Fórum

Forum

A Maior e mais Ativa comunidade 100% FII

ABCP11  AEFI11  AGCX11  ALMI11B  ANCR11B  AQLL11B  ATCR11  BBFI11B  BBPO11  BBRC11  BBVJ11  BCFF11B  BJRC11 BMII11  BMLC11B  BNFS11  BPFF11  BRCR11  BTGM11  CBOP11  CEOC11B  CNES11B CPTS11B CSHP11B  CTXT11  CXCE11B  CXRI11  CXTL11 DOMC11 DOVL11B DRIT11B  EDFO11B  EDGA11B  EURO11  FAED11B  FAMB11B  FCAS11  FCFL11B  FEXC11B  FFCI11  FIGS11  FIIB11  FIIP11B FIVN11 FIXX11 FLMA11  FLRP11B  FMOF11  FPAB11  FTCE11B FVBI11B  FVPQ11  GRLV11  GTUL11B GVFF11  GWIC11  GWIR11  HCRI11B HGBS11  HGCR11  HGJH11  HGLG11  HGRE11  HTMX11B  JPPC11  JRDM11B  JSIM11  JSRE11  KNCR11  KNRE11  KNRI11  LATR11B  MAXR11B  MBRF11  MFII11  MSHP11  MSLF11B  MXRC11  MXRF11  NSLU11B  ONEF11  PABY11  PLRI11  PORD11 PQDP11  PRSN11B  PRSV11  RBBV11  RBCB11  RBDS11  RBGS11  RBPD11  RBPR11  RBRD11  RBVO11  RCCS11  RDES11 RNDP11  RNGO11  RSBU11B  SAAG11  SCPF11  SDIL11  SFND11  SHDP11B  SHPH11  SPTW11  STFI11  TBOF11  THRA11B TRNT11B  TRXL11  VLOL11  VRTA11  WMRB11B  WPLZ11B  XPCM11  XPGA11  XTED11

Incentive o Blog, assine os produtos e serviços!

Mini_FitaProdServ

Compartilhe com o amigos, basta clicar aqui embaixo no Twitter, Facebook ou Google+

15.204 comentários sobre “Fórum

  1. Agora vai! (pra onde… não sei rs)

    22/05/2015 18:38 FII P VARGAS (PRSV)- FATO RELEVANTE – RESTITUICAO DE IMOVEL

    para os fins previstos no
    artigo 41 da Instrucao CVM n.o. 472/2008, e considerando (i) o Fato Relevante de
    03 de novembro de 2014, pelo qual foi informada a intencao formalizada pela
    locataria TELEMAR NORTE LESTE S/A, inscrita no CNPJ/MF sob o numero
    33.000.118/0001-79 (“LOCATARIA”), em desocupar o imovel localizado na Avenida
    Presidente Vargas, 914, Centro, Rio de Janeiro (“IMOVEL”); e (ii) o Fato
    Relevante de 04 de maio de 2015, informando que a nao restituicao do IMOVEL pela
    LOCATARIA no prazo inicialmente previsto, COMUNICA o que segue:

    a) a LOCATARIA restituiu o IMOVEL ao FUNDO na presente data mediante (i) o
    pagamento de uma indenizacao no valor de R$ 190.000,00 (Cento e noventa mil
    reais), ate o dia 05 de junho de 2015, para o fim especifico da realizacao das
    restauracoes necessarias ao restabelecimento do imovel ao estado original em que
    a LOCATARIA o recebeu, salvo as deterioracoes decorrentes de seu uso normal, nos
    termos da legislacao aplicavel; e (ii) o pagamento dos demais encargos
    locaticios devidos em razao da rescisao antecipada do contrato de locacao,vincendos ate o dia 08 de junho de 2015; e

    b) as partes acordaram o pagamento parcelado da multa pela rescisao contratual
    antecipada, estipulada em 3 (tres) meses de aluguel correspondente a R$
    2.137.917,99 (dois milhoes, cento e trinta e sete mil, novecentos e dezessete
    Reais e noventa e nove centavos), que sera pago em 5 (cinco) parcelas pela
    LOCATARIA, vincendo a primeira no dia 05/06/2015 e as demais nos meses
    subsequentes, todo dia 5, ou proximo dia util subsequente, todas corrigidas
    monetariamente e acrescidas de juros remuneratorios.

    A restituicao do IMOVEL nas condicoes acima mencionadas foi realizada de maneira
    a preservar todos os direitos do FUNDO, sem a necessidade de busca da tutela
    jurisdicional para a resolucao dessas questoes, corroborando com os melhores
    esforcos para locacao da area, com o objetivo unico de evitar eventual impacto
    na rentabilidade futura do fundo.

    Atenciosamente,

    BEM DISTRIBUIDORA

  2. LCI é competitiva

    Em períodos onde as cotas de FII´s estão estáveis ou em queda o LCI pode até render mais (visão de curto prazo).

    Fiz uma implicação em LCI faz 1 mês : rendimento 0,89% CDI em Banco de primeira linha(pode-se obter % maiores).
    O resultado em 1 mês foi 0,909% maior que o rendimento de muitos FII´s.

    • Sim, chico64

      Existem opções que empatam ou mesmo superam os rendimentos de muitos FII. Mas deve-se analisar muito mais do que isso. O investimento repõe ou supera a inflação (seja FII ou outro)? Qual a liquidez? segurança? etc?

      Então vai de cada um. Eu nunca ponho todos os meus ovos numa cesta só. Tem sempre rendimentos que vão melhores e outros piores. Na média que ter capital protegido (em tempos de inflação alta) e rendimentos (no longo prazo).

    • o problema é que a lci nao permite os reinvestimentos do lucro que nem os fiis
      entao eu acho que o potencial de crescimento face os juros compostos seriam mt maior nos fiis, mesmo pagando DY baixo, correto?

    • Anderson, a LCI já rende juros sobre juros automaticamente.

      A grande vantagem dos FIIs é que você tem a oportunidade de escolher para qual investimento direcionará o novo rendimento, mas não que a LCI não possui os juros compostos.

    • ahchaves, vamos fazer um “teste de mesa”: suponha que eu tenha um FII que me pague 0,50 ao mês e eu tenha comprado a cota por 40,00 (taxa mensal de 1,25%, nada de outro mundo). Isso ao ano, SEM reaplicar os rendimentos mensais (ou seja, nesse caso estamos falando de juros SIMPLES), dá 6,00, que equivale a 15% aa (desprezando a inflação, apenas para simplificar a conta). Suponha que eu tenha uma LCI de 40,00 que me pague 15% aa (juros COMPOSTOS). Nesse caso, o FII realmente é vantajoso, pois posso pegar o rendimento mensal do FII e reaplicar, elevando a taxa anual. Já no caso da LCI, só receberei no vencimento.

  3. Bom dia pessoal.
    Vou aproveitar que essa semana estou CHEIO de dúvidas antes que elas sumam hehe
    Estou acompanhando os FIIS há pouco tempo e tenho visto os investidores mais antigos reclamando do derretimento das cotas por conta de uma crise no setor imobiliário. Temos os seguintes indicadores que afetam mais ainda (se eu estiver viajando, me corrijam por favor hehe)
    1- dolar alto
    2-ipca altissimo em 2015
    3- selic a 14% (o que afasta mais ainda o pessoal dos fiis já que em RF o risco é menor e um retorno muito maior)
    4-commodities em baixa
    5-pib caindo
    6- alta de desemprego
    7- restriçao ao credito

    Daí eu pensei. Será que essa crise nao pode ainda derreter mais e mais as cotas dos fiis? Qual é o perigo que os fiis continuam correndo com todos esses fatores que afetam nossa cadeia produtiva? Uma queda nos alugueis? Inadimplencia? Vacancia maior? Uma disputa por um m² mais vantajoso que pode forçar FIIs que hoje pagam bem, reduzirem seu aluguel?
    O que voces acham desse cenário?
    É muito exagero da midia? Nao tem nada disso que eles estão falando ou nao devemos nos alarmar tanto ? ou é algo que vá durar por mais tempo?
    Gostaria de saber a opiniao de voces que são bem mais experientes que eu e já passaram por outras crises antes.

    Qual foi e qual continua sendo a estratégia de voces?

    Desde já, agradeço :}
    Bom dia

    • ahchaves, essa é a pergunta que todos gostariam de saber a resposta. O que podemos observar é que o mercado correu dos fiis, o volume caiu e o numero de investidores também. Isto está no relatório do BCFF.
      Como o amigo acima disse, diversifique e tenha bons fundos, boa renda fixa, boas ações, imoveis e uma poupancinha em dolar para não estragar a viagem.
      A vacancia atualmente está em alta e os alugueis caindo.
      Pode ser um bom momento para comprar cota barata, como pode ser um otimo momento para ficar na renda fixa, por isso é bom ter os dois.

    • fala Abrahao! blz?
      Entao, eu já defini a porcentagem que manterei em RF que será bem maior para compensar essas provaveis perdas de aluguel.

      Decidi alocar o minimo em fii que eu tenha segurança e durma confortável sabendo das flutuações que essa parte do patrimonio pode sofrer.

      Eu estou encarando como oportunidade.
      forte abç!!

    • ahchaves

      Você listou com propriedade uma série de indicadores que afetam os FIIs neste momento, mas considero que atualmente há um conflito de três fatores principais (trilema), um a favor, outro contra e o terceiro ainda indefinido.

      A favor é que em momentos de crise os ativos reais são um porto seguro e tendem a a se valorizar. Como os FIIs são lastreados em imóveis físicos, isso conta a favor dos mesmos e, talvez isso explique a alta moderada observada recentemente.

      Por outro lado, por serem divididos em cotas e facilmente negociáveis, muitos aproveitam a alta dos juros e vendem suas cotas para aplicamr em renda fixa.

      O fator que pode ser decisivo é o fiscal. Para mim está claro que o ministro Levy após os cortes no orçamento possíveis, dadas as restrições ideológicas e políticas, vai conduzir o ajuste promovendo o aumento de impostos. Hoje já foi divulgado que o governo vai aumentar s contribuição social dos bancos e outras medidas virão. Se antecipando, a Anbima está propondo o fim da isenção de imposto para LCIs com prazo inferior a 12 meses. Nesse contexto, acho que é provável que os rendimentos dos FIIs voltem a ser taxados. Também não descarto a possibilidade que as aliquotas do TD e a renda fixa sejam aumentadas. Na ótica do governo essas medidas não afetam a maioria da população e agradariam os setores de esquerda.

      Assim, devido ao alto grau de incerteza, o momento exige muita cautela e ponderação.

  4. FII não é imovel.
    não se comporta como imovel.
    não acompanha nem mesmo o preçodo Mercado Imobiliario.
    imovel varia seguindo a renda, taxa de juros e oferta (estoque de imoveis).
    FII parece se importar somente com taxa de juros e se está proporcionando rendimento de aluguel.
    Mas, IMPORTANTE, FII se comporta como imóvel quando e se houver a VENDA do imovel pertencente ao FII.
    Conclusão:
    adquiramos FIIs que tenham boa renda , mas sabendo que nessa viagem com ele ao lado a cota pode cair mesmo que o Mercado Imobiliario suba!
    Entao, teria que ser dinheiro que não vá precisar em curto ou médio prazo. ovamente o racional da renda variável) E ainda comprar FII com bons prédios que se e quando forem vendidos tenham boa valorizaçao vis a vis o Mercado Imobiliário, mesmo que a cota no mercado secundário tenha caído.
    É o que penso.

    • Na minha opnião

      Eu já consigo ver o FII como um imóvel

      Só que com um diferencial, o preço dele é atualizado diariamente pela oferta e procura!

      Proporcionando vários pontos de entrada/oportunidades e saída.

      Quanto ao seu comentário sobre dinheiro que não vá precisar em curto ou médio prazo, eu vejo a mesma situação no imóvel físico!
      Normalmente quem ja tem vários imóveis para aluguel, ja deve estar em uma situação financeira estável!!

      Mas já vi situações onde quando a situação aperta! pessoal se desfazendo de imóveis a um preço muito descontado, gerando prejuízo, então isso não fica restrito as cotas de FII.

      Tudo vai depender da necessidade do dono do imóvel (ou cota)

    • FII é um imóvel guiado pela bipolaridade do mercado variável e segue essa mesma linha de comportamento, ora eufórico, ora depressivo.

    • FII – Fundo de Investimento Imobiliário, como o nome já diz são fundos de investimento lastreados em imóveis, o preço de suas cotas é que oscila de acordo com as regras que regem a renda variável, ou seja, as forças do mercado que são motivadas principalmente por expectativas, essas influenciadas por fatores de risco intrínsecos e extrínsecos, em conformidade com ciclos e cenários econômicos e políticos, tendências, fatos, boatos, notícias, análises e tudo que seja inerente e tenha a capacidade de impactar o preço de suas cotas.

  5. Conheça a Carteira de Investimentos pensada pra você

    Caso não consiga visualizar, acesse este link.

    Você pode ter uma carteira diversificada de acordo com a exposição ao risco que deseja!
    Combinamos os nossos Fundos mais procurados de 2015 em uma carteira de investimentos ideal pra você!
    Órama Tesouro DI + Órama Opportunity Total + Órama JGP Equity
    Além disso, preparamos um SIMULADOR pra você saber exatamente quanto investir em cada Fundo!
    Saber mais
    Veja a opiniaão da Sandra
    Órama, o melhor investimento pra você
    Orama.com.br. Atendimento: 0800 728 0880. Ouvidoria: 08007240195 Facebook Twitter Blog Chat Online
    ESTE É UM MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO. Os Fundos Órama são fundos de investimento em cotas que investem de 95% a 100% de suas carteiras em cotas dos Fundos Alvo, sendo que para cada Fundo Órama há um único Fundo Alvo respectivo, exceto o Órama Bolsa Mid Large – Small Cap FIA, Órama DI Tesouro Master FI Referenciado DI LP, Órama Inflação FIRF IPCA LP, e Órama Ouro FIM, que possuem políticas de investimento próprias e específicas. Os Fundos Alvo são fundos de investimento que têm suas respectivas carteiras geridas por gestores independentes. A Órama Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. distribui cotas dos Fundos Órama apenas para pessoas físicas. Informações dos Fundos Órama: 1) Órama JGP Equity FIC FIM; CNPJ: 13.549.297/0001-90; data de início: 31/08/2011; rent. mensal: 4,33%; rent. ano: 8,31%; rent. acumulada 12 meses: 5,29%; PL dos últimos 12 meses: R$19.991.079,98; tax. de adm. mín.: 0,6% a.a.; tax. de adm. máx.: 3,1% a.a.; tax. de perform.: não há; públ. alvo: pessoas físicas e fundos de investimento; data de conversão de cotas: 30º dia corrido após o pedido de resgate; data de pagamento do resgate: 3º dia útil após a data de conversão de cotas; prazo de carência para o resgate: não há. 2) Órama Opportunity Total FIC FIM; CNPJ: 12.105.775/0001-00; data de início: 20/08/2010; rent. mensal: -0,74%; rent. ano: 2,61%; rent. acumulada 12 meses: 9,56%; PL dos últimos 12 meses: R$1.698.196,47; tax. de adm. mín.: 0,6% a.a.; tax. de adm. máx.: 2,6% a.a.; tax. de perform.: não há; públ. alvo: pessoas físicas e fundos de investimento; data de conversão de cotas: 3º dia útil após o pedido de resgate; data de pagamento do resgate: 1º dia útil após a data de conversão de cotas; prazo de carência para o resgate: não há. 3) Órama DI Tesouro Master FI Referenciado DI LP, CNPJ: 12.823.610/0001-74; data de início: 22/12/2010; rent. mensal: 0,92%; rent. ano: 3,66%; rent. acumulada 12 meses: 10,92%; PL dos últimos 12 meses: R$ 6.233.628,69; tx. de adm. mín.: 0,3% a.a.; tx. de adm. máx.: 0,5% a.a.; tx. de perform.: não há; públ. alvo: pessoas físicas e fundos de investimento; data de conversão de cotas: mesmo dia do pedido de resgate; data de pagamento do resgate: 1º dia útil após a data de conversão de cotas; prazo de carência para o resgate: não há. Os Fundos Órama poderão estar expostos à significativa concentração de ativos de poucos emissores com os riscos daí decorrentes. O Órama JGP Equity e o Órama Opportunity Total estão autorizados a realizar aplicações em fundos que podem investir em ativos financeiros no exterior. A tx. de adm. máx. compreende a tx. de adm. mín. e o percentual máx. que a política de investimento dos Fundos admite despender em razão da tx. de adm. dos respectivos fundos investidos. Os indicadores utilizados são para mera referência econômica, e não necessariamente meta ou parâmetro de performance dos Fundos, exceto o CDI, que é meta do Órama DI Tesouro Master. Variação do CDI: mensal 0,95%, ano 3,78% últimos 12 meses 11,36%. Não há garantia de que o Òrama Opportunity Total terá tratamento tributário para fundos de longo prazo, exceto o Órama JGP Equity, que será tributado como fundo de ações, e o Órama DI Tesouro Master, que será tributado como fundo de longo prazo. AS RENTABILIDADES NÃO SÃO LÍQUIDAS DE IMPOSTOS. PARA AVALIAÇÃO DA PERFORMANCE DE UM FUNDO DE INVESTIMENTO, É RECOMENDÁVEL A ANÁLISE INDIVIDUALIZADA DE, NO MÍNIMO, 12 (DOZE) MESES. LEIA O PROSPECTO E O REGULAMENTO DOS FUNDOS ANTES DE INVESTIR. O PROSPECTO, O REGULAMENTO E AS LÂMINAS, QUANDO OBRIGATÓRIAS, ESTÃO DISPONÍVEIS NO SITE DA DISTRIBUIDORA (http://www.orama.com.br). RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU DO FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. As informações deste material estão atualizadas até 30/04/2015
  6. Depois de ver os Hangouts com o Mestre baroni e centurio, minha cabeça fervilhou de dúvidas
    E acho que isso é muito bom pois quando eu começar a nao ter mais dúvidas de nada, alguma coisa deve estar indo mt errado.
    O aprendizado deve ser constante.

    Quem quiser, fique à vontade para responder, pois eu gostaria de diferentes pontos de vista sobre o assunto.
    1)Fii muito descontado E com um DY RELATIVAMENTE BAIXO vale a pena ter na carteira apenas para um trade futuro no curto prazo com o retorno da cota ao patamar normal,?

    2) o baroni diz muito sobre uma porcentagem igualitária entre os fiis. Qual é a opiniao de voces sobre isso? Como foi comentado no vídeo, somos levados a acreditar que um mono mono seria muito mais “arriscado”, ou seja teria um impacto na sua carteira MUUUUUUUUUUUUUUITO MAIOR, do que um fundo multi-multi, pois o ultimo já estaria pouco melhor protegido por sua diversificação. Entao ao meu ver, se eu tenho a mesma porcentagem num mono que num multi, nesse mono 100% disso está apenas em um empreendimento e/ou inquilino, enquanto dos 100% alocado no Multi, ficaria dividido entre a quantidade de empreendimentos, alguem concorda comigo? Ex 20 empreendimentos, da % de alocaçao sua nesse fii, ficaria mais ou menos 5% em cada, ou seja bem menos arriscado.

    Desde já agradeço as colaborações :}
    bons investimentos

    • ahchaves, existem muitas correntes de pensamento com relação à alocações na carteira. Estude e veja a que melhor se adapta ao teu perfil de investimentos. Isto é o mais importante. A tua primeira pergunta demanda estudo e a melhor coisa que posso fazer é não respondê-la. se tu te guiares pelos teus estudos, não terás problemas. A segunda pergunta, eu pessoalmente gosto de dar percentuais diferenciados para os fundos de acordo com seu tamanho (ex. Hgre x EDGA), mas não quer dizer que esteja certo. Simplesmente se adapta melhor ao meu perfil. Abs e boa sorte !!!

    • Olá amigo. tudo bem?
      Obrigado pela resposta!
      Estou estudando sim, com algumas dificuldades por nao ter experiencia, mas contando com os insights do grupo aqui!

      Na montagem de minha carteira teórica, eu havia feito o mesmo que voce. Dando porcentagens proporcionais ao tamanho do fii por exemplo justamente por interpretar o risco dessa maneira que lhe expliquei na duvida acima.

      desde já agradeço!
      bons investimento

    • Chaves, eu tenho monos na carteira em porcentagem sempre menor que os multis.

      Penso assim:
      – Vide o que ocorreu agora com a saída da Peugeot de um fundo com dois imóveis, com um impacto absurdo do DY e no valor da cota para quem estava comprado no fundo. Sabe-se lá se vai algum dia recuperar este preju. Acho que vai demorar muito. Qual seria a chance de uma queda dessa monta e assim súbita num KNRI, por exemplo? Muito menor.

      Por outro lado, entendo a estratégia do Baroni, ela te protege do seguinte cenário.
      – Suponha que vc tivesse , vamos chutar valores: 60% em BRCR, 10%EDGA, 10%RNGO,10%EFDO, 10%SHPH, pq vc pensou em ter cotas proporcionais ao patrimônio dos fundos (aproximação beem grosseira OK?). Blz. Vc se protegeu da eventual vacância de um prédio inteiro tipo Peugeot. Show!
      – Daí vem uma gestora Voldemort da vida, com uma OPA cheia de mistérios, joga a cota pra cucuias, e aí???????? Impactou em 60% do teu patrimônio.

      Em resumo: concordo com o umdiameaposento. Escolha o risco que te incomoda menos. Acho que ambos estão, a seu modo, certos. Difícil escolher o menor risco.

    • hehehe o lorde que voce citou deve ser o BRCR com essa opa, correto? hehehe

      Acho que entendi o que voce quis dizer. As vezes a pessoa se baseou apenas pelo tamanho do fundo, comprometeu parte considerável da renda e um problema de PROPORÇÃO TAMBÉM proporcional ao porte do fundo causou esse dano.

      Agora pude entender perfeitamente. Mesmo um fundo multi que é o brcr, pode sofrer riscos até piores que um mono.

      Só que eu penso o seguinte, se esse MESMO EVENTO do ponto de vista do tamanho do IMPACTO fosse causado em um fii mono, voce nao acha que o estrago seria muito MUIIITO MAIOR?

      desde já agradeço pelas suas dicas e respostas!

    • ahchaves

      1) isso é muito pessoal de cada um, cada um na sua estratégia, eu por exemplo, gosto de comprar fii descontado ou com vacância (sabendo dos riscos, porem tenho uma carteira que tem fiis mais seguros e estaveis para contra balancear)

      2) na minha opinião, eu concordo coma carteira balanceada, mas n levo isso como regra!! tudo vai depender do momento e oportunidade, não me preocuparia em ficar com uma exposição maior em algum FII, desde que esse seja uma oportunidade de compra naquele momento, assim como o FII com menos exposição na minha carteira as vezes não mereça um aporte no momento, pelo fato de haver algum outro com melhor momento de entrada.

      Só um exemplo meu, eu tinha falado para mim mesmo, que não entraria mais em FII de escritório, pois metade da minha carteira global é escritório, e nisso comecei a ir para outras areas (banco, shopping, logística, universidades, etc) para balancear a carteira!! mesmo com esse pensamento, esse mes resolvi voltar pro escritório (XTED), pois no MEU ponto de vista, é uma oportunidade de compra para LP!

    • ahchaves,

      Concordo com o Baroni e sigo essa mesma metodologia de ter percentuais iguais para todos os FIIs que tenho na carteira. Não é só o Baroni que segue essa linha, há vários investidores que adotam esta estratégia. A razão principal é que no nosso cenário (Brasil) não há ainda um bom histórico para avaliar os FIIs e a regulação deste mercado ainda é incipiente (na minha opinião). Devido a isso pode ocorrer problemas graves em qualquer um dos FIIs, inclusive estes multi-multi. As vezes a perda da credibilidade de uma gestora ou de um FII específico é suficiente para jogar a cota lá embaixo independentemente de quantos imóveis estão no patrimônio do fundo. Há fundos monoinquilino e monoimóveis que são muito bem administrados. Portanto adotar percentuais diferentes é como jogar na loteria ou em um cassino, um hora você vai acertar e outra hora vai errar. Além do mais, dá muito mais trabalho administrar uma carteira com percentuais diferentes.

    • Fala Carlão, beleza?
      Pois é. Como investidor iniciante eu tive dificuldade em entender esse raciocinio.

      Desde já agradeço a sua dica!
      forte abç e bons investimentos!

    • Carlos Roberto, então eu vou entrar com as polêmicas do dia:

      Polemica numero 1: “se FII é uma frente de investimentos que ainda não nos trás tranquilidade nem mesmo com a diversificação interna de um fundo, não estaria um indivíduo extremamente exposto ao risco sistêmico estando 100% em FII?”

      Polemica numero 2: “poderíamos considerar que um investidor é conservador quando ele utiliza um metodo avançado de diversificação interna mas esta ” All in” em FII?”

      Polemica número 3: “Governo já declarou claramente que esta de olho na tributação dos dividendos e suspensão dos JSCP. Quem esta totalmente exposto aos FII podem ficar tranquilos com uma repentina queda de 15% a 20% nos seus rendimentos (e por consequência, no seu patrimônio em razão do ajuste das cotas) e ainda sim se declararem conservadores?”

      Não entendam como provocação, gostaria que todos refletissem a respeito…

    • Fala Aspira, beleza?
      Eu acho que a pessoa seria mais conservadora se alocasse maior % em fiis multi multi que também tenham um histórico de boa gestão e bons inquilinos e menor % em fiis que consideram mais arriscados como MONO MONO.

      FORTE ABÇ E BONS INVESTIMENTOS!

      Quero ver a resposta da galera mais experiente e mais sentada(100%) nos FIIS HEHE

    • Aspirante,

      Os pontos que você colocou são muito interessantes e com certeza podem levar a uma ampla discussão com muitas visões diferentes. Vou colocar aqui apenas a minha visão :

      Eu estou com 85% do meu patrimônio em FIIs e com certeza corro o risco sistêmico. Neste ponto não posso ser considerado um investidor conservador. Aliás a maioria dos bancos e casas de investimento classifica como investidor conservador apenas aquele que investe basicamente em CDB’s, LCI’s e fundos DI.

      O investidor de FII’s é no mínimo um investidor moderado.
      Há vários riscos envolvidos. A maioria aqui do blog já conhece estes riscos intrínsecos deste tipo de ativo.
      A diversificação interna com qualidade é essêncial para minorar estes riscos e tornar este tipo de investimento mais palatável.

      Quanto à questão da tributação, é claro que desejamos que tudo continue como está.
      Porém o medo dela acontecer tem que ser bem administrado por todos nós.
      Aquele que não aceita esse risco em hipótese nenhuma e fica toda hora apavorado disto acontecer, não deve investir em FIIs e ponto.
      Eu vou tentar aproveitar enquanto ele existir e me preparar psicologicamente para uma perda de 15 a 20% caso venha a acontecer (espero que não).
      Pessoalmente acho que os FIIs continuarão como estão. Esse mercado é muito pequeno e não faria muita diferença para o governo taxá-lo ainda mais. Ele já é taxado na venda com 20%. O custo-benefício para o governo seria muito pequeno e desestimularia ainda mais o mercado imobiliário.

    • Fala Carlao, tudo bem?
      Entao, parece que seu gerenciamento de risco está nos conformes.
      Voce SABE o risco a que voce está exposto e apesar disso mantém o seu patrimonio nele.

      Se voce dorme tranquilo ou nao, nao sei hehe. Mas se voce tem consciencia e também SUPORTA ver uma perda de 15 a 20% do patrimonio, voce confia no seu gerenciamento de risco.

      Forte abç e bons investimentos!

    • Me identifiquei com o post… Essa conserva de conservador.
      Uso o nome conservador, mas deveria mudar. Sou bem agressivo , eu acho.. Adoro comprar coisas que todo mundo fala que é porcaria.. Tipo bova11 em 2008 e FII desde 2014.
      MAS mesmo eu tenho hoje uns 20% de meu patrimônio total em FII.

  7. Pessoal, gostaria da opinião de vocês. Pensando na estratégia de compra de FII com vacância, se vocês só pudessem comprar um desses ativos, qual vocês escolheriam e porquê: XTED ou PRSV?

    • leoctba;

      Se me colocassem um revólver engatilhado e municiado junto à têmpora e me forçassem a escolher um dos dois (no meu perfil, só assim) eu iria de XTED.
      Por quê?
      Entendo que o imóvel de SP tem lá o seu valor – ainda que não esteja numa localização tão excepcional assim – e que após o grupo PSA deixar o empreendimento, a possibilidade deste vir a ser alugado é maior do que a vacância do PRSV diminuir no CP ou MP. O mercado carioca de lajes corporativas está (bem) pior que o paulista, simples comparação na taxa de absorção de ambos dá bem o tom disso.
      Evidente que o PRSV tem um valor intrínseco muito maior do que o imóvel de Macaé (extremamente dependente de Petro) e que eventual recuperação no mercado carioca, com consequente aumento de ocupação, faria o valor na cota do Vargas dar uma bela disparada; o problema é quando isso ocorrerá. O custo de oportunidade, dependendo do PM de compra, pode ser proibitivo.
      Apenas meu ponto de vista.

      Sds.

    • Tenho os dois e não penso em vendê-los. Investidor de FIIs tem que ter um negócio chamado : paciência. Os cenários mudam e numa carteira grande e diversificada como a minha eles tem espaço sim.

    • Fala Tetzner.
      Me interessa mt daruma olhada melhor nesse investimento que busca superar o IPCA
      Tenho interesse também nessas cortesias, como devo proceceder?
      Desde já, agradeço :}

    • Ahchaves

      Clique no banner à direita do blog, vai te levar para a página da Órama; faça o cadastro e quando receber o email de Bem Vindo me encaminhe (não é o de ativação de login).

      Isso já garante o acesso ao conteúdo de assinantes aqui do blog :D

  8. MegaCombos de Maio/15

    Aproveite essa Mega oportunidade de conhecer todos os Produtos do Blog com 50% de Desconto:

    Revista + Jornal + Relatórios Comentados + Estudos do Tetzner + Pesquisa de Aluguel

    MegaCombo Produtos

    e também todos os Serviços do Blog com 25% de Desconto:

    Radar + Matrix + Nitro + AnaliSYS + Carteiras

    MegaCombo Servicos

    Para Você ficar ligado nos FIIs!

    >>> Clique Aqui e Peça já o Seu <<<

    Receba também o acesso ao Conteúdo Exclusivo de Assinantes: Fórum VIP, Insights, Resumos e muito mais.

  9. Todos os FIIs carregam riscos. Isso é um fato.

    A pergunta que você deve fazer a você mesmo é:

    ESTOU DISPOSTO A CORRER ESTE RISCO?

    Veja 2 exemplos bem simples:

    FCFL é monoimóvel e praticamente monoinquilino.
    Pergunta: Você quer correr este risco?

    XTED está com vacância anunciada e o preço da cota embute de alguma forma este evento.
    Pergunta: Você quer correr este risco?

    Não há certo ou errado.
    Não é crime ter o Fundo A ou B.

    O mais importante é saber gerenciar esta “sopa de letrinhas” dentro da carteira.

    O que “me faz” escolher um ativo é sempre o conjunto da obra (contratos, inquilinos atuais e potenciais, perfil do imóvel, região e vocação, localização e acessos, potencial construtivo, RI, relatórios, etc).

    Não há 1 só fator. É um conjunto.

    Investir é um estado de espírito e um quebra-cabeças de números e fatos, que convergem naturalmente para a simplicidade e conforto pessoal.

    Bom dia e bons investimentos, amigos.

    • Boa Professor, e eu queria te dizer que esse tua diversificação ingenua é mais eficiente do que muitas outras diversificações e bastante famosa e adotada por vários investidores conhecidos do mercado.

    • Me perdoem ter fugido um pouco do tema colocado acima, mas não pode resistir a esse comentário que ratifica o modo de operar do Professor.

    • Banoni

      Se me permite gostaria de incluir no “conjunto da obra” o tipo de fundo numa determinada carteira. Tem fundos que caem muito bem numa carteira mas não em outras.

      Na minha visão não dá para ter uma carteira só com fundos que pagam RMG. Mas um ou dois fundos que pagam RMG (claro, este não pode ser o único critério da seleção) dentro de uma carteira mais variada não vejo problemas. Assim como também não vejo problemas em ter XTED numa carteira variada e com pouca exposição nesse fundo. Vai de cada um.

  10. Tetzner,

    Vc não acha que deveríamos começar um movimento de “melhores praticas em gestão com cotistas” para que os atuais gestores fizessem atividadea minimas para atender melhor?

    – Relatórios publicados mensalmente e disponibilizados até o dia 10 de cada mês.
    – Informações minimas nos relatórios para que não tenhamos que ficar acionando o RI a todo momento para tirar duvidas.
    – possibilidade de votação em assembleia por email ou online.

    Essas seriam algumas sugestões para que a coisa ficasse ao menos aceitável. Percebemos que algumas gestoras já se mexeram, mas a coisa não engrena.

    Pode até colocar um banner com os fundos que atingiram a governança minima aceitavel exigida pelo blog. Acho que mais propaganda do que isso, não tem!

    Vamos sugerir pessoal!

    • O Gestores não tem medo dos cotistas. Mas da CVM eles tem medo, então qualquer reclamação feita a CVM, a CVM é obrigada a apurar e te dar um retorno. Essa mexida da CVM, entrar em contato com os gestores, exigir tal e tal coisa, já coloca eles de orelha em pé, porque eles sabem que da segunda vez não vai ser só conversa.

      Reclamar com os gestores é o mesmo que ligar para o 0800 do Banco e reclamar de um erro do Banco. Se você faz a reclamação para o BACEN, os Bancos são obrigados a te responderem em 10 dias úteis, enviar uma cópia da resposta para o BACEN, e os gerentes de Banco morrem de medo de reclamação no BACEM, porque todo Banco é cotado lá no Banco Central pelo numero de reclamações que possui no Bacem, cada reclamação é contabilizada, e não importa se você tem razão ou não. No fim do ano, ninguém vai ficar investigando cada reclamação para ver se foi procedente ou não. O que conta é o número. Ah, esse banco teve 100 reclamações, e aquele teve 3000. Então tem algo errado com aquele lá.

    • Então meu amigo, mesmo que você reclame na CVM que a faxineira do FII não limpou o chão (coisa que não tem nada a ver com administração, só para citar um exemplo, uma picuinha), a CVM vai lá e enche os sacos dos caras: ” – Recebemos uma reclamação que sua faxineira não limpou o chão”. Para o FII não importa o fato, mas sim, quem está enchendo o saco. Não é um simples cotista que vai entrar por uma orelha e sair pela outra, e aonde você pode desligar o telefone e voltar a trabalhar normalmente….. mas sim a CVM que os gestores não podem sair ignorando, e que tem poder de infernizar a vida dos gestores com milhares de exigências. É o mesmo que o seu chefe te pedir que você leve uma caneta até a mesa dele, e o seu subordinado peça a mesma coisa. Você vai ignorar o subordinado e vai atender seu chefe imediatamente, só porque ele tem o poder de te demitir. Da mesma forma funciona com a CVM.

      Então meus amigos, concluindo: Se a CVM recebe 50 reclamações de um FII, algumas procedente, outras não, o pessoal dos FII vai ficar doidinho, por ter a CVM direto no pé deles, e a CVM vai ficar puta da vida com o FII, por estar sendo importunada toda hora com problemas que os gestores do FII poderiam resolver sem ter que apelar para eles.

      Então pessoal, vale mais uma reclamação da CVM que 3000 ligações para os gestores dos FIIs. Coloquem isso em prática, nem que seja em paralelo, e você verão os resultados.

    • Então pessoal, em relação ao FII CEOC, por exemplo, eu já abri um protocolo de reclamação na CVM, e agora o FII vai ser obrigado a responder a minha reclamação e mandar o email da resposta a CVM (exigência da CVM). Isso já enche o saco dos caras, e eles, por medo, já começam a se mexer, porque sabem que não poderão ficar parados impunemente. Abra um protocolo, nem que seja para dizer que o relatório mensal está ruim, ou que o FII não alugou até a gora, ou que fez o IPO a 100 reais e cobrou mais pelo que o FII vali etc etc. Cada protocolo aberto na CVM vai numerando. e a CVM está atenta: Aquele FII teve 400 reclamações no ano!!! – Vamos fazer uma devassa lá, porque tem coisa errada,e eles vão e infernizam a vida dos gestores. A CVM tem o poder de decretar o fechamento de um fundo se eles quiserem.

    • Lindo. Abrindo protocolo na CVM nos próximos dias para questionar o conflito de interesses do bbrc11 e o grande prejuízo aos cotistas. Sugiro que todos os cotistas o façam. Palhaçada total essa demora do BB em ocupar agencias prontas e a inércia do fundo de investigar isso.

    • Jorge

      sem tirar seu mérito na questão e apenas fazendo uma “pausa” para reflexão

      estes meios são recursos de último caso, devemos sempre iniciar o procedimento pelo caminho próprio, no caso o RI

      pegue o exemplo da Ouvidoria, vão sempre te pedir o protocolo do atendimento que gerou a insatisfação

      evitem tornar algo extremo em comum, direcionem todas as sugestões e reclamações primeiro para o RI e cobrem uma resposta

    • Isso funciona igual a Banco Tetzner, hoje eu nem reclamo para o Banco. O Banco nem te responde. Eu abri 2 protocolos em 2014 no 0800 dos Bancos. Hoje eu abro direto no BACEN já digo que reclamei no Banco, porque já sei que no Banco não respondem por experiências passadas, e é vapt e vupt, dois dias depois o gerente me liga em casa, resolve o meu problema rapidinho e ainda pede: – Se você tiver algum problema é só me ligar. (uma maneira de dizer para você não recorrer ao BACEN). Só que, apesar deste “ENTRE ASPAS” coretinho, fazer o procedimento certinho, eu não gosto de passar por palhaço, e como sou macaco velho e já sei como é que o barco anda, é direto BACEN. E funciona, sou atendido, ninguém fica me questionando se já reclamei no Banco. Se não reclamei eu falo que reclamei e dou um numero de protocolo qualquer, e quer saber? Na hora que a reclamação vai para o BACEN, o BACEN envia para a central do Banco (vai o email que eu mandei), o email é repassado para a agencia com o pedido: ” – Resolva, (vindo da chefia)”. Aí o gerente, que antes nem te dava atenção se meche rapidinho porque aí ele está atendendo a um pedido da central de São Paulo (e gerente tem instinto de sobrevivência).

      Esse negócio de reclamar pro FII primeiro, para esperar a resposta, para depois pegar o numero do protocolo etc etc, todo mundo faz todo fia, e nós já sabemos por terceiros, então não é preciso eu repetir a mesma operação que Fulano ou sicrano fez, porque ele já fez e já nos disse aqui qual foi a resposta do FII.

      E nós não somos mais adolescentes pra ficar nesse lenga lenga de “já fez todos os passos que precisava”, até porque não tem uma lei dizendo que você tem que seguir etapas, apenas uma convenção.

      No caso dos BANCOS e TELEFONICAS, eu nem ligo pra 0800. É direto BACEN e ANATEL e funciona que é uma maravilha. Então porque vou fazer o papel de idiota, na minha idade e ficar me submetendo a 0800, pegar nuero de protocolo, esperar a resposta, se não é obrigatório por lei proceder dessa maneira???

      Se tivesse uma lei, eu respeitaria, como não tem, eu vou para a etapa que julgo ser a mais eficiente. Por mais que os FIIs achem ruim.

    • Jorge, no Bacen nunca reclamei, não houve razão para isto. Mas na Anatel sim, e funciona mesmo. A empresa de telefonia passa a ligar para voce com o objetivo de fechar a pendência o mais depressa possível. Mas pedem sim o número de protocolo da reclamação feita na empresa.
      Resta saber se a CVM tem mesmo o mesmo poder que a Anatel e o Bacen.

    • Concordo com o Jorge sobre os bancos e telefonia (nunca testei a CVM mas acredito que não seja diferente), existem casos que não adianta ficar alisando, tem que ir direto na jugular, só se manifestam sob pressão de órgãos fiscalizadores.

    • Quando a Anatel me pede o numero de protocolo eu passo um número qualquer. A anatel não verifica se aquele número é da reclamação até porque isso faz parte do sistema interno da telefonica. Eles só repassam a reclamação para a telefonica que tem que se virar pra responder ao reclamante. Nessa hora o que menos importa é o número . Depois quando a telefônica me liga, eles tocam no assunto, mas você não precisa responder ou emendar. Muda de assunto agradece pela pendencia já resolvida se despede e desliga o telefone.

    • Interessante esse post

      Mas fiquei com uma duvida.

      Até hoje só mandei 1 email para o RI de um FII

      E nele não veio nenhum numero de protocolo ou algo do tipo??

      Como se geraria um protocolo para depois abrir uma reclamação a CVM??

      Vale a copia dos email enviada?

    • Concordo com o Jorge Hess.
      Mas não acho que há solução para as vacâncias, pois é um problema de oferta e procura.

      Agora o problema do conflito de interesse do BTG/BRCR/BRPR/Prime, penso que a intervenção da CVM será eficiente.

      Também o conflito de interesse das agências do BB/VAM/Votorantim/BB Controlador, poderá ter uma solução via CVM, pois no momento que as pessoinhas da VAM passam a deliberadamente prejudicar os cotistas para agradar o patrão BB (ao não exigir do locatário BB a aceitação dos imóveis prontos, conforme o contrato), estes elementos da VAM estão falhando no dever ficiciário, podendo ser responsabilizados por perdas e danos.

    • Os FIIs não dão protocolos Alisson. Isso é coisa de autarquia pública e de empresas de serviços de reclamações como os 0800 da vida. Basta você ter telefonado uma vez e eles não te darem retorno.

Novos Comentários Aqui ou via botão "Resposta" nos anteriores (Não Inserir Links)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s