XPML11 – Xp Malls – FII

O objetivo do Fundo é a obtenção de renda por meio da exploração imobiliária dos Ativos Imobiliários, bem como o ganho de capital, mediante a compra e venda de Ativos Imobiliários e a aplicação de recursos, preponderantemente em Ativos Imobiliários.

O Fundo tem prazo de duração indeterminado

Administrador:  BTG

Gestão:  XP

Preço de Subscrição: R$ 100,00 (cem reais) por Cota

Taxa de Administração: 0,95% a.a.

Rentabilidade alvo: 7,00% a.a

O Fundo pretende ter um portfólio diversificado e está negociando empreendimentos que possuam as seguintes características:

(i) empreendimentos já em funcionamento;
(ii) localizados em todo o território brasileiro;
(iii) inseridos em cidades com mais de 250 mil habitantes;
(iv) ABL (Área Bruta Locável) superior a 15.000 m2;
(v) que possuam dados demográficos (potencial de consumo, número de habitantes e renda per capita) em suas respectivas áreas de influência
compatíveis com a ABL (Área Bruta Locável) instalada da região;
(vi) cujo administrador seja renomado nacionalmente, e idealmente que seja também sócio do empreendimento.

Caxias Shopping: 51% (administradora Aliansce)
Parque Shopping Belém: 41% (administradora Aliansce)
Shopping Cidade São Paulo: 8% (administradora CCP)

Anúncios

114 comentários sobre “XPML11 – Xp Malls – FII

  1. Não fecharam a operação com a JHSF… mas é bom ficar atualizado

    Lançamento da plataforma de vendas on-line do Shopping Cidade Jardim

    São Paulo, 24 de Setembro de 2018. A JHSF Participações S.A. (“JHSF” ou “Companhia”) comunica ao mercado o início das operações do “Cidade Jardim On-Line”, a plataforma de e-commerce da JHSF cujo lançamento oficial ocorrerá em 30 de setembro, durante a Semana de Moda de Paris.

    O Cidade Jardim On-Line já está operando pelo site e conta com marcas consagradas como Aquazzura, Emilio Pucci, Giorgio Armani, Omega, René Caovilla, Alexandre de Paris, Trousseau, Cruise, Baletto, Silvia Furmanovich, entre outras. Semanalmente serão adicionadas novas marcas à plataforma.

    A Companhia desenvolveu o Cidade Jardim On-Line, que trabalha integrado aos estoques das lojas, para ampliar a comodidade dos clientes frequentes do Shopping Cidade Jardim, bem como para oferecer a experiência “Cidade Jardim” em todos os estados do Brasil.

    Curtir

    • Dentre os benefícios oferecidos, há garantia de troca de produtos na loja física do Shopping Cidade Jardim, click & collect, parcelamento em até 10 vezes, serviço de private shopper. Estará disponível também o “Same Day Delivery” para pedidos realizados até às 14h e com entrega na cidade de São Paulo.

      Aplicativos para iOs e Android serão disponibilizados em breve além de itens selecionados que serão vendidos diretamente através da “Revista Cidade Jardim” a partir da edição de novembro de 2018.

      Thiago Alonso de Oliveira

      Curtir

      • Obrigado! Olha, acho que o fechamento da nova emissão de aberta para restrita deve ser para fechar este negócio com a JHSF inclusive com aporte considerável da mesma. Veremos! Torcendo para anunciarem logo, com certeza cotas vão valorizar em função da qualidade dos ativos, especialmente o Outlet Catarina (atualmente com vacância zero e com projeto enorme de expansão).

        Curtir

  2. O XP Malls pagou no mês de ago/18 (referente ao resultado de jul/18) um rendimento
    de R$0,43/cota. Em jul/18 os shoppings do Portfólio mantiveram a tendência de
    crescimento dos indicadores operacionais no acumulado do ano.

    Neste mês, além dos efeitos gerados pela Copa do Mundo, que impactaram o varejo em geral, os indicadores
    de Vendas Mesmas Lojas (SSS) e Alugueis Mesmas Lojas (SSR) também foram
    impactados pela elevada base no mesmo mês do ano anterior no Parque Shopping
    Belém, decorrentes da boa performance naquele mês. Em jul/17, foi inaugurada em
    Belém a loja “iPlace”, que, por ser inédita na cidade, teve uma venda muito expressiva
    de R$ 1,5 milhão naquele mês.

    Desde a inauguração, a loja mantém nível excelente de
    vendas, porém não na mesma magnitude de sua inauguração. Com isso, o SSS do Fundo
    em jul/18 foi de -3,8%, assim como o SSR que, em função de um menor aluguel variável
    ocasionado pelas vendas da “iPlace”, também teve resultado de -3,6%.

    Apesar disso, no
    ano os indicadores SSS e SSR acumulam altas de 2,9% e 1,7% respectivamente.
    Outro indicador relevante, o de Vendas Totais, teve alta de 0,8%

    Curtir

    • Perguntas e Respostas

      O Fundo XP Malls possui recursos para uma nova aquisição?

      Após a conclusão do pagamento das aquisições, o XP Malls possuirá aproximadamente R$ 10 milhões de recursos disponíveis, já considerando o valor que ele deverá desembolsar pelas aquisições do Shopping Cidade São Paulo e Caxias Shopping, a serem realizadas nos próximos meses. Desta forma, o caixa disponível para uma nova aquisição é bastante limitado, dado o montante envolvido numa operação de compra de participação em shopping centers.

      Além disso, os shoppings do Portfólio possuem excelentes oportunidades de expansões, principalmente o Parque Shopping Belém (que já iniciou as obras para uma expansão de 5,0 mil m² de ABL, conforme divulgado pela Aliansce Shopping Centers em seu último Press Release de jul/18); e o Caxias Shopping que possui um potencial para expansão que já está sendo estudada para ser feita no ano de 2019.

      As duas expansões são rentáveis e positivas para os respectivos shoppings, em termos de fluxo e de geração de NOI. Com isso, os recursos em caixa do Fundo farão frente às obrigações de pagamento das expansões sem impactar diretamente as distribuições do Fundo.

      Curtir

    • O que gerou o aumento da cota patrimonial do XP Malls no mês de jun/18?

      Os fundos imobiliários no Brasil precisam passar pelo processo de avaliação dos ativos de seu portfólio uma vez por ano. Administradores e gestores de Fundos Imobiliários têm a prerrogativa de decidir em que mês será encerrado o exercício fiscal do fundo, porém, necessariamente há uma data onde será elaborada a Demonstração Financeira Anual do fundo e nesta mesma data será necessária a elaboração de um laudo de avaliação dos ativos imobiliários constantes no fundo.

      No caso do XP Malls o exercício fiscal do Fundo ocorre em junho. Desta forma, em todos os anos, no mês de junho, será feita a reavaliação anual dos ativos e neste momento pode haver uma alteração mais significativa da cota patrimonial do Fundo caso um ativo ou mais do portfólio tenha seu valor alterado de forma mais expressiva.

      Neste ano foi isto que ocorreu com o XP Malls. No mês de junho, a NAI Brazil, 5ª maior consultoria imobiliária do mundo, contratada pelo Administrador do Fundo, realizou a reavaliação anual dos ativos e todos os 3 empreendimentos do XP Malls tiveram aumento em relação ao valor anteriormente atribuído. O destaque destas reavaliações foi o Caxias Shopping que teve seu valor aumentado em mais de 40% quando comparado ao laudo que foi emitido para a aquisição do shopping.

      Da mesma forma, o Parque Shopping Belém foi reavaliado com 13% de aumento em comparação com o laudo de aquisição enquanto o Shopping Cidade São Paulo teve pequena variação positiva de 0,2%. O impacto desta reavaliação nos 3 shoppings gerou o aumento próximo a 19% da cota patrimonial do Fundo em jun/18.

      Curtir

  3. COMUNICADO AO MERCADO DE REVOGAÇÃO DA OFERTA E CANCELAMENTO DO REGISTRO DA OFERTA PÚBLICA DE DISTRIBUIÇÃO DE COTAS DA SEGUNDA EMISSÃO DO XP MALLS FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – FII CNPJ/MF nº 28.757.546/0001-00 Código ISIN: “BRXPMLCTF000”

    Curtir

    • Olha… eu tenho esse FII em carteira, mas vou dizer uma coisa: todos esses fundos da BGT e XP … me dão uma preguiiiiiiiiiiiiiça … só caem; so despencam. E.. advinhem que são os maiores “vendedores”, quando estive com os olhos pregados no homebroker por várias vezes? Sim …. a BGT e XP … corretoras. Tá dificl, tá muuuuito dificil.

      Curtir

    • Esse fundo … Outra questão a observar é … (leia documento “Relatório Gerencial – 30/04/2018″) … a composição do resultado financeiro e a distribuição por cota nos últimos 12 meses, a seguir: (a.) Receita com locação = R$0.21 (b.) Receita LCI e Renda Fixa = 0,41 (c.) Despesas = -R$0,09 .. (e.) Distribuição por cota = 0,51. Notem bem que a receita de aluguel é menos que a METADE da receita de investimentos em títulos, quer dizer, pensa-se que está adquirindo uma participação em aluguel mas na verdade 2/3 dos proventos estão vindo de aplicações financeiras do gestor em PAPÉIS!!! Não sei, não sei … tenho minhas sérias dúvidas quanto à qualidade desse fundo … tipo tijolo ?!?! Advinha quem são os gestores e administradores… assim não dá!

      Curtir

    • Porque não cobrar taxa de ingresso de novos cotistas, nem que sejam míseros % ? Ou melhor, porque não oferecer % de desconto aos cotistas atuais para nova aquisição ? Eu não entendo … se podem simplificar, porque complicam ?

      Curtir

  4. JHSF | Release de Resultados do 2T18

    A JHSF Participações S.A. (ticker: JHSF3), companhia que desenvolve e administra shopping centers e desenvolve incorporações residenciais para clientes de alta renda, comunica seus resultados referente ao segundo trimestre de 2018.

    Release de Resultados 2T18
    Destaques

    Consolidado

    Aumento de 17,6% na Receita Líquida e 12% do Resultado Bruto na comparação entre 2T18 e 2T17;
    Redução de 29,3% nas Despesas Operacionais;
    Ebitda Consolidado Recorrente atingiu R$ 45,9 milhões, melhora de 61,1% em relação ao 2T17;
    Melhora de 10,1 pontos percentuais na Margem Ebitda, versus o 2T17;
    Resultado Líquido de R$ 6,4 milhões, aumento de 77,4% em relação ao 2T17;
    Crescimento de 180 basis points na Margem Líquida, versus o 2T17.

    Shoppings

    Crescimento das Vendas dos Lojistas de 5,4%, destaque para o Shopping Ponta Negra;

    Crescimento de todos indicadores operacionais: SSS +0,3%, SAS +0,9%, SSR +4,8% e SAR +4,4%;

    Crescimento de 140 basis points da Taxa de Ocupação, que alcançou 95,0% (93,7% no 2T17);

    Redução do Custo de Ocupação em 20 basis points, para 10,1% (10,3% no 2T17).

    Curtido por 1 pessoa

    • Aditamento à Carta de Intenções Vinculante para Aquisição de Ativos

      No dia 01 de agosto, a Companhia divulgou a assinatura de aditivo ao Memorando de Intenções datado de 02 de maio de 2018 que trata da aquisição pelo XP MALLS FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – II (“Fundo”) de participações minoritárias em ativos da JHSF Malls.

      Foram superadas determinadas condições precedentes da Transação, tornando-se ela vinculante e não mais sujeita às cláusulas de natureza de Alteração Material de Condições de Mercado e de Market Flex.

      Dentre as condições superadas estão

      (i) o não exercício por parte dos demais condôminos do direito de preferência relativo aos ativos envolvidos na Transação;

      (ii) a conclusão da diligência financeira e operacional;

      (iii) definição dos termos da participação do XP Malls nas expansões futuras dos ativos objeto da Transação;

      (iv) a definição do preço, o qual ficou estabelecido em R$641,5 milhões, não estando mais sujeito a ajuste.

      Curtir

    • Conforme divulgado ao mercado pelo XP Malls, ocorreu o protocolo do cancelamento da Oferta 400 perante a CVM, será realizada nova oferta de cotas para captação de recursos para conclusão da Transação, nos termos da Instrução CVM n° 476, no volume de até R$450 milhões, que será distribuída pela XP Investimentos Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Mobiliários S.A. (“XP investimentos”) na qualidade de coordenador líder, nos termos da Instrução CVM n° 476 no volume de até R$450 milhões, em regime de garantia firme para o montante de R$ 50 milhões e melhores esforços de colocação para o montante restante (“Oferta 476”), sendo que a JHSF Malls manifestou interesse em integralizar volume adicional ao da garantia firme da XP investimentos de R$150 milhões, nos termos do aditamento à Carta de Intenções Vinculante celebrado nesta data, e, será realizada securitização de recebíveis oriundos da Transação, no volume de até R$300 milhões.

      Curtir

    • VENDAS LOJISTAS
      Crescimento de 5,4% no consolidado destaque para o desempenho do Shopping Ponta Negra e Shopping Cidade Jardim.

      CUSTO DE OCUPAÇÃO
      Custo de ocupação consolidado atingiu 10,1%, ou 0,2 p.p. menor do que no 2T17.

      TAXA DE OCUPAÇÃO
      Taxa de ocupação consolidada atingiu 95,0%, uma melhora de 1,3 p.p. versus o 2T17.

      FLUXO DE PESSOAS
      O fluxo consolidado de pessoas teve um crescimento de 8,8%, destaque para o Shopping Bela Vista, o qual foi visitado por quase 3 milhões de pessoas e para o Shopping Ponta Negra.

      SSS, SAS, SSR e SAR
      Durante o 2T18 tivemos eventos como greve dos caminhoneiros e Copa do Mundo de Futebol, que impactaram diretamente o fluxo de pessoas nos Shoppings, contudo, todos indicadores operacionais de venda e aluguel tiveram performance positiva na comparação com o 2T17. Importante mencionar que a Companhia adota, constantemente, ações para tornar seus shoppings mais atrativos para os lojistas e para o público, com incremento no mix de lojas e realizações de eventos sazonais.

      Curtir

  5. XP explicando do pq do rendimento ruim. Custo de carta consulta? R$14,00 por cotista. Vixeee..

    ” O custo da Carta Consulta foi
    próximo a R$ 14,00 por cotista, referente a serviços gráficos e postagem das cartas, e o impacto no Fundo foi de R$ 0,05/cota.
    Em jun/18 foi feito um ajuste contábil referente a resgate de aplicações de Renda Fixa. Este ajuste, da ordem de R$ 45 mil, diminuiu o
    resultado de receita financeira do Fundo, representando R$ 0,02/cota.
    Por ser o final do semestre, o Fundo precisou ajustar uma distribuição a maior realizada em jan/18, primeiro mês de vida do XP Malls,
    onde ainda estavam sendo realizados ajustes na contabilidade e reconhecimento das receitas. Com isso, foi necessário diminuir a
    distribuição em jun/18 em valor próximo a R$ 0,07/cota.
    Por último, o Fundo detém participação no Parque Shopping Belém via uma SPE que têm gerado ineficiência da ordem de R$ 0,07/cota.”

    Curtido por 1 pessoa

  6. xiii…moiô a emissão

    ” vêm a público comunicar ao mercado
    a solicitação à CVM, nesta data, de revogação da Oferta e, consequentemente, o cancelamento do registro da Oferta concedido pela CVM em 14 de junho de 2018 sob o nº CVM/SRE/RFI/2018/019, em razão de condições de mercado desfavoráveis.”

    Curtir

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s