2.675 comentários sobre “Notícias

  1. Canal exclusivo pode ‘esconder’ conta inativa do FGTS; entenda
    Por Marta Cavallini, G1
    16/02/2017 06h40 Atualizado há 20 minutos

    Trabalhadores relatam problemas na consulta pelo site, que informou que não tinham recursos no FGTS; Caixa ressalta que canal exclusivo mostra apenas contas em que o trabalhador pediu demissão ou foi mandado embora por justa causa.

    Um problema recorrente no site da Caixa Econômica Federal para a consulta ao saldo do FGTS está atrapalhando os trabalhadores. Muitos deles relataram ao G1 que a consulta informa que eles não têm dinheiro depositado em contas inativas. Mas, ao buscar a informação no aplicativo do fundo de garantia ou nas agências da Caixa, localizaram valores disponíveis para o saque.

    O governo anunciou em dezembro que os trabalhadores com contas inativas do FGTS até o fim de 2015 terão direito a sacar o dinheiro. Os resgates obedecerão a um calendário de saques que terá início no dia 10 março e será encerrado no fim de julho, de acordo com o mês de aniversário. Uma conta fica inativa quando deixa de receber depósitos da empresa devido ao fim do contrato de trabalho.

    Tem mais $$$ do que parece… usem o Aplicativo do FGTS porque o site só mostra “parte” do $$$ a ser recuperado 🙂

    Curtir

    • Muitas pessoas procuraram a Caixa nesta quarta-feira (15) porque ao consultar o saldo da conta inativa do FGTS pela internet foram informados de que não havia nada a receber.

      Esse foi o caso do professor Carlos Alberto Fernandes, 69 anos. Ele, no entanto, lembrava que havia saído de dois empregos antes de dezembro de 2015. Na agência da Caixa Econômica na Avenida Paulista, em São Paulo, descobriu que tinha mais de R$ 3 mil em contas inativas de 1998 e de 2000.

      Ele terá o dinheiro transferido para a conta poupança da Caixa diretamente. “Vou investir o dinheiro na poupança. Não tenho dívidas nem cartão de crédito”, diz.

      eu vou comprar umas cotinhas a mais de FIIs kkk

      Curtir

    • Outro que teve problemas foi o gerente de transportes Nilton Guazzelli, 67 anos, que também não encontrou na internet o saldo de duas contas inativas da década de 90. No banco foi informado de que tem cerca de R$ 300. Ele vai sacar o dinheiro em junho. “Vou colocar na poupança”, diz.

      Maria Carolina Deprezzi, de 29 anos, só conseguiu ver que tinha R$ 200 para receber também na agência. “Eu sabia que tinha grana do emprego que saí em 2014. Fiquei aliviada”, diz.

      Alguns trabalhadores não encontraram suas contas inativas no site da Caixa, mas conseguiram encontrar as contas no aplicativo. O G1 fez uma consulta no site usando o NIS de um trabalhador e não encontrou contas inativas disponíveis para saque (veja acima). Ao repetir a consulta pelo aplicativo, o sistema mostrou quatro contas inativas

      Curtir

      • A economia está parada mesmo… ninguém consome !! Falei com um vendedor de veiculos Zero KM hoje e ele me disse que só venderam 2 veiculos este mês … e Pasmem… segundo ele foi para FUNCIONARIOS PUBLICOS !!! O pessoal da iniciativa privada não compra mais nada !!!!!

        Curtir

  2. Governo e Prefeitura de SP se unem para cobrar IPVA pago fora do Estado

    O Estado de São Paulo e a prefeitura da capital paulista firmaram uma parceria para identificar moradores da cidade que pagam IPVA de seus veículos em outros Estados.

    governo indo atrás do $$$

    Curtir

    • Uia! Se a moda pega…

      Para combater inadimplência, China proíbe 6,7 milhões de pessoas de viajar

      A China proibiu quase 7 milhões de pessoas de viajar de avião ou trem de alta velocidade nos últimos quatro anos como pena por não pagarem suas dívidas, anunciou a Suprema Corte do país

      Curtir

    • chegando agorinha da caixa… rapaz está bem bagunçadinho ainda…

      Transferência de contas do FGTS para outros bancos será feita sem taxas

      A transferência de recursos de contas inativas do FGTS da Caixa Econômica Federal para outros bancos poderá ser feita sem cobrança de taxas, a pedido do trabalhador.

      Curtir

    • Meirelles confirma teto de R$ 1,5 mi de valor do imóvel com uso de FGTS

      O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, confirmou na noite desta quarta-feira (15), em entrevista à GloboNews, que o governo vai aumentar para R$ 1,5 milhão o teto do valor do imóvel que pode ser financiado com recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

      Curtir

    • BB parcelará dívida no rotativo do cartão de crédito em 24 vezes

      O cliente do Banco do Brasil que ficar no rotativo do cartão de crédito por mais de um mês terá a dívida automaticamente parcelada em 24 vezes com as mesmas taxas cobradas de quem já prefere parcelar a fatura hoje, entre 3,13% e 9,38% ao mês, conforme o cartão

      Curtir

  3. Como diria o Tetzner… OUTCH!

    IBC-Br cai 4,34% no acumulado de 2016, sem ajuste, revela Banco Central

    Conhecido como “prévia do BC para o PIB”, o IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses

    Por: Agência Estado
    Publicado em: 16/02/2017 08:30 Atualizado em:
    O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) recuou 4,34% em 2016 ante 2015, no dado sem ajuste sazonal. No último mês do ano passado, o índice atingiu 133,74 pontos na série observada, o que representa o menor nível para dezembro desde 2009, quando atingiu 129,23 pontos.

    A variação do IBC-Br divulgada nesta quinta-feira, 16, veio melhor que a mediana das estimativas dos analistas do mercado financeiro consultados pelo Projeções Broadcast, de -4,40%. O intervalo das estimativas ia de -4,60% a -4,25%.

    Conhecido como “prévia do BC para o PIB”, o IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses. O PIB de 2016 será oficialmente divulgado no dia 7 de março pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

    A previsão oficial do BC para a atividade doméstica em 2016 é de queda de -3,4%, de acordo com o Relatório Trimestral de Inflação (RTI) publicado no fim de dezembro. No Relatório de Mercado Focus da última segunda-feira, 13, a mediana das estimativas do mercado para o PIB em 2016 estava em -3,50%.

    Dezembro

    Após subir 0,10% em novembro (dado já revisado), a economia brasileira registrou recuo em dezembro de 2016. O IBC-Br do mês teve baixa de 0,26% ante novembro, com ajuste sazonal, informou o Banco Central. O índice de atividade calculado pelo BC passou de 133,26 pontos para 132,92 pontos na série dessazonalizada de novembro para dezembro.

    A baixa do IBC-Br ficou dentro do intervalo obtido entre analistas do mercado financeiro consultados pelo Broadcast Projeções, que esperavam resultado entre -1,00% e +0,80% (mediana de -0,20%).

    Na comparação entre os meses de dezembro de 2016 e dezembro de 2015, houve queda de 1,82% na série sem ajustes sazonais. A série observada encerrou com o IBC-Br em 133,74 pontos ante 133 00 pontos de novembro e 136,22 pontos de dezembro de 2015.

    O indicador de dezembro de 2016 ante o mesmo mês de 2015 mostrou desempenho levemente pior que o apontado pela mediana (-1,80%) das previsões de analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Broadcast Projeções (-3,80% a -1,10% de intervalo).

    4º trimestre

    O IBC-Br registrou baixa de 0,36% no acumulado do quarto trimestre de 2016, na comparação com o trimestre anterior, pela série ajustada do Banco Central. Já na comparação com o quatro trimestre de 2015, o índice cedeu 3,13% nos últimos três meses do ano passado, pela série observada. O resultado do trimestre na margem ficou em cima da mediana negativa de 0,36% coletada pelo Broadcast Projeções (intervalo entre -1,10% e -0,11%).

    Como de costume, o Banco Central revisou dados de seu Índice de Atividade Econômica na margem, na série com ajuste. Em novembro, o IBC-Br passou de 0,20% para 0,10%. Em outubro, o índice foi de -0,15% para -0,11%. No caso de setembro, a revisão foi de zero para 0,02%. O dado de agosto foi de -0,78% para -0,74% e o de julho, de 0,01% para -0,01%. Em relação a junho, o BC substituiu a taxa de 0,37% pela de 0,36%.

    A série do BC incorpora a estrutura de produtos e avanços metodológicos do Sistema de Contas Nacional – Referência 2010, do IBGE. Destacam-se também a incorporação da PNAD Contínua e a da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS).

    Curtir

  4. ECONOMIA

    Vendas do varejo caem 2,10% em dezembro ante novembro, afirma IBGE

    Estadão Conteúdo

    14.02.17 – 09h21
    As vendas do comércio varejista caíram 2,10% em dezembro ante novembro de 2016, na série com ajuste sazonal, informou na manhã desta terça-feira, 14, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado dentro do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam uma queda de 3,80% a 0,70%, com mediana negativa de 2,00%.

    Na comparação com dezembro de 2015, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram baixa de 4,90% em dezembro de 2016. Nesse confronto, as projeções iam de uma retração de 6,50% a 1,90%, com mediana negativa de 4,60%.

    As vendas do varejo restrito acumularam retração de 6,20% no ano de 2016. As estimativas iam de retração de 6,70% a 5,80%, com mediana negativa de 6,20%.

    Quanto ao varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção e de veículos, as vendas caíram 0,10% em dezembro ante novembro, na série com ajuste sazonal. O resultado veio dentro do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam desde um recuo de 2,20% a um crescimento de 1,10%, com mediana negativa de 0,50%.

    Na comparação com dezembro de 2015, sem ajuste, as vendas do varejo ampliado tiveram baixa de 6,70% em dezembro de 2016. Nesse confronto, as projeções variavam de uma retração de 9,50% a 3,30%, com mediana negativa de 6,60%.

    As vendas do comércio varejista ampliado acumularam queda de 8,70% no ano de 2016. As estimativas eram de retração de 8,40% a 9,10%, com mediana negativa de 8,70%.

    Curtido por 1 pessoa

  5. De olho no inquilino

    Governo do RS resiste à ideia de vender o Banrisul
    Por Sérgio Ruck Bueno | Para o Valor, de Porto Alegre
    …O Banrisul é tão importante para o Estado que em 2002, no governo Olívio Dutra (PT), uma emenda à Constituição estadual passou a exigir que a eventual venda, transferência de controle, extinção, fusão, incorporação ou cisão do banco seja aprovada em plebiscito popular…

    Para a felicidade de todos que sofreram na mão dos bots dessa féla:

    CVM pune ex-TOV
    A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) puniu Mario Calfat Neto, ex-executivo da corretora TOV, por prática de “churning”, que consiste em realizar negociações em excesso com o objetivo de gerar maiores receitas de corretagem e comissões.

    Curtido por 1 pessoa

  6. Comprou imóvel, mas atrasou as prestações? Estas 6 dicas vão te ajudar
    Juliana Kirihata, em São Paulo 13/02/2017

    Se você tem um financiamento de imóvel e acha que não deve conseguir arcar com as próximas prestações, é preciso agir rápido, ou corre o risco de perder a casa própria e o dinheiro já investido.

    1. Corra e renegocie com o banco
    A primeira e principal recomendação dos especialistas é correr para o banco e tentar renegociar as parcelas.

    Curtir

    • 2. Não faça outro empréstimo
      Pegar outro empréstimo para pagar as parcelas atrasadas do financiamento imobiliário não é uma boa ideia, diz o especialista em finanças Reinaldo Domingos.

      “Como a pessoa vai pagar esse empréstimo se ela não consegue pagar as prestações do imóvel?”

      3. Corte despesas
      O melhor, segundo Domingos, é fazer uma “faxina financeira” para conseguir quitar as dívidas. “A pessoa vai ter que reduzir drasticamente o padrão de vida”.

      4. Venda o imóvel
      Se não conseguir organizar suas contas e levantar um dinheiro para pagar as prestações, o próximo passo é se desfazer do imóvel. “A orientação é vender o imóvel no mercado normal e quitar a dívida”, diz o advogado Gilberto Bento Jr., especialista em direito imobiliário.

      Curtir

    • 5. Já atrasou? Não fique parado
      Atrasou as parcelas? Corra para não perder o imóvel. “As coisas são feitas de modo extrajudicial e são muito rápidas”, afirma o advogado Marcelo Tapai.

      Segundo o advogado, caso consiga o valor total da dívida antes do leilão do imóvel, é possível ingressar com uma ação judicial para obrigar o banco a aceitar o pagamento e manter o contrato de financiamento ativo. “A grande dica é não ficar parado”, diz.

      Curtir

    • 6. Só compre com planejamento
      Para quem ainda não assinou um contrato de financiamento, o especialista em finanças Reinaldo Domingos aconselha fazer uma reserva financeira antes de comprar um imóvel. “Se a pessoa não tem nenhum dinheiro, ela tem que guardar pelo menos o dobro da entrada”, diz.

      Verificar se as parcelas cabem no bolso também é importante. “A prestação tem que ser de no máximo 20% do valor que eu ganho”, diz Domingos.

      Para quem tem dinheiro guardado, o conselho nem sempre é pagar o imóvel à vista. Mesmo sendo a melhor opção para fugir dos juros, não é bom ficar sem nenhuma reserva, segundo Domingos.

      “A pessoa tem que ter de duas a três vezes o valor do imóvel se quiser pagar à vista”, afirma. De acordo com o especialista, a reserva é necessária para momentos de crise, como a perda de um emprego, e também para gastos complementares do imóvel –por exemplo, a compra dos móveis.

      Curtir

  7. A maldição dos dois dígitos

    Economia 11.02.17 20:11
    Dez em cada dez economistas acreditam que o Brasil fechará o ano com uma Selic ao redor de 9%. Nada mau para quem não vê juros de um dígito desde novembro de 2013.

    Mas a alegria deve durar pouco, pelo menos na opinião do Banco Votorantim. Segundo a instituição, a aceleração do crescimento (se houver), em 2018, vai obrigar o BC a elevar novamente os juros.

    Por ora, a estimativa do Votorantim é que fechemos o próximo ano com Selic de 10%.

    Curtir

  8. Pezão entre a cassação e o impeachment
    by Ernesto Neves

    É complicadíssima a situação do governador Pezão. Na Assembleia Legislativa, deputados dos mais diferentes partidos creem que a queda do governo peemedebista é apenas questão de tempo.

    Além da cassação da chapa que forma com Francisco Dornelles por acusação de corrupção, o governador também pode sofrer impeachment. Isso porque deveria ter apresentado o balanço fiscal do último quadrimestre até o dia 30 de janeiro, mas até agora nada.

    Acredita-se na Assembleia Legislativa que ele vem protelando a prestação de contas por ter estourado os limites impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal, o que configura crime. Se comprovada a infração, ele deve sofrer impeachment.

    “O governo está num beco sem saída. Não há mais condições de dialogar, tanto com a população, quanto com o governo federal”, diz o líder do PSDB na Alerj, Luiz Paulo Corrêa da Rocha.

    Curtir

  9. Previsão de alta de 1% do PIB está mantida, diz Meirelles

    O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta quinta-feira (9) que, devido a uma série de indicadores positivos da atividade econômica, como vendas de papel ondulado e movimento de cargas nas estradas, a previsão de crescimento de 1% do PIB (Produto Interno Bruto) para este ano está mantida pela equipe econômica.

    Curtir

    • Cresce aposta na queda dos juros ao longo deste ano

      Na esteira da recessão econômica, a inflação de janeiro desacelerou para o menor patamar no mês em mais de 30 anos, aumentando as apostas de que o BC vai cortar mais fortemente os juros neste ano

      Curtir

    • Sinduscon-SP/FGV: construção civil cortou 414,0 mil postos de trabalho em 2016
      Circe Bonatelli

      A construção civil fechou 93,7 mil vagas de trabalho no País em dezembro. Com isso, o total de pessoas empregadas no setor chegou a 2,489 milhões, uma queda de 3,6% em comparação com novembro e uma baixa de 14,3% contra dezembro do ano anterior. No acumulado de todo o ano de 2016, a indústria da construção perdeu 414,0 mil postos de trabalho.

      Os dados fazem parte de pesquisa divulgada nesta quinta-feira, 9, pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP) em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), com base em informações do Ministério do Trabalho e do Emprego.

      O resultado de negativo de dezembro representa o 27º mês consecutivo de queda na quantidade de vagas na construção. Em outubro de 2014, primeiro mês da série negativa, havia 3,57 milhões pessoas empregadas na construção. Ou seja, em 27 meses, mais de 1,08 milhão de trabalhadores perderam o emprego.

      Curtir

      • “Desde o início de 2016 alertávamos que chegaríamos a mais de 1 milhão de demitidos desde o início da crise se o governo não adotasse medidas emergenciais para estimular a construção civil”, afirma o presidente do SindusCon-SP, José Romeu Ferraz Neto, em nota distribuída à imprensa.

        “Com exceção do programa Minha Casa Minha Vida, não vemos no curto prazo outras iniciativas que levem a contratações de mão de obra para setor”, acrescentou.

        Para este ano, o sindicato projeta retração de 5,0% na quantidade de pessoas empregadas no setor, dada a paralisação dos novos projetos de infraestrutura e o estoque elevado de imóveis novos não vendidos, que repele novos empreendimentos em várias cidades.

        Curtir

    • Inflação pelo IGP-M deve ter desaceleração até março, diz FGV

      A queda do preço do minério de ferro foi o principal fator que enfraqueceu a inflação apurada na primeira prévia do Índice de Geral de Preços – Mercado (IGP-M), que passou de 0,86% para 0,10%, entre janeiro e fevereiro.

      O produto, maior peso individual no indicador e que sozinho representa 6,16% do IGP-M, saiu de alta de 16,23% para recuo de 0,76%,

      Curtir

  10. Vendas de papelão ondulado sobem 5,5% em janeiro ante jan/16, diz prévia da ABPO

    Em janeiro deste ano, as vendas de papelão ondulado utilizados em embalagens – caixas, acessórios e chapas – cresceram 5,51% na comparação com janeiro de 2016 e 5,00% ante dezembro de 2016, para 272,026 mil toneladas. Os dados referentes ao mês de janeiro ainda são prévios e foram divulgados na manhã desta quinta-feira, 9, pela Associação Brasileira de Papelão Ondulado (ABPO).
    No dia 2 de fevereiro, o diretor geral da Klabin, Fabio Schvartsman, já havia antecipado que os números da ABPO viriam positivos sobre janeiro. Segundo ele, em teleconferência com analistas e investidores, a demanda em janeiro foi forte e a entrada de pedidos para fevereiro e março já demonstra forte desempenho das vendas de papéis para embalagens. “A entrada de pedidos continua forte em fevereiro e março”, disse o executivo, à época.

    No ano de 2016, as vendas de papelão ondulado utilizados em embalagens – caixas, acessórios e chapas – caíram 2,27% na comparação com 2015, para 3,256 milhões de toneladas, segundo a ABPO.

    Curtido por 1 pessoa

  11. Nova sede da Apple, investimento de US$ 5 bi, é tributo a Steve Jobs
    Noah Berger/Reuters


    Nova sede da Apple em construção na Califórnia

    DA REUTERS
    Dentro do computador original Macintosh, o co-fundador da Apple Steve Jobs colocou as assinaturas de sua equipe, revelando sua profunda preocupação até mesmo com as características ocultas de seus produtos.

    Seu último trabalho —a nova sede da Apple em Cupertino, na Califórnia— será um tributo: um campus futurista construído com atenção surpreendente aos detalhes. Da fiação elétrica às tubulações, nenhum aspecto do edifício é demasiado pequeno para passar despercebido.

    Mas construir um prédio tão impecável quanto um dispositivo móvel não é tarefa fácil, de acordo com entrevistas com quase uma dúzia de funcionários atuais e antigos do projeto, a maioria na condição de anonimato por terem assinado acordos que não os permitem compartilhar informações.

    Curtir

    • Desde que a Apple anunciou seus planos em 2011, a data de mudança para a nova sede teve que ser adiada.

      Inicialmente, Steve Jobs esperava que o novo edifício estivesse pronto em 2015, mas o mais provável é que isso ocorra apenas no segundo trimestre deste ano, segundo pessoas envolvidas no projeto.

      A demora no processo de aprovação por autoridades municipais também contribuiu para o atraso.

      A Apple não revelou o total investido na nova sede, mas um ex-gerente do projeto estima que a empresa tenha desembolsado cerca de US$ 5 bi —um número que o atual presidente executivo, Tim Cook, não contestou em entrevista concedida em 2015. Mais de US$ 1 bi teriam sido alocados apenas para o interior do edifício, de acordo com outro ex-gerente da construção.

      Curtir

    • Por todo o tempo e dinheiro consumidos pelo projeto, há quem questione na comunidade de arquitetura se a Apple se concentrou nos quesitos apropriados.

      O campus é uma exceção à tendência de escritórios radicalmente abertos, visando à colaboração, disse Louise Mozingo, professora e diretora do Departamento de Paisagismo e Planejamento Ambiental da U.C. Berkeley.

      “Não se trata de maximizar a produtividade do espaço de trabalho, trata-se de criar um centro simbólico para essa companhia global”, afirmou. “Eles estão criando um ícone”, acrescentou,

      Uma porta-voz da Apple se recusou a comentar o assunto.

      Curtir

  12. Governo deve limitar multa de distrato a 10% do valor do contrato, diz fonte
    O projeto de lei sobre o tema, que segue sendo analisado pelo governo, busca dar referência legal a uma prática que saltou nos últimos anos, na esteira da recessão econômica

    BRASÍLIA – O governo federal estuda estabelecer multa de 25 por cento do valor já pago além da entrada do imóvel em caso de distrato, como é chamado a desistência de unidade vendida na planta, mas com valor limitado a 10 por cento do valor do contrato, afirmou uma fonte da equipe econômica com conhecimento direto do assunto nesta quarta-feira.

    A fórmula consiste numa solução equilibrada para uma queda de braço entre construtoras –que queriam o valor do contrato como base de cálculo para a multa–, e os consumidores, que defendiam que penalidade incidisse apenas sobre o montante já desembolsado no âmbito do financiamento do imóvel novo, disse a fonte.

    Curtir

    • O projeto de lei sobre o tema, que segue sendo analisado pelo governo, busca dar referência legal a uma prática que saltou nos últimos anos, na esteira da recessão econômica. Segunda a fonte, o percentual de distratos gira em torno de 42 por cento hoje, ante cerca de 20 por cento em 2013.

      Para dar previsibilidade para as companhias e fôlego para que terminem o projeto imobiliário, a devolução ao consumidor do saldo remanescente –diferença entre o total pago, menos a multa — será feita apenas em até 30 dias após a conclusão da obra.

      Dessa forma, disse a fonte, o fluxo financeiro das construtoras seria mantido, permitindo a conclusão da obra.
      Se a unidade objeto da desistência for vendida antes da conclusão da obra, o consumidor também receberá os recursos antes.

      Curtir

    • Caso a empresa não tenha patrimônio de afetação –segregação de bens do incorporador para um empreendimento específico –, essa devolução terá que ser feita em até 120 dias após o distrato, afirmou a fonte.

      No projeto de lei que está perto de ser finalizado, o governo também estabelece punições para as empresas que atrasarem a entrega dos imóveis. Nesse caso, deverão pagar 0,25 por cento ao mês do valor do contrato ao consumidor, percentual que sobe para 0,5 por cento após 180 dias.

      Já os mutuários que cancelarem o contrato, mas permanecerem no imóvel, deverão pagar 0,5 por cento do valor do contrato ao mês para as empresas.

      Curtir

    • O governo também estuda pequenas alterações para melhorar execução de garantias em caso de alienação fiduciária de imóveis, disse a fonte.

      A principal medida, também prevista em projeto de lei, será fixar um valor de referência para a eventualidade de leilão do bem em questão. Esse valor será o do contrato do imóvel ou a base para o Imposto Sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), o que for maior.

      Curtir

    • FGTS

      Em outra frente, o Conselho Monetário Nacional (CMN) deverá sancionar ainda neste mês um aumento provisório do teto para imóveis financiados com recursos do FGTS para 1,5 milhão de reais para unidades compradas no Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal, disse a fonte.

      A possibilidade ficará aberta até setembro deste ano e deverá movimentar de 400 milhões a 500 milhões de reais, acrescentou a fonte.

      Curtir

  13. Ajuste no juro não muda com IPCA baixo

    Medida pelo IPCA, a inflação do mês passado foi de 0,38%, a menor da série histórica para os meses de janeiro. Apesar do recuo da inflação além do esperado, o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), que se reúne daqui a duas semanas, não deve acelerar o corte de juros

    Curtir

    • Arrecadação federal tem alta real depois de 2 anos

      Pela primeira vez desde março de 2015, a arrecadação de tributos administrados pela Receita Federal – excluída a contribuição previdenciária – registrou, em janeiro, crescimento real, isto é, acima da variação da inflação. O resultado teve alta real superior a 1%, quando comparado a janeiro de 2016

      Curtir

    • Pois é, como já disse o colega JoeMaria, ainda cabem inúmeros recursos. Afinal, pra que serve a justiça eleitoral se as condenações definitivas somente saem depois de terminados os mandatos dos respectivos condenados? Enfim, tal decisão não vai mudar nada a governança do estado do rj.

      Curtido por 1 pessoa

    • Puro lenga lenga…..tao fazendo aqui o esquema do panico e do explodir tudo pra tentar maquiar o grande estrago da roubalheira coletiva……é so materia pra holofote.

      Enquanto isso…

      Segue os serviços basicos publicos sem salarios;
      Segue todo um temor que a policia aqui faça similar a policia capixaba;
      Segue a Alerj fazendo seu espetaculo, mais com verdadeiro interesse em nao ajudar, pois muitos dali querem a vaga do Pezao;
      Segue sendo o estado com maior numero de roubo de carga do Brasil e com serios problemas de abastecimento em alguns locais por esse motivo. Produtos que vem de fora poderão começar a ficar faltando e terao seus preços elevados para que mora no RJ;

      Concordo que daqui alguns anos alguma coisa pode ate ser concluida sobre isso….mais ate la….temos que seguir com a vida por aqui com um olho sempre aberto…..isso na hora de dormir.

      Ufa….desabafo de Carioca que sente na pele essa sensação toda.

      Valeu!!!

      Curtir

  14. A Polícia Federal acaba de deflagrar a Operação Crisol, que investiga uma das maiores empresas do ramo de distribuição de valores mobiliários (DTVM) do país.

    Estão sendo cumpridos 47 mandados judiciais, sendo seis prisões temporárias, 13 conduções coercitivas e 28 mandados de busca nas cidades de São Paulo, Itaituba (PA), Macapá (AP) e Oiapoque (AP).

    A Justiça Federal determinou o bloqueio de R$ 100 milhões em bens da empresa.

    “A PF apurou que o ouro era retirado de garimpos ilegais de várias regiões do país e transportado de avião para São Paulo. A organização criminosa, que atua no Mato Grosso, Pará, Amapá e São Paulo, chegou a movimentar cerca de 180 quilos de ouro por semana, o equivalente a R$ 27 milhões.”

    Curtir

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s