ancorou), FPAB(ancorou), PRSV(esse ja superou qualquer nivel de feiura), TRNT(ancorou), TRXL(fortes emocoes).

    Curtido por 3 pessoas

    • Minha estrategia no momento ainda é renda fixa, mas com tendencia de trocá-la por um imovel físico. Acho que ainda nao é o momento, pois o juros real ainda é alto. Mais alto que na época da Dilma. Quando SELIC chegar em 7,XX% será o ponto de comprar o imóvel. Essa inflacao de 2,xx%, desculpem-me, mas isso nao existe no Brasil. Isso é totalmente um ponto fora da curva. Inflacao no Brasil é acima de 5% no mínimo. 200bilhoes de déficit?! Liga a maquininha de imprimir dinheiro! Estou quase convicto que esse restinho de ano é o fundo do poço para os imóveis físicos.

      Curtido por 3 pessoas

      • Concordo plenamente abrahao. estamos na ¨exuberancia irracional¨! segui exatamente o plano que voce descreve ha seis anos. Unico ativo fixo que comprei foi quando a Caixa ofereceu 420 meses com juros de 7,5% pelo SFH, financiando 80% do valor do imovel e os demais 20% com o FGTS. AI nao deu para dizer nao.
        Unicos pontos para lembrar e que o emprego ainda pode demorar para voltar aos 7-8% que tinhamos e tamanho da poupanca ja nao eh o mesmo. talvez demore um pouco mais que o final deste ano mas diria que 2018 e um bom ano para ficar de olho.

        Curtido por 2 pessoas

      • Abrahão. concordo.
        Só cuida o seguinte.. Aqui na minha cidade salinha comercial todo mundo abandonou.. Deve ter mais salinha pra alugar do que habitantes…. Em parte por causa de criminalidade, em parte pq muito do que essas salinhas de rua entregavam a internet hoje entrega.. em parte pq os donos dos imóveis estão bem loucos nos preços…

        Curtido por 1 pessoa

  8. Tetzner Journal – 09 de Set 2017

    Capa Jornal Nova

    Carta ao Leitor

    Bem amigos do Blog, edição SEMANAL do nosso jornal dos FIIs já está no seu Email!

    Isso mesmo, toda semana você vai receber a edição com os últimos acontecimentos; e nos Relatórios Comentados a consolidação do Mês e tudo que foi destaque no mundo dos Fundos Imobiliários:)

    Edição ESPECIAL com uma Super Novidade: ainda mais informação sobre o mundo imobiliário 😀

    E no final da edição você encontra o Resumo dos FIIs Atualizado para você!

    Junte-se a nós, faça parte dessa família!

    Não é Assinante? Peça já a sua Edição, clique aqui!

    mini_Tetzner Tetzner

    Nesta Edição:

    • Carta ao Leitor…2
    • Conteúdo…3
    • Panorama Econômico Imobiliário…7
    • Fatos que marcaram a Semana…10
    • Resumo dos FIIs…93
    • Nota…95

    Ícone Assine

    Curtir

  9. Construção Incorporadoras devem ter que mudar registro de receita

    Área técnica de comitê de interpretação das normas IFRS diz que reconhecimento deve ocorrer na entrega das chaves; decisão deve vir dia 12

    “O martelo ainda não foi batido. Mas oito anos após flertarem com essa possibilidade, as incorporadoras imobiliárias brasileiras estão bem próximas de ter que mudar, a contragosto, a forma de reconhecer a receita da venda de imóveis na planta para clientes de classe média e classe média alta, que deixaria de ser feita ao longo da obra (em um método conhecido como POC) para o momento da entrega das chaves.”

    Curtido por 1 pessoa

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s