Fórum Fundos Imobiliários

tetzner_blog-fundo_imobiliario

A Maior, mais Bem Informada e Ativa comunidade 100% FII

ABCP  AEFI  ALZR  AGCX  ALMI  ATSA  BBFI  BBPO  BBRC  BBVJ  BCIA  BCFF  BCRI  BMLC  BNFS  BPFF  BRCR  CBOP  CEOC  CNES  CPTS  CTXT  CXCE  CXRI  CXTL  DOMC  DRIT  EDFO  EDGA  EURO  FAED  FAMB  FCFL  FEXC  FFCI  FIGS  FIIB  FIIP  FIXX  FLMA  FLRP  FMOF  FPAB  FVBI  FVPQ  GGRC  GRLV  HCRI  HFOF  HGBS  HGCR  HGJH  HGLG  HGRE  HGRU  IRDM  JRDM  JSRE  KNCR  KNIP  KNRE  KNRI  MALL  MAXR  MBRF  MFII  MXRF  NSLU  ONEF  OUJP  PLRI  PQDP  PRSV  RBBV  RBDS  RBGS  RBPD  RBRD  RBRF  RBVO  RDES  RNDP  RNGO  SAAG  SCPF  SDIL  SHPH  SPTW  TBOF  TFOF  TGAR  THRA  TRNT  TRXL  UBSR  VISC  VLOL  VRTA  WPLZ  XPCM  XPLG XPML  XTED

Juntos somos mais Fortes! Incentive o blog, assine os produtos e serviços:

Mini_FitaProdServ

Login   Registro   FII   Ações   Fundos   Diversão   Comentar   Loja   Ajuda   Comentários   RSS   AdBlock

Anúncios

15.537 comentários sobre “Fórum Fundos Imobiliários

  1. Pessoal,

    Mais um artigo do Pavini mencionando a CVM. Neste já tem um trecho abordando a questão da suspensão e sobre o por que que algumas coisas podem num e não pode em outro. Ate na impressa já começa a ter mais e mais pensamentos pra entender o que houve e o que vai acontecer agora. Acho que vale a leitura 😉

    “Arena Especial, CVM

    CVM destaca proteção ao mercado e repudia insinuações de risco de abuso de autoridade

    Em meio ao processo de regulamentação da nova Lei 13.506/16, que estabeleceu multas mais pesadas, de até R$ 50 milhões, para quem cometer irregularidades no mercado de capitais, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) se viu alvo de críticas não só sobre as novas punições, mas também por sua atuação de fiscalização após determinar a suspensão de duas operações de emissões de debêntures de duas empresas e da negociação em bolsa de cotas de um fundo imobiliário.

    Representantes de empresas punidas e outros participantes do mercado reclamaram da forma como a CVM atuou. Nos três casos, o regulador divulgou avisos ao mercado, os chamados “stop orders”. Além disso, junto com o aviso, aplicou uma suspensão de um ano não só aos emissores das debêntures como também à agência de rating e ao agente fiduciário. Para os críticos, a CVM não deu direito de defesa aos envolvidos ao não consultá-los antes e distribuiu punições sem concluir um processo administrativo sancionador. Dessa forma, estaria comprometendo a imagem das empresas envolvidas antes de elas terem a culpa comprovada. Outra reclamação, de um administrador de fundos imobiliários, era que outras casas usariam as mesmas estruturas societárias vetadas pela CVM, mas não teriam sido alvo das mesmas punições.

    Em meio às críticas, as mais contundentes e diretas vieram de ex-executivos da autarquia, hoje atuando em grandes escritórios de advocacia ou no meio acadêmico. Durante evento esta semana promovido pelo escritório Loria e Kalansky Advogados, o ex-diretor da CVM Eli Loria, sócio do escritório, disse que ficou “assustado” com as chamadas “stop orders”. “Nunca vi nada parecido, pois no caso das instituições e pessoas reguladas, a CVM tem um relacionamento, há o processo sancionador, abre a investigação e pede informações, dando direito de defesa”, diz. “O ‘stop order’ é para quem não é regulado, que pode escapar das punições”, explica.

    Já o ex-presidente da CVM Ary Oswaldo Mattos Filho, hoje na Fundação Getulio Vargas (FGV), observou que o aviso ao mercado é uma notícia pública e, se a empresa suspeita de irregularidade mostra que está tudo em ordem e quer retomar a operação, já “volta por baixo”. “Se a suspeita era infundada e a CVM cria dúvida, o mercado vai exigir um preço maior para comprar o papel”, acrescenta. Segundo Mattos Filho, ele só daria um “stop order” depois de conversar com as empresas e comprovar que há a irregularidade. Ele acredita que essa atitude da CVM levanta também a questão do papel do órgão regulador, se ele deve analisar a qualidade do papel que está sendo ofertado. “Temos visto decisões que entram na discussão da qualidade do papel.”

    Sobre as multas de até R$ 50 milhões, os advogados destacaram a preocupação dos clientes com as punições mais altas e com a insegurança sobre como seria sua aplicação na prática. A CVM colocou em audiência pública até o fim deste mês uma proposta para estabelecer critérios para definir os valores das multas para cada tipo de crime, para reduzir o receio do mercado de que qualquer irregularidade estará sujeita à multa de R$ 50 milhões.

    Segundo Ary Oswaldo Mattos Filho, “punição tem de haver, mas as regras de graduação deveriam ser objetivo de limitações estabelecidas por lei”, afirma. “Deixar isso para a CVM definir vai levar tudo para o Judiciário e não vai ser um processo rápido e eficiente”. “É preciso mais que uma audiência pública para definir as graduações”, resume.

    Risco de comportamentos pouco republicanos

    Já Loria afirma que há riscos grandes de judicialização das punições aplicadas pela CVM. “Além disso, o risco de punições tão altas afasta bons profissionais do mercado, pois eles terão receio de receber essa multa, e os seguros que cobrem essas multas também vão subir”, diz. Loria diz que há a preocupação de que, com esse rigor, surjam comportamentos “pouco republicanos”, de alguns funcionários públicos que poderiam chantagear executivos ou empresas usando essas multas.

    Repercussão negativa

    Essa declaração, levantando suspeitas sobre o comportamento dos funcionários da CVM, foi o que mais repercutiu na autarquia, segundo fontes do mercado ouvidas pelo Portal Arena do Pavini, e que pediram para não ter seus nomes citados. Segundo essas fontes, nunca houve a menor sugestão de má conduta de um servidor ou executivo da autarquia e a simples ideia de que isso poderia acontecer já causou profunda indignação na instituição, que está justamente promovendo a audiência pública para definir com o mercado os critérios de aplicação das multas e seus limites.

    Com relação aos outros pontos, como a falta de direito de defesa dos acusados, a visão na CVM também seria de que há exagero, diz um executivo que acompanha o trabalho da autarquia. Nos processos investigativos, a postura da CVM sempre foi de dialogar com o mercado, atuando mais de maneira educativa e não punitiva, procurando orientar e conversar com as instituições e empresas, e não apenas a punição. Assim, segundo essa fonte, nos processos investigativos que precederam os avisos ao mercado, constam diversas consultas às empresas, que não realizaram as mudanças indicadas pelo regulador.

    Ao mesmo tempo, a punição nos casos extremos também tem seu papel educativo, ao desestimular outros participantes de cometer intencionalmente as mesmas irregularidades, lembra esse executivo. E a CVM tem de dar respostas mais rápidas para a sociedade, até para evitar que haja prejuízos para investidores, como já ocorreu em outros episódios do passado, em que as empresas continuaram atuando, provocaram grandes perdas e não foram punidas, lembra esse executivo. Foi o caso, por exemplo, das Fazendas Reunidas Boi Gordo, cujo processo de liquidação levou décadas e as punições dos responsáveis prescreveram. E é o caso dos fundos destinados a planos de previdência de Estados e municípios, os chamados regimes próprios, alvos de acusações de fraudes que lesaram milhares de funcionários e centenas de prefeituras.

    CVM reitera papel de proteger o mercado

    Consultada sobre as críticas, a CVM não quis responder às declarações dos ex-dirigentes. Em uma nota oficial, afirma que “não compete à CVM comentar as declarações citadas”. “Não obstante, é importante aqui reiterar que a proteção do mercado de capitais se dá com regulação e supervisão eficazes e com um processo sancionador estruturado para evitar que as irregularidades passem impunes”, acrescenta a CVM. Trata-se, diz a nota, de um trabalho que se aperfeiçoa com o tempo, por meio dos aprendizados da experiência prática e do emprego de novas tecnologias, dentre outros.

    As atividades sancionadora e de supervisão da autarquia, diz a CVM, são desempenhadas com a atenção necessária e calibradas de forma considerada adequada tendo em vista cada caso específico. “Recomenda-se o acompanhamento dos Relatórios de Atividade Sancionadora, que a CVM começou a divulgar no final do ano passado, para uma visão mais completa do tema”, acrescenta.

    Segundo a CVM, a realidade do novo regime sancionador trazido pela Lei nº 13.506/16, a ser regulada conforme instrução que está em fase de discussão em audiência pública, propiciará à Autarquia novas possibilidades, em benefício do constante desenvolvimento do mercado de capitais brasileiro. “Neste sentido, é importante destacar que a postura isenta, técnica e ética dos servidores da CVM é amplamente reconhecida, e quaisquer ilações sobre possíveis impactos do novo regime sobre tal postura merecem repúdio”, conclui a nota.”

    Valeu!!!

    Curtido por 10 pessoas

    • Minha opinião, tem q apurar logo as supostas irregularidades insinuada pela CVM e caso se confirmem, regularizarem, multar, e instruir é o papel da instituição, então faça valer sua função. Agora não era bem assim, ouve exagero, ouve erro, ouve falta de profinalismo, falta de responsabilidade, alguém tem q pagar por isso, pagar com indenizações (não sei quem vai arcar com os custos), pagar com punições (tem q ser punido os responsáveis por esse ato caso confirme se terem cometido excessos), e por fim, tem q acelerar isso aí, não deixar cair na morosidade p eles irem se saindo de fininho não, tem q ir pra cima, ou vai ou racha, doa a quem doer, seja p investigado ou quem tá investigando, o cotista não quer e não deve aceitar a degradação do seu patrimônio como está se dando por conta da maneira de abordagem feita pela cvm, então acho q os cotistas tem q ir pra cima dos dois lados e apertar, esperem os dois lados, principalmente a cvm q tá muito lerda ao meu ver, ou interdita tudo ou assume o excesso e arquem com as consequências q não serão poucas não, eu já proponho uma associação de cotistas lesandos por um ou por outro, isso mesmo um dos dois vai estar errado nessa história, q seja punido então um dos dois, um existe p oferecer o investimento o outro p fiscalizar e ganha p isso e muito, já o cotista existe p levar bucha, quando não é dum lado é do outro, isso tem q acabar, vamos esclarecer essa história o mais rápido possível, p isso é mobilização e se preciso for com protestos dentro da lei mas q seja de forma a chamar atenção imprensa, população etc…..
      O q não pode é ficar assim

      Curtido por 2 pessoas

      • Faltou um pouco de autocrítica,e sabido que em investimento em última instância o culpado e sempre o investidor
        Em mfii11 indicios houve muitos e sobre knre esses relatorios sao de 2016 seria razoável relatorios atualizados.
        De qualquer forma qualquer comparação com outro fundo e ridícula precisa comparar macas com macas e mfii11 tinha a meu ver e da cvm muitas particularidades como 20% de taxa de entrada isso foi como dizem por ai o ultimo prego do caixao.
        Espero nao ser censurado caro tetzner…

        Curtido por 1 pessoa

      • Davi, deixe de levar os outros ao engano , no caixa do MIFII nunca entrou 20 % de taxa de entrada. Antes de postar comentários, favor se informar.
        Senão agirá igual ao safado do Boulos, repetindo inverdades constantemente para ver se engana os incautos.

        Curtido por 1 pessoa

      • Voce e que esta escrevendo meias verdades houve sim 20% de taxa de entrada que a cvm na ultima milha interveio e começou a novela .
        Se chegaram a cobrar ou não e irrelevante,ja que o sr interceptor gosta de se comparar com outros fundos me traga algum que tentou cobrar taxa de entrada de 10 % 15% 20% com isso em maos ou darei toda a razão ao sr interceptor (sobre a injustiça da cvm e cobrar so do mfii)

        Curtir

      • Se a taxa, serviço ou seja o q for e muito ou pouco não me importo, eu quero é resultados e o q não quero é ninguém atrapalhando quem quer trabalhar, do mais nos prospectos dos fiis trás tudo explicadinho quem não concorda com algo é só não entrar, repito o q não pode é arrastar investigação q deixa bens do cidadão impedido de ele vendê-los quando quer, isso pra mim é confisco, e confiscar é na época do collor ou será q estamos voltando às antigas??

        Curtido por 1 pessoa

      • A taxa foi aprovada em AGE e pela própria CVM que igualou a 120 o preço da emissão. Como pode ser ilegal se foi a CVM que sancionou? Além disso se não foi cobrado, se não foi recebido, se foi sancionado pelo órgão regulador , qual o problema moral , ético, Civil e/ou criminal? Vou dizer aonde existe problema, existe quando alguém acusa algo que é correto como errado ou ilegal como vc está fazendo !!!

        Curtido por 2 pessoas

      • E por falar em ‘
        “Indícios”…. A propria cvm deu” indícios” que estava tudo bem: aprovou a 5a. Emissão, impôs a uniformidade da taxa de ingresso…. E aí deu o bote sobre os cotistas. Plano? Coincidência? Isso precisa ser explicado!!

        Curtido por 1 pessoa

      • Como já disse antes eu reitero, nunca tive nata contra quem cobre bem de mim por serviços ou seja lá o q for, se for para me dar lucros pode cobrar quanto quiser, melhor cobrar bastante e me dar resultados do q não cobrar nada ou cobrar uma ninharia e me dar pouco retorno ou prejuízo como ocorre com uma grande parte da minha carteira de investimentos em renda variável, estou no aguardo e intuito de obter resultados e isso é o q importa. Quanto a devolver taxas cobradas pelo fii, distribuir a cada trimestre, isso pra mim não valeu, não vale e nunca vai me valer de nada, aliás isso é desculpa por não ter achado nada de errado e fica inventando lorotas p justificar a bela MANCADA q deram ao proceder de maira estranha contra quem vinha dando resultado. Vou repetir novamente a minha visão até agora M A N C A D A, se eu estiver errado prove pra mim q estou e prove logo, a demora vai me deixar cada vez mais furioso e vou querer saber o por que o motivo dessa mancada, se tem algo por trás disso, estou advertindo a todos vamos urgente nos unir e criar uma base amparada por advogados e polícia se for preciso para acelerar e investigar isso com urgência, se não tiver parceiros vou só, mas espero contar com os sócios q tem zelo pelos investimentos e também não quer passar por boboca, veja aí marquem reunião urgente onde e quando quiserem e vamos atrás de indenizações e justiça urgente

        Curtido por 1 pessoa

      • David

        os 20% só serviram de argumento para questionamento, eles não foram efetivados em nenhuma etapa

        na 4ª emissão a autarquia sancionou a emissão com 6% para cotistas e 10% para não cotistas; sendo que a maior parte desse valor acabou sendo utilizado em taxas de Emissão, Regulação e Distribuição

        o que sobrou em caixa desta 4ª emissão já foi amortizado

        o MFII não foi o único a fazer emissão nesse modelo, nem o primeiro… inclusive neste momento tem fundo fazendo emissão cobrando 4/cota

        agora vamos lá:

        Se o problema foram os 20%, se voltássemos aos 10% da emissão anterior, passava?

        Ou então quem sabe os 5% para ficar ‘na média do mercado’

        então é uma questão de quanto e não do que?

        não é proibido cobrar taxa de ingresso…. a questão é ‘o quanto’ ?

        simples… não compre…

        ninguém colocou uma arma na cabeça do cotista e falou: ‘você vai ter de comprar com 20% ou eu te pego!’

        até acho que a emissão por si só iria sucumbir, quando estipularam essa taxa de 20% a cotação estava a mais de 135

        se fizessem depois no último mês antes da suspensão… provavelmente ficaria nos 110/115

        se tinha gente pagando mais de 135 por cota a mercado… qual o problema de captar por esse preço?

        era só fazer outra assembleia e baixar a taxa de ingresso para algo mais próximo da cotação, afinal a emissão não havia começado

        Curtido por 1 pessoa

      • Interceptorfii19
        “Se a taxa, serviço ou seja o q for e muito ou pouco não me importo, eu quero é resultados e o q não quero é ninguém atrapalhando quem quer trabalhar, do mais nos prospectos dos fiis trás tudo explicadinho quem não concorda com algo é só não entrar”
        Sobre essa sua fala acima, me desculpe, mas não pode ser assim, caso contrário deterioraria o mercado como um todo, acho que foi por isso a intervenção da CVM.
        Já pensou se cada FII fizesse o que bem entendesse, o samba do crioulo doido que não seria???
        Espero que a tudo se resolva rápido e sem prejuízo para os cotista!

        sucesso!!!

        Curtir

  2. Primeiramente boa noite a todos e durante um momento de reflexão em pleno sábado à noite, gostaria de questionar os caros amigos quais fundos seriam mais adequados para uma carteira previdenciária? Considerando aqueles que os amigos consideram mais resilientes e se vale a pena mesclar entre fundos de papel e tijolo ou apenas tijolos? Lembrando que a intenção seria basicamente complementar a renda mensal

    Curtido por 1 pessoa

    • Isso ja foi bem debatido aqui e sempre esta em debate 🙂

      Vai muito do perfil de cada um. Irei apontar os que acho…outros apontarão diferentes. Apos alguns post vc verá que tem os comuns e os diversos. E no final….sua carteira será sempre única e refletirá apenas a vc e seus desejos.

      Sem mais delongas…

      FII de Shopping. Seguros e resilientes. Não espere saltos na renda…mas durma tranquilos com ele por muitos e muitos anos;

      Fii Logisticos. Seguros se bem escolhidos. Os com contratos atípicos são mais propensos a permitir um bom sono ao longo dos anos;

      Lajes corporativas. Ativos ou passivos tem sua serventia numa carteira visando previdencia. Aqui o sono já não é tão tranquilo devido ao prazo longo. Os ciclos sempre afetam estes fundos fazendo o chamado fly to quality. Mais como são a maioria na industria, não tem como montar um boa carteira sem alguns deles. Tem que avaliar bem. A gestão pesa muito nessa escolha;

      Fii de Papel. Pensando Brasil e pensando anos a frente não tem como ignora-los. Comprando bem e tendo uma gestão que aloque os ativos onde devem ser alocados…o fundo tenderá a proteger a inflação o que dará um sono tranquilo ao investidor.

      Enfim….falei por setor. Apontar algum em particular é muito pessoal. Acho que já da pra ter uma noção e focar o debate nos setores.

      Valeu!!!

      Curtido por 3 pessoas

      • Gama;

        Concordo com quase tudo, mas se me permite, cabe uma pequena observação:
        O contrato atípico pode vir a ser uma faca de dois gumes, pois dependendo do valor a ser pago por m2 no início da sua vigência e dada uma possível conjuntura desfavorável ao locador no final daquela, poderemos ter uma queda considerável no aluguel quando duma renovação e, até mesmo, uma mudança de natureza do contrato, por exemplo, passando este a ser típico.
        Isto pouco importando o segmento estudado (logística, lajes corporativas, agências bancárias, etc.).
        Portanto, por mais que estes sejam mais resilientes na distribuição de renda, o monitoramento sazonal do investidor se faz necessário, seja em termos de prazo contratual, seja na conjuntura de mercado, propiciando uma eventual renovação saudável do portfólio duma carteira com fins previdenciários e “preservando” o PL desta ao longo do tempo, dada a dinâmica do mercado de FIIs implícita ao tempo de vida destas relações contratuais.
        Sds.

        Curtido por 2 pessoas

    • Rcc, p ilustrar e agregar ingredientes ao post do amigo, vou relembrar aqui aos colegas aquela passagem q tivemos a 2 anos atrás sobre eu sacar o dinheiro da minha aposentadoria q era privada e dava a mim essa opção, é alocar em fiis, pois com a morte os investimentos em fiis fica para a família, já o benefício morre com o aposentado, tive muito comentário dos amigos na intenção de me ajudarem e ajudou em muito, fora varias ideias, a de aposentar como estava, fazer mais aportes e aposentar com valores maiores ou sacar, pois bem o resultado foi q eu apenas aposentei com o valores q tinha contribuindo até o momento é fiz um seguro parcial do capital empatado na previdência caso eu morra ainda sobra um saldo p família. Analisando hoje após 2 anos eu faria a mesma coisa, não mudaria em nada minha decisão tomada lá atrás, aliás devido os últimos acontecimentos em geral talvez tomaria essa mesma decisão mais confortavelmente do q tomei a 2 anos atrás, talvez lá não teria tanta certeza como tenho hoje. Pois bem onde quero chegar é q esse ponto de assegurar rendimentos como aposentadoria, tem q ser muito bem planejado e muito seguro, não se pode errar com uma coisa tão importante q é prever um rendimento em um momento onde o cidadão vai estar frágil e precisará daquele provento, então tem q ser escolhido a dedo onde alocar os recursos de hoje q serão usados no futuro. No caso de aportes em fiis para esse destino aconselho fiis q sejam o mais seguro possível, não se deve olhar p renda nesse caso, e sim em perpetuidade, também será muito importante uma boa diversificação entre varios fiis, o acompanhamento também será de grande importância e deverá entrar em ação toda vez q a pessoa perceber algo incomum com seu objetivo noque fii, deverá ser substituído imediatamente, acredito q fiis de tijolos e sólidos são os mais indicados, aqueles com bons imóveis e boa localização q vc imagine aquele imóvel sendo alugados daqui a 10 ou 20 anos como se fosse hoje, fiis de papéis podem ser usados como momento de transição até q se consiga a melhor posição de entrada no fii q se enquadra em seu objetivo abs

      Curtido por 1 pessoa

    • Rcc você deu uma lidinha no meu artigo ENCONTREI ALGUÉM PARA PAGAR MINHAS CONTAS? Eu me convenci que não existe carteira segura e perene. Portanto, conforme a opinião de Gama e MPB77, vai depender da capacidade de poupança (e disciplina para não parar no meio e desviar os recursos aplicados para outra finalidade), seu perfil, suas expectativas e, sobretudo cuidar da carteira como o pecuarista cuida de seu rebanho.

      Curtido por 2 pessoas

    • Tetzner

      Então estamos de acordo que o detonante foi o 20% vamos falar so fatos sem achismos ou opiniões mantendo o foco ,o 20% deu pe ao argumento de pirâmide ate com muita logica
      Se a emissão anterior pagou os custos cobrando entre 5 e 10% qual motivo real para aumentar a taxa ,e o fundo respondeu a cvm bem ainda antes da suspensão que usava a sobra desta taxa como lucro ,aqui e na china esse valor nao vem de venda de imóveis vem de novas cotas/cotistas/clientes se configura pirâmide
      Enfim dinheiro foi devolvido por espontânea vontade PONTO POSITIVO A MERITO mas estrago estava feito agora e aguardar investigação completa como todos bem sabemos.
      A meu ver tem que dar andamento a asamblea de cotistas para remover merito e planner mesmo antes do resultado da CVM.
      Estrago esta feito independente do resultado ai nova gestão quando liberar as cotas primeira coisa a fazer deve ser mudar o nome mfii para qualuqer outro virar a pagina e tocar os projetos,e tenhan certeza sob nova gestão eles iram encontrar e denunciar se houver irregularidades,quem fez caga.. nao podemos confiar que vai fazer certo .

      Curtir

      • 07/Maio/18: anúncio da 5a emissão… cotação a mercado: 133,00

        20% para cotista, 30% para não cotista; depois foi igualado inclusive a pedido da própria autarquia: 120,00

        24/Agosto/17: anúncio da 4a emissão… cotação a mercado: 113,50

        6% para cotista, 10% para não cotista (106/110)

        ou seja: era o mercado quem definia o prêmio da taxa de ingresso… inclusive seria até bom perguntar à planner/mérito se a CVM perguntou isso e se eles explicaram assim… mas o fato é esse aí

        e pode olhar nos períodos anteriores, era a região de preços de acomodação do mercado, não foi um evento pontual de preços (óbvio que depois do anúncio impactou a cotação)

        Curtir

  3. Curiosidades Imobiliárias

    O Banco Bradesco S.A. (“Bradesco” ou “Companhia”) comunica ao mercado que, nesta data, suas controladas indiretas, a BSP Empreendimentos Imobiliários D127 Ltda. (“BSP Ltda.”) e a BSP Empreendimentos Imobiliários S.A. (“BSP S.A.” e, em conjunto com a BSP Ltda., “Empresas BSP”), celebraram Contrato de Locação Não Residencial Built to Suit (“Contrato”) com parte relacionada ao Bradesco, o Fleury S.A. (“Fleury” e, em conjunto com as Empresas BSP, “Partes”) (“Transação”).

    Como a Transação supera o valor previsto no artigo 1º, inciso I, alínea “a”, do Anexo 30-XXXIII da Instrução CVM nº 480/2009, o Bradesco, em cumprimento à referida Instrução, apresenta as seguintes informações:

    Descrição da Transação Contrato de Locação Não Residencial Built to Suit, tendo por objeto imóvel localizado na Capital do Estado de São Paulo, na esquina da Avenida Morumbi com a Avenida Santo Amaro.

    Nome da parte relacionada Fleury S.A.

    Informações sobre as Partes e sua relação com o Bradesco, na qualidade de emissor

    As Empresas BSP são controladas pela Bradseg Participações S.A.
    (“Bradseg”), cujo capital social é 100% (cem por cento) de titularidade da Companhia.

    O Bradesco detém, indiretamente, por meio da Bradseg, 16,2% do capital social do Fleury.
    Objeto, termos e condições

    Curtir

    • O Contrato tem por finalidade a locação pelo Fleury de prédio não
      residencial, a ser construído na modalidade Built to Suit, conforme obrigação assumida por BSP Ltda., em imóvel objeto da Matrícula nº 262.482 do 15º Oficial de Registro de Imóveis de São Paulo – SP, localizado na esquina da Avenida Morumbi com a Avenida Santo Amaro.

      O Fleury obrigou-se a locar o imóvel pelo prazo de 244 (duzentos e quarenta e quatro meses), contados da sua entrega com habite-se regular.

      O aluguel mensal foi fixado em R$1.341.000,00 (um milhão, trezentos e quarenta e um mil reais), a valor presente, sendo concedida carência de aluguel pelos primeiros quatro meses de locação.

      As Partes outorgaram-se garantias usuais em contratos dessa natureza e proporcionais às obrigações por elas assumidas.

      Participação do Fleury (por meio de seus sócios ou administradores) no processo de decisão da Transação pelas Empresas BSP
      O Fleury, seus sócios e/ou administradores não participaram da decisão das Empresas BSP acerca da Transação e não atuaram como representantes das Empresas BSP na sua negociação.

      As Partes contaram com seus próprios assessores legais na negociação do contrato.

      Razões que levaram as Empresas BSP a realizar a Transação com a parte relacionada e não com terceiros A BSP Ltda. é proprietária de um imóvel com potencial construtivo sendo que a participação no processo de seleção organizado por Fleury foi uma oportunidade de otimizar a ocupação do ativo. A localização e as características do bem em questão foram as mais adequadas ao projeto de Built to Suit que Fleury desejava realizar, sendo tais elementos essenciais para a escolha das Empresas BSP.

      Descrição das medidas tomadas e procedimentos adotados para garantir a comutatividade da Transação A Transação seguiu todas as diretrizes previstas na Política de Transações com Partes Relacionadas da Organização Bradesco, garantindo que os termos pactuados estivessem de acordo com as práticas de mercado e condições típicas do escopo contratado.

      Atenciosamente,
      Banco Bradesco S.A.

      Curtir

      • Detalhes, vão se adequando a regras e possíveis mudanças q podem vir a ocorrer em alguns momentos, basta entendimentos e esclarecimentos, tudo se ajeita, só não pode amanhecer segunda com as ações do Bradesco impossibilitadas de negociação em bolsa e notas de altarquias dizendo de suspeitas de fraudes e tudo mais sem antes uma criteriosa averiguação e esclarecimentos dos fatos, pior é q se quiserem fecham até as agências e reabrem quando querem e não existe águem p ser responsabilizado pelo estrado, ninguém paga ou responde nada no bananal, só o infeliz do contribuinte, esse paga o pato e tudo mais e tem q aguentar caladinho, tudo isso por ter se tornado um covarde amordaçado ao longo dos anos onde assiste a tudo com o rabo entre as pernas,
        COMO DIZIA MEU AMIGO ÁRABE, povo brasileiro povo Carneiro

        Curtir

    • U.S. REITS At A Glance: From REIT to Shining REIT
      https://tetzner.wordpress.com/internacional
      Fechamento do dia, Fatos relevantes, Agenda econômica e mais:
      Semanais IMOB, IFIX, KNCR, BRCR, BBPO.
      Destaque do Trix : BPFF11, PQDP11, SDIL11, BBVJ .
      Comparativo hospitais.
      https://tetzner.wordpress.com/trix-report
      Prêmio Walter do Mercado 2018 – IFIX : 4ª semana agosto/18 (dia 24 – 185ª Edição)
      Já está aberta a votação, não perca tempo vote djá !
      Parabéns ao campeão da semana: crsviana
      IFIX – Mapeamento de Tendência julho/18.
      https://tetzner.wordpress.com/walter-do-mercado

      Curtir

  4. Atualização Semanal: 18/08/18

    Blog_Prod_Serv_Livro_Cursos

    Edições de Hoje

    Carteiras do Blog:  Suntzu e Conejo10

    Matrix dos FIIs

    FII AnaliSYS: EDGA, FFCI, FLMA, RNGO

    • Tetzner Journal

      • Fatos que marcaram a Semana
        • FII ABC IMOB (ABCP) Relatorio Gerencial…16
        • FII AESAPAR (AEFI) Relatorio Gerencial…20
        • FII ALIANZA (ALZR) Relatorio Gerencial…22
        • FII BCIA (BCIA) Relatorio Gerencial…26
        • FII BEES CRI (BCRI) Relatorio Gerencial…27
        • FII MTGESTAO (DRIT – MB) Relatorio Gerencial…30
        • FII RIOB RC (FFCI) Relatorio Gerencial…32
        • FII FATORFIX (FIXX) Relatorio Gerencial…36
        • FII MEMORIAL (FMOF) Relatorio Gerencial…40
        • FII A BRANCA (FPAB) Relatorio Gerencial…43
        • FII HOTEL MX (HTMX) Relatorio Gerencial…46
        • JRDM11 – FII SHP Jardim Sul – Fato Relevante…49
        • FII JS REAL (JSRE) Relatorio Gerencial…50
        • FII MALLS BP (MALL) Relatorio Gerencial…52
        • FII MERC BR (MBRF) Relatorio Gerencial…55
        • FII MOGNO (MGFF) Relatorio Gerencial…57
        • FII MAXI REN (MXRF) AGE – Proposta da Administradora – 30/11/2018 16:00…61
        • FII THE ONE (ONEF) Relatorio Gerencial…63
        • PQDP11 – FII PQ. D. PEDRO SHP. CENTER – Fato Relevante…65
        • FII RIONEGRO (RNGO) Relatorio Gerencial…66
        • FII SDI LOG (SDIL) Relatorio Gerencial…70
        • FII HIGIENOP (SHPH) Relatorio Gerencial…74
        • TRNT11 – FII Torre Norte – Fato Relevante…77
        • VISC11 – Relatório de Resultados 2T18…78
        • FII FATOR VE (VRTA) Relatorio Gerencial…86
        • FII XP MACAE (XPCM) Relatorio Gerencial…90
        • XP Malls 2T18 Relatório…92

    Não é assinante? Peça já sua Edição Aqui!

    Conteúdos Exclusivos de Assinantes dos Blog:

    • InsightsUma página restrita e dedicada a revelar os FIIs como você nunca viu
    • Trix Report: O fechamento diário dos FIIs resumido para você
    • Fórum VIP: Textos e Conteúdos Exclusivos, trazendo sempre as últimas novidades dos FIIs
    • Entrevistas: O mundo imobiliário por quem Realmente faz acontecer!
    • FII Alerta: Avisos Exclusivos para novas Assinaturas dos Produtos e Serviços 😀

    E mais, muito mais nos comentários dos amigos aos Textos, informação valiosa para ampliar o seu estudo e conhecimento.

    Vídeos da Semana:

    XPML11 – FII XP Malls 2T18 – Mini Webcast com Tetzner

    ONEF11 – FII The One – Julho18

    MBRF11 – FII Mercantil do Brasil – Julho18

    RNGO11 – FII Rio Negro – Julho18 – Tetzner

    SCPs no KNRE11: e ai Kinea Itau pode?

    SCPs no RBBV11: e agora, pode ou não?

    AEFI11 – AESAPAR FII – Julho19

    FFCI11 – FII Rio Bravo Renda Corporativa – Julho18

    Invest – Tributação de Fundos Fechados da PL 10638 nos FIIs por Gama

    FIXX11 – Fator iFIX FII – Julho18 – Tetzner

    BCRI11 – Banestes Recebíveis FII – Julho18

    MFII11 – Informe Mensal: Combate ao Fakenews e Trolls

    Invest – Fundo Quantitativo na Carteira de Investimento por Gama

    HTMX11 – FII Hotel Maxinvest – Agosto18

    MFII11 – Mérito FII: Informes Trimestrais 1TR e 2T 2018 – Tetzner

    BCIA11 – Bradesco Carteira Ativa FII – Julho18

    MXRF11 – FII Maxi Renda – Julho18

    VISC11 – Vinci Shopping – WebCast 2T18 – Tetzner

    MGFF11 – Mogno Fundo de Fundos – Julho18

    VRTA11 – FII Fator Veritá – Julho18

    FPAB11 – FII Projeto Agua Branca – Julho18 – Tetzner

    FMOF11 – FII Memorial Office – Julho18

    XPML11 – O motivo da mudança na 2a Emissão

    Curtido por 1 pessoa

  5. Construção: Incorporadoras ampliam receita e reduzem prejuízo

    Prejuízo consolidado das incorporadoras caiu 60,8% no 2º trimestre, para R$ 553,7 milhões
    Por Chiara Quintão | De São Paulo

    O setor de incorporação apresentou resultados melhores, no segundo trimestre, na comparação anual, embora os números consolidados ainda apontem para prejuízo líquido de R$ 553,7 milhões, conforme levantamento do Valor.

    A perda foi reduzida em 60,8% como reflexo, na composição da receita e das margens, da diminuição dos distratos e da maior participação de empreendimentos das safras dos últimos anos, mais rentáveis.

    Curtir

    • 17/08/2018 às 05h00
      Amec defende que CVM puna avaliadores
      Por Fernando Torres | De São Paulo

      A Associação de Investidores no Mercado de Capitais (Amec) quer que os responsáveis pela elaboração de laudos de avaliação de ativos e empresas se sujeitem a supervisão e fiscalização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

      Defende ainda uma ampla reformulação das regras ligadas a ofertas públicas de aquisição de ações (OPAs), seja em propostas voluntárias, seja nas obrigatórias para os minoritários, quando da venda do controle acionário (‘tag long’).

      As demandas apareceram em carta enviada ontem pela entidade ao presidente da CVM, Marcelo Barbosa.

      Curtido por 1 pessoa

    • Tetz, no que se refere aos rendimentos dos FIIs reporem a inflação pelo menos no longuíssimo prazo, estou cada vez mais convencido de que no Brasil é extremamente difícil capturar esses períodos devido às “características” da nossa economia que dificultam atingir esse objetivo. Já os REITs são eficientes em proteger os rendimentos da inflação devido às “características” da economia americana que são favoráveis.

      Curtido por 3 pessoas

      • Ponto importantíssimo Trix, um ingrediente extremamente relevante para quem investe em fii, a renda tá acabando, temos fiis q a renda é a mesma a 10 anos, esse são os bons, temos fii q a renda caiu menos da metade, esse é o mais ou menos, temos fii q nem renda não tem mais, pior sem previsão de quando terá, quer coisa mais ruim ainda? Tem fii q tá entrando na lista dos sem rendas em breve e são vários, e pior a cotação continua alta e até subindo piorando ainda mais a conta q não fecha

        Curtido por 1 pessoa

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s