HGRE11 – CSHG Real Estate

O CSHG Real Estate FII tem como objetivo auferir ganhos pela aquisição, para exploração comercial, de imóveis com potencial geração de renda, predominantemente lajes corporativas.
hgre11
Fundo Imobiliário criado sob regime de condomínio fechado, com prazo Indeterminado de duração e administrado pelo CSH Griffo; classificado como sendo um fundo do tipo Tijolo e enquadra-se na segmentação Escritórios, sendo um FII Multi Empreendimento e Multi Inquilino.

O CSHG Real Estate FII tem como objetivo auferir ganhos pela aquisição, para exploração comercial, de imóveis com potencial geração de renda, predominantemente lajes corporativas.

O Fundo tem participação em 190 unidades locáveis, localizadas em 21 empreendimentos distintos, totalizando 157 mil m² de área privativa e 55 contratos de locação.

Uma das principais estratégias de captura de valor do CSHG Real Estate FII é a reciclagem da carteira imobiliária. A Administradora está constantemente atenta às oportunidades de mercado e busca extrair resultado não somente com as locações dos imóveis, como também com revitalizações, expansões e vendas.

Início das atividades: Maio de 2008
Administradora: CSHG Corretora de Valores S.A.
Escriturador: Itaú Unibanco S.A.
Ofertas concluídas: 7 emissões de cotas realizadas
Taxas: Administração: 1,0%a.a. sobre patrimônio liquido.

RI: list.imobiliario@cshg.com.br

Tutor do FII: Digo11

Anúncios

744 comentários sobre “HGRE11 – CSHG Real Estate

  1. Do relatório de abril. Luz no fim do túnel? Uma lanterninha de escoteiro, mas é uma luz…… 🙂

    “A carteira de imóveis do Fundo encerrou o mês de abril com 24,3% de
    vacância financeira e 29,9% de vacância física. A redução da vacância
    ocorreu em função da locação do 12º andar do Ed. Roberto Sampaio
    Ferreira para a Óbvio Brasil (Grupo Reclame Aqui), andar que estava vago
    desde maio de 2014”.

    Curtido por 2 pessoas

  2. No Relatório Mensal de Março de 2017 informa que eles tiveram uma receita total em Janeiro a Março de 2017 de 26MM e Despesas total de 5MM, ou seja, um resultado positivo de 21M. Vi que alguns comentam que eles estão queimando caixa. Como pode isso ser possível? Em que relatório vocês veem isso? Isso pode ser identificado no informativo mensal?

    Curtir

    • Rodrigo,

      Pelos relatórios você consegue chegar na renda renda real ou algo bem próximo, desconta as despesas e divide pelo número de cotas e chega na renda real por cota. Compara com o que estão distribuindo e tem a diferença.

      Como isso é possível? Vende um imóvel aqui… Distribui um CRI acolá… faz uma emissão nova…. e por ai vai.

      É sempre bom tentar entender de onde vem aquela renda que pinga nas nossas contas todo mês.

      Abraços.

      Curtido por 1 pessoa

    • O resultado foi de 20,4 MM e o rendimento de 21,8 MM… então sim, houve “queima de caixa”, não que seja a coisa mais importante do mundo, pontualmente falando. Lembrando que consegue realizar isso por ter R$ 10,4 MM (Mar-17) de Resultado acumulado não distribuído.

      Curtir

  3. Data da informação 28/04/2017
    Data-base (último dia de negociação “com” direito ao provento) 28/04/2017
    Data do pagamento 15/05/2017
    Valor do provento por cota (R$) 9,4

    Curtir

  4. CSHG REAL ESTATE – FII (“Administradora” e “Fundo”, respectivamente).

    PRESENÇA: Cotistas do Fundo (“Cotistas”), conforme assinaturas na lista de presença, representando 21,06% das cotas emitidas pelo Fundo, bem como representantes da Administradora.

    CONVOCAÇÃO: Realizada mediante envio de correspondência e/ou correio eletrônico a cada Cotista.

    MESA: Aberta a Assembleia pelo Sr. Bruno Laskowsky, diretor da Administradora, foi lida a convocação e submetida à votação a indicação do mesmo para presidir a Assembleia e da Sra. Amanda Colturato para secretariar os trabalhos, sendo as indicações aprovadas por unanimidade.

    ORDEM DO DIA: Deliberar sobre a aprovação das contas e demonstrações financeiras do Fundo referentes ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2016.

    DELIBERAÇÕES: Excluídas as abstenções, os cotistas deliberaram, por unanimidade dos votantes na Assembleia, pela aprovação das contas e demonstrações financeiras do Fundo referentes ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2016.

    Os cotistas CSHG LOGISTICA FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – FII, inscrito no CNPJ sob n° 11.728.688/0001-47 e CSHG RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS – FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – FII, inscrito no CNPJ sob n° 11.160.521/0001-22, presentes à Assembleia se declararam em conflito de interesses com a matéria objeto da deliberação e, portanto, abstiveram-se de votar.

    ENCERRAMENTO: Nada mais havendo a ser tratado, o Sr. Presidente suspendeu a Assembleia pelo tempo necessário para a lavratura da presente ata, a qual depois de lida e aprovada foi assinada pelo Presidente da Mesa e pela Secretária, e a Assembleia teve seu encerramento às 09:37 horas

    Curtir

    • Tetz,muito obgdo! Poderia colocar esta tabela no resumo do fundo ,no alto da página?
      Então agora falta detalharmos o valor do aluguel médio em cada laje…pois nos relatórios só em em porcentagem em relação aos demais …para aí sim sabermos se encontra dentro ou fora da média da região …vou tentar tirar estas informacoes da Griffo…mas ,como sabe,não será fácil rs
      Por exemplo no Delta Plaza,a média ,geral do edifício,é de R$95/m2 e não sabemos qto está ,especificamente ,nas lajes do Hgre lá…

      Curtido por 2 pessoas

      • Opa show de bola Digo11

        quanto mais perguntarmos e pesquisarmos, mais informações obtemos e mais consciente se torna o investimento!

        momento bom pra testar o RI na nova gestão, vamos ver se isso melhora tb kkk

        Curtir

      • já atualizei a ficha, achei melhor tirar ao invés de colocar, porque a ficha é pra ser um resuminho rápido

        e minha tabela não é informação oficial da Griffo

        assim que eles publicarem no relatório eu fixo sim

        o que tiver de mais atual tem que vir aqui nos comentários e isso você como Tutor do FII está fazendo e muito bem

        aliás é um prazer, uma satisfação nossos debates 😀

        Curtido por 1 pessoa

    • Aproveitando pra Trocar o aluguel médio ,lá em cima,pra $71/m2 .Trocar pra 190 unidades locáveis em 21 empreendimentos ,157 mil m2 de área…e 55 contratos de locação ,pois vendeu ALGUMAS,não muitas 🙂

      Curtir

  5. HGRE(março):
    1)A procura por espaços começa a apresentar sinais de maior atividade, algo que já começaram a perceber no portfólio.
    O mercado imobiliário corporativo de São Paulo,aconteceu um acentuado desequilíbrio entre a oferta e a demanda, de forma que a taxa de vacância subiu consistentemente nos últimos três anos.No cenário atual, ainda que esteja no pico da vacância do mercado, a dinâmica comercial está melhor, com esforços comerciais menores, já que os espaços vagos estão distribuídos em um número maior de edifícios.
    2)o Fundo encerrou o mês de março-17 com 24,6% de vacância financeira(pra quem gosta de “comprar vacância”)e 30,3% de vacância física.
    NENHUMA NOVIDADE ,pois a desocupação da Pepsico no Ed. Verbo Divino,já era conhecida.
    3)NOVIDADE,isso sim,foi ,ainda no mês de março, ocuparem 94,0% da área do Paulista Star (aquele do retrofit),mesmo que por único inquilino ,conforme descrito abaixo,mostra q gostaram do resultado da obra e valoriza mais ainda o ativo.
    4)Atualmente, a equipe de gestão mostra como foco prioritário a prospecção de novos locatários e redução da vacância, com a adoção de agressiva estratégia de acompanhamento comercial com agilidade na negociação com locatários,com esforço maior em três imóveis em que existe vacância elevada:Ed. Verbo Divino, Teleporto e Centro Empresarial Dom Pedro.
    5)Os esforços de reciclagem da carteira de imóveis,diz a gestão ,ocorrerão com maior esforço para os ativos que possam reduzir a vacância do portfolio e ativos com baixo alinhamento estratégico.
    6)o Fundo possui aproximadamente R$ 9,9 milhões em resultados acumulados e não distribuídos(“acruados” ou “caixa”,como preferir)
    7)Houve um erro de digitação do relatório deste mês,pois o distribuído foi de $6,94 milhões,portanto,
    8)R$1 milhão de “Gap” ou 10 meses de “sustentação”da distribuição ,levando em conta a contabilidade de março,fora os rendimentos das LCIs.
    Enfim,tempo pra esperar a tal recuperação ,que já desponta ,da destruição que proporcionaram à nossa economia.
    Bola pra frente!

    Curtir

  6. Do relatório do mes de março: noticia positiva sobre a ocupação do Paulista Star

    A carteira de imóveis do Fundo encerrou o mês de março-17 com
    24,6% de vacância financeira e 30,3% de vacância física. Durante
    o mês de março, ocorreu a desocupação da Pepsico no Ed. Verbo
    Divino, com a qual a vacância financeira teria atingido 27,6%, no
    entanto, ainda no mês de março o Fundo firmou aditivo de locação em
    março com a Admix (grupo AON) aumentando a ocupação no Paulista
    Star e incluindo as áreas da loja, sobreloja, 1º, 2 º e 3º andares, assim, a
    Admix passou a ocupar 94,0% da área do Prédio

    Curtir

    • Chico64

      legal que tenha ocupado, mas já vimos que concentração do prédio na mão do inquilino único não é muito bom

      pelo momento do mercado e do FII, boa notícia mas pode levar à uma revisão de valores mais pra frente (de certo essa última locação foi por um valor menor que os contratos anteriormente firmados…)

      Curtido por 1 pessoa

      • Tetz,a gestão não ia negar o desejo da Admix,de tanta ocupação adicional ,só pra poder diversificar no mesmo edifício né rs
        Mostra que o retrofit agradou ,que realmente o edifício valorizou…
        Fundos de 1 ou poucos edifícios conseguiriam fazer um retrofit deste daqui 10 a 20 anos?seria aprovado em votação na assembleia?
        Aliás esta premissa , de peso na negociação por causa de falta de diversificação ,vale muito mais pra fundos nanicos ,do que pra quem tem 190 unidades locáveis…

        Curtir

      • Digo11 então… quanto tempo mesmo que foi feito o Retrofit e ficou vago o espaço? rsrs

        Como disse, foi bom MAS abre um precedente para concentração na mão do inquilino… o resultado: ainda mais poder de barganha no futuro

        Dado o momento e a situação do FII… faca no peito e pistola na cabeça… o cara assina qualquer coisa…

        Curtir

      • Então depende… você tem 190 unidades tipo B ou BB com mercado oferecendo A e AA pelo mesmo aluguel e muito desconto… você não tem poder barganha

        O HGRE é vitima não só do momento econômico, mas dos próprios imóveis

        e com preços bem salgadinhos para o padrão

        quase metade daqueles contratos de locação corporativos por mais de 80/m² ??

        15% de revisional esse ano e 53% ano que vem?

        quando você olha um Triplo A alugando por 80-90… quanto acha que vão conseguir num B/BB?

        Curtir

      • O mercado oferece A+ com muito desconto HJ,mas o inquilino não é bobo ,sabe q na próxima revisional ,com a melhora econômica ,vão querer aumentar ….só procuraria ,empresa q podem aguentar o tranco…a pequena,ainda precisa de muito favorável custo/benefício…
        São 36% por 80 a 100/m² e o q vale é a média da região…
        57% abaixo de 80/m2 ,ou seja bem barato…
        Revisional vai depender de cada media da região,do momento econômico que tende a melhorar … revisionais tem pra menos e tem pra mais ,depois de 3 anos …sempre vai ter…os imoveis ,em São Paulo ,em média ,tendem a valorizar e consequentemente a renda ,no longo prazo ,faz muito tempo ,ainda mais com o plano diretor…deveríamos “olhar míope” ou pro longo prazo ,como todo investidor imobiliário deveria “olhar” ?

        Curtir

      • Tetz,quais são os edifícios B/BB ,no portfólio do HGRE? Não são pelos valores de locação que se classifica como A ou B e sim por uma denominação,depois de avaliação especializada … e quais estão com $80 o m2 ,por favor…

        Curtir

  7. Credit Suisse é envolvido em investigação de lavagem de dinheiro, as buscas coordenadas começaram na quinta-feira na Holanda, Grã-Bretanha, Alemanha, França e Austrália.
    Terá algum impacto no Brasil?
    Dados: revista Exame

    Curtir

    • O Braço Fora do Brasil responde somente por la. O braço daqui, e o braço de investimentos que é a CSHG não tem relação e nem envolvimento direto.

      E como bem disse…volta e meia a gente le sobre Bancos sendo investigados e etc. Essas operações acabam sendo “normais”. Temos que ficar atentos se executivo ligados a unidade Brasil possam ser envolvidos tb. Ai a coisa vem pra ca e a bagunça começa a ser feita.

      Tb to de olho nisso…se conseguir maiores detalhes post pra turma aqui.

      Por hora…..vida normal pra tudo que tem CS no Brasil 😉

      Valeu!!!

      Curtido por 1 pessoa

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s