PLRI11 – Fundo Polo

O fundo Polo foi constituído como condomínio fechado, sem prazo definido e está sob a administração do Citibank DTVM.

PLRI11

É também um FII de Papel e que pode investir em CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários), Cotas de FII, LCI (Letras de Crédito Imobiliário) e LH (Letra Hipotecária).

Seu objetivo é obter retorno superior ao rendimento de IGPM + 8% em períodos acima de 1 ano.

Data de Início 03/11/2011
Aplicação Negociação via Bovespa (código: PLRI11)
Classificação ANBID Fundos de Investimento Imobiliário
Classificação CVM Fundos de Investimento Imobiliário

O portfólio do Polo FII I é primordialmente alocado em tranches subordinadas de CRIs lastreados em recebíveis imobiliários pulverizados. A priori, a carteira focará em CRIs emitidos pela Polo Securitizadora, embora não haja exclusividade.

Em geral, as securitizações de recebíveis pulverizados da Polo Securitizadora ocorrem à razão de 80% sênior, e 20% subordinado para um mesmo pool de ativos. Os CRIs subordinados, em geral, são adquiridos pelo Polo FII I .

Exclusivamente Investidores Qualificados conforme definição da Instrução CVM 409/2004.

Início da distribuição do Fundo: 28 –Out 2011
Encerramento da distribuição do Fundo: 03- Nov 2011
Gestor: Polo Capital Gestão de Recursos Ltda.

Fundos de Investimento Imobiliário - FII 
Fundo Quantidade Valor (R$) 
PORD11 22.258,00 2.270.316,00 
Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) 
Companhia Emissão Série Quantidade Valor (R$)
OCTANTE SECURITIZADORA S.A. 1º 02º 45 8.003.004,71
OCTANTE SECURITIZADORA S.A. 1º 03º 16 7.334.226,67
OCTANTE SECURITIZADORA S.A. 1º 05º 9 2.440.257,56
POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A 1º 05º 62 3.796.029,00
POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A 1º 12º 27 3.708.191,48
POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A 1º 13º 29 20.326.534,20
POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A 1º 17º 12 4.550.975,88
POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A 1º 22º 12 4.309.360,52
POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A 1º 25º 13 3.240.574,97
POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A 1º 28º 13 3.302.151,48
POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A 1º 31º 9 1.361.138,77
POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A 1º 32º 11 2.104.288,18
POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A 1º 34º 2 281.187,91
POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A 1º 35º 10 1.921.329,93
POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A 1º 38º 7 2.036.113,32
POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A 1º 41º 9 2.487.320,91
POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A 1º 43º 23 5.071.116,10
POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A 1º 45º 7 2.101.157,99
POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A 1º 47º 20 5.026.469,94
POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A 1º 48º 9 2.541.800,16
POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A 1º 50º 17 5.016.057,55
POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A 1º 55º 31 9.963.782,74
Fundo Quantidade Valor (R$) 
BRADESCO FI REFERENCIADO DI FEDERAL EXTRA 577.034,49 5.976.013,59

Taxas:
Administração: 1,00%a.a. sobre patrimônio liquido (mínimo R$ 15.000,00 mensais corrigido pelo IGPM).
Gestão e custodia já incluídos na taxa de administração.
Performance: equivalente a 20% sobre valorização da cota que exceder a variação do IGPM+8%a.a..

RI: ger2.fundos@oliveiratrust.com.br

Anúncios

106 comentários sobre “PLRI11 – Fundo Polo

  1. Agora é pra valer!!!

    RENDIMENTOS
    Data-base (último dia de negociação “com” direito ao provento) 30/11/2017
    Data do pagamento 07/12/2017
    Valor do provento por cota R$ 0,39
    Período de referência NOVEMBRO/2017

    AMORTIZAÇÃO PARCIAL
    Data-base (último dia de negociação “com” direito a amortização) 30/11/2017
    Data do pagamento 07/12/2017
    Valor do provento por cota R$ 7,38
    Período de referência NOVEMBRO/2017

    Curtido por 1 pessoa

      • Manuel, essa é uma pergunta que somente você poderá responder!

        Faça uma análise cuidadosa, pondere bem, e veja sua situação, não se desespere e tente entender o processo, tem outros fundos que estão nessa situação também, procure conhecê-los.

        Quanto as amortizações, basta você ir deduzindo de seu Preço Médio, lembre-se que esse dinheiro é seu capital investido e não rendimento, ok!

        Na aba, ai em cima no ABC dos FII’s, tem tópicos que falam sobre isso, mas se tiver dúvidas é só perguntar que a “gente” ajuda.

        Abraços e bons investimentos,

        Curtir

      • Manuel, se vc comprou abaixo do VP, o FII vai amortizar o valor do VP, então, sugestão é ir recebendo aos poucos.

        Se você comprou acima do VP, a decisão é quando será o melhor momento para você perder menos!

        Uma dúvida que tenho é como recolher IR no ganho de capital, caso haja, quando compramos abaixo do valor que irão devolver homeopaticamente (amortização!!!)

        Curtido por 1 pessoa

      • Gilvan, boa questão!

        Você vai amortizando conforme o fundo vai sendo encerrado, por exemplo, um cara que aproveitou as quedas que ocorreram em 2016 (em 2017 também) e que conseguiu um VM de cerca de R$ 90/cota, ou seja, bem abaixo do VP.

        Assim cada real que entre ele vai amortizando em seu VM, ai daqui alguns meses suponhamos que o fundo já tenha amortizado uns R$ 80/cota, seu VM passaria a ser de R$ 10/cota, dai ocorre uma nova amortização ou liquidação que seja superior a R$ 10, suponhamos R$ 20, ele passaria a recolher IR de 20% sobre a diferença (Lucro), se o cara possuir prejuízos a compensar de vendas anteriores de Fii’s, poderia utilizar para abater a diferença. Senão teria que recolher o DARF normalmente e pagar o IR devido.

        Curtido por 1 pessoa

    • Caraca…. só eu perguntei pro RI ou só eu sou “bobo” de compartilhar?

      Prezado S xxx,

      Seguem as respostas:

      1- qual o cronograma estimado de amortização do fundo até a data do encerramento do fundo (datas e valores mensais)? Existe pelo menos uma estimada baseada nos ativos do fundo e a taxa negociada?

      O fundo irá amortizar via regime de caixa, de acordo com os recebimentos que forem sendo realizados pelos seus ativos. Não existe estimativa neste momento.

      2- como fica a situação do fundo quando terminar a amortização, uma vez que o fundo conta com outros ativos em sua carteira (pord11)?

      Os ativos da carteira serão monetizados ao longo do período de amortização do fundo, inclusive as cotas do PORD11, conforme oportunidades.

      Permanecemos à disposição.

      Curtido por 2 pessoas

      • Ghuerren, vc não é bobo não, é um “privilegiado”. Eu mandei email, liguei e não me responderam. Nas ligações deixei recado para falar com a Nicole mas sem retorno. Enfim, há alguns meses, antes da assembleia, eu consegui falar com ela e a explicação é que uma família, com 35% (por aí) das cotas estava precisando de liquidez e não tinha interesse em ficar na renda com o PLRI11. Como, para esse valor não tem liquidez a preços aceitáveis, exerceram o direito de convocar a AGE e apresentaram a proposta de liquidação. Obrigado por compartilhar.
        TDKZÉ eu fiz as mesmas contas que vc postou acima. Meu PM é um pouco acima do VP mas tenho compensaçõa de prejuízo de outro FII de 2016 e portanto vou usar o “ganho de capital por amortização forçada” para quitar esse saldo compensável, até por que, por favor corrija-me se estiver errado, o saldo compensável não corrige pela SELIC.

        Curtido por 1 pessoa

      • Zippo57, se seu PM for maior que o VP, não se preocupe com compensações, muito provavelmente vc receberá todas as amortizações e ainda ficará com um saldo de seu PM que poderá ser lançado como prejuízo para futuras compensações e não o contrário.

        Mas claro, se acontecer de aparecer alguma boa oportunidade de venda ou de compra tudo pode mudar, eu mesmo me arrependi por não ter liquidado quando tive oportunidade (nem passava pela minha cabeça que o fundo poderia ser liquidado, achava é que ocorreriam novas emissões para aumentar de tamanho. Acabei comprando um pouco mais no mês passado, o segredo é ir acompanhando o mercado.

        Curtir

    • É Tetzner, enquanto uns crescem, outros sucumbem!

      Irá acabar aos poucos até 2024, quando vencem os últimos papéis, claro que podem ser liquidados antes!

      Agora como fica o fato do fundo possuir cotas do PORD, outro fundo de papéis da Polo, e esse, pelo menos por enquanto não tem comunicado de encerramento?

      Minha posição é mínima aqui, por teimosia e por não ter conseguido vender tudo de uma vez, alguns meses atrás, mas estou em dúvida se liquido tudo ou se faço mais aportes (abaixo do VP), se a cota continuar despencando, mesmo porque a quantidade de gente querendo vender está imensa no book.

      Alguém mais acompanha(va) esse papel?

      Eu o achava arriscado, mas seus resultados eram muito bons, apesar das taxas de performance!

      Curtido por 2 pessoas

      • A renda cai e a “sardinhada” foge…

        Data-base (último dia de negociação “com” direito ao provento) 31/10/2017
        Data do pagamento 08/11/2017
        Valor do provento por cota R$ 0,45
        Período de referência OUTUBRO/2017

        Curtir

  2. Resultado do fundo no exercício findo

    O resultado do fundo ficou dentro do esperado, em R$ 18.805,00, tendo inclusive superado o seu benchmark.

    Conjuntura econômica do segmento do mercado imobiliário de atuação relativo ao período findo

    Os CRI’s emitidos no Brasil têm remunerado os investidores com um prêmio em relação aos índices de inflação, em particular o IGP-M.

    Este prêmio guarda relação com as remunerações previstas nos contratos de financiamento imobiliário que usualmente lhes servem de lastro. Os prazos geralmente longos dos CRI e o fato do CRI ser um instrumento de investimento relativamente novo, tendo sido criado em 1997, também contribuem para existência deste prêmio, que tende a servir como fator de atração para todos os potenciais investidores.

    Curtir

    • A securitização de recebíveis imobiliários no Brasil é um mercado crescente dentro de um cenário favorável de aumento da demanda por financiamento por parte de incorporadoras, construtoras, loteadoras. Este desenvolvimento tem como uma base uma série de fatores, incluindo:

      (i) a instituição do Sistema de Financiamento Imobiliário e aprimoramento do arcabouço legal;

      (ii) aumento da necessidade de financiamento do setor imobiliário e

      (iii) atratividade destes títulos por parte dos investidores.

      Perspectiva para o período seguinte com base na composição da carteira

      A perspectiva do Gestor e do Administrador para o período seguinte é ainda promover substituições pontuais na carteira de CRI investidos, além de manter a política de distribuição de resultados e amortização de cotas.

      Curtir

  3. FII POLO I (PLRI) Esclarecimentos de consulta B3 / CVM

    vem pela presente, em respeito ao Ofício B3 206/2017 – SAF/GAFI, comunicar, para fins de orientação, aos Quotistas do Fundo e ao Mercado os itens objeto dos questionamentos e suas respectivas respostas, conforme abaixo:

    (i) Se a cisão parcial implicará na redução do número de cotas. Em caso afirmativo, informar qual será a proporcionalidade e o tratamento a ser dispensado às frações de cotas.

    A cisão proposta como alternativa pelo Gestor implicará na criação de um novo fundo imobiliário, razão pela qual o Polo FII – I apresentará redução do número de quotas e também de seu Patrimônio Líquido, sendo certo que o Patrimônio Líquido imputado ao novo fundo terá o mesmo valor que o Patrimônio Líquido efetivamente cindido do Polo FII – I. Este novo fundo terá quantidade de quotas e valor patrimonial por quota a serem definidos posteriormente.

    Curtir

    • (ii) A base a ser considerada para operacionalização da cisão (levar em consideração a obtenção do registro do novo fundo na CVM e sua listagem na B3).

      A base a ser considerada para a operacionalização da cisão, levando em conta a obtenção do registro do novo fundo na CVM e sua listagem na B3 será, a priori, a de 31 de dezembro de 2017, podendo ser alterada por deliberação dos investidores em sede de Assembleia Geral Extraordinária de Quotistas, a ser realizada no próximo dia 11 de outubro de 2017, às 10:00, na Avenida das Américas, n.º 3434, bloco 07, sala 201, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro/RJ (“AGQ”).

      (iii) Encaminhar laudo de avaliação do patrimônio a ser cindido.

      A cisão será discutida e deliberada na AGQ, podendo ou não ser aprovada pelos quotistas. Desta forma, caso aprovada, os quotistas poderão optar pela continuação no Polo FII – I ou pela migração para o novo fundo. A parcela do Patrimônio a ser cindida dependerá da opção de cada um dos quotistas sobre em qual veículo desejará investir e/ou manter investimento. Isto posto, não é possível, neste momento, definir qual será o percentual a ser cindido.

      Desta forma, e considerando a natureza dos ativos integrantes do portfólio do Fundo (majoritariamente Certificados de Recebíveis Imobiliários (“CRI”) e quotas de outros fundos de investimento), a priori não caberá a elaboração de laudo de avaliação, sendo certo que as condições definitivas referentes à cisão serão posteriormente informadas, se aprovado este item na referida AGQ.

      Curtir

    • (iv) Outras informações que julgarem ser importantes.

      Cumpre informar, que a realização da AGQ foi solicitada por quotista que detém mais de 5% (cinco por cento) das quotas em circulação do Polo FII – I, com a finalidade de encerrar o período de reinvestimento do Fundo.

      Desta forma, o Gestor propôs, alternativamente, o evento de cisão, para que o Polo FII – I prossiga com as atividades de reinvestimento e que o novo fundo (parcela cindida) atenda ao objetivo dos quotistas que desejarem cessar o período de reinvestimento.

      Se a cisão for aprovada pela maioria dos presentes e por votos que representem, no mínimo, 25% das quotas emitidas, será divulgado o devido Fato Relevante informando as deliberações e os demais procedimentos e prazos definidos em AGQ para a migração dos quotistas ao novo fundo ou sua permanência no Polo FII – I, que indicará como poderão se manifestar dentro de um determinado prazo para escolher em qual dos fundos desejarão alocar seus recursos, ressaltando que a migração só poderá ser operacionalizada uma vez concluído o registro do novo fundo na CVM e sua listagem na B3, e que os respectivos Patrimônios de cada fundo só serão definidos após a decisão dos quotistas.

      Permanecemos à disposição para eventuais esclarecimentos que se fizerem necessários.
      Rio de Janeiro, 26 de setembro de 2017.

      Curtir

  4. POLO FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS I – FII
    CNPJ 14.080.689/0001-16
    Código ISIN nº BRPLRICTF000

    Código de Negociação na BM&FBOVESPA “PLRI11”

    PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

    OLIVEIRA TRUST DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A., inscrita no
    CNPJ/MF sob o n.º 36.113.876/0001-91, na qualidade de administrador (“Administrador”), em conjunto com
    POLO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA., inscrita no CNPJ/MF sob o n.º 05.451.668/0001-79,
    na qualidade de gestor (“Gestor”) do POLO FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIARIO –
    RECEBIVEIS IMOBILIARIOS I – FII (“Polo FII – I” ou “Fundo”), inscrito no CNPJ/MF sob o n.º
    14.080.689/0001-16, realizarão Assembleia Geral Extraordinária de Quotistas do Fundo, no dia 11 de
    outubro de 2017, às 10:00 horas, na Avenida das Américas, n.º 3434, bloco 07, sala 201, Barra da Tijuca,
    Rio de Janeiro/RJ, CEP 22640-102,

    a fim de deliberar sobre o não reinvestimento do capital do Fundo em
    novas operações, tendo em vista a solicitação de quotista detentor de mais de 5% (cinco por cento) das
    quotas em circulação e, em respeito ao Ofício B3 206/2017 – SAF/GAFI, reapresentam a presente Proposta
    da Administração a fim de contemplar os pontos expostos no Comunicado ao Mercado divulgado nesta data.

    Curtir

    • Haja vista o disposto acima, o Gestor propõe:

      (i) A reprovação do item da ordem do dia proposto por quotista titular de mais de 5% (cinco por cento) das
      quotas em circulação, mantendo a estrutura atual do Fundo que prevê o reinvestimento do seu capital em
      novas operações.
      O objetivo de tal proposição é a manutenção da perenidade pretendida para a operação quando de sua
      estruturação, evitando a futura liquidação em caráter antecipado, haja vista a indeterminação de seu prazo de
      duração, em função da eventual aprovação da proposta de vedação ao reinvestimento do capital apresentada
      pelo quotista.

      Curtir

    • (ii) Alternativamente, o Gestor propõe a aprovação da cisão do Polo FII – I, de forma a acomodar o objetivo
      de investimento de quotistas que desejam manter o reinvestimento do principal, bem como daqueles que dão
      preferência ao fim do período de reinvestimento.

      Não obstante ao acima proposto, cumpre ressaltar que:
      (a) a cisão proposta como alternativa pelo Gestor, caso aprovada, implicará na criação de um novo fundo,
      razão pela qual o Polo FII – I apresentará redução do número de quotas e também de seu Patrimônio
      Líquido, sendo certo que o Patrimônio Líquido imputado ao novo fundo terá o mesmo valor que o
      Patrimônio Líquido efetivamente cindido do Polo FII – I. Este novo fundo terá quantidade de quotas e valor
      patrimonial por quota a serem definidos posteriormente.

      (b) a base a ser considerada para a operacionalização da cisão, levando em conta a obtenção do registro do
      novo Fundo na CVM e sua listagem na B3 será, a priori, a de 31 de dezembro de 2017, podendo ser alterada
      na própria Assembleia Geral Extraordinária de Quotistas, dependendo das deliberações dos quotistas;

      (c) a cisão será discutida e deliberada na Assembleia Geral Extraordinária de Quotistas, podendo ou não ser
      aprovada. Desta forma, caso aprovada, os quotistas poderão optar por continuar investindo no Polo FII – I ou
      pela migração para o novo fundo. O Patrimônio cindido, portanto, dependerá da opção de cada um dos
      quotistas sobre em qual veículo deseja investir e/ou manter investimento. Isto posto, não é possível, neste
      momento, definir qual será o percentual sobre o Patrimônio Líquido a ser cindido.
      Desta forma, e considerando a natureza dos ativos do Fundo (majoritariamente Certificados de Recebíveis
      Imobiliários – CRI e quotas de outros fundos de investimento), a priori não caberá, neste caso, a elaboração
      de laudo de avaliação do Patrimônio cindido, sendo certo que as condições definitivas referentes à cisão
      serão posteriormente informadas, se aprovado este item na Assembleia Geral Extraordinária de Quotistas.

      (d) a Assembleia Geral Extraordinária de Quotistas foi solicitada por um quotista que detém mais de 5%
      (cinco por cento) das quotas em circulação do Polo FII – I, com a finalidade de finalizar o período de
      reinvestimento do Fundo. Desta forma, o gestor propõe, alternativamente, a cisão do Fundo para que o Polo
      FII – I prossiga com as atividades de reinvestimento e que o novo Fundo (parcela cindida) atenda ao objetivo
      dos quotistas que desejarem cessar o período de reinvestimento.

      Curtir

    • Se a cisão for aprovada pela maioria dos presentes e por votos que representem, no mínimo, 25% das quotas
      emitidas, será divulgado Fato Relevante informando as deliberações e os demais procedimentos e prazos
      definidos em AGQ para a migração dos quotistas ao novo Fundo ou sua permanência no Polo FII – I,
      indicando como poderão se manifestar dentro de um prazo determinado para indicar em qual Fundo desejam
      alocar seus recursos, ressaltando que a migração só poderá ser operacionalizada uma vez concluído o registro
      do novo fundo na CVM e sua listagem na B3, e que os respectivos Patrimônios de cada Fundo só poderão ser
      definidos após a decisão dos quotistas.

      Por fim, cabe ressaltar que a Assembleia Geral Extraordinária de Quotistas supra mencionada se instalará
      com a presença de qualquer número de Quotistas, nos termos do Art. 19 da Instrução CVM n.º 472/2008 c/c
      o Art. 70 da Instrução CVM n.º 555/2014, e suas deliberações deverão ser tomadas por quórum qualificado
      de no mínimo 25% (vinte e cinco por cento) das Quotas emitidas pelo Fundo, a teor do Art. 18, inciso XII c/c
      Art. 20, inciso I, ambos da Instrução CVM n.º 472/2008.

      Rio de Janeiro, 26 de setembro de 2017.

      Curtir

    • Se não houver reinvestimento, o principal também volta como lucro ou só por amortização ?
      Bom, claramente o referido cotista(s) está precisando se capitalizar, e isso deve afetar a renda por redução patrimonial, correto ? Enfim, o sardinha para e pensa: Hum….. o valor patrimonial é de aprox. R$105, o mercado negocia a R$114, por que é que eu vou continuar neste fundo para ser amortizado a R$105 se posso me desfazer a R$114?
      Completem a frase (rsrsr). O sardinha esta errado porque ……

      Curtido por 1 pessoa

    • No caso deste FII, acredito que isso valeu para qdo o fii foi lançado. Agora, como está sendo negociado em bolsa (não é fechado), nós mortais podemos comprar até mesmo uma cota.
      Especificamente qto ao plri11, sou sócio não qualificado desde 2010 se não me engano…

      Curtido por 1 pessoa

      • Bom saber 🙂 Foi o caso do KNCR, ele também é do tipo para Investidores Qualificados e eu consegui comprar uma cota dela, só para aprender na prática como funciona os FIIs. Aí depois que fui descobrir que era pra Investidores Qualificados.

        Curtir

    • comunicam aos quotistas do Fundo
      e ao mercado que o montante a ser distribuído a título de rendimento em Setembro de 2017 (mês de competência
      agosto/2017) é substancialmente superior ao montante mensal habitualmente pago, em razão de fato extraordinário e
      não recorrente, tratando-se de operação realizada que reconheceu lucro (regime de caixa) em certos CRIs subordinados
      que eram detidos pelo Fundo.
      Adicionalmente, em função de avaliação de risco de crédito realizada em conjunto entre o Administrador e o Gestor do
      Fundo, foram registradas Provisões para Devedores Duvidosos em relação aos CRIs 13C0017641 e 12E0019366, que
      resultaram em redução do patrimônio líquido.

      Curtir

    • O resultado líquido destes dois eventos foi uma queda no Patrimônio Líquido do Fundo de aproximadamente 1,67%
      (um vírgula sessenta e sete por cento).
      Maiores detalhes e características dos CRIs ora citados poderão ser encontrados nos informes periódicos do Fundo,
      disponibilizados nos websites do Administrador e da B3, ou mediante solicitação diretamente ao Administrador e a
      Gestora.
      Por fim, informamos que o Fundo, seguindo as recomendações da Gestora, vem tomando todas as medidas necessárias
      e adequadas a preservação dos seus direitos e interesses em relação aos CRIs ora citados.
      Sendo o que nos cabia para o momento, ficamos à disposição para eventuais esclarecimentos

      Curtir

  5. Objetivo de fundo: Obter retorno
    superior ao rendimento de IGPM +
    8% em períodos acima de 1 ano.

    Público alvo: Investidores
    qualificados.
    Taxa de Administração: 1,0% aa

    Taxa de Performance: 20,0% do
    que exceder IGPM + 8% paga até
    o 10º dia útil dos meses de Julho e
    Janeiro

    Curtir

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s