AGCX11 – Agências Caixa

O Fundo é administrado pela Rio Bravo Investimentos, em regime de condomínio fechado e com prazo indeterminado de duração; classificado como sendo um fundo do tipo Tijolo e enquadra-se na segmentação Agências.
O objetivo do fundo é a aquisição de imóveis, particularmente agências bancárias para locação apenas à Caixa Econômica Federal.
AGCX11
Os valores de aquisição dos Ativos Imobiliários sofrerão atualização monetária do IGP-M/FGV, com pro rata a partir de 1º de dezembro de 2012.
A rentabilidade esperada do Fundo, conforme definido no Estudo de Viabilidade e mensurada em termos de taxa interna de retorno (TIR)  é equivalente a 13,71% (treze inteiros e setenta e um centésimos  por cento) ao ano, considerando eventual acréscimo de inflação, ou  seja, em termos nominais.
Inicialmente o FII irá adquirir 26 imóveis de propriedade da Caixa, usando para isso apenas 40% do total captado. Os 60% restantes serão investidos em ativos financeiros renda fixa (Tesouro Direto, LCI, etc), aguardando novos imóveis a serem adquiridos e locados à Caixa.
O rendimento inicial será proveniente da locação destas agências e dos juros financeiros, apresentando assim um comportamento similar aos outros FIIs de Agências Bancárias: Aquisição do Imóvel > Adaptação ou Reforma > Entrega do Imóvel > Recebimento do Aluguel.
Vale lembrar que entre o começo e o final deste processo o capital investido não rende juros e nem aluguel, baixando assim o rendimento mensal.
Aproximadamente R$ 156 milhões, foram alocados na aquisição de 26 agências bancárias, já em funcionamento, locadas à Caixa Econômica Federal no formato Buy to Lease.
O restante dos recursos captados líquidos, serão utilizados para a aquisição de imóveis, e posterior reforma/construção de agências bancárias, a serem locadas à Caixa Ecônomica Federal, no formato Built to Suit.
Para tanto, o fundo tem atualmente 60 microrregiões de prospecção exclusiva, as quais estão sendo trabalhadas pela Rio Bravo e Jones Lang LaSalle com a finalidade de identificar estes imóveis.
Os recursos ainda não alocados na aquisição e desenvolvimento das novas agências, estão alocados em ativos de renda fixa,  preponderantemente LCI’s e fundos de investimento com rendimentos atrelados ao CDI.
Taxa de Administração
1º ano: 0,651% a.a.
2º ano: 0,551% a.a.
3º ano: 0,451% a.a.
A partir do 4º ano: 0,351% a.a. sobre o Patrimônio Líquido do Fundo
Taxas regressiva de 0,651%a.a. no 1º ano de existência do fundo até 0,351%a.a. após 4 anos de existência do fundo, incidente sobro o patrimônio liquido (mínimo R$ 30.000,00 mensais corrigido pelo IGPM).
Consultor Imobiliário: Jones Lang LaSalle
O Contrato:

“é assim, o dono(Caixa) vende o imóvel para o novo proprietário(FII) com o compromisso de alugá-lo, geralmente por longos prazos.”
 
” O “lease back” é a modalidade de arrendamento mercantil em que o arrendatário, antes de o ser, vende sua propriedade do bem ao arrendador,recebendo-a, após, em locação. “
 
no caso da caixa:
“Objeto do Contrato: (i) a realização de construção pelo Locador, por intermédio de construtora, de acordo com as especificações dos Locatários e no tempo e forma previstos no projeto e no contrato; e, (ii) a subseqüente locação do empreendimento aos Locatários, em caráter personalíssimo, pelo prazo de 120 (cento e vinte) meses, contados a partir da data de início do Prazo Locatício.”
 
“Renovação da Locação: os Locatários, desde que estejam adimplentes com as obrigações por eles assumidas, gozarão da prerrogativa de solicitar ao locador a renovação do prazo da locação por igual período. Para efeitos de renovação da locação, prevalecerão as mesmas condições do Contrato de Locação Atípica. Nesse momento, as partes poderão rever o valor de locação, sendo que para fins de definição do valor de mercado do aluguel na hipótese de renovação discriminada, cada uma das partes, as suas exclusivas expensas, apresentará um laudo de avaliação elaborado por uma empresa especializada contemplando o valor da locação.”
 
Agências Buy To Lease

Área Construída Início Contrato Término Mês de Nome Endereço Contrato Reajuste
 Ag Inconfidencia R. Curitiba, 888 - Belo Horizonte/MG 2.373,17 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag Venda Nova R. Padre Pedro Pinto, 1.580 - Belo Horizonte/MG 2.585,45 m² nov/12 out/22 Novembro
 TOTAL MG: 4.958,62 m²

Nome Endereço Área Construída
 Ag 14 Bis Av. Marechal Câmara, 160 - Rio de Janeiro/RJ 1.900,31 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag Av Chile Av. República do Chile, 230 - Rio de Janeiro/RJ 1.139,67 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag Bandeira R. Mariz e Barros, 79 (Loja) - Rio de Janeiro/RJ 1.339,00 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag Ipanema R. Visconde de Pirajá, 127 - Rio de Janeiro/RJ 510,00 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag Leme R. Antônio Vieira, 24 - Loja A - Rio de Janeiro/RJ 696,80 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag Meier R. Dias da Cruz, 28-A (Loja) - Rio de Janeiro/RJ 1.483,53 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag Nova Iguacu Av. Marechal Floriano Peixoto, 2370 - Nova Iguaçu/RJ 3.256,00 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag Rec Bandeirantes Av. das Américas, 15545 - Rio de Janeiro/RJ 919,00 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag São Gonçalo R. Dr. Nilo Peçanha, 125 - São Gonçalo/RJ 1.388,00 m² nov/12 out/22 Novembro
 TOTAL RJ: 12.632,31 m²

Nome Endereço Área Construída
 Ag Via Anchieta Via Anchieta, 1558 - São Paulo/SP 1.785,00 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag Barra Funda Av. Rio Branco, 1675 (Loja) - São Paulo/SP 1.293,02 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag Benedito Coutinho R. Antônio Benedito Coutinho, 149 - Osasco/SP 1.206,10 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag Carapicuiba Av. Rui Barbosa, 281 (Calçadão) - Carapicuiba/SP 1.949,20 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag Santa Cecilia R. das Palmeiras, 233 (Loja) - São Paulo/SP 1.205,86 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag Capão Redondo Estrada de Itapecerica, 3429 - São Paulo/SP 1.448,48 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag Guaianases R. Salvador Gianetti, 436 - São Paulo/SP 2.475,10 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag Guarapiranga Av. de Pinedo, 228 - São Paulo/SP 1.312,18 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag Imirim Av. Imirim, 1271 - São Paulo/SP 1.384,34 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag Itaquaquecetuba R. Sebastião Ferreira dos Santos, 93 - Itaquaquecetuba/SP 2.342,10 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag Jardim da Saúde Av. do Cursino, 1348 - São Paulo/SP 1.833,14 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag Planalto Paulista Av. Indianópolis, 2125 - São Paulo/SP 1.299,00 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag Pirituba R. Guerino Giovani Leardini, 63/67 - São Paulo/SP 1.368,00 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag Quitauna Av. dos Autonomistas, 5386 - Osasco/SP 2.250,00 m² nov/12 out/22 Novembro
 Ag Senador Queiros Av. Senador Queiroz, 85 a 111 - São Paulo/SP 1.446,96 m² nov/12 out/22 Novembro
 TOTAL SP: 24.598,48 m²

Agências Built To Suit
 Nome Endereço Aquisição Área*
 Ag Hebraica Av. Brigadeiro Faria Lima, 1644 - São Paulo/SP 21/06/2013 323,31 m² jan/14 jan/24 Dezembro
 Ag Vila Mascote Av. Santa Catarina, 287 - São Paulo/SP 30/08/2013 753,36 m² jun/15 mai/25 Fevereiro
 Ag Pq. Maria Helena R. Cel. Souza Franco, 115 - Suzano/SP 04/10/2013 581,00 m² dez/14 dez/24 Fevereiro
 Ag Jundiapeba Al. Sto. Ângelo, 118 - Mogi das Cruzes/SP 11/10/2013 593,44 m² fev/16 fev/26 Fevereiro
 Ag Estrada Rio do A Est. Rio do A, 1131 - Campo Grande/RJ 14/01/2014 571,41 m² Em Fase de Entrega
 Ag R. dos Italianos R. dos Italianos, 609 621 623 - São Paulo/SP 25/04/2014 520,50 m² out/15 out/25 Maio
 Ag Av. Pres. Wilson Av. Rio Branco, 311-B - Rio de Janeiro/RJ 30/04/2014 713,62 m² dez/14 dez/24 Maio
 Ag Industrial Av. Com. Alex. Garcia, 1285 1389 - Uberlândia/MG 16/06/2014 552,00 m² fev/17 jan/27 Maio
 Ag Rio Claro Av. 1, 500 – Rio Claro/SP 16/07/2014 542,70 m² dez/16 dez/26 Dezembro
 Ag Osasco Av. das Esmeraldas, 512 e R. Rubi, 371 - Osasco/SP 18/07/2014 804,00 m² jul/15 jul/25 Maio
 Ag Pedro Vicente R. Pedro Vicente, 222 - São Paulo/SP 01/08/2014 814,20 m² Em Fase de Entrega
 Ag Cipó Guaçu R. Sesefredo Klein Doll, 12 - Embu-Guaçu/SP 23/09/2014 551,00 m² ago/15 ago/25 Julho
 Ag Campo Limpo Est. do Campo Limpo, 5520 - São Paulo/SP 30/09/2014 604,00 m² Em Revisão
 Ag Paes Leme R. Paes Leme, 250 258 - São Paulo/SP 28/11/2014 903,60 m² set/15 set/25 Outubro
 Ag Pátio do Colégio Lg. Páteo do Colégio, 1 - São Paulo/SP 02/12/2014 676,00 m² Em Fase de Entrega
 * Área Construída do projeto, podendo ocorrer alterações. TOTAL BTS: 9.504,14 m²

RI:  fi@riobravo.com.br / fundosimobiliarios@riobravo.com.br

Tutor do FII: Emerson

Anúncios

838 comentários sobre “AGCX11 – Agências Caixa

  1. “Quanto aos recursos disponíveis no caixa do Fundo, temos avançado em tratativas com grandes varejistas e com
    proprietários de agências locadas para a Caixa de forma a alocar o capital restante do Fundo em ativos
    imobiliários, buscando sempre aumentar o rendimento do Fundo com bons ativos. Assim que a primeira proposta
    de aquisição for assinada, devemos convocar assembleia geral extraordinária para deliberar eventual operação ou
    alteração no regulamento do Fundo, caso necessário. “

    É o segundo relatório gerencial em que o gestor cita as tratativas com grandes varejistas.
    Será que a JBS vai diversificar e se tornar uma grande varejista de carnes, e precisa de uns imóveis BTS?
    Esta citação recorrente mostra que o gestor está precisando de um feedback dos cotistas a este respeito.
    Mande a sua opinião para o gestor (Rio Bravo) antes que ele faça mais esta bobagem

    Curtir

      • Uma curiosidade que tenho é se todos os FII de agências vão em algum momento se defrontar com essa realidade ou este fundo foi o único que “vacilou” ao colocar a clausula impeditiva de se alugar para outros inquilinos? Já existe algum caso onde foi possível o fundo “alterar sua natureza” e seguir em frente?

        Curtir

      • Americanbroker muda o produto então deixa de fazer sentido até o nome… mais que isso, a oferta foi montada em cima de uma premissa, instituições aderiram e algumas puderam aderir em função dessa garantia. Se romper pode dar muito ruído

        Curtido por 1 pessoa

      • ou este fundo foi o único que “vacilou” ao colocar a clausula impeditiva de se alugar para outros inquilinos?

        Vacilo? Esta cláusula que obriga a locação apenas à Caixa é uma das pernas de equilíbrio deste fundo, e o que tem impedido o gestor de fazer bobagem, embora ele tenha “avançado em tratativas” procurando sarna para fazer os cotistas se coçarem. É uma falta de seriedade e competência do gestor, que há 5 anos não consegue fazer aquilo que é pago para fazer.

        Curtir

      • Formigo o que ninguém entende é COMO que foi lançado um produto assim sem que a caixa tivesse minimamente algum tipo de compromisso com a cessão de agências. O fundo leva o nome dela, tem restrição à outros inquilinos, tinha de ter conta na caixa pra participar, …

        Curtido por 1 pessoa

      • Mas Formigo, o que fazer com o dinheiro do fundo se a CEF não quer mais agências. Manter em renda fixa é que não pode, já que se fosse para deixar em renda fixa eu mesmo o faria. A alternativa parece ser interessante, comprar imóveis para alugá-los a grandes varejistas. Ou então devolver o dinheiro aos quotistas.

        Curtido por 3 pessoas

      • Tetzner, também não compreendo como fizeram essa trapalhada, criando um fundo que não tem compromisso do único inquilino possível. Lembro que à época fizeram tudo muito apressadamente. Prazos curtíssimos e exigências atípicas, como esta de ter conta na Caixa. Lembro que muitos tentaram e não conseguiram entrar no lançamento. Não dava tempo nem de preparar a documentação e ter a abertura de conta aprovada. Cheguei a pensar que era alguma armação de diretores da Caixa, criando um fundo nos moldes do BBPO, mas para benefício deles próprios, dificultando para que outros entrassem na emissão. Eu mesmo comprei só no mercado secundário quando a cota caiu abaixo do preço de emissão.

        Curtido por 1 pessoa

      • João Terra,

        O que o gestor precisa fazer é um plano realista junto com a Caixa para construção de agências ou compra de imóveis já alugados para a Caixa(e que garantam uma TIR próxima à do prospecto), podem ser ais imóveis de propriedade da Caixa ou de propriedade de terceiros. Fora isso o melhor é devolver o dinheiro para os cotistas através de amortização, e cada um investe como desejar.

        O que não podemos ter é um fundo híbrido, parte em agências e parte em papéis financeiros, numa situação que se arrasta há 5 anos.
        Mas é claro que pode ficar pior, basta seguir com esta intenção de alugar para outros inquilinos.

        Curtir

      • Meu único problema no momento não é a grana aplicada, dinheiro vivo foi, é e sempre será o melhor dos mundos, ele fala alto em qualquer parte do planeta, agora quanto a essas agências com possibilidade de vir a serem adquiridas de terceiros e q já estão alugadas pela caixa, pode ser um tremendo mico, estive anos atrás olhando algumas q estavam a venda e não agradei por vários motivos, localização desses imóveis da caixa (inclusive alguns dos nossos tá ) são periféricas, geralmente são em bairrões, q se um dia o banco sair vale 10 % só o imóvel pelo preço q pedem por a caixa estarem dentro, outra coisa os imóveis são barracões pré-moldado com divisórias de drywall com acabamento dos mais simples e barato, aquele pisinho da Eliane branco com pigmento pretinho sabe, esse predomina, também a maioria q os donos estavam dispostos a vender, existia um forte rumor de q a caixa poderia deixar o imóvel ao término do contrato. Blz, eu prefiro os prédios próprio da caixa q são tipo os do Bbpo, alguns velhos, mas de boa estrutura e principal de tudo, bem LOCALIZADOS, pois isso é o mais importante em fiis de agências de agora em diante, o imóvel tem q apresentar um mínimo de sobrevida num futuro onde os bancos se digitalizam rapidamente,

        Curtido por 1 pessoa

      • Na minha visão a Caixa quebrou o contrato nesse fundo. Teria que aceitar e pagar os aluguéis das agências contratadas.

        Veja BBRC, por exemplo. Mesmo fechadas as agências foram entregues porque estava no regulamento.

        Curtido por 5 pessoas

      • Tipo BRCR? Olha o resultado… Amortização é assinatura de atestado de incapacidade. Meu ponto aqui é que deveriam ter estruturado melhor de forma a garantir o lado do cotista. É um FII de Agências da Caixa… se virem nos 30 e consigam imóveis com a Caixa ou terceiros. Só não vale ficar esperando agência cair do céu…

        Curtido por 4 pessoas

      • O atestado já tá assinado e reconhecido firma, acho pior q Brcr Ainda, mas meu medo q o ditado q tudo q tá ruim pode piorar, e sem cláusula q proteja o cotista pelo q venho vendo, chegam a dizer q tinham um acordo de boca, veja isso, então sendo assim estamos nas mãos de quem?, não adianta nada ter razão se não temos respaldo na lei, em um eventual processo, por isso q digo um mal acordo q inclui devolver o dinheiro pode ser um negócio menos pior p o cotista, veja q se tivesse devolvido isso lá trás a mais de ano quando estourou a bomba, pessoal poderia ter comprado um Pqdp ou qualquer um outro fii desses q se despontou aí e estaria a agradecer a caixa Ainda compreende como pode ser os fatos

        Curtido por 1 pessoa

      • InterceptorFII19

        na pior das hipóteses o FII loca em LCI e remunera isento pro cotista

        então, reitero minha opinião de que gestor que pede capital para depois amortizar porque não sabe o que fazer com dinheiro… assina atestado de incompetência

        mais ainda… quem aloca em FIIs quer um mínimo de ancoragem imobiliária… renda fixa é para reserva de contingência ou alocação temporária (Mês e não Anos)

        Curtido por 2 pessoas

      • Tenho um inquilino q o pai dele foi interditado pela justiça por problemas mentais, a pedido de um outro irmão dele, já fazem 22 meses sem receber aluguel, pois todos viviam dos negócios da família, e o avalista q eu escolhi na época da locação é justamente o pai q foi interditado, e aí como sair dessa? Fiz um acordo p saírem do imóvel e talvez recebo daqui 15 20 anos quando resolverem a pendenga, mas com a devolução do imóvel vão se os anéis mas fica se os dedos, ano é o combinado não é o q queríamos nem eu nem ele, mas a vida é assim, imprevistos acontecem e vivem nos dando lições diferentes a todo tempo

        Curtido por 1 pessoa

      • Concordo plenamente com tigo, são incompetentes mesmo, mas isso não resolve nosso problema, também nao olhamos as coisas direito e acreditamos q tudo vai dar certo, e do brasileiro, só pensa no bom, não se respalda de fatos q possam vir acontecer, lógico q a culpa é deles teriam q resolver, mas se não tem nada q os obriga a fazer isso, o q podemos fazer? Achei essa sua ideia uma boa saída, taí uma das poucas soluções q se da p fazer né

        Curtir

  2. Varejistas?? :/

    “Quanto aos recursos disponíveis no caixa do Fundo, temos avançado em tratativas com grandes varejistas e com proprietários de agências locadas para a Caixa de forma a alocar o capital restante do Fundo em ativos imobiliários, buscando sempre aumentar o rendimento do Fundo com bons ativos.

    Assim que a primeira proposta de aquisição for assinada, devemos convocar assembleia geral extraordinária para deliberar eventual operação ou alteração no regulamento do Fundo, caso necessário.”

    Iche… até alterar o regulamento… perderam o contrato… já estão “comendo mosca” outra vez

    Curtir

    • Só para vocês verem como esse mercado tem muito que crescer e amadurecer ainda… gestão continua pensando apenas com a cabeça no financeiro…

      O FII nasce: “Agências da Caixa” com uma promessa de TIR das Galáxias que “ploft” faiou…

      Motivo? O “inquilino” não tem qualquer obrigação colocar imóveis no fundo, mas colocou uma restrição ao fundo de não colocar outros inquilinos e “nomeou” o fundo: FII Agências da Caixa

      Pois bem… dois anos postergando e nada… nenhum prédio cedido mesmo que em BTL (vende e aluga)… já que o BTS (constrói pra alugar) já estava enrolado mesmo

      Curtido por 1 pessoa

      • Há alternativa de proprietários mas ai não dá para chega na “TIR das Galáxias”…

        solução?

        Acha um “inquilino alternativo” … sério, o cara compra no IPO um fundo imobiliário que se propôs a comprar e alugar para Caixa, eles não só não conseguem fazer o básico que seria alocar o dinheiro capitado… como agora pretender mudar a finalidade e locar para outro?

        Vou pegar a pipoca, puxar a cadeira e torcer pra Caixa usar a restrição e proibir isso kkk

        Curtido por 1 pessoa

    • Eu acho que 1 dos problemas é o fundo ter gd parte do $ disponível aplicado na PP Cx. Rendendo uma mer..reca. uma das atitudes que os cotistas deveriam pleitear já, era uma aplicação fora da Caixa, tanto para melhorar o rendimento como uma demonstração de independência da Caixa como de interesse pelos cotistas.

      Curtir

  3. Caixa tem lucro de R$ 4 bi no semestre, alta de 104%

    – A Caixa Econômica Federal registrou lucro líquido de R$ 4,073 bilhões no primeiro semestre deste ano, o que representa uma alta de 104% em relação ao mesmo período de 2016. O banco público ainda não divulgou os números, mas os dados já constam no Banco

    A carteira de crédito da Caixa encerrou junho em R$ 703,7 bilhões, alta de 4% em 12 meses e de 0,2% no trimestre. As despesas com provisão para perdas no crédito recuaram 3% em relação aos seis primeiros meses do ano passado, para R$ 9,733 bilhões.

    As receitas de prestação de serviços do banco aumentaram 11%, para R$ 9,476 bilhões. A Caixa encerro o primeiro semestre com um índice de capital nível 1 (de melhor qualidade) de 8,9%, levemente acima dos 8,7% registrados em junho do ano passado.

    Curtido por 2 pessoas

      • Qual FII não tem nenhum “senão”? Que atire a primeira pedra o FII perfeito. Se esse é lixo, sem vacância, sem revisionais negativas, o resto é o quê? Tem dinheiro em caixa – muitos outros estão ficando sem dinheiro em caixa; tem promessas não cumpridas – sério? Qual FII cumpriu tudo o que prometeu desde o IPO? Tem FII aí que por enquanto é só promessa, só TIR hipotética. Tem que saber administrar risco, e ter margem de segurança. Ou vai pra renda fixa.

        Curtido por 6 pessoas

      • sobre as reclamações:

        Acho que foi mais um desabafo, algo pro administrador ler e saber que não passou em branco, que não é só “catar” o dinheiro e depois que se se lasquem… nesse fundo a gestora foi relapsa ao permitir um contrato que praticamente não obriga o inquilino a nada

        Basta ver o tempo que essa novela se arrasta…

        Curtir

    • O fundo está um Frankenstein. Imóveis, renda fixa, LCI, espetinho de gato…
      O gestor já deveria ter amortizado o que foi captado e não foi investido nos imóveis, mantendo o que “sobrar” do fundo dentro da proposta original, de agências bancárias.

      Curtir

      • Por isso, a gestão ativa nesse FII tornou-se necessária e as distorções no preço irão gerar novas oportunidades para a reentrada.
        Na prática, vejo que temos duas principais variáveis a monitorar até o fim do ano: a queda dos juros (estimada em até 200 bps) e a locação Built to Suit ainda não entregue (R$ 0,55).
        Assim, o descompasso do timing entre essas variáveis é $ da questão.
        Por enquanto, segue o monitoramento:
        – 30/6 cota 1.347,00 distribuição 8,54 Rendimento 0,63%
        – 31/7 cota 1.320,00 distribuição 8,26 Rendimento 0,63%
        – 31/8 cota 1.242,00 distribuição 7,98 Rendimento 0,64%
         
        É quase um relógio. A distribuição segue a redução de R$ 0,28 ao mês e a manutenção do rendimento mensal quase inalterado.
         
        Seguindo essa tendência, é possível projetar um ponto de equilíbrio em breve.
        Contudo, o triste é recomprar um FII que o seu gestor não cumpriu com as suas obrigações primárias do FII e ainda não se sabe o destino final dos R$ 400 milhões.

        Curtido por 1 pessoa

      • é o perfil do cotista, foco na renda… nesse e em todos os FIIs

        meu ponto aí foi a promessa e a projeção de uma TIR no prospecto, SEM QUALQUER GARANTIA DA CAIXA

        como pode lançar um FII com o nome do inquilino, restrição de imóveis só do inquilino e exigir contrapartida???

        Curtir

  4. Senhores boa noite! lendo os comentários sobre a renda, fiquei com uma dúvida sobre o próximo reajuste, com o indexador é o IGP-M e ele vem dando negativo o reajuste seria negativo ou zero?

    Curtir

  5. Saiu o novo relatório gerencial, do qual destaco:

    “As pendências de obra apontadas pela Caixa nas agências de Pedro Vicente, Rio do A e Pátio do Colégio A estão sendo realizadas e deverão ser concluídas em setembro, outubro e novembro, respectivamente, datas a partir das quais acionaremos a Caixa para nova tentativa de entrega dessas agências.”

    Me lembra até aquela história do piloto que teve que abortar a decolagem e retornou ao terminal. Depois de algum tempo avisou aos passageiros: “Atenção senhores passageiros, em poucos minutos faremos uma nova tentativa de decolagem”.
    Bem tranqüilizador! 🙂

    Curtido por 3 pessoas

      • Pessoal, boa tarde!

        Outros pontos que me chamou a atenção…

        Total mantido para as Necessidades de Liquidez vem caindo…
        abr/17 mai/17 jun/17 jul/17
        11.968.470,50 10.682.242,31 9.470.864,79 6.935.492,80

        Disponibilidade em caixa baixou consistentemente…
        abr/17 mai/17 jun/17 jul/17
        2.819.205,89 895.772,27 988.495,23 5.380,27

        Outros Valores a Receber… previsão 15 vezes maior que do mês anterior…
        abr/17 mai/17 jun/17 jul/17
        67.497,39 86.197,38 70.336,09 1.100.313,36

        Diminuição da posição em Fundos de Renda fixa…
        abr/17 mai/17 jun/17 jul/17
        9.149.264,61 9.786.470,04 8.482.369,56 6.930.112,53

        Aumento da posição em LCI…
        abr/17 mai/17 jun/17 jul/17
        141.017.345,80 142.186.582,82 143.215.977,02 144.238.787,06

        Os Rendimentos a Distribuir caindo…
        abr/17 mai/17 jun/17 jul/17
        3.459.660,00 3.459.660,00 3.459.660,00 3.346.260,00

        E a comparação da Taxa de Administração X Provento pago por cota
        abr/17 mai/17 jun/17 jul/17
        154.144,77 152.850,12 157.629,64 157.895,90
        8,54 8,54 8,54 8,26

        Curtido por 1 pessoa

      • Pessoal, boa tarde!
        Outros pontos que me chamou a atenção…
        Total mantido para as Necessidades de Liquidez vem caindo…

        abr/17 – 11.968.470,50
        mai/17 – 10.682.242,31
        jun/17 – 9.470.864,79
        jul/17 – 6.935.492,80

        Disponibilidade em caixa baixou consistentemente…

        abr/17 – 2.819.205,89
        mai/17 – 895.772,27
        jun/17 – 988.495,23
        jul/17 – 5.380,27

        Outros Valores a Receber… previsão 15 vezes maior que do mês anterior…

        abr/17 – 67.497,39
        mai/17 – 86.197,38
        jun/17 – 70.336,09
        jul/17 – 1.100.313,36

        Diminuição da posição em Fundos de Renda fixa…

        abr/17 – 9.149.264,61
        mai/17 – 9.786.470,04
        jun/17 – 8.482.369,56
        jul/17 – 6.930.112,53

        Aumento da posição em LCI…

        abr/17 – 141.017.345,80
        mai/17 – 142.186.582,82
        jun/17 – 143.215.977,02
        jul/17 – 144.238.787,06

        Os Rendimentos a Distribuir caindo…

        abr/17 – 3.459.660,00
        mai/17 – 3.459.660,00
        jun/17 – 3.459.660,00
        jul/17 – 3.346.260,00

        E a comparação da Taxa de Administração X Provento pago por cota

        abr/17 – 154.144,77 / 8,54
        mai/17 – 152.850,12 / 8,54
        jun/17 – 157.629,64 / 8,54
        jul/17 – 157.895,90 / 8,26

        Curtido por 3 pessoas

      • bizarro esse fundo de renda fixa, onde 30% da receita vem de aplicaçoes financeiras
        Desde que possuo esse fundo é a mesma coisa…

        O único fato que o manteho em carteira é por ter conseguido um bom valor na casa dos 900 e ainda dá um bom retorno pelo preço de custo.

        Caso contrário já tinhav endido faz tempo…

        Curtir

    • Tetzner,
      Esse é um ponto interessante.
      Considerando ainda a queda de 200 bps até o final do ano e os dados de inflação, bem como não havendo novas significativas entregas de agências, qual o valor que estabilizaria o rendimento mensal deste FII e a sua influência na cotação final do ativo?
      Quanto especula?

      Curtir

  6. ..Rendimento Amortização
    Ato societário de aprovação (se houver)
    Data da informação
    31/07/2017
    Data-base (último dia de negociação “com” direito ao provento)
    31/07/2017
    Data do pagamento
    15/08/2017
    Valor do provento por cota (R$)
    8,26
    Período de referência
    JULHO/2017
    Ano
    2017
    Rendimento isento de IR*
    Sim

    Curtido por 1 pessoa

  7. Caiu ……Rendimento Amortização
    Ato societário de aprovação (se houver)
    Data da informação
    31/07/2017
    Data-base (último dia de negociação “com” direito ao provento)
    31/07/2017
    Data do pagamento
    15/08/2017
    Valor do provento por cota (R$)
    8,26
    Período de referência
    JULHO/2017
    Ano
    2017
    Rendimento isento de IR*
    Sim

    Curtir

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s