Fórum

Forum

A Maior e mais Ativa comunidade 100% FII

ABCP11  AEFI11  AGCX11  ALMI11B  ANCR11B  AQLL11B  ATCR11  BBFI11B  BBPO11  BBRC11  BBVJ11  BCFF11B  BJRC11 BMII11  BMLC11B  BNFS11  BPFF11  BRCR11  BTGM11  CBOP11  CEOC11B  CNES11B  CSHP11B  CTXT11  CXCE11B  CXRI11  CXTL11 DOMC11 DOVL11B DRIT11B  EDFO11B  EDGA11B  EURO11  FAED11B  FAMB11B  FCAS11  FCFL11B  FEXC11B  FFCI11  FIGS11  FIIB11  FIIP11B FIVN11 FIXX11 FLMA11  FLRP11B  FMOF11  FPAB11  FTCE11B FVBI11B  FVPQ11  GTUL11B  GVFF11  GWIC11  GWIR11  HCRI11B HGBS11  HGCR11  HGJH11  HGLG11  HGRE11  HTMX11B  JPPC11  JRDM11B  JSIM11  JSRE11  KNCR11  KNRE11  KNRI11  LATR11B  MAXR11B  MBRF11  MFII11  MSHP11  MSLF11B  MXRC11  MXRF11  NSLU11B  ONEF11  PABY11  PLRI11  PORD11 PQDP11  PRSN11B  PRSV11  RBBV11  RBCB11  RBDS11  RBGS11  RBPD11  RBPR11  RBRD11  RBVO11  RCCS11  RDES11 RNDP11  RNGO11  RSBU11B  SAAG11  SCPF11  SDIL11  SFND11  SHDP11B  SHPH11  SPTW11  STFI11  TBOF11  THRA11B TRNT11B  TRXL11  VLOL11  VRTA11 WMRB11B  WPLZ11B  XPCM11  XPGA11  XTED11

Incentive o Blog, assine os produtos e serviços!

Mini_FitaProdServ

PROMOÇÃO MEGACOMBO

Combo 08

+ ACESSO AO CONTEÚDO DE ASSINANTES!

Compartilhe com o amigos, basta clicar aqui embaixo no Twitter, Facebook ou Google+

8.271 comentários sobre “Fórum

  1. Simulação de compras mensais em EURO11:

    (Simulação retirada do Além da Poupança – http://tetzneremacao.wordpress.com/alem-da-poupanca)

    A história não pode ser esquecida, pois através dela investidores evitam a repetição dos erros que foram cometidos e aprimoram suas estratégias através dos acertos encontrados. Nem sempre é preciso errar para aprender. Sábio é aquele que aprende com o erro dos outros.
    Um modo de verificar a história da bolsa é através da simulação de compras periódicas de empresas e de fundos da bolsa que ainda estão listados. É na realização destas compras que esta série é dedicada.
    No decorrer desta série, realizamos as simulações abaixo comentadas:
    Embraer – Empresa com lucratividade e dividendos inconstantes.
    Souza Cruz – Tradicional fabricante de cigarros, é uma empresa que opera sobre altas margens e baixo endividamento dedicada ao pagamento de dividendos.
    Companhia Siderúrgica Nacional – Empresa cíclica marcada por um período de glória e crescimento e outro período de baixa e danação.
    Eternit – Empresa cujos retornos dados aos acionistas foram majoritariamente provenientes dos dividendos distribuídos.
    PIBB11 – É o ETF mais antigo da bolsa (listado desde 2004) com o propósito de replicar o índice IBrX-50.
    Cemig – Tradicional empresa do ramo elétrico voltada ao pagamento de dividendos generosos e bonificações frequentes.

    O próximo ativo a ser simulado é o Fundo de Investimento Imobiliário mais antigo da bolsa, o EURO11.

    Imagine a situação de uma pessoa que sempre preferiu o investimento em imóveis, mas não tinha capital suficiente para adquirir um. Com isso, ele descobriu a alternativa de comprar cotas de FII como forma de investimento indireto em imóveis. Como nosso investidor sairá?

    Nesta simulação adotaremos as seguintes regras:
    -O aporte mensal será o equivalente a R$1000,00 atuais (estamos em novembro de 2014). Então, para meses anteriores, haverá um ajuste de acordo com a inflação (IPCA). Por exemplo, o aporte mensal de novembro de 2005 foi de R$630,31. Teoricamente este valor daria para comprar as mesmas coisas e na mesma quantidade que podemos comprar hoje com 1000 reais. Esta medida de ajuste pela inflação foi realizada com o propósito de manter o mesmo poder de compra para todos os períodos, sendo o ajuste realizado mês a mês.
    -A simulação é iniciada em abril de 2003.
    -O investidor aporta e compra mensalmente.
    -O investidor decidiu com seu corretor para que ele compre no preço de abertura no primeiro dia de cada mês, quando houver liquidez para a compra.
    -Os proventos recebidos serão descontados do imposto de renda, quando for o caso.
    -A cotação utilizada na simulação é a cotação de época, não ajustada.
    -O investidor também decidiu com seu corretor para que ele compre o máximo de cotas de EURO11 possível, utilizando seu dinheiro em caixa (aportes + proventos).
    -O corretor disse que será cobrada uma taxa de corretagem de 20 reais sobre cada operação de compra.
    -Todos os dados utilizados para a simulação (proventos, cotação, etc) foram retirados da Bovespa.

    Realizando a simulação de compra chegaremos a tabela abaixo, resumindo o que aconteceu em cada ano. O “Aporte anual” representa a soma de todos os aportes do mês em um determinado ano. A “Quantidade de cotas final” demonstra quantas cotas o investidor teria no último dia útil de cada ano. O “Rendimento médio mensal” mostra a média mensal dos aluguéis recebidos pelo investidor naquele ano. O “Patrimônio Líquido” representa o valor do patrimônio do investidor, caso ele resolvesse vender todas as cotas.

    O gráfico acima representa o patrimônio do investidor em função do tempo. Para fins de comparação, o gráfico mostra também o somatório dos aportes e o valor do patrimônio bruto.
    A primeira observação que se pode fazer é a pequena diferença entre o patrimônio bruto e o líquido. Mesmo na hipótese do investidor vendendo todas as cotas de uma vez, seu investimento não será tão afetado após o pagamento do imposto de renda sobre a valorização das cotas.
    É importante observar também o comportamento do patrimônio em relação a crise de 2008. Este passou praticamente incólume neste período doloroso para a maioria das ações.
    Apesar de ter passado bem por 2008, no começo de 2014 as cotas caíram da mesma forma que a maioria dos fundos de investimento imobiliário. Mesmo assim, no decorrer do ano o patrimônio do investidor recuperou-se.

    O gráfico acima representa o yield mensal das cotas de EURO11 em relação ao tempo.
    Podemos observar que, em momentos curtos, o Yield passou de 1%. Na maior parte do tempo ele ficou próximo dos 0,8%, que é sua média histórica. Entretanto, é perceptível que, de 2006 para cá, o Yield está em uma levíssima tendência de queda.
    Houve um momento onde o Yield foi 0%, pois neste mês o fundo não realizou pagamento do aluguel mensal.

    O gráfico mostra acima a relação entre o valor aportado por mês e o valor recebido de aluguéis.
    Interessante observar a subida dos rendimento recebidos. O que começou bem próximo a zero chegou a passar o valor dos aportes do investidor. Infelizmente, a partir de 2012, parece que o fundo desandou e o investidor começou a receber valores inconstantes.

    Conclusão
    O investidor terminou a simulação com 974 cotas a R$196,76 cada e um caixa de R$1.492,40, tendo então um patrimônio bruto de R$193.136,64 e um patrimônio líquido de R$186.042,15.
    Em todo o período o investidor colocou R$103.061,25 de seu bolso.
    No ano de 2013, ele recebeu R$11.907,54 em aluguéis, equivalente a R$992,29 por mês.
    No corrente ano de 2014, até o momento (novembro) ele recebeu R$10.032,05 em aluguéis, equivalente a R$912,00 por mês.
    Pela Taxa Interna de Retorno (TIR), o rendimento médio anual que nosso investidor obteve com as cotas de EURO11 foi de 9,82% ao ano, o que representa um rendimento médio mensal de 0,78% ao mês.
    Se ele investisse apenas 1.000 reais em abril de 2003 e reinvestisse todos os aluguéis, mesmo considerando todos os custos e imposto de renda, estes 1.000 reais seriam hoje 26 cotas. Contando com o caixa, estes 1.000 reais se transformariam em R$5.006,73, equivalendo a um rendimento de 14,37% ao ano, ou 1,12% ao mês, pela TIR.
    A cota fechou a simulação com o preço de mercado de R$196,76. O preço médio de nosso investidor foi de R$160,44. Entretanto, o valor que o investidor efetivamente utilizou de dinheiro novo em suas compras foi de R$105,81 por cota.

    Consideração Final
    Depois da leitura sobre o desempenho das cotas, podemos considerar que o investidor se deu bem ao investir em EURO11?
    Um rendimento de 9,82% ao ano está longe de ser ruim, mas também não é nada espetacular. Se fizermos comparações, a situação ainda piora.
    Ao comparamos com as ações, os anos de 2003 até 2008 foram uma época bastante propícia para obter-se um rendimento interessante. Muitas empresas deram retornos surpreendentes, entre elas Cemig e Souza Cruz, capazes de deixar EURO11 no chinelo.
    Ao compararmos com imóveis, sabemos que nestes mesmos anos tivemos um boom no mercado imobiliário.
    Ao compararmos com a renda fixa, a situação também não melhora. Em 2003, a meta da SELIC era maior que 20%. Na maior parte do tempo, a meta da SELIC foi maior do que o rendimento do EURO11.
    A conclusão que podemos tirar é de que EURO11 deu sim um retorno razoável, mas, pelo menos no período simulado, parece que o investidor escolheu um momento inadequado, perdendo oportunidades melhores de remunerar sua carteira.

    Curtido por 1 pessoa

    • Muito bom, Waka!

      Serve para quem diz que não importa o momento do investimento se você não pretende vender seu ativo.

      O timing também é importante para obter uma rentabilidade ainda melhor.

      O velho ditado “compre na baixa, venda na alta” ainda prevalece.

      E para nós, adeptos do buy & hold, seguimos apenas com o “compre na baixa”.

      Curtido por 1 pessoa

    • Eu vejo o copo meio cheio.
      Foi escolhido um ativo aleatório sem nenhum critério(apenas pelo seu tempo de bolsa), e sem escolher o preço das compras, ou seja, totalmente as cegas.
      Ainda assim se conseguiu uma média de rentabilidade superior a 9%a.a.

      Agora imaginem isso aplicando a seriedade dos nossos critérios, com ativos excelentes, diversificação, rendimentos crescentes e já partindo de uma rentabilidade superior a 10%a.a. + inflação que é o nosso caso hoje.

      MAGNÍFICO!

      Curtido por 1 pessoa

  2. Estive olhando uma simulação com aportes mensais desde o ano de 2003 em EURO11 e o retorno total obtido foi de cerca de 9,83% ao ano.

    O investidor da simulação desembolsou cerca de R$ 103.061,00 nesses quase 12 anos fechados e estaria hoje com um patrimônio líquido (considerando a venda das cotas) de R$ 186.042,00. O calculo foi feito considerando aportes mensais equivalentes a R$ 1.000,00 hoje, mas reajustados pela inflação ao longo do tempo, portanto em 2005 o valor do aporte era na faixa de R$ 630,00 o que equivaleria a R$ 1.000,00 hoje.

    A TIR da simulação de investimento ficou em 9,83% ao ano, ou 0,78% a.m

    Na MINHA opinião o resultado foi bem fraco, afinal, de 2003 pra cá os imóveis se valorizaram muito, os alugueis aumentaram absurdamente também e isso sem considerar que lá por 2003 e 2004 os juros eram bem maiores, ou seja, conseguia-se facilmente retornos maiores sem assumir os riscos dos imóveis. Além disso, o valor de muitos imóveis pelo Brasil inteiro mais do que dobrou nesse período, enquanto o patrimônio do investidor sequer dobrou, claro que isso é também por conta da diluição das compras, que não foram todas feitas lá em 2003, e por isso a TIR foi penalizada.

    De qualquer forma, acredito que fazer um plano de aportes mensais em apenas um único ativo nunca valerá a pena e nunca compensará o risco, e no caso do EURO o retorno foi bem baixo e não chegou a compensar o enorme risco da falta de diversificação.

    Curtido por 1 pessoa

    • Já quem fez aportes constantes em CIEL, ABEV,ETER e ITAU durante 10 anos só tá rindo e curtindo uma merecida aposentadoria.

      Eu no momento estou aportando apenas em FII para geração constante de caixa, mas em um futuro pretendo aportar apenas em ABEV/CIEL/ETER por 2 ou 3 anos consecutivos para eu poder daqui 10 anos ter uma bela aposentadoria.

      Curtir

    • Waka,

      2 considerações:

      (a) Quem investiria no EURO11 em 2003 e continuaria investindo nestes 10 anos? Eu acho um fundo bem complicado. E olhe que tenho 30 FIIs e o EURO não passou nos meus critérios.

      (b) Para muita gente valorização patrimonial não conta muito. O foco de investir-se em FII é a geração de renda. Você calculou a renda que indivíduo recebeu durante este período?

      Curtir

      • 6furos,

        de acordo com o estudo este ano o investidor estaria recebendo cerca de R$ 912,00 por mês, nada que represente uma aposentadoria digna, mas já é um incremento da renda. Ademais, os 912 por mês representam hoje sobre o hipotetico patrimônio (sem considerar a venda e pagamento de ir das cotas) cerca de 0,47% ao mês, com certeza uma rentabilidade baixissima.

        Curtir

      • Waka,
        Ótimo estudo, mas não entendi de onde saiu o 912 reais de renda, visto que se temos 974 cotas e rende 1,35(hoje), daria um rendimento mensal de 1314,90 reais, isto considerando todos os problemas que o fundo teve. Se considerarmos o rendimento daqui a uns 2 ou 3 meses creio que deve bater uns 1600,00 reais ao mês, ou 1,65 por cota.

        abs,
        Adriano Fii

        Curtir

      • Adriano, realmente não acompanho o EURO11 e como não fui eu que fiz o estudo, não posso confirmar, mas acredito que ele tenha feito uma média do que foi pago por mês para o investidor em 2014, ou seja, no ínicio do ano o número de cotas era menor, e portanto, geravam rendimentos mensais menores também. E também provavelmente no inicio do ano ele vinha pagando menos do que paga hoje, mas isso só verificando na página do fundo…

        Curtir

    • Dificilmente em 2003 você teria a sorte de escolher os ativos que você escolheu em 2014!
      Ao que me parece as siderúrgicas micaram, as eletriciárias micaram mas os FII continuam lá.
      Os fundos de ações dividendos fizeram água no ano de 2013.
      Você fez um lindo trabalho mas que pode induzir os incautos a um grande equívoco: achar que os eventos econômicos são imutáveis e repetitivos, como o verão que, todo ano, religiosamente, surge depois da primavera.

      Curtido por 1 pessoa

      • Conejo, por isso acho bacana a diversificação, nada melhor que uma carteira com ações de empresas de crescimento, ações de empresas boas pagadoras de dividendos, fii’s com contratos longos BTS, fii’s de escritorios, fii’s de vários setores, LCI’s, LCA’s e etc… Acredito que todas essas classes de ativos juntas no longo prazo podem gerar bons retornos.

        Eu, em especial, prefiro FII’s e ações, mas reconheço que LCI’s e renda fixa podem também contribuir com uma boa rentabilidade no longo prazo, principalmente em períodos de turbulência.

        Curtir

      • Waka você com sua convicção vai estar junto a um grupo de pessoas que realmente entendem do assunto (a velha teoria de não colocar todos os ovos num único cesto – uma simples queda e lá se vão os ovos servirem apenas, quando muito, para fazer gemada ou homelete).
        Mas a diversificação não enrica ninguém.
        Os milionarios comumente citados aqui não ficaram milionários por diversificarem, mas aplicarem onde dispunham de boas informações, bons conselheiros e bons estudos, luxo que nós, não milionários, não dispomos: ou estudamos nós mesmos com pouca informação ou seguimos conselhos genéricos, desses recolhidos nas colunas especializadas (cujos furos, aqui, jocosamente jogamos na conta de um estagiário imaginário).
        Assim, dispondo de poucas informações, fico apenas os os FII onde também se pode e se deve diversificar….

        Curtir

      • Verdade, conejo, por isso que empresas que eram vistas como conservadoras e cheias de previsibilidade foram pra lona e tiveram seus dividendos destruídos levando muitos “novatos” a perderem muito dinheiro. Mas ainda assim acredito que há inúmeras boas empresas que ainda compensam investir, normalmente são empresas com administrações sensacionais, em bons setores, bom market share e etc.

        Mas concordo contigo que diversificar muito no fim pode acabar reduzindo seu retorno, tanto que eu mesmo tenho obtido um bom retorno principalmente com ações. Se tivesse uma boa parte da carteira em RF, com certeza a minha rentabilidade seria bastante diluida. Por isso, apesar de ser mais “arriscado” ainda prefiro concentrar em FII’s e ações.

        Curtir

    • Se refere ao seu “sumiço”?

      Acho que ele segue acompanhando bastante o blog, pois curte vários posts e etc, mas deixou de postar por algum motivo que ainda não sei exatamente.

      Curtir

  3. Pra quem está preocupado com o sumiço do Tetzner e do Baroni, ou o que alguns estão chamando de período sabático, encontrei um artigo interessante que ajuda entender melhor esse assunto.

    Você sabe o que é o período sabático?
    Imagine uma pessoa que descansa nos feriados, finais de semana e tira 30 dias sagrados de férias todos os anos. No entanto, nada é suficiente para fazer o que realmente gosta. Agora, pense em uma pessoa que não consegue se afastar nem um só momento do trabalho e está a ponto de explodir. Em ambos os casos, eles sentem necessidade de romper com a rotina.

    Uma maneira de fazer isso é aderir ao período sabático. O termo vem do vocabulário hebraico e significa repouso. Corresponde ao dia de recolhimento semanal dos judeus. Para se ter uma idéia, referia-se, no Antigo Testamento, ao período em que a terra ficava sem cultivo, depois de um ciclo de fertilidade.

    “O conceito original é você sair do emprego para ter um tempo para se aprofundar em estudos de interesse pessoal: viagens, cursos. É uma iniciativa de auto-conhecimento”, afirmou o sócio-diretor da LCZ Desenvolvimento de Pessoas e Organizações e professor da Fundação Vanzolini (USP), Luis Felipe Cortoni.

    Um período como este pode não ser tão positivo para a carreira, já que interrupções podem não ser bem vistas por algumas empresas. Mas, por outro lado, é uma oportunidade de o profissional recarregar as energias e fazer algo de interesse pessoal que implemente o currículo: escrever um livro ou aprofundar-se em algum estudo.

    Diferente das férias

    Conforme explicou o sócio-diretor, o período sabático é diferente das férias, uma vez que esta última está apenas relacionada ao lazer e ao descanso. Normalmente, o tempo em que a pessoa fica afastada do trabalho no período sabático é superior aos 15 ou 30 dias do que fica em férias. “Considero período sabático aquele que parte de três meses. Já vi pessoas ficarem no período de até dois anos”.

    Agora, cuidado para não confundir esse período com um afastamento para fazer, por exemplo, um MBA (Master Business Administration). Se a empresa o libera para fazer um curso desses no exterior, você está apenas se afastando para o aperfeiçoamento profissional. No sabático, você se afasta para fazer algo que o interesse, sem estar relacionado com a carreira.

    Questionado sobre quando uma pessoa deve aderir ao período, Cortoni afirmou ser quando houver uma motivação pessoal mais profunda, um desafio, uma curiosidade. Normalmente, o profissional tem um insight no meio do caminho e decide deixar a empresa de lado por um tempo para se dedicar ao que realmente gosta.

    Planejamento do período

    Antes de aderir ao período sabático, é importante conversar com a empresa para garantir o posto que ocupava, quando voltar. Prepare uma pessoa para substitui-lo, forma de não deixar a impressão de que “largou a empresa na mão”. Antes de qualquer coisa, converse com quem já passou pela experiência.

    É importante ressaltar que, durante esse período, você não contará com um salário, então deverá garantir uma fonte de recursos, seja com investimento, seja com dinheiro que possuía guardado. Determine seus objetivos, trace seu roteiro e aproveite esse período.

    Curtido por 2 pessoas

      • Waka,
        Ele quer se tornar o acionista majoritário da empresa.
        Você acredita mesmo que ele ficou bilionário sendo acionista minoritário? Kkk
        Não se engane e não tente seguir a estratégia desses bilionários. No final das contas você vai perceber que a estratégia deles é boa para eles. Somente eles.
        VC vai ter que montar sua própria estratégia e seguir seu plano para ganhar dinheiro.

        Curtido por 1 pessoa

      • Voltaire, não é bem assim não. Já li muito a respeito do Barsi, inúmeras entrevistas, artigos, matérias e mini-biografias, e posso concluir que o diferencial dele foi O TEMPO. Ele investe há mais de 50 anos, começou colocando bem pouco dinheiro, todos os meses, sempre focando acumular o máximo de papéis de uma empresa e reinvestir SEMPRE os dividendos. No começo ele apenas queria ver se o patrimônio aumentava, mas depois começou a ver que aquele investimento poderia gerar-lhe renda e que eventualmente poderia ser uma renda muito maior que a do trabalho dele e da aposentadoria, foi aí que ele mais animou-se a comprar papéis pra longo prazo e com altos dividendos.

        Há de se lembrar também que a situação que o Barsi viveu era outra beem diferente, as empresas na época possuiam muito pouca governança, transparência, e etc, a bolsa tinha um volume baixissimo, e os Yields costumavam ser altíssimos, possibilitando assim um retorno bem maior que os que verificamos hoje. Conforme a bolsa foi ganhando força, o volume aumentava e as empresas cresciam e tinham as suas ações se multiplicando de valor, os dividendos de inúmeras empresas aumentavam constantemente e de maneira muito forte, super-potencializando o poder dos juros compostos.

        Então pra resumir, o que deixou o Barsi rico foi:

        - Capacidade de aportes mensais constantes
        - Acumulação de ações de empresas boas pagadoras de dividendos e que crescem
        - Multiplicação do patrimônio através da incrível valorização de muitas ações da carteira dele nestes 50 anos
        - Multiplicação da renda de dividendos ao longo do tempo com o efeito do reinvestimento de dividendos + aportes (Dividendos de muitas das suas empresas tiveram crescimento real altíssimo)
        - 50 anos de aplicação seguindo quase que rigorosamente sempre as mesmas estrategias

        Curtir

    • Olha , o Barsi ganhou muito dinheiro e admiro isso muito.

      Ficou rico inicialmente com corretagens e multiplicou com ações . Não ficou bilionario do zero apenas com ações , como dizem, isso matematicamente não existe.

      A mesma coisa o Lirio Parisoto, ficou milionário com a empresa dele e bilionario com ações . Ok.

      Agora, o investidor comum seguir o que esses caras fazem é roubada. No rol de empresas deles tem um monte de empresa com problemas que eles compram porque o DY está alto ou P/VPA esta baixo. Normalmente, esses indicadores chegam a estes valores por causa de problemas nas empresas e o risco se torna muito alto para quem tem pouco dinheiro.

      Para o pequeno, na minha opinião, o ideal é comprar regularmente ações muito boas por preços razoáveis , como Ambev, Itau, Ultrapar, Cielo, etc. E querer comprá-las cada vez mais caro.

      Curtido por 1 pessoa

      • Você tocou no ponto chave.
        O Barsi ficou rico com corretagens. Com seu próprio negócio.
        Ele compra ações problemáticas porquê possui bala na agulha para virar majoritário. O majoritário SEMPRE ganha.
        Com relação a estratégia, isso vai de cada um.

        Curtido por 1 pessoa

      • Mas você não concorda que colocando sua munição onde esses caras tem grandes porcentagem de acoes não é uma boa estratégia?

        Eu gosto muito do setor elétrico mesmo com todos seus problemas, não acredito que o mundo vai voltar pra vela e lamparina tao cedo.

        Curtido por 1 pessoa

      • Leonardo,
        Esse assunto se estendeu muito.
        Se você gosta de perder dinheiro sendo um dos minoritários que investem em empresas ruins sonhando em ficar rico um dia, OK.
        O meu dinheiro é ganho com muito suor e trabalho para dar de graça para malandros. :)

        Curtido por 1 pessoa

      • O equivalente a R$ 10.000,00 aplicados há 33 anos, com uma rentabilidade média de 2% ao mês, transformou-se em mais de R$ 27.500.000,00.

        2% ao mês para quem pegou ações que valiam centavos , e que cresceram MUITO, foram compradas e pagando muitos dividendos, e hoje valem valores cerca de 500 vezes mais, e etc, não é nenhum absurdo…

        Claro que HOJE EM DIA é muito difícil, mas na época era relativamente mais tranquilo, as empresas cresceram muito, os dividendos de multiplicaram, e assim foi-se criando fortuna.

        Curtir

      • “Ficou rico inicialmente com corretagens e multiplicou com ações . Não ficou bilionario do zero apenas com ações , como dizem, isso matematicamente não existe.”

        Pelo que ele disse, ele teve participação em sociedade em uma corretora, mas ele deixou claro que ainda assim ele começou com POUCOS RECURSOS, aplicando constantemente e reaplicando os dividendos, e deixou claro também que o efeito multiplicador foi ABSURDO.

        Imagine, como eu falei ali em cima, o equivalente a R$ 10.000,00 se fosse aplicado há 33 anos com uma rentabilidade de 2% ao mês, sem ter feito mais NENHUM APORTE, teria se transformado hoje em mais de 27 milhões. 2% ao mês não é nada impossível se considerarmos toda a trajetória das empresas da bolsa e dos juros altíssimos que o Brasil historicamente teve.

        De fato pode ser que ele tenha ganho algum dinheiro legal com a corretora que ele teve sociedade, mas com certeza a maior parte veio da valorização das ações e da multiplicação dos dividendos.

        Curtir

      • Vocês estão errados.

        Há 30, 40 anos achava-se ações do Banco do Brasil na faixa de centavos, hoje vale quase R$ 30,00. Imagine o quanto ela pagava em dividendos por ação na época? O equivalente a miséria, hoje chega a pagar r$ 2,00 ao ano. Ultrapar quando era Ipiranga, custava o equivalente a centavos também, os dividendos se multiplicaram absurdamente e o valor da empresa mais ainda.

        Unibanco quando foi comprado pelo Itaú, quem tinha suas ações, viu seu capital se multiplicar por mais de 300 vezes. Enfim, há inúmeros exemplos de multiplicação ABSURDA de valores, fazendo um pequeno investidor conseguir ficar MUITO RICO, isso é um fato, é matemática.

        O Barsi não ficou rico com corretagens, ele nunca teve empresa, ele trabalhava como qualquer um, e juntava seu dinheiro e comprava ações em uma epoca que NINGUÉM queria, aproveitou um período que as ações custavam praticamente nada, e tinham taxas Yield altíssimas, e assim, ao longo de 40-50 anos de aplicação, simplesmente ficou bilionario. Isso pode acontecer com qualquer um, desde que consiga uma rentabilidade altíssima e durante mais de 40 ou 50 anos.

        Curtir

      • voltaire

        Não sei onde você leu que eu gosto de investir em empresas ruins. Também não sei de onde você tirou que eu gosto de perder dinheiro.
        E desde quando Ambev, Eternit, BB, ITAU, etc ficaram ruins só por causa de algumas quedas?

        Curtir

      • Leonardo, se isso que o voltaire disse fosse verdade, então empresas boas como as várias que temos por aí não estariam gerando retornos bem altos pros seus acionistas minoritarios nos últimos 5 e 10 anos.

        Curtido por 1 pessoa

    • Claro que ele pode ter ganho um ótimo dinheiro também na época com a corretora que ele teve participações, e etc, mas com certeza a MAIOR PARTE de todo seu patrimônio se deveu a sua rentabilidade absurda obtida.

      Curtir

      • Meninos,

        hj o assunto sao grandes investidores em acoes e acoes?

        deixo uma pergunta aqui entao: qdo sera a assembleia que define o valor por cota do brcr( referencia para 01 ano)?

        Curtir

    • Quem comprou BBAS3 em 1998 ou 1997 pagou o equivalente a centavos, em preços ajustados. Hoje custa mais de R$ 29,00. Veja a rentabilidade que isso daria…

      Claro que pra ser bilionario é bem mais complicado, e de fato precisaria-se de um belo capital inicial, mas é possível sim ficar multi-milionario apenas aplicando mensalmente, desde que se consiga rentabilidades interessantes, acima de 1% ao mês.

      Curtir

      • Haha, caíram no conto do investidor Ze Colmeia, mais esperto q a maioria dos ursos. Isso de 2% ao mês durante 30 anos não existe, é só wishful thinking. Se vc for vidente e só comprar empresas q vão crescer tudo bem, e quem comprou Estrela, etc? Barsi, parisotto, buffet são excessões, qtos investem na bolsa? Porque se acham predestinados a serem 0,0000001 do mercado?

        Curtir

      • Richie, quem comprou Vale nos últimos 20 anos, CSN, Gerdau, Lojas Renner, Lojas Americanas, Souza Cruz, Ambev, Itaú, BB, Eternit, Ultrapar, Grazziotin, Guararapes, Panatlântica, Bradesco, e muitas outras, com certeza conseguiu ter um retorno nessa faixa. Talvez 30 anos realmente tenha sido muito difícil obter esse retorno, mas quem foi visionario e corajoso, nos últimos 20 anos com certeza conseguiu algo proximo disso.

        Curtir

      • Pois é, vamos parar na Vale: subiu desde 2002 até 2007 que foi uma maravilha: caiu como todo mundo em 2008, depois subiu um pouco em 2009 mas nunca mais chegou no valor de 2007; e neste ano caiu que foi outra maravilha. O que vc teria feito? Sabido do topo e vendido em 2007? Segurado e vendo o valor cair depois? Seguraria hoje com todas as perdas até agora? E por mais 20 anos (assumindo que comprou em 2002, estaria num bom lucro, mas e agora? Realizar o lucro antes que vire prejuízo? Segurar mais)? Capisce o meu ponto?

        Curtir

      • Richie, quem comprou lá por 95, 96 ou até 97 deve estar bem tranquilo, pois o preço ajustado pelos proventos e desdobramentos naquela epoca estava em centavos, na faixa de 30 centavos, hoje ela passa por um período “tenebroso” e ainda assim está em R$ 20,00. Imagina quem comprou ela bastante nessas épocas, só de dividendos está tirando um belo dinheiro.

        Não tô querendo dizer que é fácil ficar rico no mercado e etc, mas estou dizendo que ao se investir com analise fundamentalista, investindo em BOAS EMPRESAS, ou empresas EXTREMAMENTE DESCONTADAS que tem alguma perspectiva de crescimento pela frente, com persistência e com foco, consegue-se sim boas rentabilidades.

        Eu mesmo nos últimos 5 anos estou com uma TIR mensal média de 1,22% ao mês. Não é nada tão fantástico, mas com certeza estou muito melhor do que se tivesse investido em RF e etc… E boa parte desta rentabilidade é por conta de boas empresas que possuo em carteira, que estão crescendo e são muito bem administradas.

        Acredito que os FII’s podem potencializar essa rentabilidade, visto que há vários fii’s com contratos longos e com boas perspectivas, que HOJE já estão gerando taxas de retorno na faixa de 14% ao ano, nada mal né?

        Curtir

      • Puxa, se seu rendimento mensal nos últimos 5 anos está em 1,22%, com a bolsa andando de lado igual caranguejo, então vc é um ponto fora da curva, e meus argumentos perdem sentido.

        Curtir

      • Richie, o problema é que há EMPRESAS e EMPRESAS, claro que não é tão simples escolher as boas empresas, mas com uma analise fundamentalista minuciosa, conseguimos sim ter evidências das que valem a pena ou não de se investir.

        E outra, esses 1,22% foram apurados com base no último fechamento, podendo variar para cima ou para baixo diariamente, né, mas na média tem ficando meio proximo disso sim. De qualquer forma, não desejo ficar bilionario nem nada, desejo apenas poder ter uma vida digna depois de certa idade.

        A proposito, tu investes em Ações, ou apenas em FIIS?

        Curtir

      • Waka,
        Quem comprou em 97 está tranquilo? Comprar ações e fundos que rendam 1% a.m. no longo prazo? E desde quando é possível prever o futuro?
        Outra coisa importante que eu acredito que você não sabe. O Banco do Brasil faliu duas vezes. Por isso as ações foram para centavos.
        Reafirmo que somente seu trabalho te deixa rico.
        Renda variável é imprevisível.

        Curtir

      • Voltaire

        Ser B&H não é buy and forget( comprar e esquecer)
        Se os fundamentos da empresa ou FII continuam o mesmo você continua comprando mais, mesmo com as quedas no preço.

        Se as empresas pioraram seus fundamentos, você tira o capital que você tem naquela ação(mesmo saindo no preju) e coloca em outro e a vida segue.

        Abracos

        Curtir

      • Richie, não sei em quais empresas tu investes, mas acredito que o investimento em ações e em FII’s são para longuíssimo prazo, eu ao menos invisto objetivando 20, 30, 40 anos, compro para nunca vender. Tenho convicção que se tu investe em empresas boas, uma hora ou outra elas voltarão a subir e crescer seus dividendos e melhorar os resultados.

        Infelizmente vivemos em um período um tanto ruim, que as commodities tem se desvalorizado com frequencia e isso vem afetando as empresas mais cíclicas ligadas as commodities, com queda de lucros, perda de rentabilidade e etc… Mas acredito que uma hora os preços tendem a voltar a subir, basta o governo mostrar sinais de que realmente quer ajustar a situação.

        Nos FII’s eu também estou no prejuízo, mas como eu disse, as ações tem compensado em boa parte… De qualquer forma, sigo focando apenas em aumentar o fluxo de caixa em dividendos.

        Curtido por 1 pessoa

      • Voltaire, está tranquilo sim, pois a taxa de retorno que esse investidor de LONGO PRAZO obteve foi muito alta, chuto algo acima de 1,60% a.m. , só não estaria tranquilo se tivesse vendido nas primeiras quedas e em sinais de desesperos.

        Ademais, investimento em ações é para longo prazo e em empresas que você conheça, confie e que considere rentáveis. Eu comprei Ambev pelo preço equivalente a R$ 8,00, pois fiz um estudo considerando a lucratividade histórica dela, o crescimento dos lucros, os repasses acima da inflação, as margens, o segmento e a gestão. De lá pra cá já tenho mais de 100% de lucro, e garanto, que isso pode ser feito em várias outras empresas e é possível sim formar um ótimo patrimônio a longo prazo com ações, desde que sejam de empresas boas.

        Curtir

      • Richie, eu não costumo girar muito, no caso das ações eu só vendo caso um papel fique extremamente caro, com P/L em níveis também muito altos ou quando as empresas passem a perder rentabilidade, com balanços deteriorados e sem muitas perspectivas.

        No caso dos FII’s, só vendo se também perderem os fundamentos, se tornarem caros demais (dy muito baixo) ou vendo algo que não caiu muito pra comprar algo que caiu exageradamente.

        Quanto aos dividendos, eles são sim considerados na TIR, e eles fazem bastante a diferença, principalmente o reinvestimento de dividendos…

        Curtir

      • Eu tbm comprei Ambev, por 7,14 :-) E hoje está patinando, ficou muito cara. Vender ou não? Embora ela ainda tenha me impedido de me enforcar, porque tbm (como já disse antes) tenha muitas ações de elétricas, ações “conservadoras, com fluxo de caixa previsível, e que se não vão te deixar rico, também não vão cair tanto em crises” – ha ha ha….

        Meu ponto é que é difícil “acertar” o mercado, porque (na minha opinião), o que ocorre é volatilidade, o que sobe muito (o que seria “bom”) um dia vai cair, e outra vai subir (muito, e depois cair). No que eu acredito? No retorno à média, e aí fica difícil “bater” o mercado, a não ser que tenha algum dom de prever o que vai subir, e saber sair antes da queda, o que sinceramente não combina com estratégias de se manter algo 20, 30 anos.

        Enfim, na minha TIR não considerei dividendos/JCP ou aluguéis, vou refazer as contas e talvez fique mais feliz… :-)

        Curtido por 1 pessoa

      • Richie, concordo contigo sobre essas “ações conservadoras”, realmente foram um atraso pra vida dos investidores, inclusive eu tive ELPL4 e perdi algum dinheiro lá, acabei vendendo nos 18, mas tive um prejuizo grandinho. O fato é que esse governo nos últimos anos conseguiu destruir a rentabilidade de muitas dessas empresas ditas conservadoras, e por isso de fato tenho preferido FII’s do que essas empresas de energia.

        Quanto a TIR, o meu metodo de calculo foi simples, eu verifiquei o período que iniciei minha carteira Buy and Hold de investimentos, então desde lá somei todos meus aportes (que sairam do meu bolso) e tudo que coloquei na corretora, dividi pelo número de meses que estou investindo e achei uma média mensal de aportes. Então uso uma calculadora de rentabilidade da Infomoney que calcula rentabilidade com aportes, então coloco o número de meses, o aporte e acho uma taxa que chegue no meu valor de saldo atual. A que achei na sexta-feira foi 1,21% a.m

        Curtir

  4. Pessoal,
    Vou pedir a ajuda de vcs pois não estou chegando a nenhuma conclusão, ontem vendi 9% de FFCI11 que representava 19% da minha carteira de Fii, o motivo foi
    1 – baixar a exposição no ffci que rende 0,82% a.m.
    2 – diversificar em outros fundos
    3 – Creio que consigo melhorar o rendimento indo para uns 0,92%(aplicando em outros fundos)
    O problema e que hoje estou estudando vários outros fundos(BCFF;SAAG;XPMC;SDLI;EURO;FEXC;XPGA;RBRD;MAXR;RGNO) dentro outros e não consigo chegar a uma conclusão de onde investir, hoje minha carteira e composta por 26 fundos e minha duvida é se devo aumentar a posição em BCFF e FEXC que representao atualmente 6% da minha carteira, vale observar que estou com preco médio de 98,05 e 114,00 respectivamente, ou se devo aumentar minha posição nos demais fundos que hoje compõem aproximadamente 2,5% da minha carteira cada um.
    Obs. Meus objetivo em FII e B&H, dificilmente vendo fii, so vendi agora pois entendo que o FFCI esta rendendo pouco.

    Agradeco a ajuda e sugestão dos colegas.

    Obrigado,
    AdrianoFII

    Curtir

    • Seria importante conhecer a composição da tua carteira, para ver em que setor estás mais concentrado.
      Dos FIIs citados, gosto de SAAG, XPCM, SDIL, RBRD, MAXR e RNGO.
      Se estás mais concentrado em escritórios, podes ir de SAAG, SDIL e RBRD, diversificando os setores.
      Entre RBRD e MAXR, prefiro o primeiro, já que o valor mais baixo da cota permite aportes menores e mais frequentes.

      Curtir

      • Caro Adriano Fii

        Não sei se nós do blog vamos ajudar ou confundir mais você. As opiniões são extremamente diversas. Eu, por exemplo, acho 26 FII um número acima do ideal (outras pessoas vão dizer que não).

        E também as opções de compra que você listou são as mais diversas possíveis (tem fundo de fundo, laje mono, logística, fundos multi). Além disso não acho que um fundo que renda 0,82 a.m. seja um fundo ruim. É preciso ver os fundamentos dele.

        Abrs

        Curtir

      • Fabio,
        Os motivos de vender eu inclui acima, mas vou citar novamente, o FFCI11 representa 19% da minha carteira de fii, so estou rebalanceando a carteira, e de quebra, consigo fundos tao bons quanto rendendo um pouco mais. Creio que uni 2 itens importantes rebalancear a carteira e aumentar a renda. 0,82 a.m. não é ruim, alias não falei isto em momento algum, mas que 0,95 a.m. e melhor do que 0,82 a.m isto vc não pode negar.

        abs,
        Adriano Fii

        Curtir

    • “Rebalancear” carteira? Tem certeza disso? Pergunto porque sempre vejo as pessoas usando expressões que tais aqui mas sem ter noção nenhuma do que estão dizendo. Parece que, como todo mundo diz que faz isso, todos se sentem na obrigação de fazer também. Não estou falando que é o seu caso, claro. Até porque cada um faz o que quer, não é da minha conta. Apenas tome cuidado com essas “balanceadas” que te levam a ficar pulando de um lado pro outro sem sair do lugar. As Corretoras agradecem….

      E não necessariamente 0,10%a.m. significa um melhor negócio.

      Bem, desculpe-me por me intrometer em seus assuntos. Abraço.

      Curtir

      • Faço coro com o mbp77. Parece um otimismo de momento. Dólar caiu, bolsa subiu, ministro perto da indicação, etc.

        Mas a realidade é que para colocar o país nos eixos novamente será preciso mais sacrifício (aumento de juros, corte de gastos, aumento de impostos, etc).

        Como já dizia o Venom:

        There’s a calm before the storm
        Don’t say that you ain’t been warned
        A calm before the storm
        And it’s coming for you

        Curtido por 2 pessoas

      • Eu hava escrito há algumas semanas, que ao meu ver, já estavam precificando SELIC em 12% nos valores das cotas, continuo achando isso. Sobre o Levy, não sei se é motivo para tanta empolgação. O Ibovespa foi bem puchado por Petrobras que teve indicação de compra do Deutsch Bank e também, pode refletir as perspectivas do avanço da lava Jato, que ao que tudo indica vai conseguir fazer uma faxina na Petrobras e possivelmente, mudará o modus operandis entre Empreiteiras, Políticos e agentes públicos ligados à empresa. Enfim, várias possibilidades…

        Curtir

      • O aumento da selic é amplamente esperado pelo mercado, então já está precificado. Outra decisão é q trará surpresa p o mercado. Indicações de ministro já são mais binárias (bom ou ruim), e se não houver aviso prévio, são mais difíceis de precificar (vira aposta).

        Curtir

      • Carlos Roberto;

        Poderia desenvolver mais seu ponto de vista?
        Óbvio que se a Selic chegar aos 30% a.a. (o que acho difícil de acontecer) tal correlação direta diminuirá, mas não deixará de existir.
        Muitos dos que venderam FIIs – movimento que ocasiona queda no valor das cotas – o fizeram para migrar para outros tipos de investimentos, reforçado pelo cenário macroeconômico adverso. Sim, a Selic é apenas mais um dos componentes, mas não o único. Se formos levar um possível aumento na vacância (contratada, factual ou hipotética) de “alguns muitos” fundos no CP e MP, então…
        Portanto, queria entender melhor qual a base da sua opinião sobre o fim pleno de tal correlação com a Selic, porque eu não consigo ver isso, nem acho que ocorrerá.

        Sds.

        Curtir

      • Eu não!

        Vou comprar e só vender se os fundamentos do FII piorarem, mesmo com vacância ainda sim vou pensar muito antes.
        Porque vender imoveis na Paulista e Faria Lima tem que ser muito bobo e não entender nada de localidades.

        Curtido por 1 pessoa

      • Se o Joaquim Levy for, de fato, para a Fazenda, minha visao e’ a seguinte: haveria aumento de juros ate’ uns ~ 12%. Mas acredito que a principal medida (nas proximas semanas / meses) seria um ajuste fiscal mais rigoroso e doloroso. Isto invertera a perspectiva de deterioracao das contas publicas e reduzira a inclinação da curva de juros e perspectiva de inflação. Para ativos de longo prazo como os FII, isto pode ser boa noticia para estancar a queda, porque havera a leitura de que um sacrificio de curto prazo (1 ano) , levara a um crescimento economico mais sustentavel para os proximos anos (principalmente porque o Lula teria a intencao de pegar o fim do mandato Dilma com crescimento). Pode ser que os FIIs ainda caiam um pouco por conta da baixa liquidez. A Dilma agora nao tem mais muitas alternativas considerando a dificuldade politica atual e falta de uma agenda positiva. Lula a despeito de eu nao gostar dele, pelo menos, parece ter a sensibilidade politica de que se nao ajustar, entraremos num periodo negro.

        Curtido por 1 pessoa

      • Se o Joaquim Levy for anunciado, acredito que embora os juros possam subir um pouco, os FII’s devem ter uma recuperada, visto que as expectativas com a economia irão melhorar, acredito também num teste do Topo Histórico do Ibovespa e um dólar mais barato.

        Com Joaquim Levy, acredito que as empresas voltarão a ter mais confiança para investir e tomar decisões, então acredito que a vacância deve voltar a diminuir ou estabilizar.

        Curtir

  5. FCFL11

    padrão BTG na qualidade das informações….
    retirado do relatório de novembro/2014
    agora ficou tudo explicadinho…
    que saco!!!!

    Mensagem da Administração
    O Locatário Itaú originalmente locou em torno
    de 300 m2 no contrato, que por razões
    técnicas não foi possível de se alcançar,
    utilizando de fato 81.15 m2. Estamos ainda
    ajustando o contrato com o locatário e
    aproximadamente pelos próximos 40 meses
    haverá um abatimento no aluguel proporcional
    ao saldo pago a maior desde o início de sua
    locação como compensação.

    Curtir

  6. Breve comentário sobre fundos sem liquidez.
    Notei que nos últimos dias o SHPH11 está operando praticamente estável a 607 reais. O volume está baixissimo (entre 15 a 30 cotas por dia) e há uma única ordem de compra sendo executada neste valor. As outras ofertas estão bem abaixo. Fora estas compras a 607, foram executadas algumas poucas ordens de venda a 615.
    Ou seja, aparentemente, uma decisão individual (alguém resolveu comprar um volume medio de SHPH11) está segurando o mercado.

    Curtido por 1 pessoa

    • Que beleza de imagem, São Paulo aparentemente despoluído, o Tietê com águas limpas,
      não sei se um dia presenciarei isso, mas se for contemporâneo aos meus filhos ou netos, já apaziguaria minha insatisfação.
      Seria a prova que o homem tem solução.

      Curtir

      • E tem solução sim!
        Basta a chamada “vontade política”. Tecnologia para despoluir o Rio Pinheiro está ai há muito tempo (sim depende da despoluição do Tiête). Basta tratarmos os esgotos ( tecnologia do século XIX), porque a poluição industrial é mínima hoje em dia, e usar mecanismos específicos para conter os detritos carreados pelas águas pluviais (tecnologias do início do século XX).
        São caras? NÃO!! São muito mais baratas que as frequentes dragagens e os malefícios que a poluição causa. Apenas são gastos IMEDIATOS e NÃO SÃO APARENTES por uns 5 anos.

        Notei também uma tecnologia nascente presente na fotografia. Na alça vemos, na pista, as marcações de GUIAGEM AUTOMÁTICA DE AUTOMÓVEIS. Ao entrar na alça o motorista deixa o controle para a “pista” que ajustara velocidade, aderência, etc. Menor número de acidentes, regulação de fluxo e conforto para o motorista.

        Discordo da visão pessimista de que só conseguiremos isso se “os EUA” anexarem o Estado. Inúmeros países de renda média saíram de situações piores que a nossa. É um aprendizado. Já somos melhores que éramos lá no passado. Basta continuar melhorando, sem interrupções que chegamos lá. São Paulo é um desafio e tanto, mas quanto maior o desafio melhores podem ser os resultados. ë uma obra coletiva. Não é o prefeito ou o governador ( escrevo propositadamente em minúscula) que são geram esta vontade política, é o conjunto da população. E, sou otimista, porque tenho visto melhoras em conscientização e educação.

        Bonita foto.

        Curtir

      • Se for daqui 200 anos pode até ser mas o Brasil continua sendo o mesmo de sempre. Exportando minério re comprando bens industrias assim como era nos tempos de colonia.

        Curtir

  7. Pessoal, gostaria de sugestões.

    Na ampliação de minha carteira com os devidos ajustes que julgo importantes preciso iniciar ou aumentar posição em alguns FIIs que julgo estarem baratos hoje.

    Assim, questiono a vocês o que lhes parece mais interessante comprar AGORA, jogando com os preços do HB + Perspectivas :

    a) SDIL e RNGO
    b) SDIL e HGRE
    c) SDIL e AEFI
    d) HGLG e RNGO
    e) HGLG e HGRE
    f) HGLG e AEFI
    g) AEFI e RNGO
    h) AEFI e HGRE

    Obrigado!

    Curtido por 1 pessoa

* Novos Comentários Aqui: (use o botão "Resposta" para comentários antigos)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s